Travesti é encontrada morta a facadas dentro de sua casa em Fortaleza

INVESTIGAÇÃO

Travesti é encontrada morta a facadas dentro de sua casa em Fortaleza

A vizinhança estranhou que a vítima de 34 anos não abriu seu salão de belezas que funcionava em casa, e ao sentir o mau cheiro chamou a polícia

Por TV Jangadeiro em Segurança Pública

19 de novembro de 2018 às 09:12

Há 8 meses
flavia

Flávia foi encontrada morta dentro de casa. (FOTO: Reprodução/Redes Sociais)

Uma travesti foi encontrada morta dentro da própria casa, no bairro Planalto Ayrton Senna, em Fortaleza. Flavinha, como era conhecida, mantinha um salão de beleza na residência. Ela havia sido vista pela última vez na quinta-feira (15), mas o corpo foi achado somente neste domingo (18), quando vizinhos sentiram mau cheiro forte e chamaram a polícia.

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga o caso. O motivo do crime ainda é desconhecido, informa o programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT.

Benedito Flávio de Oliveira tinha 34 anos e era conhecida como Flavinha. Ela morava na Rua Oscar Romero e foi encontrada morta na própria casa. A cabeleireira foi vista na última quinta-feira (14) pelos vizinhos, ainda trabalhando no local.

Ao perceberem que o salão não havia sido aberto nos dias seguintes e sentirem mau cheiro, chamaram a polícia, que entrou no local e encontrou o corpo da vítima. O corpo de Flavinha foi encontrado em alto estado de decomposição. Nele, foram observadas lesões à faca. A motivação ainda é desconhecida, já que a vítima era bastante querida na vizinhança.

“Os vizinhos de cima sentiram o mau cheiro e chamaram a polícia. Não tenho palavras pra responder. Muita falta ela vai fazer. A Flavinha era querida. Todo mundo se dava bem com ela. E também não sei o motivo”, disse uma das vizinhas.

Por meio de nota, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social informou que a DHPP investiga o caso e procura o responsável pelo crime. Além disso, pede que a população ajude através de denúncias anônimas. Veja o texto completo:

“A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informa que equipes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa e da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) realizaram os primeiros levantamentos acerca de um achado de cadáver. O corpo foi encontrado na manhã deste domingo (18), no bairro Planalto Ayrton Senna – Área Integrada de Segurança 09 (AIS 09). Conforme apurado, a vítima, que era travesti, Benedito Flavio de Oliveira (34), conhecida por ” Flávia”, foi morta com ferimentos a faca. O corpo foi encontrado em estado avançado de decomposição. O DHPP investiga o caso com o intuito de identificar o autor do crime, bem como, descobrir a motivação.

A Polícia Civil ressalta que a população pode contribuir com as investigações repassando informações que possam ajudar na elucidação do caso. As denúncias podem ser feitas pelo número 181, o Disque Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), para o (85) 3257-4807, do DHPP, ou ainda para o número (85) 99111-7498, que é o WhatsApp do Departamento, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem. O sigilo é garantido.”

Confira reportagem no programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, às 12h10 desta segunda-feira (19).

Publicidade

Dê sua opinião

INVESTIGAÇÃO

Travesti é encontrada morta a facadas dentro de sua casa em Fortaleza

A vizinhança estranhou que a vítima de 34 anos não abriu seu salão de belezas que funcionava em casa, e ao sentir o mau cheiro chamou a polícia

Por TV Jangadeiro em Segurança Pública

19 de novembro de 2018 às 09:12

Há 8 meses
flavia

Flávia foi encontrada morta dentro de casa. (FOTO: Reprodução/Redes Sociais)

Uma travesti foi encontrada morta dentro da própria casa, no bairro Planalto Ayrton Senna, em Fortaleza. Flavinha, como era conhecida, mantinha um salão de beleza na residência. Ela havia sido vista pela última vez na quinta-feira (15), mas o corpo foi achado somente neste domingo (18), quando vizinhos sentiram mau cheiro forte e chamaram a polícia.

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga o caso. O motivo do crime ainda é desconhecido, informa o programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT.

Benedito Flávio de Oliveira tinha 34 anos e era conhecida como Flavinha. Ela morava na Rua Oscar Romero e foi encontrada morta na própria casa. A cabeleireira foi vista na última quinta-feira (14) pelos vizinhos, ainda trabalhando no local.

Ao perceberem que o salão não havia sido aberto nos dias seguintes e sentirem mau cheiro, chamaram a polícia, que entrou no local e encontrou o corpo da vítima. O corpo de Flavinha foi encontrado em alto estado de decomposição. Nele, foram observadas lesões à faca. A motivação ainda é desconhecida, já que a vítima era bastante querida na vizinhança.

“Os vizinhos de cima sentiram o mau cheiro e chamaram a polícia. Não tenho palavras pra responder. Muita falta ela vai fazer. A Flavinha era querida. Todo mundo se dava bem com ela. E também não sei o motivo”, disse uma das vizinhas.

Por meio de nota, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social informou que a DHPP investiga o caso e procura o responsável pelo crime. Além disso, pede que a população ajude através de denúncias anônimas. Veja o texto completo:

“A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informa que equipes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa e da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) realizaram os primeiros levantamentos acerca de um achado de cadáver. O corpo foi encontrado na manhã deste domingo (18), no bairro Planalto Ayrton Senna – Área Integrada de Segurança 09 (AIS 09). Conforme apurado, a vítima, que era travesti, Benedito Flavio de Oliveira (34), conhecida por ” Flávia”, foi morta com ferimentos a faca. O corpo foi encontrado em estado avançado de decomposição. O DHPP investiga o caso com o intuito de identificar o autor do crime, bem como, descobrir a motivação.

A Polícia Civil ressalta que a população pode contribuir com as investigações repassando informações que possam ajudar na elucidação do caso. As denúncias podem ser feitas pelo número 181, o Disque Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), para o (85) 3257-4807, do DHPP, ou ainda para o número (85) 99111-7498, que é o WhatsApp do Departamento, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem. O sigilo é garantido.”

Confira reportagem no programa Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT, às 12h10 desta segunda-feira (19).