Justiça nega liberdade a 14 PMs acusados de participar da Chacina da Messejana

HABEAS CORPUS NEGADO

Justiça nega liberdade a 14 PMs acusados de participar da Chacina da Messejana

Os PMs alegaram, em suas defesas, ausência de indícios de autoria do crime; Ministério Público do Ceará se manifestou quanto à negação dos pedidos

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

24 de janeiro de 2017 às 19:22

Há 3 anos

Decisão foi proferida nesta terça-feira (FOTO: Reprodução/TJCE)

A 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) negou, por unanimidade, liberdade para 14 policiais militares acusados de participar da Chacina da Messejana, em Fortaleza.

O crime deixou 11 mortos e sete feridos no dia 11 de novembro de 2015. A decisão, proferida nesta terça-feira (24), teve a relatoria do juiz convocado Antônio Pádua Silva.

Os PMs alegaram, em suas defesas, ausência de indícios de autoria do crime, condições favoráveis à concessão da liberdade, carência de fundamentação do decreto prisional e excesso de prazo na formação da culpa.

O Ministério Público do Ceará se manifestou quanto à negação dos pedidos. De acordo com o órgão, se um grupo de policiais militares  foi capazes de agir contra ordens superiores e, de forma desordenada, atuou em bando armado para semear a desordem e o caos, não é demais imaginar que outros atos dessa natureza poderão vir a ser praticados.

Nesta terça, ao analisar os pedidos dos 14 acusados, pleiteados em oito processos, o magistrado considerou que as prisões estão baseadas nas circunstâncias do crime. Também destacou que, caso permaneçam em liberdade, pode haver um comprometimento da instrução criminal, pois, conforme colhido na fase inquisitorial os acusados e seus comparsas podem ameaçar vítimas sobreviventes e/ou familiares.

Publicidade

Dê sua opinião

HABEAS CORPUS NEGADO

Justiça nega liberdade a 14 PMs acusados de participar da Chacina da Messejana

Os PMs alegaram, em suas defesas, ausência de indícios de autoria do crime; Ministério Público do Ceará se manifestou quanto à negação dos pedidos

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

24 de janeiro de 2017 às 19:22

Há 3 anos

Decisão foi proferida nesta terça-feira (FOTO: Reprodução/TJCE)

A 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) negou, por unanimidade, liberdade para 14 policiais militares acusados de participar da Chacina da Messejana, em Fortaleza.

O crime deixou 11 mortos e sete feridos no dia 11 de novembro de 2015. A decisão, proferida nesta terça-feira (24), teve a relatoria do juiz convocado Antônio Pádua Silva.

Os PMs alegaram, em suas defesas, ausência de indícios de autoria do crime, condições favoráveis à concessão da liberdade, carência de fundamentação do decreto prisional e excesso de prazo na formação da culpa.

O Ministério Público do Ceará se manifestou quanto à negação dos pedidos. De acordo com o órgão, se um grupo de policiais militares  foi capazes de agir contra ordens superiores e, de forma desordenada, atuou em bando armado para semear a desordem e o caos, não é demais imaginar que outros atos dessa natureza poderão vir a ser praticados.

Nesta terça, ao analisar os pedidos dos 14 acusados, pleiteados em oito processos, o magistrado considerou que as prisões estão baseadas nas circunstâncias do crime. Também destacou que, caso permaneçam em liberdade, pode haver um comprometimento da instrução criminal, pois, conforme colhido na fase inquisitorial os acusados e seus comparsas podem ameaçar vítimas sobreviventes e/ou familiares.