Cearense desenvolve site de prescrição após ser prejudicada por letra ilegível de médico


Cearense desenvolve site de prescrição após ser prejudicada por letra ilegível de médico

Ideia surgiu depois de Gabriella Purcaru ser impossibilitada de comprar remédio do filho, que ficou internado após complicações no parto

Por Roberta Tavares em Tecnologia

5 de novembro de 2015 às 06:00

Há 4 anos
70% das consultas resultam em prescrições médicas, gerando mais de 35 milhões de receitas por mês (FOTO: Divulgação)

70% das consultas resultam em prescrições médicas, gerando mais de 35 milhões de receitas por mês (FOTO: Divulgação)

Uma analista de sistemas desenvolveu um site de prescrição médica online para evitar problemas com letras ilegíveis de profissionais de saúde. O site MedLog ajuda os médicos a pesquisarem medicamentos, princípios ativos ou laboratórios e passar receitas.

A ideia surgiu logo após o nascimento do filho de Gabriella Purcaru, de 29 anos. Complicações no parto resultaram no internamento do bebê, durante 12 dias. “Ele precisava usar medicamento controlado. Ao sair do hospital e com a receita em mãos, fomos comprar o remédio e não conseguimos, porque nem a farmacêutica conseguiu decifrar o que tinha sido prescrito”, conta.

O casal teve de retornar ao médico para descobrir o que estava escrito no papel. Foram 24 horas angustiantes, segundo a analista, até conseguir entender qual medicamento havia sido prescrito. “Desde então, passamos a compartilhar a mesma situação vivida por milhares de brasileiros no cotidiano. Resolvemos aprofundar a situação, buscando compreender o mercado, a fim de solucionar o problema”, lembra.

De acordo com Gabriella, 70% das consultas resultam em prescrições médicas, gerando mais de 35 milhões de receitas por mês, por mais de 400 mil médicos no Brasil. Cerca de 75% das receitas são passíveis de erros, dificultando a compra correta do medicamento. “Foi nesse contexto que resolvemos criar o MedLog, uma solução que facilita, em um único local, a busca por informações sobre medicamentos, prescrição de receitas e solicitação de exames médicos online”.

O site foi lançado em junho de 2015 e é destinado a médicos, estudantes de Medicina e a todos os profissionais que prescrevem receitas. Para usar a ferramenta, é preciso fazer o cadastro, informando dados completos, como nome, CPF e número de inscrição no Conselho Regional de Medicina. “Hoje estamos encontrando outras necessidades do médico, que conta com um tempo muito curto”. 

Na plataforma, pode-se pesquisar todo tipo de informações de medicamentos: laboratório, princípio ativo, bulas, genéricos. Para o médico, os benefícios vão desde a segurança de que o paciente está comprando o medicamento que ele prescreveu à diminuição de possíveis processos jurídicos. Para o paciente, além da garantia em comprar o remédio certo, ainda é disponibilizada cópia da receita e guia médica por e-mail para consultar as posologias.

Atualmente, o MedLog está em parceria com o Instituto do Câncer do Ceará, onde está sendo testado por cerca de 250 médicos. A plataforma é gratuita para os serviços de prescrição e solicitação de exames médicos, além das pesquisas por medicamentos. As outras funcionalidades são pagas, com pacote de R$ 99 ao ano.

Os próximos passos, de acordo com a analista de sistemas, é disponibilizar a funcionalidade de interações medicamentosas, onde os profissionais poderão saber quais medicamentos são contraindicados se combinados a outros remédios, e ainda lançar uma versão destinada aos pacientes. “Estamos trabalhando em novas funcionalidades, como otimização do médico nos atendimentos de pré e pós-operatório, para que ele possa manter um canal de comunicação com seus pacientes”, conclui.

O site foi lançado em junho de 2015 e é destinado a médicos, estudantes de medicina e a todos os profissionais que prescrevem receitas (IMAGEM: Reprodução)

O site foi lançado em junho de 2015 e é destinado a médicos, estudantes de Medicina e a todos os profissionais que prescrevem receitas (IMAGEM: Reprodução)

Publicidade

Dê sua opinião

Cearense desenvolve site de prescrição após ser prejudicada por letra ilegível de médico

Ideia surgiu depois de Gabriella Purcaru ser impossibilitada de comprar remédio do filho, que ficou internado após complicações no parto

Por Roberta Tavares em Tecnologia

5 de novembro de 2015 às 06:00

Há 4 anos
70% das consultas resultam em prescrições médicas, gerando mais de 35 milhões de receitas por mês (FOTO: Divulgação)

70% das consultas resultam em prescrições médicas, gerando mais de 35 milhões de receitas por mês (FOTO: Divulgação)

Uma analista de sistemas desenvolveu um site de prescrição médica online para evitar problemas com letras ilegíveis de profissionais de saúde. O site MedLog ajuda os médicos a pesquisarem medicamentos, princípios ativos ou laboratórios e passar receitas.

A ideia surgiu logo após o nascimento do filho de Gabriella Purcaru, de 29 anos. Complicações no parto resultaram no internamento do bebê, durante 12 dias. “Ele precisava usar medicamento controlado. Ao sair do hospital e com a receita em mãos, fomos comprar o remédio e não conseguimos, porque nem a farmacêutica conseguiu decifrar o que tinha sido prescrito”, conta.

O casal teve de retornar ao médico para descobrir o que estava escrito no papel. Foram 24 horas angustiantes, segundo a analista, até conseguir entender qual medicamento havia sido prescrito. “Desde então, passamos a compartilhar a mesma situação vivida por milhares de brasileiros no cotidiano. Resolvemos aprofundar a situação, buscando compreender o mercado, a fim de solucionar o problema”, lembra.

De acordo com Gabriella, 70% das consultas resultam em prescrições médicas, gerando mais de 35 milhões de receitas por mês, por mais de 400 mil médicos no Brasil. Cerca de 75% das receitas são passíveis de erros, dificultando a compra correta do medicamento. “Foi nesse contexto que resolvemos criar o MedLog, uma solução que facilita, em um único local, a busca por informações sobre medicamentos, prescrição de receitas e solicitação de exames médicos online”.

O site foi lançado em junho de 2015 e é destinado a médicos, estudantes de Medicina e a todos os profissionais que prescrevem receitas. Para usar a ferramenta, é preciso fazer o cadastro, informando dados completos, como nome, CPF e número de inscrição no Conselho Regional de Medicina. “Hoje estamos encontrando outras necessidades do médico, que conta com um tempo muito curto”. 

Na plataforma, pode-se pesquisar todo tipo de informações de medicamentos: laboratório, princípio ativo, bulas, genéricos. Para o médico, os benefícios vão desde a segurança de que o paciente está comprando o medicamento que ele prescreveu à diminuição de possíveis processos jurídicos. Para o paciente, além da garantia em comprar o remédio certo, ainda é disponibilizada cópia da receita e guia médica por e-mail para consultar as posologias.

Atualmente, o MedLog está em parceria com o Instituto do Câncer do Ceará, onde está sendo testado por cerca de 250 médicos. A plataforma é gratuita para os serviços de prescrição e solicitação de exames médicos, além das pesquisas por medicamentos. As outras funcionalidades são pagas, com pacote de R$ 99 ao ano.

Os próximos passos, de acordo com a analista de sistemas, é disponibilizar a funcionalidade de interações medicamentosas, onde os profissionais poderão saber quais medicamentos são contraindicados se combinados a outros remédios, e ainda lançar uma versão destinada aos pacientes. “Estamos trabalhando em novas funcionalidades, como otimização do médico nos atendimentos de pré e pós-operatório, para que ele possa manter um canal de comunicação com seus pacientes”, conclui.

O site foi lançado em junho de 2015 e é destinado a médicos, estudantes de medicina e a todos os profissionais que prescrevem receitas (IMAGEM: Reprodução)

O site foi lançado em junho de 2015 e é destinado a médicos, estudantes de Medicina e a todos os profissionais que prescrevem receitas (IMAGEM: Reprodução)