SSPDS dá prazo de 30 dias para concluir investigação da tragédia em Milagres

14 MORTOS

SSPDS dá prazo de 30 dias para concluir investigação da tragédia em Milagres

O secretário de Segurança do Ceará, André Costa, postou nas redes sociais que uma reunião foi realizada para apurar a ocorrência em Milagres. Investigação contará com 40 profissionais

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

10 de dezembro de 2018 às 19:58

Há 8 meses
A reunião envolveu representantes da Polícia Civil, Pefoce e setores da SSPDS (FOTO: Reprodução/ Whatsapp)

A reunião envolveu representantes da Polícia Civil, Pefoce e setores da SSPDS (FOTO: Reprodução/ Whatsapp)

O secretário de Segurança do Ceará, André Costa, divulgou nas redes sociais nesta segunda-feira (10) que a investigação sobre a tentativa de assalto a bancos na cidade de Milagres, Região Sul do Ceará, terá um prazo de até 30 dias para ser concluída. O caso deixou 14 pessoas mortas na última sexta-feira (7)

Ele informou que 40 profissionais atuarão na investigação apoiados pelo trabalho técnico-cientifico da Perícia Forense (Pefoce) em várias áreas, como medicina-legal, local de crime, balística, DNA, exame de imagens e papiloscopia.

“Sei que há muitas perguntas a serem respondidas, mas só serão após um trabalho sério, imparcial e técnico de nossos investigadores”, afirmou após reunião com representantes da Polícia Civil, Pefoce e de setores da Secretária da Segurança Pública e Defesa Social. “Para definirmos os membros de um grupo de trabalho para apuração dos trágicos eventos ocorridos na última sexta em Milagres”. 

O secretário ainda expressou pesar pelo acontecimento. “Aproveito para expressar meu profundo pesar e meus sentimentos às famílias e aos amigos dos reféns. Situações como essas nos exigem que continuemos trabalhando cada vez mais com responsabilidade, seriedade e honestidade para com as pessoas”, finalizou.

Entenda o caso

Um grupo fortemente armado chegou à cidade de Milagres durante a madrugada e tentou atacar duas agências bancárias. De acordo com informações preliminares levantadas pela inteligência e que serão aprofundadas durante o inquérito da Polícia Civil, os assaltantes renderam pessoas que passavam pela BR-116 e levaram os reféns até os bancos.

O grupo utilizou um caminhão para bloquear o acesso dos carros na rodovia. As viaturas do BPChoque entraram na cidade e, ao se posicionar próximo ao banco, se depararam com a ação criminosa em andamento. Houve troca de tiros entre suspeitos e os profissionais de segurança.

Durante o tiroteio, cinco criminosos foram baleados e vieram a óbito no local; outros dois foram atingidos por disparos, socorridos e morreram em unidades hospitalares. O oitavo suspeito morreu em outro confronto com a Polícia no município de Barro. Além dos criminosos, seis reféns foram feridos e morreram. Até o momento, oito pessoas foram presas.

De acordo com o governador Camilo Santana, os policiais envolvidos na ação foram afastados e cumprem trabalhos administrativos.

Acompanhe as últimas matérias sobre o caso:

10/12/18 – “Passamos todos os detalhes”, informa Polícia de Sergipe, após secretário dizer que não sabia sobre reféns

10/12/18 – Polícia investiga 5 casos de mortes em operações da PM no Ceará

10/12/18 – Governo afasta 12 policiais que participaram da operação que resultou na morte de reféns

10/12/18 – Tragédia em Milagres é reflexo da falta de preparo da PM do Ceará, apontam especialistas

10/12/18 – “Ano começou com chacina que matou 14 e termina com a morte de 14”, critica General Theophilo

10/12/18 – Armas de policiais e de bandidos do ataque em Milagres foram recolhidas para perícia

9/12/18 – Familiares de reféns mortos em Milagres reclamam da ausência de membros do Governo em velório

9/12/18 – “Vimos uma cena horrorosa de guerra”, diz homem que perdeu 5 familiares em Milagres

8/12/18 – Governo ainda não responde de onde partiram os tiros que mataram 6 reféns em Milagres

8/12/18 – Caso de mortes em Milagres ganha repercussão internacional

 

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

. REUNIÃO PARA CRIAÇÃO DE GRUPO DE TRABALHO DE APURAÇÃO DE OCORRÊNCIA EM MILAGRES Estive agora à tarde reunido com representantes da Polícia Civil, da PEFOCE e de setores da SSPDS para definirmos os membros de um grupo de trabalho para apuração dos trágicos eventos ocorridos na última sexta em Milagres. Cerca de 40 profissionais estão atuando na investigação criminal, apoiados pelo trabalho técnico-científico da PEFOCE em várias áreas, como medicina-legal, local de crime, balística, DNA, exame de imagens e papiloscopia. Aproveito para expressar meu profundo pesar e meus sentimentos às famílias e aos amigos dos reféns. Tive pessoas próximas a mim que também foram vítimas de violência nos estados onde morei e trabalhei, por isso compreendo toda a dor e revolta pelas quais estão passando. Situações como essas nos exigem que continuemos trabalhando cada vez mais com responsabilidade, seriedade e honestidade para com as pessoas. Temos avançado, mas sabemos que há muitas questões ainda a serem resolvidas e evoluirmos enquanto órgão de segurança pública. Trabalho, dedicação e investimentos não tem faltado para melhorarmos ainda mais e estamos no caminho. No momento, sei que há muitas perguntas a serem respondidas, mas só serão após um trabalho sério, imparcial e técnico de nossos investigadores. Estabeleci um prazo de 30 dias para a conclusão dos trabalhos, podendo ser encerrado até antes disso. Só assim podemos dar a resposta que famílias, amigos e toda a sociedade merecem.

Uma publicação compartilhada por André Costa (@delegadoandre) em

Publicidade

Dê sua opinião

14 MORTOS

SSPDS dá prazo de 30 dias para concluir investigação da tragédia em Milagres

O secretário de Segurança do Ceará, André Costa, postou nas redes sociais que uma reunião foi realizada para apurar a ocorrência em Milagres. Investigação contará com 40 profissionais

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

10 de dezembro de 2018 às 19:58

Há 8 meses
A reunião envolveu representantes da Polícia Civil, Pefoce e setores da SSPDS (FOTO: Reprodução/ Whatsapp)

A reunião envolveu representantes da Polícia Civil, Pefoce e setores da SSPDS (FOTO: Reprodução/ Whatsapp)

O secretário de Segurança do Ceará, André Costa, divulgou nas redes sociais nesta segunda-feira (10) que a investigação sobre a tentativa de assalto a bancos na cidade de Milagres, Região Sul do Ceará, terá um prazo de até 30 dias para ser concluída. O caso deixou 14 pessoas mortas na última sexta-feira (7)

Ele informou que 40 profissionais atuarão na investigação apoiados pelo trabalho técnico-cientifico da Perícia Forense (Pefoce) em várias áreas, como medicina-legal, local de crime, balística, DNA, exame de imagens e papiloscopia.

“Sei que há muitas perguntas a serem respondidas, mas só serão após um trabalho sério, imparcial e técnico de nossos investigadores”, afirmou após reunião com representantes da Polícia Civil, Pefoce e de setores da Secretária da Segurança Pública e Defesa Social. “Para definirmos os membros de um grupo de trabalho para apuração dos trágicos eventos ocorridos na última sexta em Milagres”. 

O secretário ainda expressou pesar pelo acontecimento. “Aproveito para expressar meu profundo pesar e meus sentimentos às famílias e aos amigos dos reféns. Situações como essas nos exigem que continuemos trabalhando cada vez mais com responsabilidade, seriedade e honestidade para com as pessoas”, finalizou.

Entenda o caso

Um grupo fortemente armado chegou à cidade de Milagres durante a madrugada e tentou atacar duas agências bancárias. De acordo com informações preliminares levantadas pela inteligência e que serão aprofundadas durante o inquérito da Polícia Civil, os assaltantes renderam pessoas que passavam pela BR-116 e levaram os reféns até os bancos.

O grupo utilizou um caminhão para bloquear o acesso dos carros na rodovia. As viaturas do BPChoque entraram na cidade e, ao se posicionar próximo ao banco, se depararam com a ação criminosa em andamento. Houve troca de tiros entre suspeitos e os profissionais de segurança.

Durante o tiroteio, cinco criminosos foram baleados e vieram a óbito no local; outros dois foram atingidos por disparos, socorridos e morreram em unidades hospitalares. O oitavo suspeito morreu em outro confronto com a Polícia no município de Barro. Além dos criminosos, seis reféns foram feridos e morreram. Até o momento, oito pessoas foram presas.

De acordo com o governador Camilo Santana, os policiais envolvidos na ação foram afastados e cumprem trabalhos administrativos.

Acompanhe as últimas matérias sobre o caso:

10/12/18 – “Passamos todos os detalhes”, informa Polícia de Sergipe, após secretário dizer que não sabia sobre reféns

10/12/18 – Polícia investiga 5 casos de mortes em operações da PM no Ceará

10/12/18 – Governo afasta 12 policiais que participaram da operação que resultou na morte de reféns

10/12/18 – Tragédia em Milagres é reflexo da falta de preparo da PM do Ceará, apontam especialistas

10/12/18 – “Ano começou com chacina que matou 14 e termina com a morte de 14”, critica General Theophilo

10/12/18 – Armas de policiais e de bandidos do ataque em Milagres foram recolhidas para perícia

9/12/18 – Familiares de reféns mortos em Milagres reclamam da ausência de membros do Governo em velório

9/12/18 – “Vimos uma cena horrorosa de guerra”, diz homem que perdeu 5 familiares em Milagres

8/12/18 – Governo ainda não responde de onde partiram os tiros que mataram 6 reféns em Milagres

8/12/18 – Caso de mortes em Milagres ganha repercussão internacional

 

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

. REUNIÃO PARA CRIAÇÃO DE GRUPO DE TRABALHO DE APURAÇÃO DE OCORRÊNCIA EM MILAGRES Estive agora à tarde reunido com representantes da Polícia Civil, da PEFOCE e de setores da SSPDS para definirmos os membros de um grupo de trabalho para apuração dos trágicos eventos ocorridos na última sexta em Milagres. Cerca de 40 profissionais estão atuando na investigação criminal, apoiados pelo trabalho técnico-científico da PEFOCE em várias áreas, como medicina-legal, local de crime, balística, DNA, exame de imagens e papiloscopia. Aproveito para expressar meu profundo pesar e meus sentimentos às famílias e aos amigos dos reféns. Tive pessoas próximas a mim que também foram vítimas de violência nos estados onde morei e trabalhei, por isso compreendo toda a dor e revolta pelas quais estão passando. Situações como essas nos exigem que continuemos trabalhando cada vez mais com responsabilidade, seriedade e honestidade para com as pessoas. Temos avançado, mas sabemos que há muitas questões ainda a serem resolvidas e evoluirmos enquanto órgão de segurança pública. Trabalho, dedicação e investimentos não tem faltado para melhorarmos ainda mais e estamos no caminho. No momento, sei que há muitas perguntas a serem respondidas, mas só serão após um trabalho sério, imparcial e técnico de nossos investigadores. Estabeleci um prazo de 30 dias para a conclusão dos trabalhos, podendo ser encerrado até antes disso. Só assim podemos dar a resposta que famílias, amigos e toda a sociedade merecem.

Uma publicação compartilhada por André Costa (@delegadoandre) em