Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

Indústria cearense sofre impactos do novo coronavírus

Por Oswaldo Scaliotti em Análise, Coronavírus, Economia

29 de Maio de 2020

Os efeitos da pandemia do novo coronavírus continuam impactando negativamente as indústrias. Todos os índices, sejam eles de atividade ou de expectativa, apresentaram queda. No entanto, é perceptível que os índices do Ceará apresentaram quedas piores do que o Brasil. Isso se deve principalmente à suspensão da atividade industrial no estado do Ceará, o que não foi uma realidade em todas as unidades federativas do país. Essas foram as principais conclusões da pesquisa Sondagem Industrial, realizada mensalmente pelo Observatório da Indústria da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC) em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Desse modo, um mês após atingir o menor nível da série histórica, alguns indicadores como a Evolução da Produção e Utilização da Capacidade Instalada efetiva em relação à usual caíram novamente no mês de abril, apresentando uma nova baixa. Além disso, o indicador de Evolução do Emprego também apresentou declínio no índice, indicando que as políticas adotadas até o momento não foram suficientes, além de muitas empresas relatarem dificuldades no acesso às políticas já implementadas. Segundo pesquisa realizada pelo Sebrae, 60% dos empresários que buscaram financiamento tiveram acesso ao crédito negado.

Para conhecer e entender as políticas adotadas no enfrentamento aos impactos econômicos da Covid-19, a Federação das Indústrias do Ceará está produzindo boletins atualizados das políticas adotadas no Brasil e no Mundo. Esses boletins podem ser encontrados no site do Observatório da Indústria.

EXPECTATIVAS
As expectativas para o mês de maio apresentaram uma ligeira melhora em relação ao mês anterior mostrando uma pequena melhora na percepção dos empresários. No entanto, as expectativas ainda são pessimistas, pois encontram-se abaixo da linha de 50 pontos. Esse resultado foi influenciado principalmente pela incerteza de quando ocorrerá o retorno da atividade industrial, paralisada, em alguns estados, como o Ceará, desde março. Além disso, também podemos destacar como fator para esse resultado a imprecisão da magnitude dos efeitos da pandemia e quanto tempo estes irão durar.

O estudo completo ser acessado AQUI.

Publicidade aqui

Indústria cearense sofre impactos do novo coronavírus

Por Oswaldo Scaliotti em Análise, Coronavírus, Economia

29 de Maio de 2020

Os efeitos da pandemia do novo coronavírus continuam impactando negativamente as indústrias. Todos os índices, sejam eles de atividade ou de expectativa, apresentaram queda. No entanto, é perceptível que os índices do Ceará apresentaram quedas piores do que o Brasil. Isso se deve principalmente à suspensão da atividade industrial no estado do Ceará, o que não foi uma realidade em todas as unidades federativas do país. Essas foram as principais conclusões da pesquisa Sondagem Industrial, realizada mensalmente pelo Observatório da Indústria da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC) em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Desse modo, um mês após atingir o menor nível da série histórica, alguns indicadores como a Evolução da Produção e Utilização da Capacidade Instalada efetiva em relação à usual caíram novamente no mês de abril, apresentando uma nova baixa. Além disso, o indicador de Evolução do Emprego também apresentou declínio no índice, indicando que as políticas adotadas até o momento não foram suficientes, além de muitas empresas relatarem dificuldades no acesso às políticas já implementadas. Segundo pesquisa realizada pelo Sebrae, 60% dos empresários que buscaram financiamento tiveram acesso ao crédito negado.

Para conhecer e entender as políticas adotadas no enfrentamento aos impactos econômicos da Covid-19, a Federação das Indústrias do Ceará está produzindo boletins atualizados das políticas adotadas no Brasil e no Mundo. Esses boletins podem ser encontrados no site do Observatório da Indústria.

EXPECTATIVAS
As expectativas para o mês de maio apresentaram uma ligeira melhora em relação ao mês anterior mostrando uma pequena melhora na percepção dos empresários. No entanto, as expectativas ainda são pessimistas, pois encontram-se abaixo da linha de 50 pontos. Esse resultado foi influenciado principalmente pela incerteza de quando ocorrerá o retorno da atividade industrial, paralisada, em alguns estados, como o Ceará, desde março. Além disso, também podemos destacar como fator para esse resultado a imprecisão da magnitude dos efeitos da pandemia e quanto tempo estes irão durar.

O estudo completo ser acessado AQUI.