Publicidade

Física Marginal

por Idelfranio Moreira

Abril 2015

A Física serve para que – juntos – salvemos milhões de pessoas!

Por Idelfranio Moreira em trânsito

11 de Abril de 2015

“O que é velocidade?”, pergunta o professor de Física.

“Delta S sobre delta t”, responderia um aluno em ano de vestibular, (quase) como um autômato.

“É o que determina quanto combustível vou vender hoje”, exclamaria o dono do posto de gasolina.

“É o que eu preciso para chegar logo”, pensaria o motorista impaciente com os carros parados no engarrafamento à sua frente e com os ponteiros andando, a toda, no relógio, em seu pulso.

“É a diferença entre a vida e a morte, na estrada”, diria o pedestre indefeso e coagido pelos carros, velozes e furiosos.

TbnVelocity

[créditos: 1 – triângulo da velocidade: http://goo.gl/FkBqJ1; 2 – posto de combustível: http://goo.gl/YCfUaa; 3 – motorista apressado: http://goo.gl/zGB58T; 4 – velocidade/velocímetro: http://centraldoscarros.blogspot.com.br/2010/08/velocimetro-parado-depois-de-acidente.html]

O que é fato: a velocidade é muito mais do que os “km/h” que aparecem no velocímetro do seu veículo. Concorda? No Código de Trânsito Brasileiro, por exemplo, está escrito que “os veículos de maior porte serão sempre responsáveis pela segurança dos menores, os motorizados pelos não motorizados e, juntos, pela incolumidade dos pedestres”!

IMG_4843

artigo 29, capítulo III, Código de Trânsito Brasileiro: DAS NORMAS GERAIS DE CIRCULAÇÃO E CONDUTA. [Clique sobre a imagem para baixar o arquivo PDF com o texto integral do CTB.]

Entendendo “motorizado” como sendo aquele veículo capaz de ir mais rápido (graças à potência de seu motor), perceba a importância da (grandeza física) velocidade para a segurança de todos: até os “não motorizados” são responsáveis pela i-n-c-o-l-u-m-i-d-a-d-e dos pedestres (que podem ser entendidos como aqueles que não têm motor e, portanto, não conseguem ir tão rápido. O que não significa que não tenham necessidade/vontade de chegar logo!).

AuleteIncolume

Pesquisei INCOLUMIDADE, mas o dicionário dizia “qualidade do que é INCÓLUME”. hahaha! Então, segue o significado de INCÓLUME, conforme o Dicionário AULETE Online. [Clique na imagem para acessar o verbete.]

Segundo a Organização Mundial de Saúde, em 2004, ‘acidentes de trânsito’ já figuravam entre as dez maiores causas de morte no mundo todo. Em 2011, foram 1,3 milhões de mortes em acidentes de trânsito, no mundo todo. A continuarem as estatísticas como estão/estavam, a projeção para 2030 mostra ‘acidentes de trânsito’ como a quinta maior causa de mortes no mundo com um total de 1,9 milhões de vítimas fatais. A própria Organização, listou os (cinco) fatores maiores causadores deste tipo de dano: bebês sem mecanismos retentores (cadeirinhas e assentos de elevação), adultos (motorista e/ou passageiros, tanto no banco da frente quanto no banco de trás) sem cinto de segurança, motociclistas sem capacete, motoristas alcoolizados e… VELOCIDADE (EXCESSIVA).

TbnWHOinjuries

Clique na imagem se quiser ir à fonte (http://goo.gl/kqi1IU) [DETALHE: Observe que as outras 9 causas são todas doenças!]

A partir deste cenário – triste e alarmante – uma campanha mundial, a Decade of Action for Road Safety 2011-2020 (http://goo.gl/44fhRD), surgiu com a meta de reduzir para a metade o número de acidentes anuais previstos! A campanha está baseada em 5 pilares, dos quais, um (o pilar 4) foca em ações para a mudança de comportamento das pessoas que compõem o trânsito (motoristas, motociclistas, pedestres etc).

TbnDecade

Clique na imagem se quiser ir à fonte (http://goo.gl/kqi1IU)

De tudo que li, a estatística que mais mexeu comigo, confesso, foi saber que acidentes de trânsito são a principal causa de morte de jovens na faixa etária de 15 a 29 anos! Acontece que tenho – hoje – uma filha com 16 anos e um filho com 13! Além disso, como professor de Física, vejo nas minhas aulas de ensino médio e de pré-vestibular, jovens nessa faixa etária, para os quais eu sou o responsável por responder àquela pergunta que fiz no início do texto (“o que é velocidade”)!  

 

IMG_4849

Clique na imagem se quiser ir à fonte (http://goo.gl/kqi1IU)

 

Assim, para conscientizar da importância que a velocidade tem para a segurança de todos no trânsito, pense no seguinte exemplo: aumentar a velocidade de 50 km/h para 67 km/h (um aumento de 34%, quase) reduziria o tempo de viagem em quase 25 % (uma distância de 50 km, por exemplo, seria percorrida em 45 min, em vez de uma hora), entretanto aumentaria o espaço de frenagem em quase 80% (em vez de 25 m para parar o carro, seriam necessários quase 45 m).

Assista ao vídeo a seguir (a partir do qual fiz os cálculos apresentados acima):

Resumindo: “Devagar se vai ao longe”, como diz o provérbio! Isso se aplica aos motoristas, tanto quanto aos pedestres!

E me arrisco a dizer que seria legal ter no CTB algo como “os de maior porte e os de menor porte, os motorizados e os não motorizados, bem como os pedestres, são todos responsáveis por, conhecendo as leis da Física, tornarem o trânsito menos violento e mais seguro”. A Física serve pra isso sim!

velocidade-frenagem

Clique na imagem se quiser ir à fonte (http://goo.gl/9MIuv1).

*      *      *

(1) Uma pergunta para aqueles leitores que não estão mais na escola: Você lembra das clássicas questões de “transforme de km/h para m/s”? Alguma vez aconteceu de você acertar a fórmula, o cálculo e o valor da resposta, mas receber um ‘x’, de ‘errado’, ou um ‘C cortado’, de ‘meio certo’? Daí, quando você falou com seu professor e ele explicou o erro você pensou “mas só por causa da unidade de medida!?”?

(2) Um esclarecimento para aqueles leitores que ainda estão na escola: os cálculos que fiz para mostrar a redução do tempo e o aumento do espaço de frenagem se basearam, respectivamente, na equação da velocidade média e na equação de Torricelli (considerando o mesmo espaço percorrido, no primeiro caso, e a mesma desaceleração – e desprezando o tempo de reação (assunto para um post futuro) – no segundo caso). Assim, ó:

TbnCalculos

(3) Uma orientação/um pedido aos colegas professores que quiserem/precisarem utilizar alguma parte deste post como texto-base para a elaboração de itens (TRI): para citar a fonte, favor colocar (A FÍSICA SERVE PARA SALVAR MILHÕES DE PESSOAS, prof. Idelfranio Moreira. Disponível na url http://goo.gl/ZTV8cB. Acessado em __/__/____.)

Publicidade

Mas, Idelfranio, pra que mesmo serve a Física, hein?!

Por Idelfranio Moreira em o primeiro post

03 de Abril de 2015

Imagine a cena: um professor de Física no quadro, ‘pirando’ nas equações; uma aluna olha pro colega ao lado com cara de ‘que é isso, pelo-amor-de-deus?’ e o colega ¯\_(ツ)_/¯, como se dissesse ‘eu sei lá’!

Agora me responda: em que época você visualiza isso? É atual? É antiga?

Physics diagrams and formulas

fonte: http://goo.gl/Pjm5rU

 

Desde quando comecei a estudar Física – já se passaram 28 anos, então -, logo comecei a ouvir os colegas reclamando “pra que estudar Física”, “Física não serve pra nada”, “matéria do cão”, “ah, se eu pego o Isaac Newton”…! Como eu achava a Física incrível não entendia como tanta gente não via o mesmo que eu. E, claro, nem de perto passaria pela cabeça de uma criança com 12 anos de idade achar que ela estava ‘errada’ e todos os outros, ‘certos’. O espírito de salvar o mundo botou na minha cabeça que era necessário mostrar aos outros que a Física continha as chaves que abririam o mundo pra elas. E, claro, só eu poderia fazer isso; afinal, apenas eu estava enxergando. Teria que ser o herói!

don-quixote-against-windmill-25093840

fonte: http://goo.gl/vqt5Cf

 

O tempo passou. A criança cresceu – se não na altura, mas na maturidade 😛 -, e nunca largou a missão. Conheci vários colegas que se deram a mesma missão – abraço a todos os professores de Física (os que foram meus professores, os que são meus contemporâneos e aqueles que ajudamos a formar) – e a luta continua! (Nada mais de herói, apenas professor. E isso sim, tem sido heróico!)

Hoje, décadas depois da descoberta da missão, a história continua. Aulas são muitas, provas também. Mas a ‘taxa de conversão’ em resultados ainda é insuficiente. E pagamos caro por isso! Temos um país com as dimensões de um continente, uma população de 200 milhões de pessoas, e não produzimos a tecnologia que consumimos! Pagamos muito caro por isso, literalmente!

Sem contar o fato de que aprender é ferramenta fundamental para resolver as grandes questões da humanidade, do planeta! Estudar e aprender é apaixonante. Precisa ser uma obsessão das pessoas e da nação!

Hoje, existem esforços para que se mude o quadro atual. Mas, como o problema é enorme e vem de muito tempo, toda ajuda é, certamente, bem vinda. E, nesse espírito, iniciamos (mais) este espaço – agora num jornal, e online – para falarmos de Física. Não para escrevermos montes de equações e de gráficos. Nem para prepararmos para o vestibular, nem para o ENEM, ou coisa que o valha! O objetivo aqui é falar, principalmente, para os pais, tios e avós daqueles que hoje estudam no ensino médio. O objetivo aqui é mostrar “Pra Que Serve A Física”, respondendo à pergunta que tanto se fizeram em seus tempos de escola! E, se conseguirmos deixá-los instigados, poderão dizer coisas positivas e mostrarem empolgação quando virem seus filhos, sobrinhos e netos debruçados sobre os livros e cadernos. (Vamos atacar pela ‘pelas beiradas’, entendeu!?)

Sendo assim, falaremos de Física para as donas de casa, para os advogados, para os mecânicos, para os médicos, para os motoristas, para os engenheiros… Falaremos, principalmente, para os alunos que eles foram um dia, olhando para aquele quadro cheio de equações que lhes deixavam cheios de medos e dúvidas.

“Por um Brasil de cientistas, engenheiros e professores (que sejam autodidatas e empreendedores).” Esse tem sido o lema-guia da Física Marginal desde a concepção do projeto (www.youtube.com/FisicaMarginal). Esperamos avançarmos mais alguns passos aqui. Contamos com o interesse e a colaboração de muitos. Haverá de chegar o dia em que ao lhe perguntarem “e tu gosta de Física” você ‘dê de ombros’ ¯\_(ツ)_/¯ como quem diz “fazer o quê, né!” com um sorrisinho de canto de boca de quem agora consegue algo que antes não conseguia.

Física Marginal no Youtube

Clique para conhecer o canal.

 

* * *

(1) “Ah, Idelfranio, então tu vai fazer a Física ficar fácil pra gente, né!?”, houve quem perguntasse (concluindo).

E eu: Claro que não! Vou te mostrar a utilidade que ela tem (pode ter). Espero que daí você se interesse em estudar. Se você decidir querer, não importa se a coisa é difícil ou fácil. Você quer e pronto! 😉

(2) Já teve gente que me perguntou: “Idelfranio, será que dá certo isso de dizer pra que serve a Física?”

E eu:

ShrugEmoticon-1024x682-300x199

(Só tentando pra ver no que vai dar! Vai que… né!?)

Publicidade

Mas, Idelfranio, pra que mesmo serve a Física, hein?!

Por Idelfranio Moreira em o primeiro post

03 de Abril de 2015

Imagine a cena: um professor de Física no quadro, ‘pirando’ nas equações; uma aluna olha pro colega ao lado com cara de ‘que é isso, pelo-amor-de-deus?’ e o colega ¯\_(ツ)_/¯, como se dissesse ‘eu sei lá’!

Agora me responda: em que época você visualiza isso? É atual? É antiga?

Physics diagrams and formulas

fonte: http://goo.gl/Pjm5rU

 

Desde quando comecei a estudar Física – já se passaram 28 anos, então -, logo comecei a ouvir os colegas reclamando “pra que estudar Física”, “Física não serve pra nada”, “matéria do cão”, “ah, se eu pego o Isaac Newton”…! Como eu achava a Física incrível não entendia como tanta gente não via o mesmo que eu. E, claro, nem de perto passaria pela cabeça de uma criança com 12 anos de idade achar que ela estava ‘errada’ e todos os outros, ‘certos’. O espírito de salvar o mundo botou na minha cabeça que era necessário mostrar aos outros que a Física continha as chaves que abririam o mundo pra elas. E, claro, só eu poderia fazer isso; afinal, apenas eu estava enxergando. Teria que ser o herói!

don-quixote-against-windmill-25093840

fonte: http://goo.gl/vqt5Cf

 

O tempo passou. A criança cresceu – se não na altura, mas na maturidade 😛 -, e nunca largou a missão. Conheci vários colegas que se deram a mesma missão – abraço a todos os professores de Física (os que foram meus professores, os que são meus contemporâneos e aqueles que ajudamos a formar) – e a luta continua! (Nada mais de herói, apenas professor. E isso sim, tem sido heróico!)

Hoje, décadas depois da descoberta da missão, a história continua. Aulas são muitas, provas também. Mas a ‘taxa de conversão’ em resultados ainda é insuficiente. E pagamos caro por isso! Temos um país com as dimensões de um continente, uma população de 200 milhões de pessoas, e não produzimos a tecnologia que consumimos! Pagamos muito caro por isso, literalmente!

Sem contar o fato de que aprender é ferramenta fundamental para resolver as grandes questões da humanidade, do planeta! Estudar e aprender é apaixonante. Precisa ser uma obsessão das pessoas e da nação!

Hoje, existem esforços para que se mude o quadro atual. Mas, como o problema é enorme e vem de muito tempo, toda ajuda é, certamente, bem vinda. E, nesse espírito, iniciamos (mais) este espaço – agora num jornal, e online – para falarmos de Física. Não para escrevermos montes de equações e de gráficos. Nem para prepararmos para o vestibular, nem para o ENEM, ou coisa que o valha! O objetivo aqui é falar, principalmente, para os pais, tios e avós daqueles que hoje estudam no ensino médio. O objetivo aqui é mostrar “Pra Que Serve A Física”, respondendo à pergunta que tanto se fizeram em seus tempos de escola! E, se conseguirmos deixá-los instigados, poderão dizer coisas positivas e mostrarem empolgação quando virem seus filhos, sobrinhos e netos debruçados sobre os livros e cadernos. (Vamos atacar pela ‘pelas beiradas’, entendeu!?)

Sendo assim, falaremos de Física para as donas de casa, para os advogados, para os mecânicos, para os médicos, para os motoristas, para os engenheiros… Falaremos, principalmente, para os alunos que eles foram um dia, olhando para aquele quadro cheio de equações que lhes deixavam cheios de medos e dúvidas.

“Por um Brasil de cientistas, engenheiros e professores (que sejam autodidatas e empreendedores).” Esse tem sido o lema-guia da Física Marginal desde a concepção do projeto (www.youtube.com/FisicaMarginal). Esperamos avançarmos mais alguns passos aqui. Contamos com o interesse e a colaboração de muitos. Haverá de chegar o dia em que ao lhe perguntarem “e tu gosta de Física” você ‘dê de ombros’ ¯\_(ツ)_/¯ como quem diz “fazer o quê, né!” com um sorrisinho de canto de boca de quem agora consegue algo que antes não conseguia.

Física Marginal no Youtube

Clique para conhecer o canal.

 

* * *

(1) “Ah, Idelfranio, então tu vai fazer a Física ficar fácil pra gente, né!?”, houve quem perguntasse (concluindo).

E eu: Claro que não! Vou te mostrar a utilidade que ela tem (pode ter). Espero que daí você se interesse em estudar. Se você decidir querer, não importa se a coisa é difícil ou fácil. Você quer e pronto! 😉

(2) Já teve gente que me perguntou: “Idelfranio, será que dá certo isso de dizer pra que serve a Física?”

E eu:

ShrugEmoticon-1024x682-300x199

(Só tentando pra ver no que vai dar! Vai que… né!?)