Publicidade

Blog Paulo Sertek

por Paulo Sertek

#cultura

Cultura das mudanças e da imagem

Por paulosertek em Comportamento, Cultura, Educação, virtude

19 de Janeiro de 2020

Jorge Lacerda: Uma luminosa mensagem de cultura. Autor: Paulo Sertek. Ano: 2015 São Paulo. Editora: Cultor de Livros

A cultura pode-se entender como o substrato das características de um grupo organizado, ou de um povo, que influencia o comportamento coletivo, e os traços característicos da sua mentalidade, em certa medida, podem influenciar as inclinações mais correntes no modo de apreciar o mundo.

A visão de mundo que têm pessoas do meio rural, ou do meio urbano transformado pela tecnologia afeta o modo de ser e de comportar-se. Na atualidade identificam-se uns traços comuns às diversas sociedades e podem-se descobrir tendências metaculturais comuns aos diversos povos que ultrapassam as fronteiras dos países mais diversos.

Duas condições da cultura atual, entre outras, que afetam radicalmente o ser-homem desde o nascimento são: a convivência radical com a mutabilidade do instrumental para se viver em sociedade e a cultura da imagem. Os meios para sociabilizar-se e inserir-se na vida social intensificam-se com a necessidade de adaptabilidade à mudança dos modos de aprender a lidar com bens extremamente mutáveis e tecnologias diversas.

Continua presente a necessidade de responder sobre o que é o permanente e o mutável na educação das novas gerações, pois esta é que prepara o ser humano para a vida. Esta questão era respondida com maior facilidade quando as mudanças ocorriam em intervalos mais longos e em certos casos séculos. A preocupação pela adaptabilidade à mudança não se fazia notar, porém hoje se necessitam respostas melhores para as condições atuais de intensidade e velocidade de mudanças.

A sociedade atual está imersa em uma cultura da imagem que repercute no modo fugaz de adquirir e usar as informações e conhecimentos, debilitando a aquisição dos bens da alma humana, dos valores éticos, pois têm vigência permanente devido à condição transcendente do ser humano.

Educadores têm o desafio para dar resposta à cultura da mutabilidade e da imagem que gera com mais frequência comportamentos superficiais e passageiros influenciando a diminuição da capacidade de pensar com profundidade.

 

Paulo Sertek

Doutor em Educação pela UFPR, Mestre em Tecnologia e Desenvolvimento pela UTFPR, Engenheiro Mecânico pela Escola de Engenharia Maua (SP).

Diplomado pelo ISE-IESE no Program for Management Development.

Leia livro do autor: Jorge Lacerda: uma luminosa mensagem de cultura, disponível aqui: https://goo.gl/DpKN4b

Publicidade

Jorge Lacerda: o itinerário de um líder

Visa conhecer trajetória de desenvolvimento de liderança do médico, advogado, jornalista e político como deputado federal em duas legislaturas e governador de Santa Catarina.

Tema destaca o papel educativo das narrativas de vida no desenvolvimento das qualidades humanas.

DOWNLOAD GRATUITO
ESTUDO SOBRE JORGE LACERDA EX-GOVERNADOR DE SC
JORGE LACERDA: UMA LUMINOSA MENSAGEM DE CULTURA
https://goo.gl/DpKN4b

 

Publicidade

Cultura é o decisivo

Por paulosertek em Cultura, Narrativa

29 de agosto de 2019

As narrativas representam na vida de um povo a sua memória compartilhada. Tornam-se conhecimentos que perpassam as gerações e dão sentido às suas realizações, sofrimentos e conquistas. Por outro lado, o povo cujo compartilhamento de histórias é débil, por não haver uma transmissão significativa de geração em geração, terá um comportamento como o das crianças que ficam encantadas pelo que é simplesmente lúdico.

As influências das narrativas ditadas pelo poder dominante, pela ideologia, pela fugacidade emotiva das mídias sociais, serão fatores de manipulação utilizados estrategicamente por oportunistas.

Há poucos dias me deparei com um texto sábio, que dá pistas para um trabalho cultural importante: “um povo que não perde suas narrativas tem alguma esperança de salvação”.

Certa vez encontrei num discurso de Jorge Lacerda (ex gov. SC) a ideia de que “um rio somente é fiel a sua nascente ao correr para o mar”. As narrativas como os rios que vem de longe permitem dar sentido a todo encadeamento de fatos históricos, fatos estes, que tornaram possíveis as realidades atuais e continuam fecundando e estimulando as realidades futuras.

É evidente que o cultivo, por exemplo, das virtudes da responsabilidade e do respeito, introduzidas dentro da cultura por meio dos exemplos, das histórias, do teatro e do cinema tornam-se fatores influenciadores de resultados sociais favoráveis ao bem comum, à paz e ao ambiente necessário para o progresso social.

Na perspectiva lacerdiana a cultura é o decisivo, pois, representa todo um modo de pensar e de viver que repercute como fonte de motivações benéficas. Ensinava que: “Os nossos compromissos com a nação não se insulam apenas nos aspectos eventuais de seus interesses imediatos. Transcendem, é natural, dessa órbita limitada, pois se fundem com as finalidades superiores da cultura. As nações sobrevivem na história, não pelos seus efêmeros empreendimentos materiais, mas, sobretudo, pela marca inapagável que sua cultura deixa na face do tempo”.

Paulo Sertek

Doutor em Educação pela UFPR, Mestre em Tecnologia e Desenvolvimento pela UTFPR, Engenheiro Mecânico pela Escola de Engenharia Maua (SP).

Diplomado pelo ISE-IESE no Program for Management Development.

Professor do Centro Universitário da Grande Fortaleza – UNIGRANDE

Jorge Lacerda: uma luminosa mensagem de cultura
Autor: Paulo Sertek
Ed.: Cultor de Livros
São Paulo, 2015

Leia livro do autor: Jorge Lacerda: uma luminosa mensagem de cultura, disponível aqui: https://goo.gl/DpKN4b

Publicidade

Por que cortar as pesquisas em ciências humanas?

Por paulosertek em Educação, pesquisa, Política, universidade

30 de Abril de 2019

Um pequeno leme tem a propriedade de, sendo habilidosamente manejado, dar o rumo certo a um navio de grande calado. Esta propriedade é a da capacidade de direção. Um político, um educador, um empresário etc. somente adquire excelência humana e profissional ao tomar decisões e assumir compromissos de acordo com os valores morais. A ética é a ciência da moral, uma das disciplinas-chave da orientação da vida individual e dos relacionamentos interpessoais.

Quando nos referimos às ciências humanas englobamos as ciências da educação, as ciências sociais, a literatura, a história, a filosofia, entre outras. Chama à atenção a mentalidade primária de determinados comandantes que avaliam a pesquisa em ciências humanas como sendo puramente acessória e passível de cortes de verbas porque, talvez nestas mentes limitadas, somente a tecnologia traz rendimentos sociais e aumente a produtividade.

Padecem tais autoridades de um reducionismo sobre o tipo de bens que valem mais e sobre as suas prioridades na vida social. Alinho radicalmente ao pensamento de Jorge Lacerda ex-gov SC quando nos ensina que: “Os nossos compromissos com a nação não se insulam apenas nos aspectos eventuais de seus interesses imediatos. Transcendem, é natural, dessa órbita limitada, pois se fundem com as finalidades superiores da cultura. As nações sobrevivem na história, não pelos seus efêmeros empreendimentos materiais, mas, sobretudo pela marca inapagável que sua cultura deixa na face do tempo”.

Juscelino Kubitschek e Jorge Lacerda em Brasília 1958

Ainda que a ideologia marxista embase os pressupostos antropológicos de um numero razoável de pesquisadores, mais necessário é o avanço científico mostrando os resultados negativos de tais doutrinas no seio da sociedade. Não se justifica a tomada de decisão de cortar verbas para a pesquisa em ciências humanas, pois o raciocínio coerente é o de se estimular a boa pesquisa, aquela que tem compromisso com a ciência e a verdade.

A pesquisa sobre o existir humano é decisiva para a formação de uma sociedade sábia.

Paulo Sertek é doutor em educação e autor do livro Jorge Lacerda: uma luminosa mensagem de cultura, disponível para download:  https://goo.gl/DpKN4b

 

Jorge Lacerda: uma luminosa mensagem de cultura
Autor: Paulo Sertek
Ed.: Cultor de Livros
São Paulo, 2015

Email: psertek@gmail.com

Publicidade

Aprender com Jorge Lacerda

Por paulosertek em Educação, Política

15 de Fevereiro de 2019

Um exemplo marcante, uma narrativa expressiva provoca uma impressão permanente. Os modelos de atuação são mobilizadores do aprendizado.

Sugiro a leitura, no link abaixo, do livro de minha autoria sobre Jorge Lacerda ex-governador de Santa Catarina, pois visa o desenvolvimento do intelectual que pretende ampliar a sua participação na construção democrática. Esta produção literária é o resultado de quatro anos de pesquisa no doutorado da UFPR e outros três anos de estudos sobre as contribuições de Jorge Lacerda para a educação e política. Chegamos nesta pesquisa exploratória a respostas sobre os conhecimentos e as habilidades intelectuais e sociopolíticas que foram orientadoras desta personalidade marcante da história política brasileira.

Fiquei admirado nesta pesquisa sobre como a aprendizagem vivencial contribuiu para a construção da sua personalidade política. Dizia ele: “aprendi no contato com as nossas palpitantes realidades, diretamente com o povo.”

Já como deputado federal em 1950 soube que em São Joaquim SC havia um lavrador, o Senhor João, que tinha perdido sua esposa e filha de forma traumática e que mantinha com enorme fortaleza seus oito filhos. Depois de ter-se informado bem do sitio em que morava para lá rumou. O camponês, às seis e meia de um amanhecer extremamente frio, ao abrir a porta de sua cabana deparou-se, sentado na escada, com um homem elegantemente vestido com sobretudo preto, terno escuro e gravata, a cabeça coberta por elegante chapéu que imediatamente retirou ao se levantar, sorriu e disse:

-“Bom dia; meu nome é Jorge Lacerda. Estou aqui para buscar energia e inspirar-me em seu exemplo de homem e pai. O senhor me dá a honra de partilhar o seu chimarrão e o seu café da manhã?” Deste momento em diante firmou uma amizade que perdurou por toda a vida!

O trabalho nesta pesquisa foi o de garimpar quais foram as ideias, exemplos, práticas de virtude e anseios que levaram a um intelectual atuar como político.

Por que não aprender com Jorge Lacerda?

Paulo Sertek é doutor em educação e autor do livro Jorge Lacerda: uma luminosa mensagem de cultura, disponível para download: Jorge Lacerda: uma luminosa mensagem de cultura

Jorge Lacerda: uma luminosa mensagem de cultura
Autor: Paulo Sertek
Ed.: Cultor de Livros
São Paulo, 2015


Publicidade

Aprender com Jorge Lacerda

Por paulosertek em Educação, Política

15 de Fevereiro de 2019

Um exemplo marcante, uma narrativa expressiva provoca uma impressão permanente. Os modelos de atuação são mobilizadores do aprendizado.

Sugiro a leitura, no link abaixo, do livro de minha autoria sobre Jorge Lacerda ex-governador de Santa Catarina, pois visa o desenvolvimento do intelectual que pretende ampliar a sua participação na construção democrática. Esta produção literária é o resultado de quatro anos de pesquisa no doutorado da UFPR e outros três anos de estudos sobre as contribuições de Jorge Lacerda para a educação e política. Chegamos nesta pesquisa exploratória a respostas sobre os conhecimentos e as habilidades intelectuais e sociopolíticas que foram orientadoras desta personalidade marcante da história política brasileira.

Fiquei admirado nesta pesquisa sobre como a aprendizagem vivencial contribuiu para a construção da sua personalidade política. Dizia ele: “aprendi no contato com as nossas palpitantes realidades, diretamente com o povo.”

Já como deputado federal em 1950 soube que em São Joaquim SC havia um lavrador, o Senhor João, que tinha perdido sua esposa e filha de forma traumática e que mantinha com enorme fortaleza seus oito filhos. Depois de ter-se informado bem do sitio em que morava para lá rumou. O camponês, às seis e meia de um amanhecer extremamente frio, ao abrir a porta de sua cabana deparou-se, sentado na escada, com um homem elegantemente vestido com sobretudo preto, terno escuro e gravata, a cabeça coberta por elegante chapéu que imediatamente retirou ao se levantar, sorriu e disse:

-“Bom dia; meu nome é Jorge Lacerda. Estou aqui para buscar energia e inspirar-me em seu exemplo de homem e pai. O senhor me dá a honra de partilhar o seu chimarrão e o seu café da manhã?” Deste momento em diante firmou uma amizade que perdurou por toda a vida!

O trabalho nesta pesquisa foi o de garimpar quais foram as ideias, exemplos, práticas de virtude e anseios que levaram a um intelectual atuar como político.

Por que não aprender com Jorge Lacerda?

Paulo Sertek é doutor em educação e autor do livro Jorge Lacerda: uma luminosa mensagem de cultura, disponível para download: Jorge Lacerda: uma luminosa mensagem de cultura

Jorge Lacerda: uma luminosa mensagem de cultura
Autor: Paulo Sertek
Ed.: Cultor de Livros
São Paulo, 2015