Líder do assalto ao Banco Central é condenado por lavagem de dinheiro


Líder do assalto ao Banco Central é condenado por lavagem de dinheiro

O furto ocorreu há 10 anos, Alemão já cumpre pena de 35 anos de prisão e foi condenado ao regime fechado por mais 80 anos

Por Mayana Fontenele em Segurança Pública

25 de agosto de 2015 às 19:49

Há 4 anos
assalto-ao-banco-central

Crime ocorreu há 10 anos (Foto: Jarbas Oliveira/Especial Banco Central 8 anos)

Antônio Jussivan Alves do Santos, o Alemão, líder da quadrilha que planejou e executou o assalto ao Banco Central de Fortaleza, em agosto de 2005, foi condenado a 80 anos de prisão em regime fechado por lavagem de dinheiro. A condenação aconteceu na última sexta-feira (21), porém só divulgado na noite desta segunda-feira (24), no site da Justiça Federal. Além dele, outras 10 pessoas envolvidas no assalto também foram condenadas pelo mesmo crime.

Segundo a Polícia Federal, o líder “lavou” dinheiro comprando bens em nome de laranjas, com apoio dos dez réus julgados no processo, em Mato Grosso do Sul, Goiás e no Distrito Federal, onde foi preso em 2008, após ficar três anos foragido.

Entre os bens, estão fazendas, postos de combustíveis, lancha, motocicletas, carros, e diversos imóveis, dentre eles uma casa em Boa Viagem, o seu município natal, no interior do Ceará. O condenado já cumpre pena de 35 anos por furto, formação de quadrilha e uso de documento falso.

Em 2015, o maior furto a banco já registrado no Brasil, completou 10 anos. No furto ao Banco Central, em Fortaleza, a quadrilha liderada por Alemão roubou cerca de R$ 164,8 milhões em notas que seriam incineradas. Com a sentença de sexta-feira, resta apenas um processo para ser julgado, também por lavagem de dinheiro. O assalto ao Banco Central, considerado o maior furto a banco do País e um dos maiores crimes patrimoniais do mundo, já resultou em 28 ações penais, envolvendo 133 réus.

Publicidade

Dê sua opinião

Líder do assalto ao Banco Central é condenado por lavagem de dinheiro

O furto ocorreu há 10 anos, Alemão já cumpre pena de 35 anos de prisão e foi condenado ao regime fechado por mais 80 anos

Por Mayana Fontenele em Segurança Pública

25 de agosto de 2015 às 19:49

Há 4 anos
assalto-ao-banco-central

Crime ocorreu há 10 anos (Foto: Jarbas Oliveira/Especial Banco Central 8 anos)

Antônio Jussivan Alves do Santos, o Alemão, líder da quadrilha que planejou e executou o assalto ao Banco Central de Fortaleza, em agosto de 2005, foi condenado a 80 anos de prisão em regime fechado por lavagem de dinheiro. A condenação aconteceu na última sexta-feira (21), porém só divulgado na noite desta segunda-feira (24), no site da Justiça Federal. Além dele, outras 10 pessoas envolvidas no assalto também foram condenadas pelo mesmo crime.

Segundo a Polícia Federal, o líder “lavou” dinheiro comprando bens em nome de laranjas, com apoio dos dez réus julgados no processo, em Mato Grosso do Sul, Goiás e no Distrito Federal, onde foi preso em 2008, após ficar três anos foragido.

Entre os bens, estão fazendas, postos de combustíveis, lancha, motocicletas, carros, e diversos imóveis, dentre eles uma casa em Boa Viagem, o seu município natal, no interior do Ceará. O condenado já cumpre pena de 35 anos por furto, formação de quadrilha e uso de documento falso.

Em 2015, o maior furto a banco já registrado no Brasil, completou 10 anos. No furto ao Banco Central, em Fortaleza, a quadrilha liderada por Alemão roubou cerca de R$ 164,8 milhões em notas que seriam incineradas. Com a sentença de sexta-feira, resta apenas um processo para ser julgado, também por lavagem de dinheiro. O assalto ao Banco Central, considerado o maior furto a banco do País e um dos maiores crimes patrimoniais do mundo, já resultou em 28 ações penais, envolvendo 133 réus.