Publicidade

Agregando valor

por Rodrigo Goyanna

Maio 2020

Crie, reinvente-se ou morra.

Por rodrigogoyanna em branding, estrategia, Marketing

19 de Maio de 2020

Luiz Fernando Paiva é Sócio-Diretor da América Marketing e novo Parceiro do Blog

Já há alguns anos, especialistas das áreas de tecnologia, marketing e negócios alertam que apenas as empresas que se transformarem digitalmente sobreviverão no futuro. Bem, o futuro chegou mais rápido do que se esperava, não é mesmo?

Apesar do claro conceito de globalização e dos seus paradigmas serem aceitos e entendidos por todos, nós só passamos a acreditar quando a mudança bateu (duramente) em nossa porta.

A chegada da pandemia impôs uma exigência planetária: de NY a Xangai, país a país e dia após dia, assistimos às pessoas mudando suas rotinas, buscando novas soluções e meios de adaptação as medidas de segurança impostas pelo isolamento social.

Os negócios tiveram que adaptar suas rotinas, jogar no lixo o planejamento e se preparar para uma mudança de paradigma e um novo normal. E essa nova realidade passa, necessariamente, por uma ‘’transformação digital.’’

Os números são claros.

Independente da adoção ou não das medidas de distanciamento, o consumo caiu em todas as regiões, mostrando que o consumidor está com receio, economizando para essa nova realidade em que estamos imersos. Como apresenta o gráfico abaixo, o qual compara 2 estados norte-americanos, Minnesota, que optou pelo Lockdown, e Dakota do Sul, que não optou pelo Lockdown, em que ambos apresentam diminuição geral do consumo.

Fonte: tracktherecovery.org

 

A crise, assim como o coronavírus, vai fazer com que as empresas que não estavam com a saúde em dia sofram gravemente ou, até, fechem suas portas. Vão sobreviver aquelas que, além de estarem muito bem preparadas, adaptarem-se rapidamente para a transformação digital.

Se sua empresa não cabe na palma da mão do seu cliente, fique alerta.

Mas o que consiste em uma transformação digital? Segundo o autor David L. Rogers em seu livro ‘’Transformação Digital’’, ela consiste em mudanças em 5 áreas de conhecimentos:

 

  • DADOS

Crie, armazene e trate seus dados de maneira que eles virem ativos importantes para sua empresa. Aprenda a importância dos dados não estruturados e conecte o resultado em cada departamento da empresa.

  • CLIENTES

Os clientes são o principal influenciador de marketing para inspirar a compra, a lealdade e a defesa da marca. Explore as redes de clientes sempre em mão dupla, ou seja, ouvir o que ele está dizendo e responder. Perguntas como: Qual comportamento online do meu cliente? Qual sua jornada até a compra e qual seu funil de marketing? Devem ser respondidas.

  • COMPETIÇÃO

Com os mercados competindo em níveis globais, cada vez fica mais nebuloso a relação entre rival e parceiro. Veja o caso do AirBnb, considerado por muitos um rival e por outros um parceiro. Construa comunidades, não só produtos.

 

  • INOVAÇÃO

As decisões são baseadas em TESTE.  Inove por experimentação rápida, teste, analise e comprove qual melhor caminho para o seu negócio. Os experimentos são contínuos e conduzidos por todos. O teste de ideias é barato, rápido e fácil.

  • VALOR

Analise bem sua proposta de valor. Caso o mercado esteja em declínio, adapte. Veja qual é o valor que o seu mercado percebe, pois ele é mutante. Como exemplo, na crise atual, a percepção de valor do cliente mudou drasticamente.

 

Empresas que já trabalham com esses conceitos ou já tem experiência em áreas de tecnologia ou marketing digital, por exemplo, conseguiram se adaptar um pouco mais rápido, pois o DNA da transformação digital é de mudança e evolução contínua.

 

Líderes não devem esperar mais para fazer este movimento acredite e siga em frente.

Crie, reinvente-se ou morra.

Autor: Luiz Fernando Paiva – Sócio-Diretor da América Marketing.
Formação em Administração de empresas (FGV), pós em Marketing Digital e gestão de Redes Sociais. (Unifor).

 

Publicidade

Crie, reinvente-se ou morra.

Por rodrigogoyanna em branding, estrategia, Marketing

19 de Maio de 2020

Luiz Fernando Paiva é Sócio-Diretor da América Marketing e novo Parceiro do Blog

Já há alguns anos, especialistas das áreas de tecnologia, marketing e negócios alertam que apenas as empresas que se transformarem digitalmente sobreviverão no futuro. Bem, o futuro chegou mais rápido do que se esperava, não é mesmo?

Apesar do claro conceito de globalização e dos seus paradigmas serem aceitos e entendidos por todos, nós só passamos a acreditar quando a mudança bateu (duramente) em nossa porta.

A chegada da pandemia impôs uma exigência planetária: de NY a Xangai, país a país e dia após dia, assistimos às pessoas mudando suas rotinas, buscando novas soluções e meios de adaptação as medidas de segurança impostas pelo isolamento social.

Os negócios tiveram que adaptar suas rotinas, jogar no lixo o planejamento e se preparar para uma mudança de paradigma e um novo normal. E essa nova realidade passa, necessariamente, por uma ‘’transformação digital.’’

Os números são claros.

Independente da adoção ou não das medidas de distanciamento, o consumo caiu em todas as regiões, mostrando que o consumidor está com receio, economizando para essa nova realidade em que estamos imersos. Como apresenta o gráfico abaixo, o qual compara 2 estados norte-americanos, Minnesota, que optou pelo Lockdown, e Dakota do Sul, que não optou pelo Lockdown, em que ambos apresentam diminuição geral do consumo.

Fonte: tracktherecovery.org

 

A crise, assim como o coronavírus, vai fazer com que as empresas que não estavam com a saúde em dia sofram gravemente ou, até, fechem suas portas. Vão sobreviver aquelas que, além de estarem muito bem preparadas, adaptarem-se rapidamente para a transformação digital.

Se sua empresa não cabe na palma da mão do seu cliente, fique alerta.

Mas o que consiste em uma transformação digital? Segundo o autor David L. Rogers em seu livro ‘’Transformação Digital’’, ela consiste em mudanças em 5 áreas de conhecimentos:

 

  • DADOS

Crie, armazene e trate seus dados de maneira que eles virem ativos importantes para sua empresa. Aprenda a importância dos dados não estruturados e conecte o resultado em cada departamento da empresa.

  • CLIENTES

Os clientes são o principal influenciador de marketing para inspirar a compra, a lealdade e a defesa da marca. Explore as redes de clientes sempre em mão dupla, ou seja, ouvir o que ele está dizendo e responder. Perguntas como: Qual comportamento online do meu cliente? Qual sua jornada até a compra e qual seu funil de marketing? Devem ser respondidas.

  • COMPETIÇÃO

Com os mercados competindo em níveis globais, cada vez fica mais nebuloso a relação entre rival e parceiro. Veja o caso do AirBnb, considerado por muitos um rival e por outros um parceiro. Construa comunidades, não só produtos.

 

  • INOVAÇÃO

As decisões são baseadas em TESTE.  Inove por experimentação rápida, teste, analise e comprove qual melhor caminho para o seu negócio. Os experimentos são contínuos e conduzidos por todos. O teste de ideias é barato, rápido e fácil.

  • VALOR

Analise bem sua proposta de valor. Caso o mercado esteja em declínio, adapte. Veja qual é o valor que o seu mercado percebe, pois ele é mutante. Como exemplo, na crise atual, a percepção de valor do cliente mudou drasticamente.

 

Empresas que já trabalham com esses conceitos ou já tem experiência em áreas de tecnologia ou marketing digital, por exemplo, conseguiram se adaptar um pouco mais rápido, pois o DNA da transformação digital é de mudança e evolução contínua.

 

Líderes não devem esperar mais para fazer este movimento acredite e siga em frente.

Crie, reinvente-se ou morra.

Autor: Luiz Fernando Paiva – Sócio-Diretor da América Marketing.
Formação em Administração de empresas (FGV), pós em Marketing Digital e gestão de Redes Sociais. (Unifor).