Arquivos Maio 2020 - Blog Verde 
Publicidade

Blog Verde

por Nájila Cabral

Maio 2020

Vida após a pandemia

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Impacto Ambiental, Saúde Ambiental

31 de Maio de 2020

     É preciso nos prepararmos para o depois. Quando tudo isso passar, o medo e a dor provocados pela doença do novo Coronavírus vão se dissipar como plumas ao vento.

     Eu sei… a saudade dos que partiram cedo demais ficará presente em nossa lembrança. Estarão vivos em nossa memória todos os momentos felizes que compartilhamos com aqueles que partiram cedo demais.

     Usando as palavras do Papa Francisco, no dia 27 de março de 2020, “o Senhor interpela-nos e, no meio da nossa tempestade, convida-nos a despertar e ativar a solidariedade e a esperança, capazes de dar solidez, apoio e significado a estas horas em que tudo parece naufragar”.

     Quando tudo isso passar e pudermos abrir as portas físicas de nossas casas, que seja para espalharmos solidariedade para com aqueles que precisam, não apenas do calor humano, mas de alimento e água.

     Em uma carta escrita pelo Papa Francisco à revista Vida Nueva, em 17 de abril de 2020, ele comenta “se pudemos aprender algo em todo este tempo, é que ninguém se salva sozinho. As fronteiras caem, as paredes desabam e todos os discursos fundamentalistas se dissolvem perante uma presença quase imperceptível, que manifesta a fragilidade de que somos feitos”.

     Que nosso coração seja manso e humilde, na vida após a pandemia, para entendermos que somos todos iguais independentemente de cor, credo, condições sociais e econômicas, pois a linha que, equivocadamente, imaginamos nos separar é tão tênue e pequenina quanto a de um vírus cruel e invisível.

      Ainda parafraseando o Papa Francisco em sua carta do dia 17 de abril de 2020 ele comenta “compreendemos a importância de unir toda a família humana na busca de um desenvolvimento sustentável e integral. Cada ação individual não é um ato isolado, para o bem ou para o mal. Tem consequências para os outros, pois na nossa Casa Comum tudo está interligado”.

     Que a força que há dentro de cada um de nós seja estimulada a promover o bem, sem olhar a quem, pois devemos ter um compromisso saudável e harmonioso com todos os seres vivos do Planeta, na vida após a pandemia.

Publicidade

Em tempos de pandemia, coleta solidária

Por Nájila Cabral em Educação Ambiental, Meio Ambiente, Saúde Ambiental

20 de Maio de 2020

    A fome não escolhe tempo… Em todos os tempos, há pessoas que têm fome. O alimento é algo necessário para a manutenção da vida, portanto mais que um direito de todos os seres humanos, o alimento é sagrado e deve ser diário, para viabilizar a dignidade da vida humana.

     O combate à fome se constitui em um dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), especificamente o ODS 2 – Fome zero e agricultura sustentável, cuja meta é acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar, melhorar a nutrição e promover a agricultura sustentável.

    Em tempos de pandemia do novo Coronavírus em que, por medida de prevenção para proteção de nossas vidas somos, fortemente, chamados a nos recolhermos em nossas casas e a fecharmos as portas de muitos comércios para evitar aglomerações, o cenário da fome permanece e parece aumentar.

     São muitas as iniciativas individuais e coletivas para doar alimentos àqueles que têm fome. Uma dessas iniciativas com promoção da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES), seção Ceará, em parceria com um supermercado de Fortaleza, é a Coleta Solidária.

     A Coleta Solidária conseguiu arrecadar doações em dinheiro de muitas pessoas físicas e jurídicas, a quem somos imensamente gratos, que foram transformadas em cestas básicas doadas à Associação de Catadores. As fotos abaixo, gentilmente cedidas pelo prof. Gemmelle Santos e pela Janete Cabral, são dos dias da entrega das cestas básicas às associações ASCAJAN (Associação dos Catadores do Jangurussu) e SOCRELP (Sociedade Comunitária de Reciclagem de Lixo do bairro do Pirambu).

Foto: Gemmelle Santos, em 15/05/2020

Foto: Janete Cabral, em 18/05/2020.

    

 

 

 

 

    Toda prestação de contas está sendo feita pelos representantes das Associações à ABES-CE. Cada família recebe uma cesta básica. Não é muito… Mas permite atender à necessidade mais urgente, neste momento de tanta dor, que é matar a fome dos que mais precisam.

     A Coleta Solidária permanecerá. Se você se sentir tocado, por gentileza, faça sua doação. Que seu coração se encha de alegria neste ato de amor ao próximo, que sua generosidade seja multiplicada em cem vezes retornando à você em forma de saúde e longa vida para que você seja testemunha, no cenário futuro, de que juntos vencemos essa pandemia, mantendo a dignidade da vida humana.

     Caro leitor do Blog Verde, muito obrigada, por fazer parte dessa corrente do bem.

Publicidade

E depois da pandemia, como fica o meio ambiente?

     Uma pergunta intrigante: depois da pandemia, como fica o meio ambiente? Precisamos nos preparar para os tempos vindouros. O pós pandemia pode indicar um contexto diferente do que o que usualmente estamos vivenciando.

    No dia 15 de maio, por uma iniciativa da Câmara de Vereadores do município de Fortaleza, às 19 horas, haverá a live “Sustentabilidade em Tempos de pandemia. E depois, como fica o meio ambiente?”.

     A professora Suellen Galvão, convidada do vereador Iraguassu Teixeira, abordará os fatores que nos trouxeram até aqui (contexto urbanos, desigualdades sociais, pressões ambientais) correlacionando doenças zoonóticas com a saúde dos ecossistemas. A discussão também abordará a necessária universalização do Saneamento Básico.

   

A pandemia do novo Coronavírus trouxe uma realidade de redução de emissões de gases de efeito estufa (GEE). Essa redução será duradoura ou passageira? E as empresas, como protagonistas nesse cenário, de que maneira farão a transição da economia de baixo carbono? Cidades, empresas e países terão resiliência para a retomada da economia levando em consideração às emissões de GEE?

    Suellen Galvão é professora da UNIFOR, aluna do Programa de Pós-graduação em Tecnologia e Gestão Ambiental, do IFCE, e faz parte da Diretoria da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES), seção Ceará.

    Aos que puderem participar, sintam-se convidados. Encontramo-nos virtualmente.  

     Cliquem aqui para assistir. Quem tiver uma conta ou perfil no Instagram, basta buscar por @suellengm ou @iraguassufilho e pedir para seguir o perfil que conseguirá assistir a Live.

Publicidade

Dia das mães: amor incondicional

Por Nájila Cabral em Educação Ambiental, Meio Ambiente

10 de Maio de 2020

     Mãe é amor, é cuidado, é carinho. Mãe é doação. Mãe se transforma a cada dia para atender ao chamado do filho, que pede por colo.

    A você, que é mãe, tia, irmã, filha, que cuida dos seus entes queridos, com carinho. Feliz Dias das Mães.

     Nesses tempos de pandemia do novo Coronavírus em que estar em casa parece ser a medida mais confiável para não haver transmissão e contágio, em que tantas pessoas estão sem ter o seu pão de cada dia na mesa, se seu coração for tocado e você quiser doar, a Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES), seção Ceará, está em parceria com um supermercado de Fortaleza, arrecadando doações.

Fonte: ABES-CE

    Parabéns a todas as mães!

Publicidade

Educação Ambiental e Covid-19: necessidade de mudança de hábitos

Por Nájila Cabral em Educação Ambiental, Impacto Ambiental, Meio Ambiente, Saúde Ambiental

09 de Maio de 2020

     Nesse tempo de pandemia da doença Covid-19 é preciso rever hábitos e costumes. A atual realidade nos faz refletir sobre o nosso comportamento diário e nossas relações interpessoais e com o meio ambiente.

     É a partir da Educação Ambiental que os “indivíduos têm a possibilidade de compreender a realidade e refletir criticamente sobre ela na perspectiva da superação dos problemas ambientais e tornam-se cientes dos direito e deveres de cada ser humano crítico e cidadão” (Teixeira et al., 2017).

    Assim, a Educação Ambiental se apresenta como um mecanismo importante de transformação de atitudes em tempos de pandemia da Covid-19, na medida em que para a proteção dos seres humanos e para a minimização da disseminação da doença são impostas uma série de medidas de segurança e de higiene.

     A vida é um direito. A proteção da vida é um dever de cada cidadão e, também, do poder público. O cenário que nos foi introduzido com o novo Coronavírus (SARS-CoV-2) induz a que tenhamos diferentes comportamentos do que, habitualmente, estávamos acostumados.

     Dentre esses novos hábitos que precisamos ter, não apenas neste momento crucial da pandemia em que o Brasil atravessa, talvez, o pior momento de pico da doença Covid-19, mas que devemos continuar para a diminuição do risco de contaminação, estão:

– maior distanciamento entre as pessoas (pelo menos 2 metros de distância);

– higienizar, frequentemente, as mãos com água e sabão ou com álcool em gel (70%);

– manter ambientes limpos e ventilados;

– adotar comportamento amigável, sem contato físico;

– usar máscaras faciais, individuais, sempre que sair de sua residência;

– evitar tocar o rosto, a boca, os olhos e o nariz com as mãos não lavadas.

     O desafio diário neste tempo de pandemia é tentar mantermos a saúde, a nossa e a dos nossos semelhantes: saúde física, mental, emocional e espiritual. Estabelecer o equilíbrio entre essas 4 dimensões não é uma tarefa fácil, pois exige reestruturação dos nossos arranjos pessoais, para encontrarmos forças suficientes para desempenhar esse papel, consciente e cidadão, nessa jornada atual e futura.

Referências

TEIXEIRA, N. F. F.; MOURA, P. E. F.; MEIRELES, A. J. A.; SILVA, E. V. Educação Ambiental na perspectiva da reutilização de resíduos sólidos: práticas do Projeto Sala Verde Água Viva. In: MATOS, F. O.; VASCONCELOS, F. H. L.; RIBEIRO, G. O.; SILVA, T.E. V. (orgs.). Educação Ambiental: da teoria à prática. Recife: Editora Imprima, 2017, pp. 208-219.

Publicidade

Tempos de pandemia… para refletir sobre vida e meio ambiente

    O tempo está diferente… vocês perceberam mudança no tempo? De uns tempos para cá, está um tempo cinza, estranho… Tempo fechado, literalmente, fechado para as pessoas e para a vida social. Tempo de ficar em casa e olhar para dentro, não apenas para as paredes de sua casa; mas para seu interior, para o seu coração.

    Em dias de tempestade, de tempo ruim, de tempo fechado, somos, por instinto, impelidos a nos abrigarmos, até que a tempestade se esvaia, que se aliviem os ventos fortes, as trovoadas e seu potencial poder de destruição e de causar medo.

    Medo! Que o medo não tome conta do seu ser, que ele não seja mais forte que a sua vontade de viver e de gritar ao mundo o quanto você tem para oferecer, dar, servir… Estamos nesse mundo de passagem, uma breve estadia, e somos responsáveis por aquilo que realizamos ou deixamos de realizar.

    Nosso legado será deixado para as gerações futuras e depende de nós o que e como vamos deixar esse mundo após nossa breve estadia nessa Terra, que nos foi dada de graça; mas que não tem graça se não formos responsáveis com a vida de cada um nesta Terra.

    Que o tempo de recolhimento, tão necessário nesse tempo de pandemia da Covid-19, seja propício para experimentarmos o sentimento do quanto nós somos responsáveis, não apenas pela nossa própria vida, mas pela vida da pessoa que está ao nosso lado, da pessoa que não conhecemos; mas que merece nosso profundo respeito; enfim, pela vida de todas as pessoas, sem distinção.

    A vida é uma dádiva, é um presente. Ela é linda em todos os sentidos, em todos os tempos. Essa pandemia vai passar… Tenha absoluta certeza disso. Essa pandemia vai passar. Mas é preciso, agora, proteger a vida: a sua, a minha, a nossa… Por amor à vida, cuide-se. Por amor à vida, tenha zelo por você e pelas pessoas que vivem na mesma casa que a sua, e não me refiro, apenas, ao seu núcleo familiar, me refiro à casa comum: a Terra.

     Que o medo do recolhimento social e do futuro da economia não nos faça optarmos por escolhas que destituam à Vida. Que a saudade do que fomos, em tempos passados, não nos impeça de ver que o cenário futuro só depende das nossas escolhas certas. Que a certeza que Deus é mais forte que essa tempestade tão cheia de dor e de lágrimas te renove a esperança de sorrir, hoje, e quando essa tempestade passar…

    Meu caro leitor do Blog Verde, tenha a absoluta convicção de que você é precioso demais, não apenas para mim, mas para esta Terra que precisa demais de você sadio, feliz e cheio de vontade de servir à Vida e ao meio ambiente.

leia tudo sobre

Publicidade

Tempos de pandemia… para refletir sobre vida e meio ambiente

    O tempo está diferente… vocês perceberam mudança no tempo? De uns tempos para cá, está um tempo cinza, estranho… Tempo fechado, literalmente, fechado para as pessoas e para a vida social. Tempo de ficar em casa e olhar para dentro, não apenas para as paredes de sua casa; mas para seu interior, para o seu coração.

    Em dias de tempestade, de tempo ruim, de tempo fechado, somos, por instinto, impelidos a nos abrigarmos, até que a tempestade se esvaia, que se aliviem os ventos fortes, as trovoadas e seu potencial poder de destruição e de causar medo.

    Medo! Que o medo não tome conta do seu ser, que ele não seja mais forte que a sua vontade de viver e de gritar ao mundo o quanto você tem para oferecer, dar, servir… Estamos nesse mundo de passagem, uma breve estadia, e somos responsáveis por aquilo que realizamos ou deixamos de realizar.

    Nosso legado será deixado para as gerações futuras e depende de nós o que e como vamos deixar esse mundo após nossa breve estadia nessa Terra, que nos foi dada de graça; mas que não tem graça se não formos responsáveis com a vida de cada um nesta Terra.

    Que o tempo de recolhimento, tão necessário nesse tempo de pandemia da Covid-19, seja propício para experimentarmos o sentimento do quanto nós somos responsáveis, não apenas pela nossa própria vida, mas pela vida da pessoa que está ao nosso lado, da pessoa que não conhecemos; mas que merece nosso profundo respeito; enfim, pela vida de todas as pessoas, sem distinção.

    A vida é uma dádiva, é um presente. Ela é linda em todos os sentidos, em todos os tempos. Essa pandemia vai passar… Tenha absoluta certeza disso. Essa pandemia vai passar. Mas é preciso, agora, proteger a vida: a sua, a minha, a nossa… Por amor à vida, cuide-se. Por amor à vida, tenha zelo por você e pelas pessoas que vivem na mesma casa que a sua, e não me refiro, apenas, ao seu núcleo familiar, me refiro à casa comum: a Terra.

     Que o medo do recolhimento social e do futuro da economia não nos faça optarmos por escolhas que destituam à Vida. Que a saudade do que fomos, em tempos passados, não nos impeça de ver que o cenário futuro só depende das nossas escolhas certas. Que a certeza que Deus é mais forte que essa tempestade tão cheia de dor e de lágrimas te renove a esperança de sorrir, hoje, e quando essa tempestade passar…

    Meu caro leitor do Blog Verde, tenha a absoluta convicção de que você é precioso demais, não apenas para mim, mas para esta Terra que precisa demais de você sadio, feliz e cheio de vontade de servir à Vida e ao meio ambiente.