Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

Sem categoria

Apoio do Legislativo Estadual na retomada da economia é tema de live nesta quinta-feira

Por Oswaldo Scaliotti em Sem categoria

01 de julho de 2020

O papel do legislativo na retomada da economia durante a pandemia, será o tema da live promovida pelo Conselho Regional de Economia do Ceará (Corecon-Ce) nesta quinta-feira (02/07), às 18h, pelo Instagram (@coreconceara). A transmissão contará com a participação do Deputado Estadual e presidente da Escola Superior do Parlamento Cearense (UNIPACE), Salmito Filho.  À frente do debate estará o presidente do Corecon-CE, Ricardo Coimbra.
O objetivo da live é abordar a importância do parlamento, não só a nível estadual, mas também a nível nacional (Câmara e Senado),  e quais são os mecanismos e como o órgão vem atuando para a auxiliar e propor medidas às atividades econômicas, neste momento de crise. “Vamos debater sobre políticas para desenvolver os pequenos negócios no Brasil e no Ceará, além de enfatizarmos a necessidade de apoio às iniciativas que gerem renda para o semiárido. Um outro ponto importante, são as medidas adotadas pelo Governo do Estado, tanto na área da saúde, quanto nas medidas de fomento à economia nesse processo de retomada”, explica Ricardo Coimbra.
Sobre o Corecon Ceará
O Conselho de Regional de Economia do Ceará tem por finalidade a fiscalização do exercício da profissão, no que diz respeito à disciplina, a ética, e atua em defesa da sociedade e da categoria de economistas. Por meio de suas redes sociais, vem realizando uma série de lives com o objetivo de estreitar os laços entre o Conselho e a sociedade.
SERVIÇO:
Live “A importância do parlamento frente aos desafios da retomada da economia”
Data: 02/07 (quinta-feira)
Horário: 18h
Com  Salmito Filho, deputado estadual e presidente Escola Superior do Parlamento Cearense (UNIPACE) ,  e o presidente do Corecon-CE, Ricardo Coimbra.
Canal: Instagram @coreconceara
Publicidade

Academias de Fortaleza endossam campanha para reconhecer segmento como atividade essencial   

Por Oswaldo Scaliotti em Sem categoria

18 de junho de 2020

Academias de Fortaleza, em concordância com o Sindicato das Empresas de Condicionamento Físico do Estado do Ceará (Sindfit-CE), reforçam a campanha de reconhecimento desse segmento como atividade essencial e promotora de saúde. As academias endossam que o momento atual tão delicado e desafiador fez perceber ainda mais a importância de se priorizar sempre a saúde e o bem-estar das pessoas. Nesse cenário, as academias reforçam que são um dos principais hubs de saúde e prestam um papel fundamental no incentivo aos hábitos saudáveis, que tanto ajudam no combate às doenças, inclusive à covid-19; e que é sim possível fazer um retorno com muita segurança para clientes e colaboradores. A campanha é apoiada por grandes academias de Fortaleza como a AYO Fitness Club, Greenlife, Central do Corpo e R2.

“As academias endossam que têm um papel fundamental na vida de milhares de pessoas diariamente e que promovem saúde, qualidade de vida, bem-estar, dentre diversos outros benefícios,   para todos aqueles que querem ter suas vidas transformadas por meio da prática de atividades físicas”, destaca posicionamento nas redes sociais do Sindicato das Empresas de Condicionamento Físico do Estado do Ceará.

Confira a nota completa do Sindfit-CE:

“As academias possuem um papel fundamental na vida de milhares de pessoas diariamente. Elas promovem saúde, qualidade de vida, bem estar e diversos outros benefícios para todos aqueles que querem ter suas vidas transformadas através da prática de atividades físicas.

Entendemos e apoiamos a necessidade da reabertura do segmento com o intuito de promover cada vez mais saúde para a sociedade, garantindo a segurança e cumprindo todas as exigências impostas pelas entidades governamentais. Juntos podemos trazer alegria e melhoria de vida com segurança para todos que adentram nossos ambientes.

Pela volta das academias, um compromisso com a saúde de todos! @sindfit_ce #AcademiasSãoSeguras #EuApoio”.

Publicidade

Investir no verde pode transformar o astral da sua casa: saiba os benefícios e confira dicas para cultivar um jardim mesmo em ambientes menores

Por Oswaldo Scaliotti em Sem categoria

09 de junho de 2020

Dar uma renovada no ambiente, fazer mudanças nos espaços e trocar a decoração podem ser ótimas opções para tornar o período de isolamento mais leve e ressignificar o tempo que é aproveitado dentro de casa, além de contribuir para deixá-la o mais confortável e agradável possível. Para isso, nem sempre é necessário comprar móveis novos, pintar as paredes com outras cores e investir em itens caros. Trazer a natureza para dentro do lar pode ser uma solução viável, simples, fácil e que, literalmente, dá um novo ar para o ambiente.

Mesmo para quem tem poucos metros quadrados à disposição, com criatividade é possível transformar completamente a vibe de um lugar reservando um local específico (ou vários estratégicos) no pátio, na varanda ou no quintal para o verde. Até mesmo aqueles lugares poucos imaginados dentro de casa, como o cantinho embaixo da escada, podem se tornar o bastante para montar um belo jardim. Basta saber aproveitar da melhor forma possível os espaços livres e saber como combinar plantas e objetos.

O jardinista Fabrício Pereira, proprietário da Bonjardim Ambiental, empresa especializada em implantação de áreas verdes, lista algumas dicas para quem quer apostar num jardim interno. Confira:

1 – Montar um jardim com diferentes níveis ajuda a dinamizar o aspecto do local e é uma super tendência. Para criar esse efeito, você pode reutilizar mesas, bancos e cadeiras velhas, além de usar pedras e/ou caixotes para elevar algumas plantas. Outra solução é harmonizar árvores com arbustos mais baixos para dar uma sensação de desnível. “Nada de manter as plantas todas com a mesma altura como se fossem uma enorme e única cerca viva e nem enfileiradas e imprensadas contra a parede. Opte por fazer um volume, um maciço, com as diversas plantas agrupadas!”, ensina Fabrício.

2 – Para que um jardim tenha sucesso, as plantas devem viver em harmonia, sem disputar água, luz e nutrientes umas com as outras. Por isso, arranje-as de maneiras diferentes. Algumas espécies podem ser plantadas diretamente no chão, enquanto outras podem ser cultivadas em vasos. O importante é ter cuidado para não colocar plantas que gostam de sol junto com as que se adaptam melhor à sombra, assim como deve-se evitar colocar plantas que precisam de mais água junto às que não precisam. “É interessante misturar texturas diferentes como folha de ponta, folhas redondas, serrilhadas, multifolhas, monofolhas entre si. Quaisquer características que tornem as espécies diferenciadas entre si dão um efeito bem mais vivo e diversificado para o jardim”, acrescenta o especialista.

3 – Esteja atento à escolha das plantas que estarão presentes no espaço. Num ambiente interno não há a possibilidade de ter flores devido à exigência da luz sol delas, pode-se ter o colorido com plantas de folhagens coloridas. Em geral esse tipo de planta é perfeito para ambientes internos.

4 – Escolha o estilo que prefere adotar no espaço antes de decorá-lo. O jardim pode ter um ar mais moderno, elegante ou rústico. Caso prefira a última opção, opte por vasos e itens decorativos em palha, barro e bambu. Para sofisticar um pouco mais, é possível usar a cerâmica e o vidro e criar uma composição mais rica. Também existe a possibilidade de combinar os dois visuais entre si. Para isso, você pode investir em peças de bambu com acabamento mais detalhado ou mesmo numa cerâmica mais despojada.

5 – Crie arranjos de flores em vasos transparentes ou decorados. Louças de cozinha também podem virar apoio para eles. Escolha as  que mais gosta e use os vasos para enfeitar mesas e aparadores. A dica para fazer as flores terem vida por mais tempo é trocar a água do vaso a cada dois dias e retirar as hastes que vão ficando envelhecidas. Não coloque muita água, um pouco menos da metade do vaso já é o suficiente.

“Flores e plantas dão vida, ajudam a arejar e refrescar o espaço, reduzem a poluição, diminuem o ruído externo e ainda dão um novo astral para a casa. O jardim cria uma sensação de proximidade com a natureza e tem tudo para ser o lugar mais aconchegante, de paz, equilíbrio e de reflexão dentro de casa”, conclui o jardinista.

Publicidade

Associação Tapera das Artes lança projeto DJOPOI e abre inscrições para capacitação profissionalizante de 80 jovens músicos para cursos de luteria, arqueteria e práticas coletivas de orquestras de cordas na segunda (8)

Por Oswaldo Scaliotti em Sem categoria

08 de junho de 2020

 

O projeto é uma oferenda científica musical brasileira com foco na formação profissionalizante e no engajamento de adolescentes e jovens no universo da luteria e arqueteria tradicional de instrumentos e arcos de violino – viola – violoncelo e contrabaixo; luteria experimental e práticas coletivas de orquestra de cordas.

 

Um novo conceito na Educação Coletiva de Música surge por meio das vivências formativas nos ateliês de luteria e práticas coletivas de orquestra de cordas com o lançamento do Projeto DJOPOI, mais uma iniciativa da Tapera das Artes, que pretende impactar diretamente os participantes trabalhando o processo transformador que a arte provoca nas pessoas. Expressão em língua tupi que significa “oferenda”, o DJOPOI oferecerá formação profissional gratuita em luteria (construção de instrumentos) e em práticas de instrumentos de cordas com a formação de uma orquestra, contando para isso com a participação de uma equipe de professores instrumentistas de referência internacional.

 

A primeira etapa do projeto DJOPOI começa nesta segunda-feira, dia 8 de junho, com a abertura das inscrições para os interessados em participar da formação. As inscrições seguem até o dia 25 de junho e o regulamento e ficha de inscrição estão disponíveis no endereço: www.taperadasartes.org.br/djopoi.

 

O resultado do processo seletivo dos alunos será anunciado no dia 1 de julho, com matrículas sendo feitas até o dia 10 de julho. As aulas têm previsão de início em agosto, com data ainda a confirmar.

 

Na área de luteria, estão abertas: 14 (catorze) vagas para aprendizes em desempenho da luteria tradicional no aprendizado de construção de violino-viola-violoncelo-contrabaixo; 7 (sete) vagas para aprendizes em desempenho da arqueteria tradicional no aprendizado de construção de arcos de violino-viola-violoncelo-contrabaixo; 10 (dez) vagas para aprendizes em desempenho da luteria experimental no aprendizado de construção de instrumentos a partir de material orgânico, plástico, latas, madeira, e objetos recicláveis.

 

Já para as práticas coletivas com orquestra de cordas serão abertas 21 vagas para aprendizes selecionados do Estado do Ceará para residência artística a ser realizada no município de Aquiraz, onde fica a sede da Tapera das Artes, e 28 vagas para aprendizes do Estado de São Paulo para residência artística a ser realizada no município de Vinhedo, interior de São Paulo.

 

O Ministério da Cidadania e a Fresenius Kabi apresentam o projeto DJOPOI, que tem realização da Tapera das Artes, parceria institucional da Enartes – Música Meta Educação & Marketing Cultural, patrocínio da Fresenius Kabi, Dakota, Usibras, FAN e Acal. O projeto é viabilizado pela Secretaria Especial da Cultura através da Lei de Incentivo à Cultura (Lei 8.313), por meio do Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac).

 

Quem promove, os professores e como será o DJOPOI

 

A junção dos ateliês de luteria e práticas coletivas se dará por meio de uma pesquisa norteadora proporcionando ações pedagógicas, para uma reflexão sobre cultura geral e acesso de novas técnicas de linguagem das especificidades de cada ateliê.

 

Comandando isso tudo está a Tapera das Artes, entidade com 37 anos de existência, dos quais 24 deles contribuindo para a educação integral de crianças, adolescentes e jovens na formação cultural que impacta Aquiraz, onde está localizado, e diversas outras cidades cearenses, garantindo o intercâmbio desses alunos com outras escolas, universidades e institutos, bem como com artistas, educadores e mestres de reconhecimento nacional e internacional, abrindo diálogos culturais, a fim de vivenciar e experienciar trocas artístico-pedagógicas e musicais.

 

Há cerca de seis anos, a Tapera das Artes implantou um Programa de Cultura sob o tema norteador “O regionalismo cultural na cultura cearense”, com objetivo de organizar o processo formativo cultural do público infanto-juvenil, despertando o afeto e atenção para o encantamento dos sentidos por meio da música.

 

Deste embrião foi gerado o projeto DJOPOI, que contará com a orientação  dos mestres da luteria e artistas que já desenvolvem ações para a Tapera, participantes dos grupos de câmara Cordas Ensemble-Tapera das Artes (Nadilson Gama, Rondinelly Bezerra) e do Quinteto Cordas-Arte do Som (Martin Tuksa, Alessandro Borgomanero, Emerson De Biaggi, Raïff Dantas Barreto, Miguel Dombrowski), assim como a interação com os compositores, para o entendimento do processo criativo de cada compositor.

 

Os estudos no projeto DJOPOI têm um tema de pesquisa norteadora sob a orientação de três professores. Um coordenador geral da orientação de pesquisa, Prof. Dr. Emerson De Biaggi, uma orientadora de pesquisa em Aquiraz-CE, a Profa. Dra. Liu Man Ying; e um orientador de pesquisa em Vinhedo (SP), o Prof. Dr. Rodrigo Passos Felicíssimo.

 

Os mestres da luteria, práticas coletivas e de pesquisa do DJOPOI são artistas-músicos, que desenvolveram ao longo de seus estudos uma linguagem que os representam na cena artística brasileira. Saulo Dantas-Barreto, para orientar a luteria tradicional: violino – viola – violoncelo – contrabaixo; Fernando Sardo, para orientar a luteria experimental; e Carlos José Brasil, para orientar a arqueteria tradicional na construção de arcos de violino – viola – violoncelo – contrabaixo;

 

O maestro Ênio Antunes, coordenador cultural do projeto, deverá orientar o processo dos estudos com orquestra de cordas agregando uma equipe de músicos que vão corroborar em todo o processo preparatório das obras musicais; Cordas Ensemble-Tapera das Artes & QuintetoCordas-Arte do Som, para orientar os estudos de instrumento dos aprendizes, para o foco de desempenho, música de câmara e ensaio de naipes e prática de conjunto.

 

“DJOPOI tem o seu significado muito específico por ser uma expressão em Tupy. Para nós, oferenda. É uma satisfação poder compartilhar com mestres várias linguagens da cultura brasileira para revelar a arte por meio da música sendo ela a orquestra de cordas e o instrumento concertante de cordas. Tendo para essa revelação mestres que irão orientar o desenvolvimento e o despertar de um jovem na construção de instrumentos musicais inventados com matérias primas e recicladas e os arcos da família do violino-viola-violoncelo-contrabaixo. Todos nós estaremos engajados na Tapera das Artes e na Enartes para desenvolver um ambiente fértil e rico da cultura brasileira em nome da oferenda das nossas vertentes culturais”, salienta Ênio Antunes, coordenador cultural do projeto.

 

Para Ritelza Cabral, coordenadora geral do projeto DJOPOI, é mais um desafio que se inicia neste momento, abrindo caminhos para capacitação profissionalizante de 80 jovens artistas, no momento em que o país sofre com falta de emprego decorrente do desequilíbrio econômico. “Caminhos de Luz no horizonte fértil para os que entendem que a arte dignifica, ressignifica, e eleva a humanidade”, diz a coordenadora, reforçando a importante história da associação Tapera das Artes que é referência no Estado do Ceará, promovendo educação inclusiva através da arte e tendo a música como fio condutor para levar alegria a um público de 500 crianças e adolescentes, com direção artística e pedagógica do Maestro Ênio Antunes.

 

As oito obras musicais

 

Nesta primeira etapa do projeto DJOPOI, que vai de julho a dezembro de 2020, quatro compositores foram convidados a colaborar com seus talentos e suas obras. Cada um deles escreverá duas obras, uma música para orquestra de cordas e outra para solista e orquestra de cordas.

 

Todas as obras serão estudadas até dezembro de 2020. Nesse período, será promovida uma série de encontros dos alunos com os autores on-line, master classes com os professores e artistas convidados, workshops e diálogo cultural, ensaios abertos e estudos de análise técnica e musical das obras, para o processo de assimilação artística com foco na maturação e desempenho do grupo. O desdobramento do processo será apresentar o objeto cultural: música, instrumentos e arcos construídos no DJOPOI.

 

Compositores convidados:

 

Edmundo Villani-Côrtes – Mineiro de Juiz de Fora dedicou uma música para orquestra de cordas que leva o título do Projeto – Djopoi. Outra música, o Concerto nr. 2 para violoncelo e orquestra de cordas, dedicado ao violoncelista Raïff Dantas Barreto;

 

Dimitri Cervo – Gaúcho de Porto Alegre dedicou As Quatro Estações Brasileiras para violino e orquestra de cordas, cujo solo será interpretado pelo austríaco radicado no Brasil, Martin Tuksa. Uma outra música para orquestra de cordas está sendo composta.

 

Fernando Morais – Paulistano radicado na Capital Federal, compôs Oferenda Musical Brasileira para orquestra de cordas e Música Armorial, para viola e orquestra de cordas.

As duas dedicadas à Ênio Antunes e o Projeto DJOPOI.

 

Beetholven Cunha – Pernambucano de Goiana radicado no Piauí, está compondo duas obras, uma para orquestra de cordas e outra para contrabaixo e orquestra de cordas.

 

Maestro Ênio Antunes

Coordenador Cultural

Ritelza Cabral

Coordenadora Geral

Realização

Tapera das Artes

 

Parceria Institucional

ENARTES-Música Meta Educação & Marketing Cultural

 

Inscrições para a primeira etapa do projeto DJOPOI

Inscrição – 08 a 25 de junho – através do site https://www.taperadasartes.org.br/djopoi

Quantidade de vagas:

Oficina de luteria tradicional: 21 vagas

Oficina de luteria experimental: 10 vagas

Práticas de Orquestra de Cordas em Aquiraz (CE): 21 vagas

Práticas de Orquestra de Cordas em Vinhedo (SP): 28 vagas

Total: 80 vagas

Tapera das Artes
http://www.taperadasartes.org.br/
Facebook: Tapera das Artes
Instagram: @taperadasartes_

Publicidade

“Desafio é repensar o Nordeste”, diz Alexandre Cabral ao tomar posse na presidência do Banco do Nordeste

Por Oswaldo Scaliotti em Sem categoria

02 de junho de 2020

Ao assumir a presidência do Banco do Nordeste, nesta terça-feira, 2, o administrador Alexandre Borges Cabral afirmou que “o grande desafio do BNB é repensar o Nordeste como foco de oportunidades, sobretudo acelerando o processo de desenvolvimento da Região e suprindo falhas de mercado”.

Para Alexandre Cabral, a crise gerada pela pandemia afetou gravemente as cadeias logísticas, exigindo que o Banco do Nordeste, como principal agente do Governo Federal na Região, se reinvente no sentido de dar continuidade ao trabalho já desenvolvido e de ampliar sua ação, construindo parcerias e buscando novas fontes de recursos.

Segundo o novo presidente do BNB, a Região tem problemas de cobertura de saneamento básico, de tratamento de lixo, de falta de qualidade em serviços de saúde e de educação. “São questões que evidenciam a necessidade do Banco do Nordeste como Instituição capaz de oferecer crédito de longo prazo e de construir operações estruturadas dentro do conceito moderno de sustentabilidade”, disse.

Nesse contexto, ressaltou Alexandre Cabral, a “missão do Banco é essencial enquanto existirem disparidades inter-regionais e intrarregionais”. É nesse sentido que “a ação do BNB se torna fundamental, cobrindo as falhas de mercado, chegando onde os bancos privados não chegam”, afirmou.

Conforme Alexandre Cabral, “o Banco do Nordeste precisa acelerar a transformação digital, reduzindo prazos do processo de concessão de crédito com objetivo de atender as demandas de forma segura e ágil”. Do ponto de vista interno, acrescentou, “o Banco já conta com funcionários qualificados e dedicados à missão do desenvolvimento regional”.

Ele destacou que o BNB tem larga experiência, na medida em que participou da criação de importantes projetos, como a criação do Fundo de Desenvolvimento do Nordeste (FDNE), administrado pela Superintendência de Desenvolvimento Nordeste (Sudene), do Programa de Desenvolvimento de Turismo (Prodetur) I e II, que impulsionou o turismo da Região, do Prodecer II, que revolucionou, por exemplo, a região de Balsas (MA), e do Fundo Urbano, que possibilitou o saneamento de diversas capitais nordestinas.

Experiência profissional

Eleito nesta segunda-feira, 1º, pelo Conselho de Administração do BNB como presidente da instituição, Alexandre Borges Cabral é funcionário de carreira do Banco do Nordeste. Exerceu as funções de chefe do Departamento de Desenvolvimento Industrial, superintendente de Negócios Corporativos, gerente de agência, assessor executivo da Presidência e executivo no Escritório de Promoção e Atração de Investimentos e Relacionamento Institucional no Rio de Janeiro.

Também presidiu a Casa da Moeda do Brasil, no período de 2016 a 2019, e coordenou a área de Atração de Investimentos do Governo do Estado do Ceará, no período de 2004 a 2007.

Alexandre Cabral é formado pela Universidade Estadual do Ceará, tem MBA pelo Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais e curso de Avaliação Financeira e Econômica de Projetos Industriais pela Universidad de Los Andes, na Colômbia.

Sua posse ocorreu nesta terça-feira, 2, pela manhã, no auditório da Presidência do Banco do Nordeste, em Fortaleza. Devido às medidas preventivas contra o novo coronavírus, a solenidade foi transmitida via videoconferência para os funcionários, com a participação de gestores do Banco.

Publicidade

Construção Civil está na fase inicial da retomada das atividades econômicas do Ceará

Por Oswaldo Scaliotti em Sem categoria

28 de Maio de 2020

A construção civil irá retomar suas atividades no Ceará na próxima segunda-feira (1º). O retorno será realizado de forma gradativa, compondo a fase inicial de transição para a volta das atividades econômicas no Estado.

 

O anúncio foi feito pelo governador Camilo Santana, durante transmissão pelas redes sociais, nesta quinta-feira (28). O Sinduscon-CE, em nome de todo o setor, e com total apoio da FIEC, participou da formulação desse plano de retomada, junto ao Governo e demais órgãos.

 

As empresas de construção civil passaram quase 3 meses paradas, situação bem difícil para todos do setor. Segundo o presidente do Sinduscon-CE, Patriolino Dias de Sousa, a decisão que o governo divulgou hoje foi um processo construído desde o início em uma articulação conquistada com a total participação da instituição. “Nós fizemos ofício dando ciência dessas dificuldades, depois conversamos com várias secretarias (incluindo saúde e casa civil), criamos um protocolo de retorno aos trabalhos com toda a segurança e, por fim, fizemos parte do Comitê de Retorno às Atividades, junto ao governo, Fiec, OAB, Ministério Público e uma série entidades. Foi uma luta árdua, complexa, realmente desgastante. E agora, com total consciência, poderemos retornar ao trabalho. Mas a luta não para aí. Agora deveremos reunir todas as empresas associadas do Sinduscon-CE e garantir a segurança no retorno. Segurança para os nossos trabalhadores. Afinal, a vida está em primeiro lugar. Porém, agora poderemos voltar ao nosso trabalho. Voltar a vender e voltar a lançar empreendimentos. Fazer, de novo, a construção civil ser a mola propulsora da nossa economia”, afirmou.

Publicidade

CEO do Colosso, Eduardo Castelão fala sobre case sustentável do Carnaval em live do Instituto Lixo Zero Fortaleza 

Por Oswaldo Scaliotti em Sem categoria

26 de Maio de 2020

Além de muita folia, o Carnaval do Colosso proporcionou uma experiência sustentável durante seus quatro dias de festa em fevereiro, com zero plástico descartável e 80% dos resíduos reciclados. É sobre esse case de sucesso que Eduardo Castelão, CEO do Colosso, fala em live promovida pelo Instituto Lixo Zero Fortaleza nesta terça-feira (26/5), a partir das 19h20. O evento é gratuito e transmitido pela plataforma Zoom, sendo necessária inscrição pelo Sympla (bit.ly/encontrolixozerodigital).

O bate-papo virtual sobre boas práticas e tendências em sustentabilidade tem ainda como convidados Rose Moreira, CEO e sócia-fundadora da Selletiva, e Igor Juaçaba, CEO da Elephant Coworking e do movimento Winds for future.⁣⁣⁣

Saiba Mais

O Carnaval do Colosso 2020 adotou a prática de zero plástico descartável e um sistema de coleta de lixo especial que permitiu que cerca de 80% dos resíduos fossem reciclados (lata, papel, vidro etc.). Os resíduos recicláveis gerados durante o Carnaval foram doados para a Associação Acores, que beneficia famílias de catadores da Serrinha, em Fortaleza. Todo lixo orgânico foi levado para uma empresa fazer compostagem e o adubo destinado a pequenos produtores locais. O evento ofereceu ainda copos reutilizáveis, produzidos pelo Meu Copo Eco, por meio do sistema de responsabilidade compartilhada.

Publicidade

Fábrica de palmilhas de tênis começa a produzir máscaras em São Gonçalo do Amarante

Por Oswaldo Scaliotti em Sem categoria

23 de Maio de 2020

Com o apoio da Prefeitura Municipal de São Gonçalo do Amarante, a fábrica Espugum, pertencente ao grupo paulista Magma, começou a produzir máscaras industriais de proteção contra o novo coronavírus. Já foram produzidas 50 mil em apenas duas semanas.

A fábrica instalada na sede do município, em 2018, produzia, originalmente, apenas palmilhas de tênis utilizadas por algumas das marcas de calçados mais famosas do mundo. No contexto da pandemia pelo novo coronavírus, contudo, a empresa apostou na diversificação e visou tanto combater a Covid-19 quanto preservar empregos, tanto em São Gonçalo do Amarante, quanto em sua matriz na cidade de Valinhos (SP).

Na quarta-feira (20), o coordenador do ComVida, Elder Gurgel, visitou a fábrica localizada no bairro Omega. Para ele, “o apoio prestado para a ampliação da capacidade produtiva da empresa e para a produção de equipamentos de proteção individual tão importantes para salvar vidas em nosso município é fundamental. Nossa gestão, continuará apoiando essa e outras ações da iniciativa privada, das microempresas às multinacionais aqui instaladas, que visem garantir a saúde de nossos cidadãos e a vitalidade de nossa economia”.

O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Victor Samuel, recordou que para a instalação da fábrica no município foi assinado um protocolo de intenções e acertado com o Governo do Estado a cessão, em comodato, de um galpão industrial. “A partir daí, eles começaram a sua produção, incluindo as espumas que servem de matéria-prima para a indústria de calçados, e gerando empregos no município. Há cerca de dois meses, o presidente do grupo, Fernando Nicory, nos comunicou sua intenção de iniciar a produção de máscaras em São Gonçalo do Amarante, devidamente homologada pelos órgãos de controle, e nos pediu apoio, no que foi prontamente atendido”, complementou.

A gerente da Espugum em São Gonçalo do Amarante, Carla Kamila, detalhou, por fim, que “há duas semanas começamos a produzir máscaras de diversos tipos: hospitalares, de TNT, moldadas com espuma. Hoje, nós estamos produzindo para fornecer ao município, ao Estado do Ceará e quem sabe até aos outros estados do Nordeste”.

Publicidade

Aplicativo de celular é alternativa de atendimento ao público durante pandemia

Por Oswaldo Scaliotti em Sem categoria

22 de Abril de 2020

Um aplicativo desenvolvido por um grupo de cearenses tem facilitado a vida de servidores públicos, ajudando a despachar demandas durante o período de isolamento social. O Comunicação Pública idealizado pela advogada Marília Matos encurta o tempo e a distância entre os cidadãos e diversas entidades brasileiras.

No Poder Judiciário a iniciativa contabiliza inúmeros resultados. Com mais de 10 mil usuários ativos no Ceará, o app reúne advogados, magistrados, servidores públicos e população em geral num mesmo ambiente promovendo uma comunicação direta, simples e transparente.

Somente no período de 16 de março a 6 de abril, foram registradas 1.891 ocorrências nos canais das unidades judiciárias. Desse total, 823 foram mensagens/respostas de administradores de perfis; 1.068 mensagens/pedidos de jurisdicionados (advogados, defensores e partes), sendo 371 realizados por advogados/partes diferentes. Além do Ceará, o aplicativo é utilizado em Pernambuco, Rio Grande do Norte e Distrito Federal.

O Comunicação Pública funciona como um balcão virtual de atendimento. Autoexplicativo e de fácil entendimento, as pessoas podem interagir como numa rede social. Os órgãos públicos criam um perfil oficial e as pessoas interessadas nos seus serviços passam a ter um diálogo direto. As demandas são registradas no aplicativo pelo usuário e respondidas pelo administrador da conta.

Segundo a advogada Lires Teles Filgueira, a ferramenta é eficaz e tem sido uma ótima aliada no seu dia a dia. “Neste momento de suspensão dos atendimentos presenciais e da urgência em se obter, por exemplo, pedido de alvará a ferramenta tem sido de exponencial importância para nós advogados pelo contato eficaz”, comenta.

Leonardo Vasconcelos, advogado e um dos sócios do aplicativo, explica que entre as principais vantagens está a otimização do tempo dos servidores. Além da objetividade da comunicação virtual, todas as solicitações ficam reunidas em um único ambiente, que pode ser acessado por todos os colaboradores de determinada unidade/instituição de qualquer smartphone ou mesmo por versão web.

“Na prática, enquanto a utilização do app permite ao cidadão obter informações diversas ou realizar solicitações de onde estiver por meio de seu smartphone, também possibilita que os servidores, ao invés de dedicarem maior parte do seu tempo à respostas de demandas feitas por e-mail ou aplicativo de mensagens privadas, possam melhor atender e responder de forma pública, o que significa dizer que por muitas vezes uma única resposta serve a todos os usuários solicitantes”, completou o advogado.

Publicidade

Especialista alerta para cuidados com os olhos em meio à pandemia de Covid-19 

Por Oswaldo Scaliotti em Sem categoria

09 de Abril de 2020

Uma das grandes dificuldades para combater a disseminação do novo coronavírus é o fato de ele ter um alto poder de contágio. A transmissão pode ocorrer pelo ar, por contato pessoal através da saliva, espirro, tosse, catarro, toque ou aperto de mão com a pessoa infectada ou ainda pelo toque em superfícies e objetos contaminados, seguido de contato com a boca, os olhos ou o nariz. Segundo oftalmologista da Unimed Fortaleza, Dr. Edmar Guedes, como os olhos são um ponto potencial de contaminação, é preciso alguns cuidados com essa parte do corpo, bem como com óculos e lentes de contato.

 

De acordo com o especialista, o vírus tanto pode sair dos olhos como entrar no organismo por eles. “A lágrima pode carrear o vírus e contaminar outras pessoas. Da mesma forma, se o vírus entrar em contato com os olhos a pessoa pode ser contaminada. Por isso, é importante evitar levar as mãos ao rosto principalmente quando não tiver certeza de que as mesmas estão bem higienizadas”, alerta Dr. Edmar.

 

Outro importante cuidado deve ser observado com os óculos e com as lentes de contato. Segundo o especialista, os óculos, pelo mecanismo de barreira, podem oferecer uma certa proteção física à contaminação pelos olhos, mas, para isso, eles precisam estar bem higienizados. “É necessário ter muito cuidado ao manipular os óculos ou as lentes de contato, sendo fundamental fazer a higiene das mãos com água e sabão ou álcool gel 70% antes de manipulá-los”, reforça o médico.

 

Além de ser porta de entrada para o coronavírus, os olhos também podem ser afetados caso a pessoa seja contaminada. Segundo estudos, após relatos de pacientes com a Covid-19, a conjuntivite aparece como mais um sintoma da doença. Contudo, de acordo com Dr. Edmar, ainda não há descritos sobre formas graves deste tipo de inflamação.

 

O oftalmologista alerta ainda sobre outro aspecto relacionado à saúde dos olhos em tempos de coronavírus. “Em virtude do maior tempo em casa por conta do isolamento, há uma maior tendência de realizar atividades que requeiram esforço visual como leitura, uso de computador, televisão ou de smartphones. Por isso é importante evitar a fadiga visual com repouso da visão por pelo menos cinco minutos a cada hora e meia de esforço visual. A fadiga visual pode causar dor nos olhos, cefaleia e enxaqueca”, finaliza.

 

Publicidade

Especialista alerta para cuidados com os olhos em meio à pandemia de Covid-19 

Por Oswaldo Scaliotti em Sem categoria

09 de Abril de 2020

Uma das grandes dificuldades para combater a disseminação do novo coronavírus é o fato de ele ter um alto poder de contágio. A transmissão pode ocorrer pelo ar, por contato pessoal através da saliva, espirro, tosse, catarro, toque ou aperto de mão com a pessoa infectada ou ainda pelo toque em superfícies e objetos contaminados, seguido de contato com a boca, os olhos ou o nariz. Segundo oftalmologista da Unimed Fortaleza, Dr. Edmar Guedes, como os olhos são um ponto potencial de contaminação, é preciso alguns cuidados com essa parte do corpo, bem como com óculos e lentes de contato.

 

De acordo com o especialista, o vírus tanto pode sair dos olhos como entrar no organismo por eles. “A lágrima pode carrear o vírus e contaminar outras pessoas. Da mesma forma, se o vírus entrar em contato com os olhos a pessoa pode ser contaminada. Por isso, é importante evitar levar as mãos ao rosto principalmente quando não tiver certeza de que as mesmas estão bem higienizadas”, alerta Dr. Edmar.

 

Outro importante cuidado deve ser observado com os óculos e com as lentes de contato. Segundo o especialista, os óculos, pelo mecanismo de barreira, podem oferecer uma certa proteção física à contaminação pelos olhos, mas, para isso, eles precisam estar bem higienizados. “É necessário ter muito cuidado ao manipular os óculos ou as lentes de contato, sendo fundamental fazer a higiene das mãos com água e sabão ou álcool gel 70% antes de manipulá-los”, reforça o médico.

 

Além de ser porta de entrada para o coronavírus, os olhos também podem ser afetados caso a pessoa seja contaminada. Segundo estudos, após relatos de pacientes com a Covid-19, a conjuntivite aparece como mais um sintoma da doença. Contudo, de acordo com Dr. Edmar, ainda não há descritos sobre formas graves deste tipo de inflamação.

 

O oftalmologista alerta ainda sobre outro aspecto relacionado à saúde dos olhos em tempos de coronavírus. “Em virtude do maior tempo em casa por conta do isolamento, há uma maior tendência de realizar atividades que requeiram esforço visual como leitura, uso de computador, televisão ou de smartphones. Por isso é importante evitar a fadiga visual com repouso da visão por pelo menos cinco minutos a cada hora e meia de esforço visual. A fadiga visual pode causar dor nos olhos, cefaleia e enxaqueca”, finaliza.