Publicidade

Blog Paulo Sertek

por Paulo Sertek

Cultura é o decisivo

Por paulosertek em Cultura, Narrativa

29 de agosto de 2019

As narrativas representam na vida de um povo a sua memória compartilhada. Tornam-se conhecimentos que perpassam as gerações e dão sentido às suas realizações, sofrimentos e conquistas. Por outro lado, o povo cujo compartilhamento de histórias é débil, por não haver uma transmissão significativa de geração em geração, terá um comportamento como o das crianças que ficam encantadas pelo que é simplesmente lúdico.

As influências das narrativas ditadas pelo poder dominante, pela ideologia, pela fugacidade emotiva das mídias sociais, serão fatores de manipulação utilizados estrategicamente por oportunistas.

Há poucos dias me deparei com um texto sábio, que dá pistas para um trabalho cultural importante: “um povo que não perde suas narrativas tem alguma esperança de salvação”.

Certa vez encontrei num discurso de Jorge Lacerda (ex gov. SC) a ideia de que “um rio somente é fiel a sua nascente ao correr para o mar”. As narrativas como os rios que vem de longe permitem dar sentido a todo encadeamento de fatos históricos, fatos estes, que tornaram possíveis as realidades atuais e continuam fecundando e estimulando as realidades futuras.

É evidente que o cultivo, por exemplo, das virtudes da responsabilidade e do respeito, introduzidas dentro da cultura por meio dos exemplos, das histórias, do teatro e do cinema tornam-se fatores influenciadores de resultados sociais favoráveis ao bem comum, à paz e ao ambiente necessário para o progresso social.

Na perspectiva lacerdiana a cultura é o decisivo, pois, representa todo um modo de pensar e de viver que repercute como fonte de motivações benéficas. Ensinava que: “Os nossos compromissos com a nação não se insulam apenas nos aspectos eventuais de seus interesses imediatos. Transcendem, é natural, dessa órbita limitada, pois se fundem com as finalidades superiores da cultura. As nações sobrevivem na história, não pelos seus efêmeros empreendimentos materiais, mas, sobretudo, pela marca inapagável que sua cultura deixa na face do tempo”.

Paulo Sertek

Doutor em Educação pela UFPR, Mestre em Tecnologia e Desenvolvimento pela UTFPR, Engenheiro Mecânico pela Escola de Engenharia Maua (SP).

Diplomado pelo ISE-IESE no Program for Management Development.

Professor do Centro Universitário da Grande Fortaleza – UNIGRANDE

Jorge Lacerda: uma luminosa mensagem de cultura
Autor: Paulo Sertek
Ed.: Cultor de Livros
São Paulo, 2015

Leia livro do autor: Jorge Lacerda: uma luminosa mensagem de cultura, disponível aqui: https://goo.gl/DpKN4b

Publicidade aqui

Cultura é o decisivo

Por paulosertek em Cultura, Narrativa

29 de agosto de 2019

As narrativas representam na vida de um povo a sua memória compartilhada. Tornam-se conhecimentos que perpassam as gerações e dão sentido às suas realizações, sofrimentos e conquistas. Por outro lado, o povo cujo compartilhamento de histórias é débil, por não haver uma transmissão significativa de geração em geração, terá um comportamento como o das crianças que ficam encantadas pelo que é simplesmente lúdico.

As influências das narrativas ditadas pelo poder dominante, pela ideologia, pela fugacidade emotiva das mídias sociais, serão fatores de manipulação utilizados estrategicamente por oportunistas.

Há poucos dias me deparei com um texto sábio, que dá pistas para um trabalho cultural importante: “um povo que não perde suas narrativas tem alguma esperança de salvação”.

Certa vez encontrei num discurso de Jorge Lacerda (ex gov. SC) a ideia de que “um rio somente é fiel a sua nascente ao correr para o mar”. As narrativas como os rios que vem de longe permitem dar sentido a todo encadeamento de fatos históricos, fatos estes, que tornaram possíveis as realidades atuais e continuam fecundando e estimulando as realidades futuras.

É evidente que o cultivo, por exemplo, das virtudes da responsabilidade e do respeito, introduzidas dentro da cultura por meio dos exemplos, das histórias, do teatro e do cinema tornam-se fatores influenciadores de resultados sociais favoráveis ao bem comum, à paz e ao ambiente necessário para o progresso social.

Na perspectiva lacerdiana a cultura é o decisivo, pois, representa todo um modo de pensar e de viver que repercute como fonte de motivações benéficas. Ensinava que: “Os nossos compromissos com a nação não se insulam apenas nos aspectos eventuais de seus interesses imediatos. Transcendem, é natural, dessa órbita limitada, pois se fundem com as finalidades superiores da cultura. As nações sobrevivem na história, não pelos seus efêmeros empreendimentos materiais, mas, sobretudo, pela marca inapagável que sua cultura deixa na face do tempo”.

Paulo Sertek

Doutor em Educação pela UFPR, Mestre em Tecnologia e Desenvolvimento pela UTFPR, Engenheiro Mecânico pela Escola de Engenharia Maua (SP).

Diplomado pelo ISE-IESE no Program for Management Development.

Professor do Centro Universitário da Grande Fortaleza – UNIGRANDE

Jorge Lacerda: uma luminosa mensagem de cultura
Autor: Paulo Sertek
Ed.: Cultor de Livros
São Paulo, 2015

Leia livro do autor: Jorge Lacerda: uma luminosa mensagem de cultura, disponível aqui: https://goo.gl/DpKN4b