Índice revela que 161 mil jovens abandonaram os estudos em Fortaleza


Índice revela que 161 mil jovens abandonaram os estudos em Fortaleza

Veja os detalhes em vídeo

Por Tribuna do Ceará em Gente na TV

25 de agosto de 2014 às 11:15

Há 5 anos

Uma pesquisa realizada pela Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Social revelou que 161 mil pessoas de Fortaleza, entre 16 e 29 anos, abandonaram os estudos. O que acontece nem sempre é desinteresse ou escolha, mas falta de informação. Cursos profissionalizantes, como o Instituto Centro de Ensino Tecnológico (Centec), abriram neste mês 200 vagas para a qualificação.

O estudante Anderson Lima, de 18 anos, não está neste índice. “O estudo é a base de tudo. Penso em fazer uma faculdade de jornalismo e ser um apresentador de programa”, conta.

Já a bordadeira Ana Paula Gregório, que é parte do perfil predominante feminino, conta que abandonou os estudos para trabalhar e cuidar da filha. Ela revela que o mercado é fechado, principalmente por morar num bairro periférico da capital cearense. Veja:

[uol video=”https://mais.uol.com.br/view/15173586″]

Veja outros vídeos do Gente na TV.

Publicidade

Dê sua opinião

Índice revela que 161 mil jovens abandonaram os estudos em Fortaleza

Veja os detalhes em vídeo

Por Tribuna do Ceará em Gente na TV

25 de agosto de 2014 às 11:15

Há 5 anos

Uma pesquisa realizada pela Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Social revelou que 161 mil pessoas de Fortaleza, entre 16 e 29 anos, abandonaram os estudos. O que acontece nem sempre é desinteresse ou escolha, mas falta de informação. Cursos profissionalizantes, como o Instituto Centro de Ensino Tecnológico (Centec), abriram neste mês 200 vagas para a qualificação.

O estudante Anderson Lima, de 18 anos, não está neste índice. “O estudo é a base de tudo. Penso em fazer uma faculdade de jornalismo e ser um apresentador de programa”, conta.

Já a bordadeira Ana Paula Gregório, que é parte do perfil predominante feminino, conta que abandonou os estudos para trabalhar e cuidar da filha. Ela revela que o mercado é fechado, principalmente por morar num bairro periférico da capital cearense. Veja:

[uol video=”https://mais.uol.com.br/view/15173586″]

Veja outros vídeos do Gente na TV.