Publicidade

Auto Blog Ceará

por Sílvio Mauro

#ford

Ford lança modelos elétricos e híbridos no mercado europeu

Por silviomauro em Lançamento

11 de setembro de 2019

A Ford lançou sua linha de veículos elétricos e híbridos no mercado europeu. As novidades incluem o híbrido Puma EcoBoost, os híbridos plug-in Explorer e Tourneo Custom – que podem ser recarregados na tomada – e o Kuga, primeiro modelo da marca a oferecer as opções de híbrido leve, total e plug-in.

No início do ano, a Ford anunciou que todos os seus veículos novos de passageiros na Europa terão uma opção elétrica ou híbrida leve, total ou plug-in. Serão 17 modelos até 2024, sendo oito deles lançados já em 2019. Até o final de 2022, a marca prevê que os modelos elétricos e híbridos representem mais da metade de suas vendas de veículos de passageiros na região, superando os carros convencionais a gasolina e diesel, e cheguem ao marco de 1 milhão de unidades.

“A eletrificação avança rapidamente como principal tendência do mercado e estamos aumentando substancialmente as opções de modelos elétricos para os nossos consumidores”, diz Stuart Rowley, presidente da Ford Europa. “Estamos tornando a mudança para um veículo elétrico mais fácil do que nunca e esperamos que eles se tornem a maioria da nossa linha em 2022.”

Modelos elétricos lançados

– SUV médio Kuga

– Explorer Hybrid Plug-In, SUV de sete lugares

– Tourneo Custom Hybrid Plug-In, van de oito lugares

– Crossover compacto Puma EcoBoost Hybrid

– Perua Mondeo Hybrid

Em 2020, chega ao mercado também um SUV elétrico de performance inspirado no Mustang, com uma autonomia elétrica estimada de 600 km e capacidade de carga rápida.

Soluções de recarga

A disponibilidade de pontos de recarga para carros elétricos vem crescendo rapidamente na Europa. A Ford anunciou uma parceria com seis grandes empresas de energia do continente para oferecer uma nova estação de recarga doméstica e tarifas diferenciadas para os usuários de híbridos plug-in. Ela tem potência 50% maior que uma tomada comum e reduz em até um terço o tempo de recarga.

Outra novidade da marca é um aplicativo para smartphones e tablets que permite aos donos de híbridos plug-in encontrar um ponto de recarga e fazer o pagamento. Ele é oferecido em parceria com a NewMotion, a maior rede pública de recarga da Europa, com mais de 118 mil pontos em 30 países.

Publicidade

Você sabia que os insetos são um perigo para os carros autônomos?

Por silviomauro em Curiosidades

09 de setembro de 2019

 

Ainda está em fase de implantação e testes, a tecnologia dos carros autônomos é um tema que traz questões curiosas. Você sabia que um dos desafios da indústria automotiva é proteger os sensores, que permitem que os veículos “vejam”, “ouçam” e “sintam” o ambiente, do perigo do contato com insetos? De acordo com a Ford, enquanto para os motoristas isso não representa nenhuma preocupação, para os carros autônomos pode ser um problema sério se atrapalhar o funcionamento das câmeras, radares e sensores usados na navegação.

A empresa anunciou o desenvolvimento de soluções de proteção e limpeza dos componentes envolvidos na condução. “Os sensores dos carros autônomos trabalham constantemente para oferecer a melhor imagem possível do mundo e um inseto pode afetar seriamente essa capacidade”, diz Venky Krishnan, supervisor do Núcleo de Sistemas de Veículos Autônomos da Ford nos Estados Unidos.

Nos últimos anos, a Ford realizou pesquisas para garantir que os veículos autônomos sejam capazes de “ver” o mundo ao redor em diferentes cenários. Os testes incluíram desde pulverizar sujeira e poeira nos sensores e jatos de água para simular chuva até a criação de excremento sintético de aves para estudar seu efeito nas lentes. Foi construído, inclusive, um “lançador de insetos” para fotografar o seu impacto nos sensores em alta velocidade e desenvolver estratégias de limpeza.

Para levantar os tipos mais comuns de insetos que fazem contato com os veículos e com que frequência isso acontece, o estudo contou com a consultoria do zoólogo Mark Hostetler, autor do livro “A natureza das cidades”. “A pesquisa gerou um questionamento no nosso time: não seria mais fácil evitar que os insetos atinjam os sensores?”, conta Venky Krishnan. “Foi então que decidimos tirar o máximo proveito da ‘tiara’, uma estrutura instalada no teto dos nossos carros autônomos para suportar câmeras, sensor e radar que ajudam o carro a ‘ver’ onde está indo.”

Patentes para carros autônomos

Como resultado, a Ford já registrou cerca de 50 patentes de sistemas estruturais e de limpeza de carros autônomos. A tiara tornou-se também a primeira linha de defesa dos sensores, com ranhuras que criam uma cortina de ar para desviar os insetos das lentes.

“Esse método mostrou-se muito eficiente, desviando a maioria dos insetos dos sensores, diz Krishnan. “Mas ainda não era uma solução perfeita. Em algumas situações os insetos atravessavam a cortina de ar e era preciso um meio de limpar os sensores.”

A solução foi desenvolver um sistema de limpeza com bicos que borrifam fluido para lavar cada lente. Usando algoritmos avançados, o veículo autônomo consegue identificar quando um sensor está sujo e limpa cada lente individualmente sem desperdiçar fluido. Depois da lavagem, um sopro de ar seca a lente rapidamente.

Esse sistema equipa a terceira geração de veículos autônomos de teste da Ford, que hoje roda nas ruas de Detroit, Pittsburgh, Miami e Washington, nos Estados Unidos, em diferentes ambientes.

leia tudo sobre

Publicidade

Ford compra empresa de robótica para acelerar desenvolvimento de carros autônomos

Por silviomauro em Mercado

01 de agosto de 2019

 

 

A Ford anunciou a aquisição da Quantum Signal, empresa especializada em robótica, sensores, simulação em tempo real e desenvolvimento de algoritmos,  para acelerar o seu plano de entrada no negócio de carros autônomos. Embora seja pouco conhecida do público, a pequena empresa fundada em 1999 na cidade de Saline, Michigan, EUA, atua na vanguarda da robótica móvel para diversos clientes, incluindo o Exército dos Estados Unidos.

A Quantum Signal ajudou os militares a desenvolver um software que permite controlar veículos robóticos a milhares de quilômetros de distância. Ela também construiu um ambiente de simulação robusto para projetos de veículos autônomos que é usado até hoje.

“A Quantum Signal estava no nosso radar há algum tempo”, diz Randal Visintainer, diretor-técnico de Veículos Autônomos da Ford. “Nos últimos anos, a Ford vem montando um time de especialistas altamente qualificados de desenvolvimento de software, simulação e aprendizado de máquina, vindos de todas as partes do mundo, para acelerar o desenvolvimento de carros autônomos. Com a integração da Quantum Signal, esse time fica maior e ainda mais forte.”

A ampla experiência desse grupo de trabalho vai apoiar a Ford em numerosas áreas para a criação de um negócio de serviços de transporte com veículos autônomos, incluindo o desenvolvimento de software e protótipos. A Quantum Signal é conhecida pela criação do ambiente de modelagem e simulação ANVEL, usado em programas de robótica militar com sistemas remotos e autônomos não-tripulados. Essa experiência ajudará no desenvolvimento de ambientes de simulação abrangentes, nos quais a Ford poderá testar e melhorar o desempenho de seus veículos e seu modelo de negócios.

A Quantum Signal realizou também um extenso trabalho no desenvolvimento de algoritmos para a direção de carros autônomos militares. Além de softwares, a empresa tem experiência em robótica e sistemas de detecção e percepção, que ajudarão os veículos autônomos da Ford a melhorar sua capacidade de analisar o ambiente ao redor.

Instalada no prédio de uma antiga escola em Saline, a Quantum Signal desenvolveu uma cultura própria que a Ford quer preservar nesse processo de integração. “Todos os engenheiros querem realizar um trabalho significativo que faça a diferença, não para ficar parado numa prateleira”, diz Randal Visintainer.

 

Publicidade

Ford compra empresa de robótica para acelerar desenvolvimento de carros autônomos

Por silviomauro em Mercado

01 de agosto de 2019

 

 

A Ford anunciou a aquisição da Quantum Signal, empresa especializada em robótica, sensores, simulação em tempo real e desenvolvimento de algoritmos,  para acelerar o seu plano de entrada no negócio de carros autônomos. Embora seja pouco conhecida do público, a pequena empresa fundada em 1999 na cidade de Saline, Michigan, EUA, atua na vanguarda da robótica móvel para diversos clientes, incluindo o Exército dos Estados Unidos.

A Quantum Signal ajudou os militares a desenvolver um software que permite controlar veículos robóticos a milhares de quilômetros de distância. Ela também construiu um ambiente de simulação robusto para projetos de veículos autônomos que é usado até hoje.

“A Quantum Signal estava no nosso radar há algum tempo”, diz Randal Visintainer, diretor-técnico de Veículos Autônomos da Ford. “Nos últimos anos, a Ford vem montando um time de especialistas altamente qualificados de desenvolvimento de software, simulação e aprendizado de máquina, vindos de todas as partes do mundo, para acelerar o desenvolvimento de carros autônomos. Com a integração da Quantum Signal, esse time fica maior e ainda mais forte.”

A ampla experiência desse grupo de trabalho vai apoiar a Ford em numerosas áreas para a criação de um negócio de serviços de transporte com veículos autônomos, incluindo o desenvolvimento de software e protótipos. A Quantum Signal é conhecida pela criação do ambiente de modelagem e simulação ANVEL, usado em programas de robótica militar com sistemas remotos e autônomos não-tripulados. Essa experiência ajudará no desenvolvimento de ambientes de simulação abrangentes, nos quais a Ford poderá testar e melhorar o desempenho de seus veículos e seu modelo de negócios.

A Quantum Signal realizou também um extenso trabalho no desenvolvimento de algoritmos para a direção de carros autônomos militares. Além de softwares, a empresa tem experiência em robótica e sistemas de detecção e percepção, que ajudarão os veículos autônomos da Ford a melhorar sua capacidade de analisar o ambiente ao redor.

Instalada no prédio de uma antiga escola em Saline, a Quantum Signal desenvolveu uma cultura própria que a Ford quer preservar nesse processo de integração. “Todos os engenheiros querem realizar um trabalho significativo que faça a diferença, não para ficar parado numa prateleira”, diz Randal Visintainer.