Escola de Fortaleza homenageia professor que morreu durante incêndio em casa

LUTO

Escola de Fortaleza homenageia professor que morreu durante incêndio em casa

José Aurélio de Oliveira, de 69 anos, foi homenageado por alunos, professores e funcionários

Por TV Jangadeiro em Segurança Pública

20 de novembro de 2018 às 11:59

Há 9 meses
professor

Colegas e alunos homenagearam o professor que morreu em incêndio. (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Muito querido pela comunidade, o professor José Aurélio de Oliveira, de 69 anos, foi homenageado dias após sua morte. Ele morreu em um incêndio na própria casa, na Vila Peri, em Fortaleza. O colégio, onde trabalhou por anos, prestou condolências à família e lembrou o quanto ele era querido. Dezenas de alunos e discentes foram à Escola de Ensino Fundamental e Médio Professor Hermenegildo Firmeza, local onde a vítima também conheceu a esposa.

“Ficamos muito abalados. Nós tínhamos por ele um grande amor, devido à forma como ele era como pessoa: amável, dedicado, brincalhão. Sentimos um impacto muito grande. A gente fica feliz de estar pelo menos fazendo essa pequena homenagem”, disse Márcia Rêgo, diretora da escola, em entrevista ao programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT.

Aurélio era professor de Geografia na instituição e foi lá, inclusive, onde ele conheceu a esposa, pessoa que atualmente cuidava dele no período de doença, com quem também teve uma filha.

“A gente sempre teve a escola como família. Tenho muita gratidão por ter recebido essa homenagem. A gente tem alunos de todos os lugares. Nesse momento tão difícil que estou passando, a gente pensava que ele ia embora de forma natural e não dessa forma tão trágica. Mas pra mim é gratificante a homenagem da escola e para ela também”, disse Elisângela, viúva, que ainda aguarda o corpo do marido ser liberado, já que até os documentos foram queimados.

Depois de muitos anos dedicados à escola, Aurélio havia se aposentado para cuidar da saúde. A esposa também havia deixado o trabalho para cuidar do marido. Elisângela fala do companheiro.

“A gente não tinha desunião, era só alegria. Eu sei que ele deve estar num lugar muito bom. Apesar da depressão dele de estar em casa, de não querer sair mais. É muita saudade.”

Publicidade

Dê sua opinião

LUTO

Escola de Fortaleza homenageia professor que morreu durante incêndio em casa

José Aurélio de Oliveira, de 69 anos, foi homenageado por alunos, professores e funcionários

Por TV Jangadeiro em Segurança Pública

20 de novembro de 2018 às 11:59

Há 9 meses
professor

Colegas e alunos homenagearam o professor que morreu em incêndio. (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Muito querido pela comunidade, o professor José Aurélio de Oliveira, de 69 anos, foi homenageado dias após sua morte. Ele morreu em um incêndio na própria casa, na Vila Peri, em Fortaleza. O colégio, onde trabalhou por anos, prestou condolências à família e lembrou o quanto ele era querido. Dezenas de alunos e discentes foram à Escola de Ensino Fundamental e Médio Professor Hermenegildo Firmeza, local onde a vítima também conheceu a esposa.

“Ficamos muito abalados. Nós tínhamos por ele um grande amor, devido à forma como ele era como pessoa: amável, dedicado, brincalhão. Sentimos um impacto muito grande. A gente fica feliz de estar pelo menos fazendo essa pequena homenagem”, disse Márcia Rêgo, diretora da escola, em entrevista ao programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT.

Aurélio era professor de Geografia na instituição e foi lá, inclusive, onde ele conheceu a esposa, pessoa que atualmente cuidava dele no período de doença, com quem também teve uma filha.

“A gente sempre teve a escola como família. Tenho muita gratidão por ter recebido essa homenagem. A gente tem alunos de todos os lugares. Nesse momento tão difícil que estou passando, a gente pensava que ele ia embora de forma natural e não dessa forma tão trágica. Mas pra mim é gratificante a homenagem da escola e para ela também”, disse Elisângela, viúva, que ainda aguarda o corpo do marido ser liberado, já que até os documentos foram queimados.

Depois de muitos anos dedicados à escola, Aurélio havia se aposentado para cuidar da saúde. A esposa também havia deixado o trabalho para cuidar do marido. Elisângela fala do companheiro.

“A gente não tinha desunião, era só alegria. Eu sei que ele deve estar num lugar muito bom. Apesar da depressão dele de estar em casa, de não querer sair mais. É muita saudade.”