Oito cearenses compõe banda de forró só de mulheres


Oito cearenses compõem banda de forró só de mulheres

Oito mulheres talentosas reunidas com uma missão: tocar música de qualidade e mostrar para os preconceituosos de que elas conseguem alcançar a excelência no ramo sonoro. O grupo foi nomeado Forró das Atrevidas, sob o comando da vocalista Milena Queiroz. A banda existe há oito meses e surgiu pela ideia da sanfonista. A vocalista do […]

Por Renato Ferreira em Gente na TV

12 de março de 2014 às 11:09

Há 5 anos

Oito mulheres talentosas reunidas com uma missão: tocar música de qualidade e mostrar para os preconceituosos de que elas conseguem alcançar a excelência no ramo sonoro. O grupo foi nomeado Forró das Atrevidas, sob o comando da vocalista Milena Queiroz.

A banda existe há oito meses e surgiu pela ideia da sanfonista. A vocalista do Forró das Atrevidas conta que elas sabem muito bem o que estão fazendo e que não há espaço para o preconceito. “O pessoal olha e fala: ah, mulher não toca nada. Mas a gente chega chegando, a gente chega e faz”, conclui.

[uol video=”https://mais.uol.com.br/view/14952027″]

Veja outros vídeos do Gente na TV.

Publicidade

Dê sua opinião

Oito cearenses compõem banda de forró só de mulheres

Oito mulheres talentosas reunidas com uma missão: tocar música de qualidade e mostrar para os preconceituosos de que elas conseguem alcançar a excelência no ramo sonoro. O grupo foi nomeado Forró das Atrevidas, sob o comando da vocalista Milena Queiroz. A banda existe há oito meses e surgiu pela ideia da sanfonista. A vocalista do […]

Por Renato Ferreira em Gente na TV

12 de março de 2014 às 11:09

Há 5 anos

Oito mulheres talentosas reunidas com uma missão: tocar música de qualidade e mostrar para os preconceituosos de que elas conseguem alcançar a excelência no ramo sonoro. O grupo foi nomeado Forró das Atrevidas, sob o comando da vocalista Milena Queiroz.

A banda existe há oito meses e surgiu pela ideia da sanfonista. A vocalista do Forró das Atrevidas conta que elas sabem muito bem o que estão fazendo e que não há espaço para o preconceito. “O pessoal olha e fala: ah, mulher não toca nada. Mas a gente chega chegando, a gente chega e faz”, conclui.

[uol video=”https://mais.uol.com.br/view/14952027″]

Veja outros vídeos do Gente na TV.