Protesto contra violência expõe caixões com fotos de policiais mortos no Ceará

VIOLÊNCIA

Protesto contra violência expõe caixões com fotos de policiais mortos no Ceará

Policiais e familiares das vítimas caminharam até a Beira-Mar, levando caixões com fotografias, faixas e cartazes

Por Roberta Tavares em Segurança Pública

13 de agosto de 2016 às 16:06

Há 3 anos
Em 2016, 17 policiais na ativa e reserva foram assassinados (FOTO: Reprodução/Facebook)

Em 2016, 17 policiais na ativa e reserva foram assassinados (FOTO: Reprodução/Facebook)

Após a morte de mais um policial no Ceará, agentes da segurança protestaram na tarde de sexta-feira (12), em Fortaleza. Policiais, familiares e amigos das vítimas caminharam da Avenida Santos Dumont até a Beira-Mar, levando caixões com fotografias, faixas e cartazes.

A concentração aconteceu na Praça Luíza Távora, na Avenida Santos Dumont. No local, 35 caixões foram expostos para representar os policiais assassinados em 2015 e 2016 no estado. Os manifestantes seguiram até a Beira-Mar, com cartazes: “nossos policiais, nossos heróis”; “meu marido não merece ser o próximo” e “defenda a polícia”. A caminhada foi encerrada na areia da praia, com uma oração.

O protesto foi organizado pela Associação de Cabos e Soldados Militares do Ceará (ACSM/CE), Associação dos Profissionais de Segurança, Associação de Praças da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar do Ceará e Associação dos Oficinais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do Ceará. Membros da Associação das Esposas também participaram da ação.

O último caso registrado de policial assassinado no estado aconteceu na sexta-feira (12). Samuel David Nogueira Moraes foi baleado em um assalto, no Bairro Parangaba, próximo ao Terminal da Lagoa, em Fortaleza. Ele estava no carro, ao lado do filho. A criança não foi atingida.

Mortes de policiais em 2016:

– 7 de janeiro: Hudson Danilo Lima Oliveira, soldado da Polícia Militar

O PM foi chamado para uma ocorrência de assalto em uma fazenda de Jaguaretama, no interior do Ceará. De acordo com o Comando de Policiamento do Interior (CPI), houve troca de tiros quando o soldado chegou ao local. Ele foi baleado na cabeça e socorrido no Instituto Dr. José Frota, em Fortaleza, onde ficou internado em estado grave.

No dia 9 de janeiro, foi constatada a morte cerebral. Na noite do dia 8, quatro pessoas foram capturadas. Uma delas agiu diretamente no crime. As outras deram apoio para o criminoso fugir.

– 19 de janeiro: Benedito Gomes Assunção, Cavalaria da Polícia Militar

Policial, que não estava de serviço, se envolveu em uma discussão de trânsito com dois irmão, em Juazeiro do Norte. Poucos minutos depois, os dois suspeitos foram presos em flagrante. Antônio Nogueira da Cruz, 26, e Francisco Valtermar Nogueira da Cruz, 33, foram presos com um revólver calibre 38.

Esposa do policial Augusto Herbert Félix (FOTO: Reprodução/Facebook)

Esposa do policial Augusto Herbert Félix (FOTO: Reprodução/Facebook)

– 26 de janeiro: José Eudes da Silva Monte, sargento da Policial Militar

O PM foi baleado na cabeça durante roubo a um coletivo da linha Conjunto Ceará-Antônio Bezerra, em Fortaleza, e faleceu na manhã do dia 28 de janeiro. Foram presos Raquel Rodrigues Lima, 19, que responde na Justiça por adulteração de veículo; Carlos Maik Pinto Martins, 24, que possui antecedentes por homicídio e tráfico de drogas; Raimundo Nonato Sousa Barroso, 24, que responde por roubo e dois homicídios e Cristian Nilton Nascimento da Silva, 20, apontado pela polícia como o responsável por atirar no policial.

– 12 de fevereiro: Augusto Herbert Félix, soldado da Polícia Militar (Raio)

O soldado aguardava o semáforo abrir, em um cruzamento de Fortaleza, quando foi abordado por dois homens em uma motocicleta. Ele reagiu e trocou tiros com os assaltantes, mas não resistiu aos ferimentos. O crime aconteceu no Bairro Planalto Pici.

– 19 de fevereiro: Carlos Herbênio Almeida Bezerra, subtenente da Polícia Militar

O subtenente estava caminhando no Centro de Jaguaretama, no interior do Ceará, quando foi surpreendido por dois homens em uma motocicleta. Ele foi atingido por vários disparos. Equipes da PM foram acionadas ao local.

– 6 de abril: Alisson Mendonça, inspetor da Polícia Civil

O policial civil estava indo deixar a namorada em casa no bairro Cidade dos Funcionários quando foi surpreendido por dois homens armados. Após o anúncio do assalto, Alisson reagiu e matou um dos criminosos. No entanto, o inspetor foi atingido no peito pelo segundo assaltante. Ele chegou a ser encaminhado com vida ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

– 18 de abril: Francisco Wellington, subtenente da Polícia Militar

O subtenente da Polícia Militar Francisco Wellington da Silva, 45 anos, foi morto dia 18 de abril durante um assalto a uma agência bancária no município de Pacajus, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). O militar teria entrado no estabelecimento bancário com um pacote, possivelmente para realizar um pagamento ou depósito. Porém foi surpreendido por dois homens armados que anunciaram o assalto. O policial estava armado mas não teve tempo de reagir.

– 7 de maio: Antônio Anderson, soldado da Polícia Militar

Antônio Anderson do Nascimento, de 25 anos, estava de folga quando tentou impedir o assassinato de um casal quando foi atingido por disparos.

– 8 de maio: José Roberto Lemos, soldado da Polícia Militar

Um tiroteio na manhã deste domingo (8), na cidade de Campos Sales, levou à morte o soldado José Roberto Lemos, integrante do grupo Ronda de Ações Intensivas e Ostensivas (Raio). A ação aconteceu por volta das 10h40 no Bairro Aparecida, quando homens armados chegaram a uma lanchonete atirando. Os policiais estavam à paisana no local.

– 23 de maio: Evandro Alves Ramos, soldado reformado da Polícia Militar

Soldado de reserva Evandro Ramos Alves foi baleado com um tiro no peito após reagir a uma tentativa de homicídio ao dono bar, identificado apenas como Regis. Evandro chegou a ser socorrido ao Frotinha do Antônio Bezerra, mas não resistiu aos ferimentos.

– 10 de junho: João Farias do Nascimento, sargento reformado da Polícia Militar

O sargento reformado da Polícia Militar João Farias do Nascimento, de 72 anos, foi assassinado na manhã desta sexta-feira (10), em Juazeiro do Norte, a 535 quilômetros de Fortaleza.

– 30 de junho: Francisco Guanabara, sargento da Polícia Militar; Antônio Joel de Oliveira, cabo da Polícia Militar; Antônio Filho, soldado da Polícia Militar

Um confronto entre a Polícia Militar e assaltantes no município de Quixadá deixou três policiais mortos, nesta quinta-feira (30). Segundo a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), o Sargento Francisco Guanabara, o Cabo Joel e o Soldado Antonio Filho foram atingidos e não resistiram aos ferimentos.

15 de julho: Francisco Moésio Pinheiro, sargento da Polícia Militar

O sargento Francisco Moésio Pinheiro Barbosa estava em um mercadinho quando bandidos anunciaram um assalto, em Caucaia. Houve troca de tiros e o policial foi atingido por disparos na região do abdômen. Ele foi encaminhado ao hospital, mas morreu no Instituto Dr. José Frota.

– 5 de agosto: Francisco Edinardo Menezes, sargento da Polícia Militar

Um sargento da Polícia Militar e um inspetor da Polícia Civil foram vítimas da violência em Fortaleza. Na noite desta quinta-feira (4), o sargento da Polícia Militar Francisco Edinardo Menezes de Sousa, de 45 anos, foi morto na porta de casa depois de tentativa de assalto no Bairro Maraponga, em Fortaleza.

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA
1/8

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA

(FOTO: Reprodução/Facebook)

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA
2/8

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA

(FOTO: Reprodução/Facebook)

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA
3/8

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA

(FOTO: Reprodução/Facebook)

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA
4/8

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA

(FOTO: Reprodução/Facebook)

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA
5/8

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA

(FOTO: Reprodução/Facebook)

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA
6/8

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA

(FOTO: Reprodução/Facebook)

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA
7/8

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA

(FOTO: Reprodução/Facebook)

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA
8/8

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA

(FOTO: Reprodução/Facebook)

Publicidade

Dê sua opinião

VIOLÊNCIA

Protesto contra violência expõe caixões com fotos de policiais mortos no Ceará

Policiais e familiares das vítimas caminharam até a Beira-Mar, levando caixões com fotografias, faixas e cartazes

Por Roberta Tavares em Segurança Pública

13 de agosto de 2016 às 16:06

Há 3 anos
Em 2016, 17 policiais na ativa e reserva foram assassinados (FOTO: Reprodução/Facebook)

Em 2016, 17 policiais na ativa e reserva foram assassinados (FOTO: Reprodução/Facebook)

Após a morte de mais um policial no Ceará, agentes da segurança protestaram na tarde de sexta-feira (12), em Fortaleza. Policiais, familiares e amigos das vítimas caminharam da Avenida Santos Dumont até a Beira-Mar, levando caixões com fotografias, faixas e cartazes.

A concentração aconteceu na Praça Luíza Távora, na Avenida Santos Dumont. No local, 35 caixões foram expostos para representar os policiais assassinados em 2015 e 2016 no estado. Os manifestantes seguiram até a Beira-Mar, com cartazes: “nossos policiais, nossos heróis”; “meu marido não merece ser o próximo” e “defenda a polícia”. A caminhada foi encerrada na areia da praia, com uma oração.

O protesto foi organizado pela Associação de Cabos e Soldados Militares do Ceará (ACSM/CE), Associação dos Profissionais de Segurança, Associação de Praças da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar do Ceará e Associação dos Oficinais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do Ceará. Membros da Associação das Esposas também participaram da ação.

O último caso registrado de policial assassinado no estado aconteceu na sexta-feira (12). Samuel David Nogueira Moraes foi baleado em um assalto, no Bairro Parangaba, próximo ao Terminal da Lagoa, em Fortaleza. Ele estava no carro, ao lado do filho. A criança não foi atingida.

Mortes de policiais em 2016:

– 7 de janeiro: Hudson Danilo Lima Oliveira, soldado da Polícia Militar

O PM foi chamado para uma ocorrência de assalto em uma fazenda de Jaguaretama, no interior do Ceará. De acordo com o Comando de Policiamento do Interior (CPI), houve troca de tiros quando o soldado chegou ao local. Ele foi baleado na cabeça e socorrido no Instituto Dr. José Frota, em Fortaleza, onde ficou internado em estado grave.

No dia 9 de janeiro, foi constatada a morte cerebral. Na noite do dia 8, quatro pessoas foram capturadas. Uma delas agiu diretamente no crime. As outras deram apoio para o criminoso fugir.

– 19 de janeiro: Benedito Gomes Assunção, Cavalaria da Polícia Militar

Policial, que não estava de serviço, se envolveu em uma discussão de trânsito com dois irmão, em Juazeiro do Norte. Poucos minutos depois, os dois suspeitos foram presos em flagrante. Antônio Nogueira da Cruz, 26, e Francisco Valtermar Nogueira da Cruz, 33, foram presos com um revólver calibre 38.

Esposa do policial Augusto Herbert Félix (FOTO: Reprodução/Facebook)

Esposa do policial Augusto Herbert Félix (FOTO: Reprodução/Facebook)

– 26 de janeiro: José Eudes da Silva Monte, sargento da Policial Militar

O PM foi baleado na cabeça durante roubo a um coletivo da linha Conjunto Ceará-Antônio Bezerra, em Fortaleza, e faleceu na manhã do dia 28 de janeiro. Foram presos Raquel Rodrigues Lima, 19, que responde na Justiça por adulteração de veículo; Carlos Maik Pinto Martins, 24, que possui antecedentes por homicídio e tráfico de drogas; Raimundo Nonato Sousa Barroso, 24, que responde por roubo e dois homicídios e Cristian Nilton Nascimento da Silva, 20, apontado pela polícia como o responsável por atirar no policial.

– 12 de fevereiro: Augusto Herbert Félix, soldado da Polícia Militar (Raio)

O soldado aguardava o semáforo abrir, em um cruzamento de Fortaleza, quando foi abordado por dois homens em uma motocicleta. Ele reagiu e trocou tiros com os assaltantes, mas não resistiu aos ferimentos. O crime aconteceu no Bairro Planalto Pici.

– 19 de fevereiro: Carlos Herbênio Almeida Bezerra, subtenente da Polícia Militar

O subtenente estava caminhando no Centro de Jaguaretama, no interior do Ceará, quando foi surpreendido por dois homens em uma motocicleta. Ele foi atingido por vários disparos. Equipes da PM foram acionadas ao local.

– 6 de abril: Alisson Mendonça, inspetor da Polícia Civil

O policial civil estava indo deixar a namorada em casa no bairro Cidade dos Funcionários quando foi surpreendido por dois homens armados. Após o anúncio do assalto, Alisson reagiu e matou um dos criminosos. No entanto, o inspetor foi atingido no peito pelo segundo assaltante. Ele chegou a ser encaminhado com vida ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

– 18 de abril: Francisco Wellington, subtenente da Polícia Militar

O subtenente da Polícia Militar Francisco Wellington da Silva, 45 anos, foi morto dia 18 de abril durante um assalto a uma agência bancária no município de Pacajus, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). O militar teria entrado no estabelecimento bancário com um pacote, possivelmente para realizar um pagamento ou depósito. Porém foi surpreendido por dois homens armados que anunciaram o assalto. O policial estava armado mas não teve tempo de reagir.

– 7 de maio: Antônio Anderson, soldado da Polícia Militar

Antônio Anderson do Nascimento, de 25 anos, estava de folga quando tentou impedir o assassinato de um casal quando foi atingido por disparos.

– 8 de maio: José Roberto Lemos, soldado da Polícia Militar

Um tiroteio na manhã deste domingo (8), na cidade de Campos Sales, levou à morte o soldado José Roberto Lemos, integrante do grupo Ronda de Ações Intensivas e Ostensivas (Raio). A ação aconteceu por volta das 10h40 no Bairro Aparecida, quando homens armados chegaram a uma lanchonete atirando. Os policiais estavam à paisana no local.

– 23 de maio: Evandro Alves Ramos, soldado reformado da Polícia Militar

Soldado de reserva Evandro Ramos Alves foi baleado com um tiro no peito após reagir a uma tentativa de homicídio ao dono bar, identificado apenas como Regis. Evandro chegou a ser socorrido ao Frotinha do Antônio Bezerra, mas não resistiu aos ferimentos.

– 10 de junho: João Farias do Nascimento, sargento reformado da Polícia Militar

O sargento reformado da Polícia Militar João Farias do Nascimento, de 72 anos, foi assassinado na manhã desta sexta-feira (10), em Juazeiro do Norte, a 535 quilômetros de Fortaleza.

– 30 de junho: Francisco Guanabara, sargento da Polícia Militar; Antônio Joel de Oliveira, cabo da Polícia Militar; Antônio Filho, soldado da Polícia Militar

Um confronto entre a Polícia Militar e assaltantes no município de Quixadá deixou três policiais mortos, nesta quinta-feira (30). Segundo a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), o Sargento Francisco Guanabara, o Cabo Joel e o Soldado Antonio Filho foram atingidos e não resistiram aos ferimentos.

15 de julho: Francisco Moésio Pinheiro, sargento da Polícia Militar

O sargento Francisco Moésio Pinheiro Barbosa estava em um mercadinho quando bandidos anunciaram um assalto, em Caucaia. Houve troca de tiros e o policial foi atingido por disparos na região do abdômen. Ele foi encaminhado ao hospital, mas morreu no Instituto Dr. José Frota.

– 5 de agosto: Francisco Edinardo Menezes, sargento da Polícia Militar

Um sargento da Polícia Militar e um inspetor da Polícia Civil foram vítimas da violência em Fortaleza. Na noite desta quinta-feira (4), o sargento da Polícia Militar Francisco Edinardo Menezes de Sousa, de 45 anos, foi morto na porta de casa depois de tentativa de assalto no Bairro Maraponga, em Fortaleza.

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA
1/8

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA

(FOTO: Reprodução/Facebook)

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA
2/8

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA

(FOTO: Reprodução/Facebook)

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA
3/8

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA

(FOTO: Reprodução/Facebook)

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA
4/8

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA

(FOTO: Reprodução/Facebook)

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA
5/8

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA

(FOTO: Reprodução/Facebook)

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA
6/8

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA

(FOTO: Reprodução/Facebook)

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA
7/8

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA

(FOTO: Reprodução/Facebook)

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA
8/8

PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA

(FOTO: Reprodução/Facebook)