Cupula do Clima 2014 Archives - Blog Verde 
Publicidade

Blog Verde

por Nájila Cabral

Cupula do Clima 2014

Cúpula do Clima 2014 – Declaração de Nova York sobre Florestas

     Prezados leitores do Blog Verde, a Cúpula do Clima que aconteceu ontem em Nova York trouxe resultados positivos para as florestas no mundo.

    Mas é importante informar a sociedade civil do que se trata mencionado evento, seu objetivo e o seu resultado final, considerando o impacto em todo o mundo. O objetivo do evento era mobilizar a vontade política para um acordo legal ambicioso através do processo da UNFCCC (Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Combate as Mudanças Climáticas), acordo este que deverá ser “fechado” em 2015. A Cúpula do Clima 2014, portanto, tinha como meta o diálogo.

     Divulgamos, aqui no Blog Verde, a Cúpula do Clima 2014, seus objetivos e suas intenções, que transcrevo a seguir.

    “Mesmo a Cúpula do Clima 2014 não sendo parte do processo de negociação, os países têm reconhecido o valor desta Cúpula, inclusive acolhendo os esforços do Secretário-Geral, em Doha em 2012. A ideia é construir uma base sólida sobre a qual se deve ancorar o sucesso das negociações e do progresso sustentado, em direção: (1) à redução das emissões e (2) ao fortalecimento das estratégias de adaptação às mudanças climáticas.”

     “A Cúpula deve, então, servir como uma plataforma pública para que os líderes do mais alto nível (todos os Estados-Membros da ONU, bem como os representantes dos setores: finanças, negócios, sociedade civil e líderes locais, em âmbitos público e privado) para:

Catalisar ação ambiciosa no sentido reduzir as emissões;

– Mobilizar a vontade política para um acordo legal global ambicioso em 2015, que limite o mundo a um aumento menor que 2º C na temperatura global”.

       Portanto, o evento cumpriu sua missão: serviu de plataforma de diálogo para mobilizar representantes de diversos setores. Do evento, temos como resultado principal a Declaração de Nova York sobre Florestas, em que no seu primeiro parágrafo está claro: “A Declaração de Nova Iorque sobre Florestas é uma declaração política não juridicamente vinculativa que nasceu a partir de um diálogo entre governos, empresas e sociedade civil, Primeiramente, os líderes mundiais endossam o horizonte temporal global para diminuir a perda das florestas pela metade em 2020 e se esforçam para acabar em 2030”.

     Foi determinada, ainda, a Agenda de Ação voluntária que serve como um guia para governos, companhias e sociedade civil em relação ao conjunto de ações para o alcance das metas. A Agenda de Ação não tem intenção de ser exaustiva.

    O texto da Declaração de Nova York sobre Florestas traz importantes compromissos voluntários. Endossam mencionado documento:

New_York_Declaration_on_Forests

– vinte e sete países, dentre estes os Estados Unidos, o Reino Unido, o Japão (reconhecidamente países que tem uma “dívida” ambiental significativa com relação às emissões de gases de efeito estufa);

– oito governos estaduais, dentre estes os estados brasileiros do Acre e Amazonas e outros estados do Peru;

– trinta e quatro empresas, dentre as quais: McDonalds, Procter and Gamble, Danone, L’Oreal, Nestle, Johnson & Johnson;

– dezesseis povos indígenas, dentre os quais: Coordenadoria das Organizações Indígenas da Bacia Amazônica; e

– quarenta e cinco organizações não governamentais, como a The Nature Conservancy, IPAM – Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia, International Union for Conservation of Nature (IUCN) e WWF.

    Aos que tiverem interesse em ler o documento na íntegra e saber o que realmente foi discutido, decidido e acordado, cliquem aqui.

Fonte: Climate Change Summit, 2014.

Publicidade

Cúpula do Clima 2014 – Nova York

Abertura_Climite_Summit_2014      Hoje aconteceu em nova York, a Cúpula do Clima 2014. Na abertura a poeta Kathy Jetnil-Kijiner (foto de abertura/ONU) falou em nome da sociedade civil durante a cerimônia no Headquarters da ONU. Kathy tem 26 anos e é professora e co-fundadora de uma ONG ambiental. Escolhida entre centenas de pessoas para falar na cerimônia de abertura, recitou sua poesia que se concentra, principalmente, na conscientização em torno dos problemas e ameaças enfrentadas por seu povo.

    As mudanças climáticas são reais, estão acontecendo agora e terão consequências também muito reais na vida das pessoas. A mudança climática está afetando as economias nacionais.

     O Secretário Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon se mostrou otimista pois acredita haver crescente reconhecimento de que soluções acessíveis estão disponíveis agora, “o que vai permitir-nos ultrapassar as economias  de maneira mais limpa, mais resistente”.

        Acrescentou Ban-Ki-Moon durante seu discurso na cerimônia de abertura: “Está começando uma nova era de cooperação. Mais ambição e novas sinergias entre todos vocês são necessários para empurrar a economia mundial na direção certa. O financiamento do clima requer uma parceria global multifacetada e revitalizada que irá apoiar um acordo significativo universal em Paris no próximo ano. Eu convidei todos vocês aqui para fazer esta nova parceria uma realidade. Eu conto com sua liderança na realização de uma nova visão das mudanças climáticas e da implementação de compromissos, hoje”.

Fonte: ONU

Publicidade

Clima e Saúde

    Em tempos de mudanças climáticas e considerando os condicionantes ambientais aos quais nós, seres humanos, estamos diariamente expostos, é importante ficarmos alertas para saber como o clima afeta a nossa saúde.

     No período de 27 a 29 de agosto último, em Genebra, na Suíca, houve a Conferência das Nações Unidas sobre Saúde e Clima, que contou com mais de 360 participantes, incluindo ministros da saúde e do meio ambiente dos Estados membros da OMS, altos funcionários, técnicos especialistas, agências da ONU, ONGs, executivos-chefes das autoridades de saúde e entidades do setor privado.

    Conforme o Boletim da OMS, o evento discutiu: o estado da ciência do clima, particularmente no que se refere à saúde; a resposta de saúde pública às alterações climáticas; a resiliência da saúde; benefícios para a saúde e promoção da saúde, considerando a necessária mitigação das mudanças climáticas; e a economia da saúde e as alterações climáticas. Ao longo da conferência, os participantes discutiram o clima, o desenvolvimento sustentável e políticas de saúde.

     A reunião produziu um resumo que reconhece tanto a necessidade de reforçar a resiliência da saúde às alterações climáticas e a oportunidade de obter ganhos em saúde pública através de medidas de mitigação bem planejadas. O documento também reconhece lacunas nas políticas e quais devem ser os próximos passos.

     Um documento final, a ser produzido pelo Secretariado da OMS, é esperado para entregar as conclusões que devem ser usados na Cúpula do Clima de 2014 que acontece em Nova York em setembro (dia 23). As conclusões também se destinam a servir como pauta inicial de discussão para a 21ª sessão da Conferência das Partes da Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC COP 21), para as discussões pós-2015 da agenda de desenvolvimento, e ainda para o segundo Quadro de Ação de Hyogo em Desastres Redução do Risco em 2015.

     Aos interessados em saber mais sobre a Cúpula do Clima, já divulgada no Blog Verde, cliquem aqui.

Fonte: OMS.

Publicidade

Cúpula do Clima 2014

  Aproxima-se o evento Cúpula do Clima 2014, que deve acontecer em Nova York, na sede da ONU, em 23 de setembro.

   Conforme o Secretário Geral da ONU, Ban Ki-moon, este é um momento ímpar para que líderes mundiais possam trazer à discussão suas ações de redução de emissões de gases de efeito estufa, no sentido de mobilizar a vontade política para um acordo legal significativo em 2015.

  Importante ressaltar que as mudanças climáticas não são um problema distante. Está acontecendo agora e com consequências muito reais na vida das pessoas.   A ONU alerta que  a mudança climática está afetando as economias nacionais e internacionais.

Fonte: Nações Unidas

Publicidade

Cúpula do Clima 2014

  Aproxima-se o evento Cúpula do Clima 2014, que deve acontecer em Nova York, na sede da ONU, em 23 de setembro.

   Conforme o Secretário Geral da ONU, Ban Ki-moon, este é um momento ímpar para que líderes mundiais possam trazer à discussão suas ações de redução de emissões de gases de efeito estufa, no sentido de mobilizar a vontade política para um acordo legal significativo em 2015.

  Importante ressaltar que as mudanças climáticas não são um problema distante. Está acontecendo agora e com consequências muito reais na vida das pessoas.   A ONU alerta que  a mudança climática está afetando as economias nacionais e internacionais.

Fonte: Nações Unidas