Polícia investiga 5 casos de mortes em operações da PM no Ceará

VIOLÊNCIA NO CEARÁ

Polícia investiga 5 casos de mortes em operações da PM no Ceará

Jornal Jangadeiro relembra cinco mortes durante abordagem policial ocorridas neste ano. Todas estão sendo investigadas

Por TV Jangadeiro em Jornal Jangadeiro

10 de dezembro de 2018 às 13:04

Há 7 meses
Giselle Távola, morta por um tiro nas costas disparado por um Policial Militar (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Giselle Távola foi morta por um tiro nas costas disparado por um Policial Militar (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

A morte de seis reféns durante abordagem policial para impedir assalto a banco, no município de Milagres, na região do Cariri, não é um caso isolado no Ceará.

Outras cinco mortes durante abordagem policial, ocorridas neste ano, estão sendo investigadas no Estado. Nesta sexta-feira (7), 14 pessoas morreram durante tentativa de assalto a banco. Desse total, seis eram reféns. As informações são da TV Jangadeiro/SBT.

Um dos casos investigados é a morte do cabo Alberto Marques Albuquerque. O militar foi confundido com assaltantes pelos próprios colegas de farda durante perseguição policial e executado a tiros. Um mês anterior, um competidor de sinuca foi assassinado após um taco de sinuca ter sido confundido com uma arma. José Messias Guedes de Oliveira, de 35 anos, estava acompanhado com outros três amigos em um veículo, que seguia da Paraíba com destino ao Maranhão.

Outra ocorrência similar aconteceu em junho. A universitária Gisele Távora Araújo, de 42 anos, foi atingida com um tiro nas costas disparados por um PM que confundiu o carro dela com um veículo roubado. Na época, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou que os policiais pediram para a universitária parar o veículo e, logo depois, fizeram disparos para acertar o pneu do automóvel, mas atingiram a condutora.

Em março, a vítima foi o motociclista e deficiente auditivo Cícero Leonardo dos Santos Silva. Ele não respondeu à ordem de parada e morreu após ser atingido por disparos de armas de fogo. No mesmo mês, o coordenador de Call Center Wellington Matias de Souza, de 33 anos, morreu com tiro na cabeça ao ficar em meio ao confronto entre policiais e criminosos.

Veja mais detalhes na reportagem do Jornal Jangadeiro, da TV Jangadeiro/SBT:

Publicidade

Dê sua opinião

VIOLÊNCIA NO CEARÁ

Polícia investiga 5 casos de mortes em operações da PM no Ceará

Jornal Jangadeiro relembra cinco mortes durante abordagem policial ocorridas neste ano. Todas estão sendo investigadas

Por TV Jangadeiro em Jornal Jangadeiro

10 de dezembro de 2018 às 13:04

Há 7 meses
Giselle Távola, morta por um tiro nas costas disparado por um Policial Militar (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

Giselle Távola foi morta por um tiro nas costas disparado por um Policial Militar (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)

A morte de seis reféns durante abordagem policial para impedir assalto a banco, no município de Milagres, na região do Cariri, não é um caso isolado no Ceará.

Outras cinco mortes durante abordagem policial, ocorridas neste ano, estão sendo investigadas no Estado. Nesta sexta-feira (7), 14 pessoas morreram durante tentativa de assalto a banco. Desse total, seis eram reféns. As informações são da TV Jangadeiro/SBT.

Um dos casos investigados é a morte do cabo Alberto Marques Albuquerque. O militar foi confundido com assaltantes pelos próprios colegas de farda durante perseguição policial e executado a tiros. Um mês anterior, um competidor de sinuca foi assassinado após um taco de sinuca ter sido confundido com uma arma. José Messias Guedes de Oliveira, de 35 anos, estava acompanhado com outros três amigos em um veículo, que seguia da Paraíba com destino ao Maranhão.

Outra ocorrência similar aconteceu em junho. A universitária Gisele Távora Araújo, de 42 anos, foi atingida com um tiro nas costas disparados por um PM que confundiu o carro dela com um veículo roubado. Na época, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou que os policiais pediram para a universitária parar o veículo e, logo depois, fizeram disparos para acertar o pneu do automóvel, mas atingiram a condutora.

Em março, a vítima foi o motociclista e deficiente auditivo Cícero Leonardo dos Santos Silva. Ele não respondeu à ordem de parada e morreu após ser atingido por disparos de armas de fogo. No mesmo mês, o coordenador de Call Center Wellington Matias de Souza, de 33 anos, morreu com tiro na cabeça ao ficar em meio ao confronto entre policiais e criminosos.

Veja mais detalhes na reportagem do Jornal Jangadeiro, da TV Jangadeiro/SBT: