Pai teve relação extraconjugal e acusação aponta crime premeditado em Paracuru


Pai teve relação extraconjugal, e acusação aponta crime premeditado em Paracuru

Segundo o advogado da família de Adriana Moraes, Leandro Vasques, o suspeito teria vetado a presença dos sogros na viagem de aniversário

Por Juliana Teófilo em Segurança Pública

27 de agosto de 2015 às 18:08

Há 4 anos
Segundo advogado da família da vítima, Marcelo Barberena de Moraes teria tido caso extraconjugal há três meses. (FOTO: Reprodução/ TV Jangadeiro)

Marcelo Barberena de Moraes teria tido caso extraconjugal há três meses (FOTO: Reprodução/ TV Jangadeiro)

Durante a sessão de depoimentos realizadas na tarde desta quinta-feira (27), o pai da vítima, Paulo Pessoa de Carvalho, revelou que Adriana o convidou, junto com a mãe, para participar do fim de semana na casa de veraneio. Contudo foi surpreendido pela reação negativa por parte de Marcelo Barberena, que vetou ida dos sogros a Paracuru. O local foi cenário do crime chocante, onde Barberena já confessou ter matado a esposa e a filha, de apenas 8 meses.

O advogado da família, Leandro Vasques, declarou que tal comportamento pode indicar que o crime foi premeditado. Leandro revelou, ainda, que Marcelo havia tido uma relação extraconjugal há três meses. Segundo o advogado, a descoberta do caso abalou a relação do casal, mas Marcelo teria se mostrado arrependido e Adriana resolveu recomeçar.

Além do pai de Adriana, a mãe e o irmão, que também estiveram na casa no dia do crime, prestaram depoimento para a delegada Socorro Portela, titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). A irmã de Adriana, Ana Paula Ramalho, relatou o choque da família com o crime. “Estamos todos muito abalados, nunca imaginamos que algo assim poderia acontecer”, falou emocionada.

Ana Paula relatou que a filha mais velha do casal está sob cuidados médicos e psicológicos. “Ela está sendo muito bem cuidada. Sabe que a mãe e a irmã morreram, nós não escondemos dela, mas não sabe que foi o pai que matou”, aponta.

Tragédia familiar

O crime ocorreu na madrugada de domingo (23), na casa de praia da família, em Paracuru. Adriana Moraes e Jade Carvalho foram encontradas mortas dentro do quarto, com ferimentos a bala. Marcelo Barberena, marido da vítima, assumiu a autoria do crime em meio a lágrimas e pedidos de perdão durante perícia complementar.

Segundo a delegada Socorro Portela, em depoimento, o suspeito informou que o crime teria acontecido após uma discussão banal com a esposa. Ela teria dormido, mas ele ficou acordado a noite toda. Nas primeiras horas da manhã, portando uma arma que estava em um dos armários da casa, Marcelo atirou contra a mulher e depois contra a criança. A motivação do crime ainda permanece desconhecida.

Publicidade

Dê sua opinião

Pai teve relação extraconjugal, e acusação aponta crime premeditado em Paracuru

Segundo o advogado da família de Adriana Moraes, Leandro Vasques, o suspeito teria vetado a presença dos sogros na viagem de aniversário

Por Juliana Teófilo em Segurança Pública

27 de agosto de 2015 às 18:08

Há 4 anos
Segundo advogado da família da vítima, Marcelo Barberena de Moraes teria tido caso extraconjugal há três meses. (FOTO: Reprodução/ TV Jangadeiro)

Marcelo Barberena de Moraes teria tido caso extraconjugal há três meses (FOTO: Reprodução/ TV Jangadeiro)

Durante a sessão de depoimentos realizadas na tarde desta quinta-feira (27), o pai da vítima, Paulo Pessoa de Carvalho, revelou que Adriana o convidou, junto com a mãe, para participar do fim de semana na casa de veraneio. Contudo foi surpreendido pela reação negativa por parte de Marcelo Barberena, que vetou ida dos sogros a Paracuru. O local foi cenário do crime chocante, onde Barberena já confessou ter matado a esposa e a filha, de apenas 8 meses.

O advogado da família, Leandro Vasques, declarou que tal comportamento pode indicar que o crime foi premeditado. Leandro revelou, ainda, que Marcelo havia tido uma relação extraconjugal há três meses. Segundo o advogado, a descoberta do caso abalou a relação do casal, mas Marcelo teria se mostrado arrependido e Adriana resolveu recomeçar.

Além do pai de Adriana, a mãe e o irmão, que também estiveram na casa no dia do crime, prestaram depoimento para a delegada Socorro Portela, titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). A irmã de Adriana, Ana Paula Ramalho, relatou o choque da família com o crime. “Estamos todos muito abalados, nunca imaginamos que algo assim poderia acontecer”, falou emocionada.

Ana Paula relatou que a filha mais velha do casal está sob cuidados médicos e psicológicos. “Ela está sendo muito bem cuidada. Sabe que a mãe e a irmã morreram, nós não escondemos dela, mas não sabe que foi o pai que matou”, aponta.

Tragédia familiar

O crime ocorreu na madrugada de domingo (23), na casa de praia da família, em Paracuru. Adriana Moraes e Jade Carvalho foram encontradas mortas dentro do quarto, com ferimentos a bala. Marcelo Barberena, marido da vítima, assumiu a autoria do crime em meio a lágrimas e pedidos de perdão durante perícia complementar.

Segundo a delegada Socorro Portela, em depoimento, o suspeito informou que o crime teria acontecido após uma discussão banal com a esposa. Ela teria dormido, mas ele ficou acordado a noite toda. Nas primeiras horas da manhã, portando uma arma que estava em um dos armários da casa, Marcelo atirou contra a mulher e depois contra a criança. A motivação do crime ainda permanece desconhecida.