Suspeito de matar modelo Johnny Moura é condenado a 9 anos de prisão

JULGAMENTO

Suspeito de matar modelo Johnny Moura é condenado a 9 anos de prisão

O agente penitenciário Renilson Garcia já respondia o processo em liberdade e deve continuar solto até que o último recurso do processo seja julgado

Por Matheus Ribeiro em Segurança Pública

1 de dezembro de 2016 às 10:10

Há 3 anos
Johnny trabalhava como modelo em Fortaleza (FOTO: Arquivo pessoal)

Johnny trabalhava como modelo em Fortaleza (FOTO: Arquivo pessoal)

O agente penitenciário, Renilson Garcia Araújo, de 27 anos, foi condenado nesta quarta-feira (30) a nove anos de prisão pela morte do modelo cearense Johnny Moura Melo, 22 anos.

Renilson já respondia o processo em liberdade e deve continuar solto até que o último recurso do processo seja julgado.

O acusado foi condenado por homicídio privilegiado (quando praticado por forte emoção, logo após injusta provação da vítima) e pela qualificadora da surpresa (à traição, de emboscada, ou mediante dissimulação ou outro recurso que dificulte ou torne impossível a defesa do ofendido).

O julgamento do caso aconteceu durante todo o dia de ontem no 4º Salão do Júri do Fórum Clóvis Beviláqua, em Fortaleza. Ao todo, o julgamento durou 14 horas. Pelo menos 10 testemunhas foram intimadas para depor no processo, sendo quatro delas de acusação, cinco de defesa e uma pelas duas partes.

Relembre o crime

O modelo Johnny Moura foi morto na madrugada do dia 27 de dezembro de 2015 quando saía de uma festa no La Maison Buffet, na Avenida Luís Vieira, Dunas, em Fortaleza.

Já no fim da festa, fora do buffet, Johnny estava no banco de passageiros do carro que a namorada dirigia, quando baixou o vidro cerca de “cinco dedos”. A delegada conta que o assassino puxou a cabeça da vítima e disparou apenas um tiro a queima roupa.

Johnny Moura era modelo, promotor de eventos e atleta de polo aquático. Ele chegou a ser levado para o Instituto Dr. José Frota (IJF), mas não resistiu aos ferimentos. O corpo do jovem foi enterrado no cemitério São João Batista, no Centro da capital cearense.

Publicidade

Dê sua opinião

JULGAMENTO

Suspeito de matar modelo Johnny Moura é condenado a 9 anos de prisão

O agente penitenciário Renilson Garcia já respondia o processo em liberdade e deve continuar solto até que o último recurso do processo seja julgado

Por Matheus Ribeiro em Segurança Pública

1 de dezembro de 2016 às 10:10

Há 3 anos
Johnny trabalhava como modelo em Fortaleza (FOTO: Arquivo pessoal)

Johnny trabalhava como modelo em Fortaleza (FOTO: Arquivo pessoal)

O agente penitenciário, Renilson Garcia Araújo, de 27 anos, foi condenado nesta quarta-feira (30) a nove anos de prisão pela morte do modelo cearense Johnny Moura Melo, 22 anos.

Renilson já respondia o processo em liberdade e deve continuar solto até que o último recurso do processo seja julgado.

O acusado foi condenado por homicídio privilegiado (quando praticado por forte emoção, logo após injusta provação da vítima) e pela qualificadora da surpresa (à traição, de emboscada, ou mediante dissimulação ou outro recurso que dificulte ou torne impossível a defesa do ofendido).

O julgamento do caso aconteceu durante todo o dia de ontem no 4º Salão do Júri do Fórum Clóvis Beviláqua, em Fortaleza. Ao todo, o julgamento durou 14 horas. Pelo menos 10 testemunhas foram intimadas para depor no processo, sendo quatro delas de acusação, cinco de defesa e uma pelas duas partes.

Relembre o crime

O modelo Johnny Moura foi morto na madrugada do dia 27 de dezembro de 2015 quando saía de uma festa no La Maison Buffet, na Avenida Luís Vieira, Dunas, em Fortaleza.

Já no fim da festa, fora do buffet, Johnny estava no banco de passageiros do carro que a namorada dirigia, quando baixou o vidro cerca de “cinco dedos”. A delegada conta que o assassino puxou a cabeça da vítima e disparou apenas um tiro a queima roupa.

Johnny Moura era modelo, promotor de eventos e atleta de polo aquático. Ele chegou a ser levado para o Instituto Dr. José Frota (IJF), mas não resistiu aos ferimentos. O corpo do jovem foi enterrado no cemitério São João Batista, no Centro da capital cearense.