Educação Ambiental Archives - Blog Verde 
Publicidade

Blog Verde

por Nájila Cabral

Educação Ambiental

A solidariedade continua nos tempos de pandemia

Por Nájila Cabral em Educação Ambiental, Meio Ambiente

27 de junho de 2020

            A Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental, seção Ceará, continua com sua campanha de solidariedade e distribuição de cestas básicas para as associações de catadores de resíduos sólidos. Essa iniciativa conta com a parceria de um dos supermercados de Fortaleza, que tem auxiliado nesse processo.

Foto: Janete Cabral, junho/2020.

            Agora em junho foi feita entrega de 72 cestas básicas para as comunidades e associações Raio de Sol, Viva Vida, Ascabonja, Moura Brasil, Ucajir, Ascajan e Aceg da Guaíba.

            Grata a todos que colaboraram e continuam colaborando com essa corrente do bem.

Foto: Janete Cabral, junho/2020.

            A Coleta Solidária continua, não podemos acreditar que a pandemia terminou… Não acabou, infelizmente. O novo Coronavírus permanece presente e as medidas de prevenção e cautela são fundamentais para evitar a contaminação, o contágio e o adoecimento das pessoas.

            Sigamos firmes. Sei que a pandemia vai passar, mas enquanto não acontece, permaneçamos cumprindo uma das mais bonitas ações de ser humano: a solidariedade com todos.

      Essa ação da ABES/CE coaduna com a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e com o Objetivo do Desenvolvimento Sustentável (ODS), notadamente o ODS 2 e ODS 3, além de contar com a participação fundamental da sociedade civil e do setor privado, por meio de um dos supermercados de Fortaleza.

         Fotos gentilmente cedidas pela Janete Cabral. Gratidão.

Publicidade

Meio Ambiente e espiritualidade

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Educação Ambiental, Meio Ambiente

12 de junho de 2020

    

Fonte: CIEA-CE, 2020.

Encerrando a programação alusiva à comemoração da Semana de Meio Ambiente, com seminários e palestras virtuais, promovidas pela Comissão Interinstitucional de educação Ambiental (CIEA), hoje, 12 de junho, às 17:15 h haverá a live “Meio Ambiente e Espiritualidade”.   

Aos interessados em participar e interagir, podem clicar aqui. 

 

leia tudo sobre

Publicidade

Dia Mundial do Meio Ambiente – Educação Ambiental e desafios na pandemia

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Educação Ambiental, Meio Ambiente

04 de junho de 2020

    Amanhã, dia 05 de junho, o mundo celebra o Dia Mundial do Meio Ambiente. Anualmente, a Organização das Nações Unidas chama todos os cidadãos do mundo para debater sobre alguma temática que tem reflexo nas nossas vidas e no meio ambiente. Este ano o tema é Tempo para a Natureza.

     Em tempos de pandemia, essa temática é bem interessante, pois nos coloca como expectador de um cenário nunca antes vivenciado no mundo, em que as pessoas, por instinto de sobrevivência e por amor ao próximo, precisaram se isolar e se distanciar. Parece que demos um tempo para a Natureza… E quando esse tempo terminar e retornarmos nossas atividades, será tudo como antes? Ou seremos um pouco mais cuidadosos com nossa Casa comum?

    Amanhã tem seminário virtual para celebrar o Dia Mundial do Meio Ambiente, coordenado pela Secretaria de Meio Ambiente (SEMA) do Estado do Ceará com a temática “Educação Ambiental: desafios na pandemia e pós-pandemia”. O coordenador de Educação Ambiental e Articulação Social, Ulisses Rolim, comentou que o objetivo é “buscar alternativas para as questões ambientais no período de pós-isolamento social provocado pela quarentena, desenhando cenários e perspectivas futuras para o meio ambiente através da educação Ambiental”.

     Estarão no debate excelentes profissionais da área, a exemplo dos professores Marcos Sorrentino e Genebaldo Freire, convidados do Secretário Artur Bruno, da SEMA. Aos que participarem, receberão certificado digital.

    Então, convite feito: amanhã, dia 05 de junho, às 10 horas, Seminário Virtual “Educação Ambiental: desafios na pandemia e pós-pandemia”. Aos interessados em se inscrever e participar, cliquem aqui.

    O Seminário tem o apoio da Comissão Interinstitucional de Educação Ambiental (CIEA-CE), do qual o Instituto Federal do Ceará (IFCE) é membro, e do Grupo de Interesse Ambiental (GIA).

Fonte: SEMA, 2020.

Publicidade

Semana do meio ambiente em tempos de pandemia

         Junho chegou! Estamos na semana do meio ambiente. Dia 5 de junho é o Dia Mundial do Meio Ambiente. Este ano, 2020, o tema escolhido pela Organização é das Nações Unidas é “Tempo para a Natureza”.

 

    No dia dedicado ao meio ambiente importante refletirmos sobre nossas ações e seu reflexo no meio. Tudo o que consumimos vem da natureza, tudo o que descartamos vai para a natureza. É dela que tiramos nosso sustento, portanto nada mais justo do que termos uma relação harmoniosa com os recursos naturais que nos dão suporte à vida.

 

     No Ceará, teremos muitos eventos virtuais nesta semana de meio ambiente; virtuais pois ainda estamos em tempos de pandemia que exige distanciamento social, cuidados redobrados com higiene pessoal e de ambientes, atenção com o próximo, zelo pelo meio ambiente, prudência com os resíduos sólidos e líquidos.

 

 

    Aos interessados em participar da semana de meio ambiente, alguns eventos estão nos cards, dispostos neste post. O Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) também está com uma programação muito boa na semana de meio ambiente. Aos interessados, cliquem aqui. 

 

   No dia 05 de junho, haverá um Seminário Virtual com o tema “Educação Ambiental – desafios na pandemia e pós-pandemia”, com a participação do Prof. Marcos Sorrentino, do Educador Ambiental Genibaldo Freire, do Secretário de Meio Ambiente do Ceará, Prof. Artur Bruno e do Deputado Estadual Acrísio Sena.  A Secretaria de Meio Ambiente emitirá certificado digital para quem se inscrever e participar pelo site. Aos interessados, cliquem aqui. 

 

Recordando as palavras do Papa Francisco, no dia 22 de abril, em que celebramos o 50º Dia Mundial da Terra, ele nos aponta que este momento  “é uma oportunidade para renovar o nosso compromisso de amar a nossa casa comum e de cuidar dela e dos membros mais fracos da nossa família. Como a trágica pandemia do coronavírus nos demonstra, só unidos e cuidando dos mais frágeis podemos vencer os desafios globais”.

    Caros leitores do Blog Verde, estão todos convidados a participar dessa rica semana de debates, discussão, seminários e eventos virtuais, que podem nos proporcionar um direcionamento adequado para os tempos de pandemia e de pós-pandemia.

 

Publicidade

Em tempos de pandemia, coleta solidária

Por Nájila Cabral em Educação Ambiental, Meio Ambiente, Saúde Ambiental

20 de Maio de 2020

    A fome não escolhe tempo… Em todos os tempos, há pessoas que têm fome. O alimento é algo necessário para a manutenção da vida, portanto mais que um direito de todos os seres humanos, o alimento é sagrado e deve ser diário, para viabilizar a dignidade da vida humana.

     O combate à fome se constitui em um dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), especificamente o ODS 2 – Fome zero e agricultura sustentável, cuja meta é acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar, melhorar a nutrição e promover a agricultura sustentável.

    Em tempos de pandemia do novo Coronavírus em que, por medida de prevenção para proteção de nossas vidas somos, fortemente, chamados a nos recolhermos em nossas casas e a fecharmos as portas de muitos comércios para evitar aglomerações, o cenário da fome permanece e parece aumentar.

     São muitas as iniciativas individuais e coletivas para doar alimentos àqueles que têm fome. Uma dessas iniciativas com promoção da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES), seção Ceará, em parceria com um supermercado de Fortaleza, é a Coleta Solidária.

     A Coleta Solidária conseguiu arrecadar doações em dinheiro de muitas pessoas físicas e jurídicas, a quem somos imensamente gratos, que foram transformadas em cestas básicas doadas à Associação de Catadores. As fotos abaixo, gentilmente cedidas pelo prof. Gemmelle Santos e pela Janete Cabral, são dos dias da entrega das cestas básicas às associações ASCAJAN (Associação dos Catadores do Jangurussu) e SOCRELP (Sociedade Comunitária de Reciclagem de Lixo do bairro do Pirambu).

Foto: Gemmelle Santos, em 15/05/2020

Foto: Janete Cabral, em 18/05/2020.

    

 

 

 

 

    Toda prestação de contas está sendo feita pelos representantes das Associações à ABES-CE. Cada família recebe uma cesta básica. Não é muito… Mas permite atender à necessidade mais urgente, neste momento de tanta dor, que é matar a fome dos que mais precisam.

     A Coleta Solidária permanecerá. Se você se sentir tocado, por gentileza, faça sua doação. Que seu coração se encha de alegria neste ato de amor ao próximo, que sua generosidade seja multiplicada em cem vezes retornando à você em forma de saúde e longa vida para que você seja testemunha, no cenário futuro, de que juntos vencemos essa pandemia, mantendo a dignidade da vida humana.

     Caro leitor do Blog Verde, muito obrigada, por fazer parte dessa corrente do bem.

Publicidade

Dia das mães: amor incondicional

Por Nájila Cabral em Educação Ambiental, Meio Ambiente

10 de Maio de 2020

     Mãe é amor, é cuidado, é carinho. Mãe é doação. Mãe se transforma a cada dia para atender ao chamado do filho, que pede por colo.

    A você, que é mãe, tia, irmã, filha, que cuida dos seus entes queridos, com carinho. Feliz Dias das Mães.

     Nesses tempos de pandemia do novo Coronavírus em que estar em casa parece ser a medida mais confiável para não haver transmissão e contágio, em que tantas pessoas estão sem ter o seu pão de cada dia na mesa, se seu coração for tocado e você quiser doar, a Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES), seção Ceará, está em parceria com um supermercado de Fortaleza, arrecadando doações.

Fonte: ABES-CE

    Parabéns a todas as mães!

Publicidade

Educação Ambiental e Covid-19: necessidade de mudança de hábitos

Por Nájila Cabral em Educação Ambiental, Impacto Ambiental, Meio Ambiente, Saúde Ambiental

09 de Maio de 2020

     Nesse tempo de pandemia da doença Covid-19 é preciso rever hábitos e costumes. A atual realidade nos faz refletir sobre o nosso comportamento diário e nossas relações interpessoais e com o meio ambiente.

     É a partir da Educação Ambiental que os “indivíduos têm a possibilidade de compreender a realidade e refletir criticamente sobre ela na perspectiva da superação dos problemas ambientais e tornam-se cientes dos direito e deveres de cada ser humano crítico e cidadão” (Teixeira et al., 2017).

    Assim, a Educação Ambiental se apresenta como um mecanismo importante de transformação de atitudes em tempos de pandemia da Covid-19, na medida em que para a proteção dos seres humanos e para a minimização da disseminação da doença são impostas uma série de medidas de segurança e de higiene.

     A vida é um direito. A proteção da vida é um dever de cada cidadão e, também, do poder público. O cenário que nos foi introduzido com o novo Coronavírus (SARS-CoV-2) induz a que tenhamos diferentes comportamentos do que, habitualmente, estávamos acostumados.

     Dentre esses novos hábitos que precisamos ter, não apenas neste momento crucial da pandemia em que o Brasil atravessa, talvez, o pior momento de pico da doença Covid-19, mas que devemos continuar para a diminuição do risco de contaminação, estão:

– maior distanciamento entre as pessoas (pelo menos 2 metros de distância);

– higienizar, frequentemente, as mãos com água e sabão ou com álcool em gel (70%);

– manter ambientes limpos e ventilados;

– adotar comportamento amigável, sem contato físico;

– usar máscaras faciais, individuais, sempre que sair de sua residência;

– evitar tocar o rosto, a boca, os olhos e o nariz com as mãos não lavadas.

     O desafio diário neste tempo de pandemia é tentar mantermos a saúde, a nossa e a dos nossos semelhantes: saúde física, mental, emocional e espiritual. Estabelecer o equilíbrio entre essas 4 dimensões não é uma tarefa fácil, pois exige reestruturação dos nossos arranjos pessoais, para encontrarmos forças suficientes para desempenhar esse papel, consciente e cidadão, nessa jornada atual e futura.

Referências

TEIXEIRA, N. F. F.; MOURA, P. E. F.; MEIRELES, A. J. A.; SILVA, E. V. Educação Ambiental na perspectiva da reutilização de resíduos sólidos: práticas do Projeto Sala Verde Água Viva. In: MATOS, F. O.; VASCONCELOS, F. H. L.; RIBEIRO, G. O.; SILVA, T.E. V. (orgs.). Educação Ambiental: da teoria à prática. Recife: Editora Imprima, 2017, pp. 208-219.

Publicidade

Descarte de máscaras pela sociedade e a Covid-19

Por Nájila Cabral em Educação Ambiental, Impacto Ambiental, Meio Ambiente, Saúde Ambiental

29 de Abril de 2020

      Nem nos meus piores pesadelos, imaginei passarmos por uma situação de pandemia como a que estamos vivenciando, atualmente, no mundo inteiro. Os dados da Johns Hopkins University (2020) para hoje, 29 de abril de 2020, são estes: 3.187.030 casos confirmados da doença e 227.177 mortes por Covid-19, em 185 países (ver figura abaixo).

Fonte: Johns Hopkins University, 2020.

    O Brasil aparece nesse quadro com 78.162 casos confirmados e 5.466 mortos. O Ceará, hoje, tem 7.409 casos confirmados e 450 mortes, segundo dados da Secretaria de Saúde do Estado do Ceará (ver figura abaixo); o que nos leva a refletir sobre os caminhos que precisamos seguir para evitarmos mais contaminação e disseminação do novo Coronavírus (SARS-CoV-2).

Fonte: Secretaria da Saúde do Ceará, 2020.

     Em outras oportunidades, falamos um pouco sobre ausência ou a ineficiência do saneamento e a potencial contaminação do novo Coronavírus em esgotoem estação de tratamento de esgoto; nos resíduos sólidose na água para abastecimento.

     Importante frisar as medidas preventivas e que, segundo as autoridades sanitárias, são as ações que podem minimizar o risco de contaminação, a exemplo do distanciamento entre pessoas de, no mínimo, 2 metros; evitar contato direto, dentre outras (MS,2020).

     No Estado do Ceará, o Decreto Estadual no 33.544, de 19 de abril de 2020, prorrogou as medidas necessárias ao enfrentamento da pandemia da Covid-19 em âmbito estadual (CEARÁ, 2020). Dentro do escopo das medidas estão: prorrogação das vedações e demais disposições do Decreto Estadual no 33.519, de 19 de março de 2020, e alterações posteriores; evitar a aglomeração de pessoas e manter o distanciamento mínimo do público; uso obrigatório por todos os trabalhadores de máscaras de proteção, individuais ou caseiras. Além disso, o Decreto Estadual recomenda, fortemente, o uso de máscaras de proteção, industriais ou caseiras, por quem, durante a pandemia, precisar sair de suas residências, principalmente quando estiverem em espaço e locais públicos (Ar. 2o, CEARÁ, 2020).

     Vem, então, uma preocupação com o descarte dessas máscaras, pois representam alto risco potencial de contaminação, notadamente para os catadores de materiais recicláveis e para os trabalhadores da limpeza urbana, considerando que um dos veículos de contaminação são as gotículas de saliva (MS, 2020).

     A Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES), em seu documento “Recomendações para a gestão de resíduos em situação de pandemia por Coronavírus (Covid-19)”, informa que é de responsabilidade dos cidadãos acondicionar esse tipo de material, potencialmente contaminado, em sacos duplos: colocar as máscaras e outros materiais contaminados (como luvas, papéis sanitários, etc) em sacos de lixo resistentes e descartáveis, fechados com nó quando o saco tiver 2/3 de sua capacidade e colocá-lo dentro de outro saco, para, então, dispor no coletor, no horário da coleta regular (ABES, 2020).

     Nunca descartar diretamente em via pública ou em lixeiras. Não dispor entre os materiais recicláveis, pois ambas as situações incorrem em potencial risco de contaminação aos trabalhadores da limpeza urbana e aos catadores de materiais recicláveis.

     A Secretaria de Meio Ambiente do Estado do Ceará faz, também, esse apelo pelo Facebook: “Preserve a vida dos catadores de recicláveis! Não descarte luvas e máscaras e outros EPIs diretamente nas vias públicas ou lixeiras sem proteção. Coloque num saco plástico bem fechado, no lixo comum. Nunca no lixo reciclável!” Aos interessados em acessar a mensagem da Secretaria de Meio Ambiente, cliquem aqui

     Se cada um fizer a sua parte, respeitando as condições e recomendações de higiene e segurança, diminuiremos o risco de disseminação e contaminação da Covid-19, bem como estaremos contribuindo para o respeito à vida e ao meio ambiente.

Referências:

ABES – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental. Recomendações para Gestão de Resíduos em situação de pandemia por Coronavírus (COVID-19). Rio de Janeiro, 2020.

CEARÁ. Decreto Estadual no 33.544, de 19 de abril de 2020. Prorroga, em âmbito estadual, as medidas necessárias ao enfrentamento da pandemia da Covid-19, e dá outras providências. Fortaleza: DOE, 19 abr 2020.

MS – Ministério da Saúde. Boletim Epidemiológico COE- COVID-19. N. 5. COE. Brasília: Ministério da Saúde/ Secretaria de Vigilância da Saúde, 2020b.

 

Publicidade

Tecnologias e inovações para o desenvolvimento sustentável

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Educação Ambiental, Meio Ambiente

20 de outubro de 2019

     No período de 21 a 24 de outubro de 2019, acontece o IV Encontro do Programa de Pós-graduação em Tecnologia e. Gestão Ambiental, no Instituto Federal do Ceará, Campus Fortaleza.

     Nesta 4ª edição o tema é Tecnologias e inovações para o desenvolvimento sustentável. Serão oferecidos minicursos na temática do evento, bem como haverá palestras e apresentação de trabalhos de pesquisa e inovação.

   

A programação completa está nos quadros, a seguir.

Para saber mais, cliquem aqui. Convite feito! Encontramo-nos no evento.

Fonte: PGTGA, 2019.

 

Publicidade

Escolas sustentáveis: uma utopia?

Por Nájila Cabral em Educação Ambiental, Meio Ambiente

02 de outubro de 2019

Escolas são espaços interessantes onde se tem um ambiente propício para o aprendizado, para a formação humana e para a vida em sociedade e no trabalho. Somos seres em constante evolução e aprender faz parte da natureza humana.

Escolas sustentáveis são espaços educadores sustentáveis, conforme preconiza o Decreto Federal no 7.083/2010, com contínua e permanente busca da readequação da gestão (cidadã e compartilhada), dos espaços físicos (sustentáveis) e dos currículos (considerando as especificidades dos diferentes níveis e modalidades de ensino) oferecidos nas escolas.

Transformar um espaço educador em um espaço sustentável demanda decisão por parte da comunidade escolar (alunos, mestres e pais) e do grupo gestor.

Estar numa escola sustentável é poder vivenciar e pôr em prática os princípios da sustentabilidade, a exemplo de estudar em edificações de baixo impacto, acessíveis a todos, que respeitem a as condições ambientais e o patrimônio cultural. Em uma escola sustentável o currículo incorpora saberes tradicionais e científico, de abordagem inter e transdisciplinar e que atenda a todas as regulamentações. A escola sustentável tem gestão compartilhada com a participação efetiva da comunidade escolar, uma gestão em que há o respeito à diversidade, às diferenças; uma gestão que aplique as técnicas necessárias a minimizar o desperdício de insumos e a geração de resíduos, dentre outros aspectos.

As escolas sustentáveis são uma utopia? Não, creio que não, pois depende de cada um de nós. Cada um fazendo a sua parte, dentro do seu espaço, contribuindo para as discussões e soluções aos problemas que aparecem, auxiliando na construção de um projeto político pedagógico que atenda aos princípios de sustentabilidade…. Estaremos no rumo do alcance de escolas e universidades sustentáveis.

O poder público deve, também, fazer a sua parte. O Estado do Ceará lançou em 2017, de forma pioneira e inovadora, uma certificação denominada Selo Escola Sustentável, por meio do trabalho conjunto da Secretaria Estadual de Educação (SEDUC) e da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (SEMA). A Lei Estadual no 16. 290, de 21 de julho de 2017, dispõe sobre a criação do Selo Escola Sustentável e concede o Prêmio Escola Sustentável.

Aos interessados em ler na íntegra a legislação estadual do Selo Escola Sustentável, cliquem aqui. 

Publicidade

Escolas sustentáveis: uma utopia?

Por Nájila Cabral em Educação Ambiental, Meio Ambiente

02 de outubro de 2019

Escolas são espaços interessantes onde se tem um ambiente propício para o aprendizado, para a formação humana e para a vida em sociedade e no trabalho. Somos seres em constante evolução e aprender faz parte da natureza humana.

Escolas sustentáveis são espaços educadores sustentáveis, conforme preconiza o Decreto Federal no 7.083/2010, com contínua e permanente busca da readequação da gestão (cidadã e compartilhada), dos espaços físicos (sustentáveis) e dos currículos (considerando as especificidades dos diferentes níveis e modalidades de ensino) oferecidos nas escolas.

Transformar um espaço educador em um espaço sustentável demanda decisão por parte da comunidade escolar (alunos, mestres e pais) e do grupo gestor.

Estar numa escola sustentável é poder vivenciar e pôr em prática os princípios da sustentabilidade, a exemplo de estudar em edificações de baixo impacto, acessíveis a todos, que respeitem a as condições ambientais e o patrimônio cultural. Em uma escola sustentável o currículo incorpora saberes tradicionais e científico, de abordagem inter e transdisciplinar e que atenda a todas as regulamentações. A escola sustentável tem gestão compartilhada com a participação efetiva da comunidade escolar, uma gestão em que há o respeito à diversidade, às diferenças; uma gestão que aplique as técnicas necessárias a minimizar o desperdício de insumos e a geração de resíduos, dentre outros aspectos.

As escolas sustentáveis são uma utopia? Não, creio que não, pois depende de cada um de nós. Cada um fazendo a sua parte, dentro do seu espaço, contribuindo para as discussões e soluções aos problemas que aparecem, auxiliando na construção de um projeto político pedagógico que atenda aos princípios de sustentabilidade…. Estaremos no rumo do alcance de escolas e universidades sustentáveis.

O poder público deve, também, fazer a sua parte. O Estado do Ceará lançou em 2017, de forma pioneira e inovadora, uma certificação denominada Selo Escola Sustentável, por meio do trabalho conjunto da Secretaria Estadual de Educação (SEDUC) e da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (SEMA). A Lei Estadual no 16. 290, de 21 de julho de 2017, dispõe sobre a criação do Selo Escola Sustentável e concede o Prêmio Escola Sustentável.

Aos interessados em ler na íntegra a legislação estadual do Selo Escola Sustentável, cliquem aqui.