Operação Contra-ataque captura 42 pessoas em Fortaleza e Região Metropolitana

FORÇA-TAREFA

Operação Contra-ataque captura 42 pessoas em Fortaleza e Região Metropolitana

Uma força-tarefa de agentes de segurança no Ceará apertou o cerco contra criminosos após Estado viver quase um mês de caos

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

2 de fevereiro de 2019 às 15:41

Há 6 meses
Desde o início da série de ataques em Fortaleza, cerca de 500 pessoas foram capturadas. (Foto: Divulgação/SSPDS)

Desde o início da série de ataques em Fortaleza, cerca de 500 pessoas foram capturadas. (Foto: Divulgação/SSPDS)

A força-tarefa da Operação Contra-ataque resultou na captura de 42 suspeitos, incluindo maiores presos e menores apreendidos, em Fortaleza e na Região Metropolitana (RMF). Entre as 16 horas da sexta-feira (1°) e as 3 horas do sábado (2), 3.600 agentes de segurança, trânsito e fiscalização, centenas de viaturas, duas aeronaves da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) e um helicóptero da Polícia Rodoviária Federal (PRF) atuaram de forma integrada no combate à criminalidade, realizando cercos, ações de saturação, cumprimento de mandados e barreiras de fiscalização.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), durante toda a sexta-feira e o início da madrugada de hoje não foi registrado nenhum Crime Violento Letal e Intencional (CVLI), nos municípios onde o efetivo atuou.

Durante a operação, enquanto policiais militares e demais parceiros realizavam saturações pelas principais vias da Capital e RMF, a Polícia Civil cumpriu mandados de prisão em Fortaleza, Caucaia, Maracanaú, Maranguape e Pacatuba. Ao todo, foram cumpridos 14 mandados de prisão que estavam em aberto contra pessoas que respondem por crimes diversos.

Agentes penitenciários atuaram na busca de foragidos e conferindo a localização de apenados que usam tornozeleiras eletrônicas. Além disso, representantes de todas as forças acompanharam as ocorrências em tempo real no Centro de Comando e Controle Regional, que funciona na sede da SSPDS, em Fortaleza.

A operação foi deflagrada pela SSPDS e suas vinculadas – Polícia Militar do Ceará, Polícia Civil do Estado do Ceará, Corpo de Bombeiros Militar e Perícia Forense (Pefoce) – e contou com a atuação do efetivo da Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) e órgãos municipais e federais parceiros – Guarda Municipal de Fortaleza (GMF), Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) e Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Fase I

Além de 42 suspeitos capturados, nos dias 25 e 26 de janeiro, o balanço da primeira fase da Operação Contra-ataque resultou na apreensão de 11 armas de fogo e 4,36 kg de drogas. Apenas oito furtos foram registrados em Fortaleza e na Região Metropolitana, durante esse intervalo de tempo, o que representou uma redução de 80% se comparado o mesmo período da semana retrasada, e oito roubos, uma redução de 79,5% frente ao registrado na noite de sexta e parte da madrugada do sábado da semana anterior à fase um da operação.

Série de ataques

Do dia 2 a 29 de janeiro deste ano, o Ceará viveu 28 dias de terror, com 282 ataques em 56 cidades cearenses, sendo 133 concentrados na capital. Há quatro dias não são registrados ataques. A crise na segurança pública teve início um dia após o secretário de Administração Penitenciária, Luís Mauro Albuquerque, ter afirmado não reconhecer as facções e anunciar mudanças no sistema prisional.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), até o final de janeiro, havia um total de 466 pessoas presas ou apreendidas por participação nos atos criminosos. O órgão não está informando a contabilização dos números de ataques.

Publicidade

Dê sua opinião

FORÇA-TAREFA

Operação Contra-ataque captura 42 pessoas em Fortaleza e Região Metropolitana

Uma força-tarefa de agentes de segurança no Ceará apertou o cerco contra criminosos após Estado viver quase um mês de caos

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

2 de fevereiro de 2019 às 15:41

Há 6 meses
Desde o início da série de ataques em Fortaleza, cerca de 500 pessoas foram capturadas. (Foto: Divulgação/SSPDS)

Desde o início da série de ataques em Fortaleza, cerca de 500 pessoas foram capturadas. (Foto: Divulgação/SSPDS)

A força-tarefa da Operação Contra-ataque resultou na captura de 42 suspeitos, incluindo maiores presos e menores apreendidos, em Fortaleza e na Região Metropolitana (RMF). Entre as 16 horas da sexta-feira (1°) e as 3 horas do sábado (2), 3.600 agentes de segurança, trânsito e fiscalização, centenas de viaturas, duas aeronaves da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) e um helicóptero da Polícia Rodoviária Federal (PRF) atuaram de forma integrada no combate à criminalidade, realizando cercos, ações de saturação, cumprimento de mandados e barreiras de fiscalização.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), durante toda a sexta-feira e o início da madrugada de hoje não foi registrado nenhum Crime Violento Letal e Intencional (CVLI), nos municípios onde o efetivo atuou.

Durante a operação, enquanto policiais militares e demais parceiros realizavam saturações pelas principais vias da Capital e RMF, a Polícia Civil cumpriu mandados de prisão em Fortaleza, Caucaia, Maracanaú, Maranguape e Pacatuba. Ao todo, foram cumpridos 14 mandados de prisão que estavam em aberto contra pessoas que respondem por crimes diversos.

Agentes penitenciários atuaram na busca de foragidos e conferindo a localização de apenados que usam tornozeleiras eletrônicas. Além disso, representantes de todas as forças acompanharam as ocorrências em tempo real no Centro de Comando e Controle Regional, que funciona na sede da SSPDS, em Fortaleza.

A operação foi deflagrada pela SSPDS e suas vinculadas – Polícia Militar do Ceará, Polícia Civil do Estado do Ceará, Corpo de Bombeiros Militar e Perícia Forense (Pefoce) – e contou com a atuação do efetivo da Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) e órgãos municipais e federais parceiros – Guarda Municipal de Fortaleza (GMF), Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) e Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Fase I

Além de 42 suspeitos capturados, nos dias 25 e 26 de janeiro, o balanço da primeira fase da Operação Contra-ataque resultou na apreensão de 11 armas de fogo e 4,36 kg de drogas. Apenas oito furtos foram registrados em Fortaleza e na Região Metropolitana, durante esse intervalo de tempo, o que representou uma redução de 80% se comparado o mesmo período da semana retrasada, e oito roubos, uma redução de 79,5% frente ao registrado na noite de sexta e parte da madrugada do sábado da semana anterior à fase um da operação.

Série de ataques

Do dia 2 a 29 de janeiro deste ano, o Ceará viveu 28 dias de terror, com 282 ataques em 56 cidades cearenses, sendo 133 concentrados na capital. Há quatro dias não são registrados ataques. A crise na segurança pública teve início um dia após o secretário de Administração Penitenciária, Luís Mauro Albuquerque, ter afirmado não reconhecer as facções e anunciar mudanças no sistema prisional.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), até o final de janeiro, havia um total de 466 pessoas presas ou apreendidas por participação nos atos criminosos. O órgão não está informando a contabilização dos números de ataques.