Warning: Use of undefined constant S3_URL - assumed 'S3_URL' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/tribu/public_html/blogs/wp-content/themes/2016_tribuna_blogs/functions.php on line 11
Arquivos agosto 2013 - 2/3 - Blog Verde 
Publicidade

Blog Verde

por Nájila Cabral

agosto 2013

Plano Estadual de Resíduos Sólidos

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

17 de agosto de 2013

     Estamos, em todo país, discutindo a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Importante, necessário e imprescindível readequarmos o que, historicamente, estamos negligenciando em nossos municípios, em nossas casas, nas nossas vidas: o que produzimos de rejeitos das nossas atividades cotidianas.

    Na próxima semana, dia 19 de agosto, pela manhã, das 08:00 h às 13:00h, em Fortaleza, no Ceará, no Auditório da Assembleia Legislativa do Ceará, tem palestra sobre o Plano Estadual de Resíduos Sólidos.

     Convite feito. Então, por gentileza, caríssimos cidadãos, vamos participar! Todos estão convidados. A participação da sociedade é importante!

Publicidade

Políticas Públicas de Mudanças Climáticas no Brasil

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

16 de agosto de 2013

     Importantes avanços estão sendo desenvolvidos no território brasileiro com relação à Política Nacional sobre Mudança do Clima, inclusive a revisão do Plano Nacional sobre Mudanças do Clima.

     A Política Nacional de Mudanças Climáticas traz os compromissos nacionais voluntários de redução de emissões de gases de efeito estufa, que demandam esforços conjuntos das Unidades da Federação para serem alcançados.

    Muito recente, o Núcleo de Articulação Federativa em Clima encerrou no período de 12 a 14 de agosto de 2013, em Recife/PE, o ciclo das Oficinas de Capacitação em MRV (Monitoramento, Reporte e Verificação). Foram realizadas oficinas nas 5 Regiões Sul/Sudeste e Centro-Oeste, em julho de 2013; Norte e Nordeste em agosto de 2013, com o apoio do MMA e do MCTI.

     Com relação às políticas públicas sobre mudanças climáticas em âmbito dos estados, o quadro brasileiro apresenta a seguinte estrutura com relação à instituição da política estadual e, também, da criação do Fórum Estadual, conforme informações de julho/2013 do Observatório de Políticas Públicas de Mudanças Climáticas:

Região Norte

Acre (Lei n. 2.308 de 22/10/2010), mas não possui Fórum

Amapá (projeto de lei)

Amazonas (Lei n. 3.135 de 05/06/2007) e Fórum (Decreto n. 28.390, de 17/02/2009)

Pará possui Fórum (Decreto n. 1.900, de 22/09/2009)

Roraima possui Fórum (Decreto n. 16.232, de 04/10/2011)

Tocantins (Lei n. 1.917 de 17/04/2008) e Fórum (Decreto n. 3.007, de 18/04/2007)

 Região Nordeste

Bahia (Lei n. 12.050 de 07/01/2011) e Fórum (Decreto n. 9.519, de 18/08/2005)

Ceará possui Fórum (Decreto n. 29.272, de 25/04/2008)

Maranhão possui Fórum (Decreto n. 22.735, de 29/11/2006)

Paraíba (Lei n. 9.336 de 31/01/2011), mas não possui Fórum

Pernambuco (Lei n. 14.090 de 17/06/2010) e Fórum (Decreto n. 33.015, de 16/02/2009)

Piauí (Lei n. 6.140 de 06/11/2011) e Fórum (Decreto n. 12.613, de 04/06/2007)

 Região Centro Oeste

Goiás (Lei n. 16.497 de 10/02/2009), mas não possui Fórum

Mato Grosso (Projeto de Lei) e Fórum (Lei n. 9.111, de 15/04/2009)

Distrito Federal (Lei n. 4.797 de 06/03/2012), mas não possui Fórum

 Região Sudeste

São Paulo (Lei n. 13.798 de 09/11/2009) e Fórum (Decreto n. 49.369, de 11/02/2005)

Rio de Janeiro (Lei n. 5.690 de 14/04/2010) e Fórum (Decreto n. 40.780, de 23/05/2007)

Espírito Santo (Lei n. 9.531 de 16/09/2010) e Fórum (Decreto n. 1.833-R, de 19/04/2007)

Minas Gerais (Projeto de Lei) e Fórum (Lei n. 44.042, de 09/06/2005)

 Região Sul

Santa Catarina (Lei n. 14.829 de 11/08/2009) e Fórum (Decreto n. 2.208, de 17/03/2009)

Paraná (Lei n. 17.133 de 25/04/2012) e Fórum (Lei 16.019, de 19/12/2008)

Rio Grande do Sul (Lei n. 13.594 de 30/12/2010) e Fórum (Decreto n. 45.098, de 15/06/2007)

     Os estados que não são citados anteriormente não apresentam nem legislação estadual, nem criação de Fórum Estadual de Mudanças Climáticas.

Publicidade

Oficina gratuita – Plano Municipal de Saneamento Básico

      Com objetivo de promover o aperfeiçoamento e o desenvolvimento de novas práticas de gestão a Assemae – Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento em convênio com a Funasa – Fundação Nacional de Saúde, está realizando 64 cursos na área de saneamento em todas as regiões do país: Política e Plano Municipal de Saneamento Básico, Estruturação e Implementação de Consórcios Públicos de Saneamento, Gestão Econômico-financeira no Setor de Saneamento, Redução de Perdas em Sistemas de Saneamento.

     No período de 26 a 30 de agosto, no município de Sobral/CE, haverá a oficina de capacitação em Política e Plano Municipal de Saneamento Básico, com carga horária dividida em 32 horas.

     A oficina é dirigida a gestores e técnicos do setor de saneamento básico da Funasa e de municípios com até 50.000 habitantes; associados da Assemae; ocupantes de cargo público municipal com papel de decisão na área do curso; técnicos de municípios; gestores de órgãos públicos federais, estaduais, regionais e municipais; integrantes de movimentos sociais e catadores de materiais recicláveis; membros de ONGs; membros de universidades e profissionais liberais.

      Os participantes devem receber orientações sobre a formação dos grupos de trabalho – comitê de coordenação e comitê executivo; plano de mobilização social; diagnóstico técnico-participativo dos quatro componentes do saneamento: abastecimento de água, esgotamento sanitário, manejo de resíduos sólidos e drenagem urbana; prospectiva e planejamento estratégico para o setor de saneamento no município; programas, projetos e ações para alcance do cenário de referência; plano de execução; experiências de planos municipais de saneamento básico; processo de comunicação permanente; sistema de informações para auxílio à tomada de decisão; indicadores de desempenho do plano municipal de saneamento básico; regulação dos serviços de saneamento.

     Convite feito! Divulguem e participem! Pré-inscrições, cliquem aqui.

Publicidade

Frases para refletir… sobre vida e meio ambiente

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

11 de agosto de 2013

     Dia dos Pais! Parabéns aos queridos pais, homens imprescindíveis em nossas vidas, que nos mostram o caminho a seguir, que nos protegem, nos resguardam, que nos amam de uma maneira tão especial.

     Permitam-me falar diretamente ao meu querido pai. A ti meu amor eterno, minha gratidão pelos ensinamentos, pelas lições de vida que desde pequenina tu repassaste a mim e aos meus irmãos. Pai amoroso, forte, guerreiro, que nas muitas batalhas que enfrentamos na vida, sempre esteve ao nosso lado, orientando-nos a seguir pelo melhor caminho: o do bem, o da justiça, o da prudência, o da humildade, o da conciliação.

    A todos os pais deste Brasil, desejo paz e saúde! Desejo que seus filhos sejam motivo de alegria, alento, carinho e aconchego.

    As frases de hoje são de letras de músicas que falam do amor aos pais.

    “Pai, eu cresci e não houve outro jeito. Quero só recostar no teu peito e pedir pra você ir lá em casa e brincar de vovô com meu filho no tapete da sala de estar” (Música Pai, letra de Fábio Júnior)

     “Ele é um raro diamante, de indiscutível valor. É meu amigo do peito; eu tenho orgulho de falar. Esse homem tão direito, diplomado em respeito é um exemplo em nosso lar”. (Música Meu Pai, letra de Daniel)

     “Meu papaizinho não precisa mais chorar. Saiba que não vou deixar você sozinho, abandonado. Eu sou seu guia, eu sou seu tempo e sou seus passos. Sou sua luz e sou seus braços, sua filha abençoada” (Música Meu Velho Pai, letra de Leo Canhoto)

     “Seu passado vive presente nas experiências contidas nesse coração, consciente da beleza das coisas da vida. Seu sorriso franco me anima, seu conselho certo  me ensina. Beijo suas mãos e lhe digo: meu querido, meu velho, meu amigo” ( Música Meu querido, meu velho, meu amigo, letra de Roberto Carlos).

leia tudo sobre

Publicidade

Uma década de eventos climáticos extremos (parte 4 – final)

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

09 de agosto de 2013

     A década de 2001-2010 registrou em muitos países ondas de calor. Algumas das mais dramáticas ondas de calor ocorreram na Índia, em 2002 e 2003, que tiveram como consequências, em cada uma delas, a morte de mais de 1000 pessoas. A onda de calor do verão de 2003 sobre grande parte da Europa causou mais de 66.000 mortes, e a onda de calor extremamente intensa e de longa duração que atingiu a Rússia em julho/agosto de 2010 causou mais de 55.000 mortes.

Fonte:WMO

Fonte:WMO

     O Relatório da OMM (2013) identifica muitas outras condições anormais de alta temperatura, ondas de calor e de registros de temperatura alta em todo o mundo.

     No Brasil, ondas de calor foram registradas de janeiro a março de 2006 e uma das mais altas temperaturas (44,6 °C) foi registrada em Bom Jesus, no Piauí, no dia 31 de janeiro de 2006.

     Compreender o clima e as tendências da temperatura da Terra, das precipitações e dos eventos extremos é de importância vital para o bem-estar humano e para o desenvolvimento sustentável. Como o relatório do Clima Global 2001-2010 confirma, cientistas podem agora relacionar algumas oscilações naturais com as tendências climáticas sazonais. Podem ainda compreender os mecanismos pelos quais as emissões de gases de efeito estufa da humanidade estão elevando as temperaturas médias globais.

Fonte: The Global Climate 2001-2010

Publicidade

Uma década de eventos climáticos extremos (parte 3)

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

08 de agosto de 2013

      A respeito de eventos extremos, o relatório Global Climate 2013 relata a importância em acompanhar e compreender esses eventos extremos, pois podem, muitas vezes, destruir vidas e propriedades. Eventos extremos podem, contudo, serem impedidos de se tornarem grandes catástrofes, reduzindo a vulnerabilidade das pessoas e de sua exposição.

Fonte:WMO

Fonte:WMO

      Informações e base de dados sobre catástrofes são úteis para mapear o comportamento e a magnitude do impacto de eventos extremos. O Relatório 2013 informa que os dados não demonstram que o aumento das perdas observadas é causado por um aumento da frequência e da intensidade de eventos extremos. Outros fatores entram em jogo, por exemplo, o aumento da exposição de pessoas e de seus bens aos eventos climáticos extremos.

    No entanto, é importante notar o aumento elevado (mais de 2000 por cento) de eventos extremos no período 2001-2010, a perda de vidas a partir de ondas de calor, especialmente durante os eventos extremos de calor sem precedentes que afetaram a Europa no verão de 2003 e a Federação Russa, no verão de 2010.

     Enquanto o risco de morte e ferimentos causados pelas tempestades e inundações diminuiu, segundo o relatório Global Climate 2013, a vulnerabilidade da propriedade (usos do solo) aumentou. Isso ocorre porque a expansão dos ativos socioeconômicos e de infraestrutura levou a um aumento na quantidade e no valor dos bens expostos aos eventos climáticos extremos.

Fonte: The Global Climate 2001-2010

Publicidade

Prorrogado prazo do edital para Educação Ambiental

    O Fundo Nacional do Meio Ambiente (FNMA) prorrogou o prazo de envio de projetos do edital 01/2013 do Ministério do Meio Ambiente (MMA), de Formação de Agentes Populares de Educação Ambiental na Agricultura Familiar e Implementação de Projetos Comunitários de Educação Ambiental, que vai até o dia 24 de agosto.

     O edital de educação ambiental deve selecionar projetos para a formação de agentes de educação ambiental que terão o papel de identificar os problemas socioambientais existentes no meio rural, bem como fomentar a reflexão e promover a mobilização comunitária necessária à intervenção sobre estes problemas. Os resultados serão divulgados no dia 16 de outubro

Fonte: MMA

Publicidade

Uma década de eventos climáticos extremos (parte 2)

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

06 de agosto de 2013

     A temperatura média global do ar acima da superfície da Terra, durante o período de 10 anos (período 2001-2010), estima-se que foi de 14,47 °C, com incerteza de ± 0,1 °C.

Fonte:WMO

Fonte:WMO

      Um aumento acentuado na temperatura global ocorreu ao longo das últimas quatro décadas (1971-2010). Conforme o relatório da OMM, de 2013, a temperatura global aumentou a uma taxa média estimada de 0,17°C por década durante esse período, enquanto a tendência ao longo de todo o período 1880-2010 foi de apenas 0,062 °C por década.

     O Relatório alerta que o aumento de 0,21 °C da temperatura média da década de 1991-2000 para a de 2001-2010 é maior do que o aumento em relação ao período de 1981-1990 para o de 1991-2000 (que foi de 0,14 ° C).

     A década 2001-2010 foi a mais quente já registrada, tanto para terra quanto para as temperaturas de superfície do oceano. A mais quente temperatura mundial de superfície do ar foi registrada em 2007, com uma anomalia de temperatura de 0,95 °C. A temperatura de superfície de oceano mais quente no mundo foi medida em 2003, com uma anomalia de +0,4 °C acima da média da década 1961-1990. Isto está em consonância com a ciência da mudança climática, que projeta que a superfície do oceano vai aquecer mais lentamente do que a superfície da terra, porque grande parte do calor adicional será transportado para as profundezas do oceano ou perdida por evaporação.

Fonte: The Global Climate 2001-2010

Publicidade

Energia renovável – micro e minigeração

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

05 de agosto de 2013

     A Assembleia Legislativa do Ceará, em Fortaleza, realiza no dia 06 de agosto (terça-feira), às 14:00h, audiência pública sobre micro e minigeração de energia renovável.

    No debate, um dos pontos a serem discutidos é a Resolução n. 482/2012, de 17 de abril de 2012, que estabelece as condições gerais para o acesso de microgeração e minigeração distribuída aos sistemas de distribuição de energia elétrica, bem como o sistema de compensação de energia elétrica.

     Devem estar presentes representantes da Agência de Desenvolvimento do estado do Ceará (ADECE), do Banco do Nordeste, da Comissão de Desenvolvimento Regional, Recursos Hídricos, Minas e Pesca da Assembleia Legislativa, da Academia e de outras instituições ligadas ao tema.

     Convite feito. Participem! Sociedade civil informada tem melhores condições de saber escolher que caminho seguir.

Publicidade

Frases para refletir… sobre vida e meio ambiente

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

04 de agosto de 2013

     Domingo de sol! Luz do sol; divina! Que bom estarmos aqui, compartilhando da alegria de sermos todos filhos de Deus, na mesma Terra. A vocês, paz e saúde! Cuidem-se, caríssimos, pois assim como a natureza, nós seres humanos temos nossos limites e devemos aceitar limites e nossas limitações.

    Com a aceitação, aprendemos a lidar melhor com todos os possíveis problemas que possam surgir no nosso caminhar… Sempre sob as bênçãos do Senhor!

    “Eu sou a luz do mundo, aquele que Me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida” (João 8:12).

     “O que você decidir se fará, e a luz brilhará em seus caminhos” (Jó 22:28)

     “Como é feliz o povo que aprendeu a aclamar-te, Senhor, e que anda na luz da tua presença” (Salmos 89:15)

     “O Senhor é a minha luz e a minha salvação; de quem terei temor? O Senhor é o meu forte refúgio; de quem terei medo?” (Salmos 27:1)

 

 

 

Publicidade

Frases para refletir… sobre vida e meio ambiente

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

04 de agosto de 2013

     Domingo de sol! Luz do sol; divina! Que bom estarmos aqui, compartilhando da alegria de sermos todos filhos de Deus, na mesma Terra. A vocês, paz e saúde! Cuidem-se, caríssimos, pois assim como a natureza, nós seres humanos temos nossos limites e devemos aceitar limites e nossas limitações.

    Com a aceitação, aprendemos a lidar melhor com todos os possíveis problemas que possam surgir no nosso caminhar… Sempre sob as bênçãos do Senhor!

    “Eu sou a luz do mundo, aquele que Me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida” (João 8:12).

     “O que você decidir se fará, e a luz brilhará em seus caminhos” (Jó 22:28)

     “Como é feliz o povo que aprendeu a aclamar-te, Senhor, e que anda na luz da tua presença” (Salmos 89:15)

     “O Senhor é a minha luz e a minha salvação; de quem terei temor? O Senhor é o meu forte refúgio; de quem terei medo?” (Salmos 27:1)