Homem suspeito de atirar contra estudante dentro de Unilab segue foragido

VIOLÊNCIA

Homem suspeito de atirar contra estudante dentro de Unilab segue foragido

Segundo a SSPDS, o suspeito apresentava comportamento agressivo e não aceitava o fim do relacionamento com a estudante

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

23 de outubro de 2017 às 15:10

Há 2 anos
O caso ocorreu na sexta-feira (20) (FOTO: Reprodução/Whatsapp)

O caso ocorreu na sexta-feira (FOTO: Reprodução/Whatsapp)

Após passar uma cirurgia craniana, a estudante Thaislane Marcelino de Oliveira, de 22 anos, deixou a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Instituto Doutor José Frota (IJF) e segue se recuperando na enfermaria do hospital.

A jovem foi baleada com três tiros dentro do campus da Unilab, em Acarape, na última sexta-feira (20). O agressor, Carleano da Silva Gerônimo, de 23 anos, está foragido, mas a Polícia segue com as buscas.

Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), a Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), por meio da Delegacia Regional de Baturité, agiu de forma rápida e solicitou a prisão do criminoso que, em menos de 24 horas após o delito, foi decretada. Ele é procurado por policiais civis e militares.

Ainda de acordo com a nota da SSPDS, Carleano apresentava comportamento agressivo e não aceitava o fim do relacionamento com a estudante, que já havia registrado procedimento policial contra ele por violência doméstica, na Delegacia Municipal de Redenção.

Medida protetiva

Com medida protetiva expedida pela Justiça em julho deste ano, o agressor só poderia se aproximar da mulher até 100 metros de distância. Mas, como ambos são estudantes de uma mesma disciplina na Unilab, a ordem judicial permitia uma exceção somente no ambiente acadêmico. O crime foi cometido no intervalo da aula, enquanto a vítima conversava com amigas e ouviu o agressor chamá-la pelo nome.

Depois de denunciar Carleano por assédio, Thaislane havia conseguido uma medida protetiva contra ele. Mas poucas pessoas sabem o que é e para que serve esse dispositivo legal que protege pessoas que, frequentemente, sofrem ameaças ou risco de agressão.

Diariamente, mulheres brasileiras são vítimas de crimes por parte de seus companheiros. Crimes que iniciam com agressões verbais, muitas vezes, terminam em agressões físicas ou mesmo assassinatos.

O Brasil tem a 5ª maior taxa de assassinatos de mulheres do mundo. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde, o índice é de 4,8 crimes a cada 100 mil habitantes. E uma das ferramentas que pode ajudar a evitar esses crimes é justamente a medida protetiva.

Apesar de ser um instrumento importante no combate a esse tipo de violência, a advogada Mônica Barroso lembra que apenas a Medida Protetiva não resolve a questão. Foi o caso da estudante Thaislane. Mesmo com o documento, ela foi atacada pelo homem que a assediava.

A Delegacia da Mulher disponibiliza um número direto para denúncias: (85) 3101-2495.

Ouça a entrevista da advogada comentando o caso:

Confira detalhes na reportagem do Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT:

Publicidade

Dê sua opinião

VIOLÊNCIA

Homem suspeito de atirar contra estudante dentro de Unilab segue foragido

Segundo a SSPDS, o suspeito apresentava comportamento agressivo e não aceitava o fim do relacionamento com a estudante

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

23 de outubro de 2017 às 15:10

Há 2 anos
O caso ocorreu na sexta-feira (20) (FOTO: Reprodução/Whatsapp)

O caso ocorreu na sexta-feira (FOTO: Reprodução/Whatsapp)

Após passar uma cirurgia craniana, a estudante Thaislane Marcelino de Oliveira, de 22 anos, deixou a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Instituto Doutor José Frota (IJF) e segue se recuperando na enfermaria do hospital.

A jovem foi baleada com três tiros dentro do campus da Unilab, em Acarape, na última sexta-feira (20). O agressor, Carleano da Silva Gerônimo, de 23 anos, está foragido, mas a Polícia segue com as buscas.

Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), a Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), por meio da Delegacia Regional de Baturité, agiu de forma rápida e solicitou a prisão do criminoso que, em menos de 24 horas após o delito, foi decretada. Ele é procurado por policiais civis e militares.

Ainda de acordo com a nota da SSPDS, Carleano apresentava comportamento agressivo e não aceitava o fim do relacionamento com a estudante, que já havia registrado procedimento policial contra ele por violência doméstica, na Delegacia Municipal de Redenção.

Medida protetiva

Com medida protetiva expedida pela Justiça em julho deste ano, o agressor só poderia se aproximar da mulher até 100 metros de distância. Mas, como ambos são estudantes de uma mesma disciplina na Unilab, a ordem judicial permitia uma exceção somente no ambiente acadêmico. O crime foi cometido no intervalo da aula, enquanto a vítima conversava com amigas e ouviu o agressor chamá-la pelo nome.

Depois de denunciar Carleano por assédio, Thaislane havia conseguido uma medida protetiva contra ele. Mas poucas pessoas sabem o que é e para que serve esse dispositivo legal que protege pessoas que, frequentemente, sofrem ameaças ou risco de agressão.

Diariamente, mulheres brasileiras são vítimas de crimes por parte de seus companheiros. Crimes que iniciam com agressões verbais, muitas vezes, terminam em agressões físicas ou mesmo assassinatos.

O Brasil tem a 5ª maior taxa de assassinatos de mulheres do mundo. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde, o índice é de 4,8 crimes a cada 100 mil habitantes. E uma das ferramentas que pode ajudar a evitar esses crimes é justamente a medida protetiva.

Apesar de ser um instrumento importante no combate a esse tipo de violência, a advogada Mônica Barroso lembra que apenas a Medida Protetiva não resolve a questão. Foi o caso da estudante Thaislane. Mesmo com o documento, ela foi atacada pelo homem que a assediava.

A Delegacia da Mulher disponibiliza um número direto para denúncias: (85) 3101-2495.

Ouça a entrevista da advogada comentando o caso:

Confira detalhes na reportagem do Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT: