Estudante é baleada dentro de universidade por aluno suspeito de assediá-la

MEDIDA PROTETIVA

Estudante é baleada dentro de universidade por aluno suspeito de assediá-la

“O criminoso, também estudante do mesmo curso, estava assediando a vítima há algum tempo, o que resultou numa medida protetiva da Lei Maria da Penha”, diz a nota da Unilab

Por Roberta Tavares em Segurança Pública

21 de outubro de 2017 às 15:25

Há 2 anos
O caso ocorreu nesta sexta-feira (FOTO: Reprodução/Whatsapp)

O caso ocorreu nesta sexta-feira (FOTO: Reprodução/Whatsapp)

Uma estudante foi baleada dentro da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab). O caso aconteceu na noite de sexta-feira (20), em Acarape, a 62 quilômetros de Fortaleza.

A jovem, que cursa Letras/Língua Portuguesa, foi surpreendida com tiros efetuados por outro aluno. Segundo nota da Unilab, ela foi atingida com um tiro de raspão na testa e outro na lateral do pescoço.

“O criminoso, também estudante do mesmo curso, estava assediando a vítima há algum tempo, o que resultou numa medida protetiva da Lei Maria da Penha“, diz a nota. Ele continua foragido.

A estudante foi levada para o Hospital Municipal de Acarape e, de lá, encaminhada ao Instituto Dr. José Frota (IJF), em Fortaleza. Na unidade, passou por cirurgia no crânio e se encontra na unidade pós-cirúrgica do IJF. “Ela está consciente e hoje pela manhã já se alimentou e conversou com profissionais do hospital. A jovem permanece sob observação e passará por novos exames”. 

Ainda no documento, a Unilab lamentou o ocorrido e se solidarizou com familiares, amigos e colegas dos envolvidos.

O Diretório Central dos Estudantes da Unilab também divulgou nota sobre o ocorrido. Dentro da universidade, no campus do Palmares II, um jovem disparou três vezes contra a estudante, numa nítida tentativa de feminicídio. Não iremos nos calar, óbvio. Mas precisamos amenizar o clima de terror em prol dos próprios estudantes (…) Violência contra a mulher, não é o mundo que a gente quer”, conclui a nota do diretório da Unilab.

Publicidade

Dê sua opinião

MEDIDA PROTETIVA

Estudante é baleada dentro de universidade por aluno suspeito de assediá-la

“O criminoso, também estudante do mesmo curso, estava assediando a vítima há algum tempo, o que resultou numa medida protetiva da Lei Maria da Penha”, diz a nota da Unilab

Por Roberta Tavares em Segurança Pública

21 de outubro de 2017 às 15:25

Há 2 anos
O caso ocorreu nesta sexta-feira (FOTO: Reprodução/Whatsapp)

O caso ocorreu nesta sexta-feira (FOTO: Reprodução/Whatsapp)

Uma estudante foi baleada dentro da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab). O caso aconteceu na noite de sexta-feira (20), em Acarape, a 62 quilômetros de Fortaleza.

A jovem, que cursa Letras/Língua Portuguesa, foi surpreendida com tiros efetuados por outro aluno. Segundo nota da Unilab, ela foi atingida com um tiro de raspão na testa e outro na lateral do pescoço.

“O criminoso, também estudante do mesmo curso, estava assediando a vítima há algum tempo, o que resultou numa medida protetiva da Lei Maria da Penha“, diz a nota. Ele continua foragido.

A estudante foi levada para o Hospital Municipal de Acarape e, de lá, encaminhada ao Instituto Dr. José Frota (IJF), em Fortaleza. Na unidade, passou por cirurgia no crânio e se encontra na unidade pós-cirúrgica do IJF. “Ela está consciente e hoje pela manhã já se alimentou e conversou com profissionais do hospital. A jovem permanece sob observação e passará por novos exames”. 

Ainda no documento, a Unilab lamentou o ocorrido e se solidarizou com familiares, amigos e colegas dos envolvidos.

O Diretório Central dos Estudantes da Unilab também divulgou nota sobre o ocorrido. Dentro da universidade, no campus do Palmares II, um jovem disparou três vezes contra a estudante, numa nítida tentativa de feminicídio. Não iremos nos calar, óbvio. Mas precisamos amenizar o clima de terror em prol dos próprios estudantes (…) Violência contra a mulher, não é o mundo que a gente quer”, conclui a nota do diretório da Unilab.