Warning: Use of undefined constant S3_URL - assumed 'S3_URL' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/tribu/public_html/blogs/wp-content/themes/2016_tribuna_blogs/functions.php on line 11
qualidade de vida Archives - Blog Verde 
Publicidade

Blog Verde

por Nájila Cabral

qualidade de vida

Horta em casa ou apartamento: uma boa ideia

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Meio Ambiente

20 de julho de 2020

     É possível ter horta em casa ou apartamento, em espaços reduzidos, no intuito de cultivar ervas e temperos, que podem dar beleza ao ambiente, além de promover a alimentação do dia a dia.

     A jornalista Jordanna, em entrevista com jardinista Fabrício colheu as seguintes dicas para hortas: plantar manjericão, por ocupar pouco espaço e de fácil manutenção, adaptando-se em vasos. O manjericão roxo e o manjericão branco também.

     Ainda tem-se a pimenta, que também adapta-se em vasos, a exemplo da dedo de moça e a malagueta, bem como a hortelã. Esta deve ser separada das outras plantas por seu aroma forte e a velocidade que sua raiz se espalha, podendo prejudicar o crescimento de outras plantas.

    Seguem algumas dicas para adaptar em ambientes internos:

Foto: Esdras Guimarães, 2020.

1) Palete de madeira com vários vasinhos de plantas pode conferir um ar diferente à casa, deixando o ambiente mais bonito e agradável, com horta simples, barata e criativa.

2) Latinhas reaproveitadas de leite coladas com imã na geladeira, configurando uma hortinha para pregar na lateral da geladeira.

3) Vasos em sapateira de armário, reconfigurando um móvel usado. É só escolher um local estratégico da casa.

4) Vasos coloridos na varanda pendurados na varanda, pode dar um charme especial ao espaço.

5) Potes de vidros com hortaliças apoiados em bandeja vintage, garantem uma reutilização dos materiais e permitem viabilizar a horta.

     É importante lembrar que é preciso cuidar bem para que as hortaliças se desenvolvam adequadamente para que se mantenha sempre viva. O Jardinista explica que, em geral, “as hortaliças precisam de muita luz natural. Por isso, é importante escolher um local perto da janela, por exemplo, para montar a sua horta. As folhas amareladas e secas enfraquecem a planta, então, é importante tirar sempre. Nunca arranque os galhos com as mãos. Utilize sempre tesouras. Algo muito importante: jamais encharque a terra, pois a rega descontrolada causa fungos”.

Publicidade

Isolamento e o suave reencontro com a natureza

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Meio Ambiente

28 de junho de 2020

            Em tempos de pandemia, o distanciamento social tem sido um dos aliados importantes na prevenção do contágio e da contaminação pelo novo Coronavírus. Afastar-se dos demais, para algumas pessoas, não tem sido um exercício fácil.

            Para outras pessoas o isolamento se constituiu em uma profunda necessidade de cura, pelo acometimento da doença Covid-19, e representou um renascimento, por vencer, um dia de cada vez, a batalha contra o vírus SARS-CoV-2.

Foto: Arquivo pessoal, junho/2020.

            O isolamento permitiu, para alguns, no silêncio de sua solitude a redescoberta da natureza e o aprofundamento da necessária aproximação com aquele que é o Autor da vida: Deus.

Foto: Arquivo pessoal, junho/2020.

            Isolamento como tempo de se reconhecer pequeno diante da imensidão da natureza, de suas formas, suas cores, suas criaturas. Isolamento como tempo de se consentir dedicar um pouco de tempo para contemplar o céu e ver o que há no físico e no abstrato do seu significado. Isolamento como o tempo de se acreditar que, independente de nossa vontade, o sol vai surgir a cada dia, mesmo que escondido entre nuvens. Por mais espessas que sejam as nuvens, e que nossos olhos estejam tão molhados que se assemelham a elas, o isolamento admite o reconhecimento da perpetuidade do brilho do sol.

Foto: Arquivo pessoal, junho/2020.

            Gratidão ao Autor da Vida por conceder, de graça, a natureza com todas as suas matizes; por consentir passar pela solidão da doença na companhia de tantas doces e belas criaturas; por assentir nossa permanência nessa Terra em conjunto com todas as criaturas sem nos tirar a alegria e a esperança.

            Essa pandemia, um dia, vai passar. Que possamos ficar atentos e respeitarmos a natureza em todos os tempos. Assim como nos ensinou o próprio Cristo e em consonância com as palavras do Papa Francisco em sua Encíclica, de 2015, Laudato Si, que dizia “o Senhor podia convidar os outros a estar atentos à beleza que existe no mundo, porque Ele próprio vivia em contato permanente com a natureza e prestava-lhe uma atenção cheia de carinho e admiração” (p.76).

 

 

Publicidade

A solidariedade continua nos tempos de pandemia

Por Nájila Cabral em Educação Ambiental, Meio Ambiente

27 de junho de 2020

            A Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental, seção Ceará, continua com sua campanha de solidariedade e distribuição de cestas básicas para as associações de catadores de resíduos sólidos. Essa iniciativa conta com a parceria de um dos supermercados de Fortaleza, que tem auxiliado nesse processo.

Foto: Janete Cabral, junho/2020.

            Agora em junho foi feita entrega de 72 cestas básicas para as comunidades e associações Raio de Sol, Viva Vida, Ascabonja, Moura Brasil, Ucajir, Ascajan e Aceg da Guaíba.

            Grata a todos que colaboraram e continuam colaborando com essa corrente do bem.

Foto: Janete Cabral, junho/2020.

            A Coleta Solidária continua, não podemos acreditar que a pandemia terminou… Não acabou, infelizmente. O novo Coronavírus permanece presente e as medidas de prevenção e cautela são fundamentais para evitar a contaminação, o contágio e o adoecimento das pessoas.

            Sigamos firmes. Sei que a pandemia vai passar, mas enquanto não acontece, permaneçamos cumprindo uma das mais bonitas ações de ser humano: a solidariedade com todos.

      Essa ação da ABES/CE coaduna com a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e com o Objetivo do Desenvolvimento Sustentável (ODS), notadamente o ODS 2 e ODS 3, além de contar com a participação fundamental da sociedade civil e do setor privado, por meio de um dos supermercados de Fortaleza.

         Fotos gentilmente cedidas pela Janete Cabral. Gratidão.

Publicidade

Vida após a pandemia

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Impacto Ambiental, Saúde Ambiental

31 de Maio de 2020

     É preciso nos prepararmos para o depois. Quando tudo isso passar, o medo e a dor provocados pela doença do novo Coronavírus vão se dissipar como plumas ao vento.

     Eu sei… a saudade dos que partiram cedo demais ficará presente em nossa lembrança. Estarão vivos em nossa memória todos os momentos felizes que compartilhamos com aqueles que partiram cedo demais.

     Usando as palavras do Papa Francisco, no dia 27 de março de 2020, “o Senhor interpela-nos e, no meio da nossa tempestade, convida-nos a despertar e ativar a solidariedade e a esperança, capazes de dar solidez, apoio e significado a estas horas em que tudo parece naufragar”.

     Quando tudo isso passar e pudermos abrir as portas físicas de nossas casas, que seja para espalharmos solidariedade para com aqueles que precisam, não apenas do calor humano, mas de alimento e água.

     Em uma carta escrita pelo Papa Francisco à revista Vida Nueva, em 17 de abril de 2020, ele comenta “se pudemos aprender algo em todo este tempo, é que ninguém se salva sozinho. As fronteiras caem, as paredes desabam e todos os discursos fundamentalistas se dissolvem perante uma presença quase imperceptível, que manifesta a fragilidade de que somos feitos”.

     Que nosso coração seja manso e humilde, na vida após a pandemia, para entendermos que somos todos iguais independentemente de cor, credo, condições sociais e econômicas, pois a linha que, equivocadamente, imaginamos nos separar é tão tênue e pequenina quanto a de um vírus cruel e invisível.

      Ainda parafraseando o Papa Francisco em sua carta do dia 17 de abril de 2020 ele comenta “compreendemos a importância de unir toda a família humana na busca de um desenvolvimento sustentável e integral. Cada ação individual não é um ato isolado, para o bem ou para o mal. Tem consequências para os outros, pois na nossa Casa Comum tudo está interligado”.

     Que a força que há dentro de cada um de nós seja estimulada a promover o bem, sem olhar a quem, pois devemos ter um compromisso saudável e harmonioso com todos os seres vivos do Planeta, na vida após a pandemia.

Publicidade

Dia das mães: amor incondicional

Por Nájila Cabral em Educação Ambiental, Meio Ambiente

10 de Maio de 2020

     Mãe é amor, é cuidado, é carinho. Mãe é doação. Mãe se transforma a cada dia para atender ao chamado do filho, que pede por colo.

    A você, que é mãe, tia, irmã, filha, que cuida dos seus entes queridos, com carinho. Feliz Dias das Mães.

     Nesses tempos de pandemia do novo Coronavírus em que estar em casa parece ser a medida mais confiável para não haver transmissão e contágio, em que tantas pessoas estão sem ter o seu pão de cada dia na mesa, se seu coração for tocado e você quiser doar, a Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES), seção Ceará, está em parceria com um supermercado de Fortaleza, arrecadando doações.

Fonte: ABES-CE

    Parabéns a todas as mães!

Publicidade

Meio ambiente em tempos de pandemia

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Impacto Ambiental, Meio Ambiente

27 de Março de 2020

     O momento atual nos faz refletir sobre quem somos e onde estamos. Permite que compreendamos que nossas ações têm efeitos que alcançam tudo que nos cerca. Para toda consequência, houve uma causa.

    A natureza, nossa casa comum, hoje sofre em virtude de um vírus que avança, impiedosamente, sobre todos os espaços geográficos do Planeta. Um ser vivo que não conhece limites nem barreiras nacionais ou internacionais, que, sem nos pedir licença, está nos tirando, muitas vezes, até a paz de espírito.

Quadro Atual de Contaminação, em 27 de março de 2020.
Fonte: Johns Hopkins University, 2020.

     Ambientes insalubres são locais bem propícios à propagação e à disseminação de muitas doenças causadas por vírus e bactérias. A ausência, ou a ineficiência, do saneamento é um fator que amplia o risco. A qualidade de vida da população está intrinsicamente correlacionada à qualidade ambiental.

     Recordo que em 2015, o Papa Francisco publicou a Carta Encíclica Laudato Si, sobre o cuidado da casa comum, que não se trata de uma encíclica feita para católicos, apenas, mas para toda a humanidade, todas as religiões e todas as pessoas, mesmo as não-crentes.

     Nesta Encíclica, de maneira muito lúcida as palavras são: “contemplando o mundo, damo-nos conta de que este nível de intervenção humana, muitas vezes ao serviço da finança e do consumismo, faz com que esta terra onde vivemos se torne realmente menos rica e bela, cada vez mais limitada e cinzenta, enquanto ao mesmo tempo o desenvolvimento da tecnologia e das ofertas de consumo continua a avançar sem limites. Assim, parece que nos iludimos de poder substituir uma beleza insuprível e irrecuperável por outra criada por nós” (p. 29). “Nunca maltratamos e ferimos a nossa casa comum como nos últimos dois séculos” (p.43). “Não estamos a falar duma atitude opcional, mas duma questão essencial de justiça, pois a terra que recebemos pertence também àqueles que hão de vir” (p.122). “Que tipo de mundo queremos deixar a quem vai suceder-nos, às crianças que estão a crescer?” (p.123)

    Nestes tempos de pandemia em que, cumprindo nosso sentimento humano de preservação de nossas vidas contra o inimigo invisível e poderoso, estamos reclusos em casa, que possamos parar e pensar sobre nossas ações sobre o meio ambiente, no passado, e o que esperarmos para o cenário futuro, quando essa situação se acalmar e passar.

Publicidade

Horta em casa ou apartamento: uma boa ideia

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Meio Ambiente

22 de Fevereiro de 2020

É possível ter horta em casa ou apartamento, em espaços reduzidos, no intuito de cultivar ervas e temperos, que podem dar beleza ao ambiente, além de promover a alimentação do dia a dia.

     A jornalista Jordanna, em entrevista com jardinista Fabrício colheu as seguintes dicas para hortas: plantar manjericão, por ocupar pouco espaço e de fácil manutenção, adaptando-se em vasos. O manjericão roxo e o manjericão branco também.

     Ainda tem-se a pimenta, que também adapta-se em vasos, a exemplo da dedo de moça e a malagueta, bem como a hortelã. Esta deve ser separada das outras plantas por seu aroma forte e a velocidade que sua raiz se espalha, podendo prejudicar o crescimento de outras plantas.

    Seguem algumas dicas para adaptar em ambientes internos:

Foto: Esdras Guimarães, 2020.

1) Palete de madeira com vários vasinhos de plantas pode conferir um ar diferente à casa, deixando o ambiente mais bonito e agradável, com horta simples, barata e criativa.

2) Latinhas reaproveitadas de leite coladas com imã na geladeira, configurando uma hortinha para pregar na lateral da geladeira.

3) Vasos em sapateira de armário, reconfigurando um móvel usado. É só escolher um local estratégico da casa.

4) Vasos coloridos, pendurados na varanda, podem dar um charme especial ao espaço.

5) Potes de vidros com hortaliças, apoiados em bandeja vintage, garantem uma reutilização dos materiais e permitem viabilizar a horta.

     É importante lembrar que é preciso cuidar bem para que as hortaliças se desenvolvam adequadamente para que se mantenham sempre vivas. O Jardinista explica que, em geral, “as hortaliças precisam de muita luz natural. Por isso, é importante escolher um local perto da janela, por exemplo, para montar sua horta. As folhas amareladas e secas enfraquecem a planta, então, é importante tirar sempre. Nunca arranque os galhos com as mãos. Utilize sempre tesouras. Algo muito importante: jamais encharque a terra, pois a rega descontrolada causa fungos”.

Publicidade

Saúde e meio ambiente: coronavírus no ar

Por Nájila Cabral em Saúde Ambiental

31 de Janeiro de 2020

     A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou o surto do novo coronavírus (2019-nCoV) uma “emergência de saúde pública de interesse nacional”. Provisoriamente, a OMS nomeia a doença do novo coronavírus como “doença respiratória aguda 2019-nCoV”.

     Novos casos surgem a cada dia em diferentes locais no mundo. Até o dia de ontem (30 de janeiro de 2020) a OMS registrava, oficialmente, 7.818 casos confirmados, no mundo. Destes casos, a China registra 7.736 casos confirmados, 170 mortes e mais 12.167 casos suspeitos.  Em 31 de janeiro de 2020, a OMS registrou 11.953 casos confirmados atingindo 24 países, dos quais 11.821 casos confirmados são na China.

    Fora da China, os casos confirmados englobam 24 países: 19 casos na Tailândia, 17 no Japão, 16 em Singapura, 12 na Austrália, 12 na Coréia, 8 na Malásia, 7 na Alemanha, 6 no Vietnã, 6 na França, 4 no Canadá, 4 nos Emirados Árabes, 2 na Itália, 2 na Rússia, 2 no Reino Unido e 1 caso confirmado em cada um desses países: Espanha, Suécia, Sri Lanka, Nepal, Filipinas, Índia, Cambodja e Finlândia. Essas informações são do dia 31 de janeiro de 2020, da OMS.

   Segundo a OMS, a China está classificada como de alto risco. A figura, da OMS, mostra os casos confirmados da doença respiratória aguda 2019-nCoV, no mundo, no dia 30 de janeiro de 2020.

     Para se proteger, a OMS recomenda:

– Limpe as mãos com frequência, sabão e água, ou esfregue as mãos com álcool;

– Ao tossir e espirrar, cubra a boca e o nariz com tecido (jogue o tecido fora imediatamente e lave as mãos);

– Evite contato próximo com quem tem febre e tosse;

– Se você tiver febre, tosse e dificuldade em respirar, procure atendimento médico com antecedência e compartilhe o histórico de viagens anteriores com seu médico;

– Ao visitar mercados em áreas com casos de novos coronavírus, evite o contato direto desprotegido com animais vivos e superfícies em contato com animais;

– O consumo de produtos de origem animal crua ou mal cozida deve ser evitado (carne crua, leite ou órgãos de animais devem ser manuseados com cuidado, para evitar a contaminação cruzada com alimentos não cozidos, conforme boas práticas de segurança alimentar).

Fonte: OMS, 2020.

Publicidade

Saudades maristas: Turma 1986

Por Nájila Cabral em Meio Ambiente

06 de Janeiro de 2020

     O ano de 2020 começou com o reencontro dos alunos maristas da Turma 4 de 1986. São 33 anos de saudades e de boas recordações.

     O tempo passa muito depressa. As rotas das vidas seguem rumos diferentes, pois as escolhas individuais levam a caminhos distintos e, às vezes, distantes de pessoas que conhecemos crianças.

     Rever os amigos de infância do Colégio Cearense nos faz lembrar do tempo em que tínhamos tempo para brincadeiras saudáveis e estudos em nível fundamental e médio. Éramos mais jovens, com sonhos e ideias que ainda iríamos colocar em prática.

     Hoje, um pouco mais maduros, nos reencontros que o tempo nos permite estar presentes, celebramos a vida. Que tenhamos mais tempo para nos dedicarmos aos momentos dos reencontros. Que o tempo nos seja favorável e nos permita recordar de tempos passados no tempo presente. Que o tempo futuro nos seja belo, claro e radiante como o sol que nasce a cada dia. Mas se o tempo fechar e virem chuvas e trovoadas, que tenhamos serenidade e força necessárias para enfrentarmos o tempo ruim e aguardarmos o tempo bom.

    “Mocidade do Colégio Marista”… Sempre é tempo de celebrar. Que essa celebração da vida perdure por todo o ano de 2020, com saúde e paz para todos.

    Uma querida amiga, Patrícia Lima, gentilmente permitiu a divulgação do vídeo feito por ela. Acessar aqui para recordar.

Fotos: cedidas pelos ex-alunos Maristas, turma 4, 1986.

Publicidade

2020 – Ano IX do Blog Verde

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

02 de Janeiro de 2020

     O tempo passa muito rápido. Fico impressionada com sua velocidade. Parece que foi ontem que recebi o convite do Sistema Jangadeiro para escrever o Blog Verde... Este ano de 2020 é o nono ano que me dedico a escrever, expor minhas ideias e visões; falar um pouco sobre a área ambiental; do quanto o meio ambiente interfere no nosso cotidiano e do quanto nossas ações do cotidiano interferem no meio ambiente.

    O início de um novo ano nos coloca na posição de esperança, de expectativas boas para os dias que virão. Não consigo ser pessimista… mesmo quando o peso dói em nossos ombros. Prefiro pensar que somos capazes de reverter passivos e redirecionar os rumos, de maneira a buscarmos o que denominamos desenvolvimento sustentável.

   Não é fácil e ninguém nunca disse que seria. O desenvolvimento sustentável necessariamente incorpora o viés econômico, e não poderia ser de outro jeito. Precisamos ofertar oportunidades de trabalho e renda, alimento, moradia, educação, saúde, transporte e lazer para todos. Só precisamos entender que necessitamos de tudo isso em base equitativa e sustentável: esse é o grande desafio.

     Não tenhamos medo de enfrentar o que está por vir. Sou otimista que temos as ferramentas necessárias para readequarmos o rumo em direção ao desenvolvimento sustentável. O que espero e desejo é que as ferramentas sejam usadas adequadamente e que sejam suficientes para, paulatinamente, realinharmos a rota do crescimento econômico com prudência ecológica e equidade social.

    Que esse ano de 2020 seja um ano de muitas boas novidades na área ambiental, que possamos ter mais consciência sobre nossas ações, nossas escolhas e nossos caminhos.

    A você, caro leitor do Blog Verde, um 2020 iluminado, de paz, saúde e de vitórias.

Publicidade

2020 – Ano IX do Blog Verde

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

02 de Janeiro de 2020

     O tempo passa muito rápido. Fico impressionada com sua velocidade. Parece que foi ontem que recebi o convite do Sistema Jangadeiro para escrever o Blog Verde... Este ano de 2020 é o nono ano que me dedico a escrever, expor minhas ideias e visões; falar um pouco sobre a área ambiental; do quanto o meio ambiente interfere no nosso cotidiano e do quanto nossas ações do cotidiano interferem no meio ambiente.

    O início de um novo ano nos coloca na posição de esperança, de expectativas boas para os dias que virão. Não consigo ser pessimista… mesmo quando o peso dói em nossos ombros. Prefiro pensar que somos capazes de reverter passivos e redirecionar os rumos, de maneira a buscarmos o que denominamos desenvolvimento sustentável.

   Não é fácil e ninguém nunca disse que seria. O desenvolvimento sustentável necessariamente incorpora o viés econômico, e não poderia ser de outro jeito. Precisamos ofertar oportunidades de trabalho e renda, alimento, moradia, educação, saúde, transporte e lazer para todos. Só precisamos entender que necessitamos de tudo isso em base equitativa e sustentável: esse é o grande desafio.

     Não tenhamos medo de enfrentar o que está por vir. Sou otimista que temos as ferramentas necessárias para readequarmos o rumo em direção ao desenvolvimento sustentável. O que espero e desejo é que as ferramentas sejam usadas adequadamente e que sejam suficientes para, paulatinamente, realinharmos a rota do crescimento econômico com prudência ecológica e equidade social.

    Que esse ano de 2020 seja um ano de muitas boas novidades na área ambiental, que possamos ter mais consciência sobre nossas ações, nossas escolhas e nossos caminhos.

    A você, caro leitor do Blog Verde, um 2020 iluminado, de paz, saúde e de vitórias.