Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

Ambev

Cerveja Magnífica vai doar 100 mil unidades de sabão produzido com mandioca para comunidades do Maranhão

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

13 de Maio de 2020

O item foi produzido a partir de fécula de mandioca, ingrediente presente na receita da cerveja regional Magnífica, do Maranhão

Magnífica anuncia a doação 100 mil unidades de sabão, fabricado a partir da fécula de mandioca, matéria-prima presente na receita da cerveja, para ser doado à população do Maranhão. Aprovado pela Anvisa, o sabão de mandioca será destinado ao Governo do Estado e beneficiará às comunidades periféricas com maior concentração de casos de COVID-19. O produto será entregue ainda neste mês de maio.

O sabão é essencial no controle da disseminação do novo coronavírus e no cuidado da saúde da população. Por isso, a versão à base de mandioca doada pela Ambev poderá ser usada tanto para higiene pessoal, quanto doméstica. Cada unidade contém 200g e é produzida pela empresa parceira Saponóleo Santo Antônio. O Governo do Maranhão ficará responsável pela distribuição entre as comunidades no estado.

“Nascida e criada no Maranhão, a Magnífica quer apoiar as famílias locais neste momento difícil, reforçando a importância de continuarmos priorizando os cuidados com a higiene pessoal e doméstica. Estamos utilizando a mandioca plantada através da agricultura familiar do interior do Estado, agora não só na produção da cerveja, mas também, de uma forma diferente para contribuir com a comunidade. Estamos muito felizes em poder contribuir!”, comenta a gerente de Marketing da Magnífica, Tiemy Schneider.

Além dessa iniciativa, a Magnífica também está apoiando o Maranhão diante do cenário da pandemia com produção e doação semanal de 2 mil garrafas de 1L de álcool 70% à Rede Hospitalar do Estado. Assim como doou 20 mil unidades de álcool gel e mil litros de álcool 70% à Secretaria de Saúde do Estado, e máscaras de proteção facial ao Hospital Centro Médico.

Todas as iniciativas reforçam o compromisso da Ambev em olhar para o negócio e encontrar formas de ajudar o Brasil a combater ao COVID-19, além de incentivar o trabalho da comunidade local, a partir do uso da mandioca, proveniente da agricultura familiar de pequenos produtores regionais, na produção da cerveja Magnífica.

Publicidade

Ambev disponibiliza treinamentos gratuitos para ONGs  de Ceará em meio à crise de COVID-19

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

11 de Maio de 2020

-> Aulas podem ser acessadas por qualquer organização do País;
-> Material é o mesmo utilizado pelas ONGs que fazem parte do programa VOA

Por conta dos impactos socioeconômicos causados pela pandemia de COVID-19 no Brasil, a Ambev decidiu ajudar o terceiro setor de todo o País oferecendo cursos online e gratuitos com foco em gestão. Qualquer organização, de qualquer segmento, pode ter acesso ao material através da plataforma do VOA, programa da Ambev de compartilhamento de conhecimento em gestão com organizações sociais.

O conteúdo é o mesmo utilizado pelas ONGs que já participam do VOA. No total, são nove aulas sobre gestão, com vídeoaulas e apostilas. A iniciativa tem como objetivo compartilhar os métodos e processos utilizados pela própria Ambev para ajudar as organizações a melhorarem seus processos, orçamentos e alcance de seu impacto na sociedade, especialmente, nesse período de crise.

O Instituto Mandaver é uma das ONGs mentoradas pela Ambev que já fez o uso do material. A organização, que atua numa comunidade de 60 mil pessoas na cidade de Maceió (AL), promove iniciativas de cultura, esporte, qualificação profissional e geração de renda. Carlos Jorge da Silva Santos, fundador e coordenador da entidade, conta que desde o início da pandemia aumentou o número de atendimentos com a distribuição de cestas básicas, kits de higiene e limpeza e cartilha de recomendações contra a doença. “Essa crise veio e só confirmou a consolidação de um projeto bem feito. Com essas aulas do VOA, conseguimos nos profissionalizar, aprender a se planejar melhor e racionalizar nossos processos. É um material rico que dá para usar em qualquer negócio”, completa.

Para acessar as aulas, basta acessar este link e realizar um cadastro informando o CNPJ ou CPF. As organizações que tiverem interesse em fazer parte do programa VOA de 2021 deverão realizar as inscrições ainda este ano, previstas para o último trimestre. As selecionadas, além de terem acesso às aulas sobre gestão, também recebem mentorias de gerentes da Ambev.

Sobre o VOA

O VOA é o programa de mentoria voluntária em gestão da Cervejaria Ambev para ONGs. Por meio dele, funcionários da companhia doam tempo e conhecimentos para auxiliarem organizações do terceiro setor a aplicarem técnicas de gerenciamento em suas atividades. O objetivo é auxiliar essas organizações a se estruturarem melhor e, assim, ampliarem seu impacto positivo na sociedade. Por meio do VOA, a Cervejaria capacita as ONGs e, ainda, incentiva o voluntariado entre seus colaboradores. Todas as aulas do programa são ministradas por funcionários que compartilham conceitos como gestão de orçamento, planejamento estratégico, captação de recursos, estabelecimento de metas e indicadores, entre outros. Em 2018, primeiro ano da iniciativa, 185 ONGs foram beneficiadas em todo o Brasil e receberam consultoria personalizada. Foram quase 200 voluntários que, juntos, dedicaram 12 mil horas para ajudar essas organizações a impactarem ao menos 2 milhões de pessoas.

 

Sobre a Cervejaria Ambev

Unir as pessoas por um mundo melhor. Esse é o sonho da Ambev, empresa brasileira, com sede em São Paulo, e presente em 18 países. No Brasil, somos mais de 32 mil pessoas que dividem a mesma paixão por produzir cerveja e trabalhamos juntos para garantir momentos de celebração e diversão. A Ambev é uma cervejaria inovadora e temos o consumidor no centro de nossas decisões e iniciativas. Nosso portfólio conta com cervejas, refrigerantes, chás, isotônicos, energéticos e sucos, de marcas reconhecidas como Skol, Brahma, Antarctica, Budweiser, Stella Artois, Wäls, Colorado, Guaraná Antarctica, Fusion, do bem e AMA, a água mineral que destina 100% de seu lucro para projetos que levam acesso à água potável para famílias do semiárido brasileiro. Somente nos últimos cinco anos, investimos R$ 17,5 bilhões no país e deixamos um legado além dos investimentos com nossa ampla plataforma de sustentabilidade. Esse compromisso inclui metas claras, divulgadas publicamente, e se traduz em quatro pilares: consumo inteligente, água, resíduo zero e desenvolvimento. Esse trabalho é feito com uma rede de parceiros, pois acreditamos que a construção de um mundo melhor se torna mais rica quando feita em conjunto.

Publicidade

Ambev doa 10 toneladas de goma de tapioca para 10 mil famílias do Ceará 

Por Oswaldo Scaliotti em Responsabilidade social

28 de Abril de 2020

Um dos itens básicos de alimentação da população local foi produzido a partir de fécula de mandioca, ingrediente presente na cerveja regional Legítima do Ceará

 

Ambev anuncia que produziu 10 toneladas de goma de tapioca, fabricadas a partir da doação de sete toneladas de fécula de mandioca, ingrediente presente na receita da cerveja de mandioca da companhia, a Legítima, para ser doado à população do Ceará. Considerado item básico de alimentação da população local, essa quantidade seria suficiente para atender cerca de 10 mil famílias do Ceará e será entregue ao Instituto de Agropolos do Ceará, por indicação do governo do estado.

 

Para produzir o alimento, a companhia direcionou sete toneladas de fécula de mandioca, a mesma utilizada na produção da cerveja Legítima e contou com a contribuição do parceiro Goma Fresca Pinheiro, que foi o responsável por transformar a fécula em 10 toneladas de goma de tapioca. A distribuição do alimento entre as famílias do estado será estabelecida e executada pelo Instituto de Agropolos do Ceará.

 

“A Legítima é uma cerveja cearense feita com mandioca da agricultura familiar da região de Salitre. Transformamos essa mandioca em alimento para ajudar a comunidade neste momento”, explica a gerente de Marketing da Legítima, Tiemy Schneider.

 

A iniciativa reforça o compromisso da companhia de combate ao COVID-19, além de contribuir com as comunidades impactadas pelos prejuízos causados pela pandemia.

Publicidade

Estão abertas as inscrições para o Prêmio Melhores ONGs do Brasil, iniciativa realizada pelo Instituto Doar em parceria com a Ambev

Por Oswaldo Scaliotti em Responsabilidade social

27 de Abril de 2020

 

Já está valendo! Estão abertas as inscrições para a 4ª edição do Prêmio Melhores ONGs do Brasil, iniciativa realizada pelo Instituto Doar em parceria com a Ambev. A premiação, desde sua criação em 2017, se propõe a avaliar organizações do terceiro setor brasileiro e reconhecer aquelas que apresentam melhores critérios de governança, sustentabilidade financeira, capacidade de gestão, foco de atuação e transparência. O prêmio tem a missão de escolher anualmente as 100 melhores ONGs que se destacaram no desenvolvimento de suas atividades e no impacto positivo que oferecem para a sociedade. As inscrições vão até 30 de abril e podem ser realizadas no site oficial da iniciativa. Os vencedores serão anunciados no fim do ano, em um evento que reunirá representantes das ONGs de todo o País.

Selo Ambev VOA Doar

Ainda na premiação, acontecerá o reconhecimento das ONGs que mais se destacaram no VOA, programa voluntário da Ambev que oferece capacitação em gestão e mentoria para entidades e empreendedores sociais de todo o Brasil. O selo tem como objetivo incentivar, legitimar e destacar o profissionalismo e transparência nas organizações não-governamentais. O atestado é uma importante certificação para o terceiro setor e oferece visibilidade às iniciativas das organizações, ampliando a oportunidade de atrair novos doadores, parceiros e apoiadores, além de reconhecer a transparência e a credibilidade dos participantes do VOA.

Sobre o Instituto Doar

O Instituto Doar tem como missão ampliar a cultura de doação no Brasil. Em 7 anos de existência, trouxe para Brasil o Dia de Doar, uma iniciativa que já está em mais de 20 países. Criou o prêmio Melhores ONGs, uma espécie de Oscar do setor, cujo objetivo é além de reconhecer ONGs exemplares, oferecer às pessoas um leque de opções de doação por todo o Brasil e das mais diversas causas. E é também responsável pelo Selo Doar, uma certificação única no Brasil, que serve para medir nas organizações padrões em gestão e transparência.

Sobre o VOA

O VOA é o programa de mentoria voluntária em gestão da Cervejaria Ambev para ONGs. Por meio dele, funcionários da companhia doam tempo e conhecimentos para auxiliarem organizações do terceiro setor a aplicarem técnicas de gerenciamento em suas atividades. O objetivo é auxiliar essas organizações a se estruturarem melhor e, assim, ampliarem seu impacto positivo na sociedade. Por meio do VOA, a Cervejaria capacita as ONGs e, ainda, incentiva o voluntariado entre seus colaboradores. Todas as aulas do programa são ministradas por funcionários que compartilham conceitos como gestão de orçamento, planejamento estratégico, captação de recursos, estabelecimento de metas e indicadores, entre outros.

Em 2018, primeiro ano da iniciativa, 185 ONGs foram beneficiadas em todo o Brasil e receberam consultoria personalizada. Foram quase 200 voluntários que, juntos, dedicaram 12 mil horas para ajudar essas organizações a impactarem ao menos 2 milhões de pessoas.

 

Publicidade

COVID-19: Ambev disponibiliza passo a passo de produção de máscaras com PET para outras empresas

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos, Responsabilidade social

17 de Abril de 2020

A técnica desenvolvida e disponibilizada pela companhia permitirá que mais empresas possam ajudar na proteção dos profissionais de saúde

 

Após anunciar a produção e doação de 3 milhões de máscaras de proteção facial para o Ministério da Saúde, a Ambev agora irá disponibilizar gratuitamente a técnica de confecção dos protetores faciais para serem produzidos por outras empresas. O objetivo é estimular outras companhias a colaborarem e, a partir de um tutorial com o passo a passo detalhado da produção, ampliar a quantidade de protetores faciais produzidos.

 

Para isso, foi criado um toolkit com todas as informações de estruturas e materiais necessários para a produção da máscara do tipo face shield, que estará disponível para download na página https://www.ambev.com.br/, ou direto nesse link.

 

Todos os projetos já criados pela Ambev para ajudar no combate ao COVID-19, como produção e doação de álcool em gel e construção de leitos de hospital, contaram com o envolvimento de um grande ecossistema e a participação de diversos parceiros. Mas, dessa vez, a companhia acredita que o projeto de máscaras de proteção facial pode ir além, com outras empresas contribuindo para suprir a necessidade do equipamento pelos profissionais de saúde.

 

Os primeiros protetores faciais contaram com avaliação técnica do INOVA USP-Centro de Inovação da Universidade de São Paulo e do INOVAHC-Centro de Inovação do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP e foram produzidos a partir da garrafa PET, mesmo material utilizado nas embalagens de Guaraná Antarctica.

 

“Entendemos que, em momentos como esse, todos que puderem devem fazer o que está ao seu alcance para ajudar no combate ao COVID-19. Por isso, acreditamos que ao disponibilizarmos as cartilhas para outras empresas produzirem as máscaras, podemos ajudar os profissionais de saúde que estão na linha de frente nesse momento tão importante”, comenta Jean Jereissati, CEO da Ambev.

 

No site da companhia é possível acessar, gratuitamente, mais detalhes das dimensões, opções de material, recursos para a produção e orientações de montagem. Além disso, é possível encontrar também uma cartilha com instruções de uso como orientações de higienização do equipamento.

leia tudo sobre

Publicidade

COVID-19: Ambev vai fabricar e doar 3 milhões de máscaras de proteção facial para profissionais de saúde do Brasil

Por Oswaldo Scaliotti em Coronavírus, Responsabilidade social

08 de Abril de 2020

A técnica desenvolvida pela empresa junto a parceiros permite a utilização de PET de suas garrafas para a produção dos equipamentos, que serão doados aos profissionais de saúde

 

 

A Ambev vai fabricar 3 milhões de máscaras do tipo face shield, que cobrem o rosto todo, e doar para profissionais de saúde do País. Essa quantidade seria o suficiente para atender cada profissional de saúde do país, considerando que existem quase 3 milhões cadastrados oficialmente no Datasus. A matéria-prima para a produção dos protetores é o PET, mesmo material utilizado nas embalagens de Guaraná Antarctica. Os equipamentos serão produzidos por uma empresa parceira em Guarulhos (SP) e contam com avaliação técnica do INOVA USP-Centro de Inovação da Universidade de São Paulo e do INOVAHC-Centro de Inovação do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.

Os protetores faciais são laváveis e serão doados ao Ministério da Saúde, que se encarregará de distribuí-los às unidades hospitalares em todo o País. “Estamos nos esforçando para encontrar caminhos para ajudar o Brasil a superar este momento o quanto antes. A proteção facial é um dos principais equipamentos de proteção individual para ajudar na prevenção do COVID-19 dos profissionais de saúde que estão na linha de frente, e dedicamos nosso time de design e engenharia para desenvolver o protetor”, comenta Jean Jereissati, CEO da Ambev.

Na última semana, diversos profissionais de saúde testaram o protetor facial, como Dr. Rubens Belfort, da Academia Nacional de Medicina, e o Prof. João Aléssio, do Hospital São Paulo. “Esse modelo de protetor facial tem o diferencial de ser facilmente higienizado e é uma das principais demandas da rede de saúde no país, além de complementar o uso da máscara”, afirma Rubens.

“A pandemia do COVID 19 tem desafiado toda a sociedade de várias formas e nesse momento o principal objetivo precisa ser salvar vidas. O governo, o setor privado e a academia não vão deixar ninguém para trás e todos juntos vamos ganhar esta guerra”, diz Dra Linamara Rizzo Battistella, professora titular da Faculdade de Medicina da USP.

Para a produção dos protetores faciais, a Ambev contou com a contribuição de parceiros desde a concepção da ideia, o desenvolvimento da técnica de produção e a fabricação dos equipamentos. Entre eles, estão as empresas Africa e Bizsys.

Os equipamentos terão a sua produção iniciada ainda esta semana e começarão a ser entregues no decorrer da próxima semana.

Sobre a Cervejaria Ambev

Unir as pessoas por um mundo melhor. Esse é o sonho da Ambev, empresa brasileira, com sede em São Paulo, e presente em 18 países. No Brasil, somos mais de 32 mil pessoas que dividem a mesma paixão por produzir cerveja e trabalhamos juntos para garantir momentos de celebração e diversão. A Ambev é uma cervejaria inovadora e temos o consumidor no centro de nossas decisões e iniciativas. Nosso portfólio conta com cervejas, refrigerantes, chás, isotônicos, energéticos, sucos e água, de marcas reconhecidas como Skol, Brahma, Antarctica, Budweiser, Stella Artois, Wäls, Colorado, Guaraná Antarctica, Fusion, do bem e AMA, a água mineral que destina 100% de seu lucro para projetos que levam acesso à água potável para famílias do semiárido brasileiro. Somente nos últimos cinco anos, investimos R$ 17,5 bilhões no país e deixamos um legado além dos investimentos com nossa ampla plataforma de sustentabilidade socioambiental.

Publicidade

COVID-19: Rede pública de saúde do Ceará receberá doação de álcool em gel da Ambev

Por Oswaldo Scaliotti em Coronavírus, Responsabilidade social

06 de Abril de 2020

 

A cervejaria adquiriu novos equipamentos para poder dobrar a produção inicial do insumo

 Nas últimas semanas, a Ambev conseguiu dobrar sua produção de álcool em gel, chegando a um milhão de unidades, que agora serão doadas a todas as Secretarias Estaduais de Saúde das 27 unidades federativas do Brasil. Para ampliar a doação, a Ambev criou linhas de produção exclusivas em algumas unidades e adquiriu novos equipamentos para as cervejarias localizadas em Piraí (RJ) e agora também em Jaguariúna (SP), que vão fazer a extração do álcool que vem do processo produtivo da cerveja e também o envase do álcool em gel. O Ceará receberá 25.000 unidades do insumo, que serão entregues para a secretaria local.

 

Para transformar o álcool, em gel, o Centro de Engenharia da Ambev desenvolveu uma fórmula nova, que dispensa o uso do carbopol – uma matéria-prima que está em falta no mercado, o que dificultava a ampliação da produção. O processo será feito por empresas parceiras da Ambev em Cotia e Vinhedo (SP).

 

O álcool em gel doado pela Ambev será distribuído pelas Secretarias Estaduais de Saúde aos municípios de cada estado de acordo com as necessidades locais. O produto será disponibilizado garrafas em PET como as utilizadas para as bebidas da Ambev.

 

 

Sobre a Cervejaria Ambev

Unir as pessoas por um mundo melhor. Esse é o sonho da Ambev, empresa brasileira, com sede em São Paulo, e presente em 18 países. No Brasil, somos mais de 32 mil pessoas que dividem a mesma paixão por produzir cerveja e trabalhamos juntos para garantir momentos de celebração e diversão. A Ambev é uma cervejaria inovadora e temos o consumidor no centro de nossas decisões e iniciativas. Nosso portfólio conta com cervejas, refrigerantes, chás, isotônicos, energéticos, sucos e água, de marcas reconhecidas como Skol, Brahma, Antarctica, Budweiser, Stella Artois, Wäls, Colorado, Guaraná Antarctica, Fusion, do bem e AMA, a água mineral que destina 100% de seu lucro para projetos que levam acesso à água potável para famílias do semiárido brasileiro. Somente nos últimos cinco anos, investimos R$ 17,5 bilhões no país e deixamos um legado além dos investimentos com nossa ampla plataforma de sustentabilidade socioambiental.

 

Publicidade

COVID-19: Prefeitura de São Paulo, Ambev, Gerdau e Einstein unem forças para construir em 40 dias 100 novos leitos em um hospital público

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

31 de Março de 2020

 Em 20 dias, serão entregues os primeiros 40 leitos de uma nova área anexa ao Hospital Municipal M’Boi Mirim – Dr. MoysésDeutsch, em São Paulo;

Em 40 dias, a unidade, que ficará como legado para a sociedade desta aliança colaborativa, terá 100 leitos

 

 Diante do crescente aumento na demanda da rede pública de saúde no atendimento aos casos suspeitos e confirmados de COVID-19 no Brasil, a Prefeitura de São Paulo e a Ambev uniram esforços com a Gerdau e o Hospital Israelita Albert Einstein para construir um novo Centro de Tratamento para a COVID-19, com 100 leitos que atenderão o público exclusivamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

 

Construído anexo ao Hospital Municipal M’Boi Mirim – Dr. MoysésDeutsch, na zona sul de São Paulo, onde o Einstein já é responsável pela gestão, a nova área terá seus primeiros 40 leitos entregues em apenas 20 dias. O total de 100 leitos será finalizado até 30 de abril. A unidade de saúde, posteriormente, será entregue à Prefeitura de São Paulo e passará a integrar a rede pública de saúde do município.

 

A colaboração das empresas de segmentos diferentes dará a velocidade necessária para a entrega. A Ambev vai contribuir na gestão do projeto com sua experiência de processos ágeis além do custo da construção. A Gerdau oferecerá o aço, que servirá como principal matéria prima para o método construtivo, e o conhecimento que possui na montagem de estruturas metálicas. E o Hospital Israelita Albert Einstein vai colaborar com a sua expertise na gestão do atendimento, com foco na qualidade, segurança do paciente e humanização.

Os leitos serão estruturados a partir de técnica de construção modular, criada pela Brasil ao Cubo, umaConstrutech Brasileira. Essa técnica permite entregar obras em caráter definitivo e com velocidade que já que é quatro vezes mais rápida do que uma construção comum. Isso demonstra que o Brasil tem tecnologia e capacidade de inovar e executar, inclusive na Construção Civil. Essa técnica parte da junção de módulos individuais, produzidos em uma fábrica e, então, montados como “peças de jogo” no local.

 

O equipamento de saúde, resultado deste importante trabalho colaborativo, possui uma capacidade de expansão para até 200 leitos. Aproximadamente 200 profissionais entre médicos e equipe multidisciplinar, que integram a equipe do Hospital Israelita Albert Einstein, serão deslocados para a nova unidade, que contará com atendimento 24h.

 

“Esse momento pede colaboração e união de esforços. Cada um deve fazer o que está ao seu alcance para, juntos, superarmos essa situação o quanto antes. Decidimos usar nosso conhecimento e expertise em gestão de projetos, que sabemos fazer bem, e nos unirmos à Gerdau e ao Einstein para entregarmos esse hospital com a agilidade e qualidade necessárias para o momento. Aproveito para convidar, neste momento, outras empresas que queiram aderir a este movimento do bem para aumentar a capacidade de leitos do País!”, comentou Jean Jereissati, CEO da Ambev.

“O momento que vivemos é desafiador para todos. É importante que cada um faça a sua parte e nós da Gerdau seguimos firmes cumprindo nosso compromisso com o Brasil. Decidimos participar dessa brilhante iniciativa, pois o momento pede colaboração. Estamos disponibilizando o nosso aço, que será a matéria-prima da estrutura do hospital. As estruturas em aço se destacam pela leveza, resistência e praticidade, o que ajudará a dar velocidade a essa importante obra que ajudará a salvar muitas vidas.”, disse Gustavo Werneck, CEO da Gerdau

 

“Está em nossa missão entregar vidas mais saudáveis e levar uma gota de Einstein a cada cidadão. Neste momento da pandemia do novocoronavírus, reforçamos o nosso compromisso em colaborar com o sistema de saúde do nosso País, tanto na área pública como na privada, sempre com foco na segurança do paciente e excelência do atendimento, sem deixar a humanização de lado, afinal, é um momento em que é necessário atuar coletivamente. E estamos certos de que a colaboração entre diferentes agentes da sociedade, como acontece nesta parceria que une as forças das três organizações, é o caminho para suplantarmos esta situação crítica, que requer consciência e engajamento coletivos, mesmo com o isolamento social”, afirma SidneyKlajner, presidente da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein.

Publicidade

COVID-19: Ambev produzirá álcool em gel para doar a hospitais públicos

Por Oswaldo Scaliotti em Coronavírus, Responsabilidade social

19 de Março de 2020

A empresa de bebidas vai usar as linhas de sua cervejaria em Piraí (RJ) para produzir etanol e garrafas onde serão envasadas 500 mil unidades de álcool em gel, que serão doadas a hospitais públicos em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

 

Março, 2020 – Com o avanço de casos de contaminação do COVID-19 no Brasil, a Ambev anuncia que está produzindo etanol e 500 mil unidades de garrafas PET onde será envasado álcool em gel, que será doado a todos os hospitais públicos nos municípios de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, onde se concentram a maioria dos casos da doença até o momento. A Ambev também fará a logística para entrega do álcool em gel nesses locais. Serão entregues 5.000 unidades em cada hospital público desses municípios.

 

A demanda pelo álcool em gel segue aumentando nos últimos dias e já existe falta do produto no mercado. Considerando que uma das restrições para a sua reposição é a embalagem para envase, a Ambev disponibilizará o álcool em gel em garrafas PET como as utilizadas para suas bebidas, que hoje não estão em falta. O álcool virá do processo cervejeiro, além do retirado na produção de Brahma 0.0.

 

Sobre a Cervejaria Ambev

Unir as pessoas por um mundo melhor. Esse é o sonho da Ambev, empresa brasileira, com sede em São Paulo, e presente em 18 países. No Brasil, somos mais de 32 mil pessoas que dividem a mesma paixão por produzir cerveja e trabalhamos juntos para garantir momentos de celebração e diversão. A Ambev é uma cervejaria inovadora e temos o consumidor no centro de nossas decisões e iniciativas. Nosso portfólio conta com cervejas, refrigerantes, chás, isotônicos, energéticos, sucos e água, de marcas reconhecidas como Skol, Brahma, Antarctica, Budweiser, Stella Artois, Wäls, Colorado, Guaraná Antarctica, Fusion, do bem e AMA, a água mineral que destina 100% de seu lucro para projetos que levam acesso à água potável para famílias do semiárido brasileiro. Somente nos últimos cinco anos, investimos R$ 17,5 bilhões no país e deixamos um legado além dos investimentos com nossa ampla plataforma de sustentabilidade socioambiental.

 

Publicidade

Ambev vai reciclar 127 toneladas de plástico coletado no Carnaval e usar parte para fazer mais de 2 mil lixeiras

Por Oswaldo Scaliotti em Responsabilidade social

06 de Março de 2020

  • Junto com a ANCAT, a MAP e a Boomerang, a companhia coletou o lixo reciclável dos principais blocos de rua do Carnaval de SP, BH, RJ, Recife e Salvador
  • Foram coletadas 324 toneladas de material reciclável; Resultado superou em 62% a expectativa da companhia

 

 O Carnaval já acabou, mas, este ano, a folia vai ter um legado sustentável. Em uma iniciativa inédita, a Ambev se uniu à ANCAT (Associação Nacional de Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis), à MAP e à Boomerang para coletar o lixo reciclável dos maiores blocos de rua de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador e Recife. A ação ocorreu durante todos os dias de festa, além dos períodos pré e pós folia. Como resultado, os foliões puderam curtir um Carnaval mais limpo e sustentável, superando em 62% a expectativa da companhia e alcançando 324 toneladas de resíduos recicláveis coletados nas ruas. Desse total, 127 toneladas são de plástico, do qual uma parte será reciclada para virar lixeiras para as cidades.

“Este ano, fizemos a ação pela primeira vez e estamos muito animados com o resultado. Junto com a ANCAT, com a MAP e com a Boomerang recolhemos 324 toneladas de lixo reciclável, superando nossa expectativa. Sabemos que temos um longo caminho pela frente, mas esse primeiro passo está trazendo muitos aprendizados e estamos ansiosos pelos próximos Carnavais”, comemora Rodrigo Figueiredo, vice-presidente de Sustentabilidade e Suprimentos da Cervejaria Ambev.

Para a reciclagem do material, a companhia conta com mais uma parceira, a Lar Plásticos, fabricante e fornecedora de lixeiras e outros produtos de plástico feitos 100% a partir de matéria-prima reciclada. As lixeiras serão feitas a partir de um mix de plásticos flexíveis, como rótulos e sacolas plásticas, e plásticos rígidos, como as tampinhas de garrafa. “Digo que no mundo da reciclagem nada se perde, tudo se transforma. E o bacana dessa iniciativa é que conseguimos valorizar o plástico flexível, que muita gente acha que não é reciclável. Hoje, de fato, por conta de uma particularidade há uma dificuldade em reciclar esse material: uma vez que ele é contaminado ou sujo, não conseguimos encaminhar ele para a cadeia de reciclagem. Como os catadores da ação da Ambev recolheram o lixo assim que ele foi descartado, conseguimos evitar esta contaminação, tornando-o reutilizável”, conta André Novelli, Diretor Comercial da Lar Plásticos.

Lixo que vira lixeira

O processo de reciclagem começa logo na coleta: o plástico é recolhido logo após ser descartado e já passa pela triagem nas centrais de coleta. Depois, é encaminhado para as cooperativas, onde passa por uma segunda triagem e, então, vai para a fábrica da Lar Plásticos. É lá que a lixeira começa a ser produzida de fato. Novelli explica: “primeiro, moemos e lavamos a matéria-prima. Depois de seca, ela passa pelo processo de extrusão para se tornar grãos de plástico. Apenas após esse processo é realizada o blend (mistura) dos grãos reciclados de plástico rígido e flexível, o que resulta na composição final do material que vai ser usado para a produção das lixeiras”.

Será possível produzir cerca de 2 mil lixeiras com uma parte do plástico coletado. A Ambev vai doar essas lixeiras para as cidades, deixando um legado positivo para a sociedade e garantindo que os locais continuem limpos após a festa. “Além de promover um Carnaval mais sustentável, a gente quer ajudar na conscientização dos foliões e da população em geral. A entrega das lixeiras é uma forma de mantermos as ruas limpas e queremos convidar todos a fazerem parte desse movimento”, afirma Figueiredo.

Mobilização

Para essa ação, foram mobilizados aproximadamente 3 mil catadores e catadoras de resíduo reciclável nas cinco capitais com a ajuda das associações de catadores. Eles receberam uma renda fixa por dia de trabalho, atrelada a uma meta de coleta, além de remuneração pela venda dos materiais recolhidos. “Como eliminamos alguns intermediários da cadeia, garantimos a compra dos materiais a um preço superior ao praticado pelo mercado no período de Carnaval, já que estivemos mais próximos dos catadores”, diz Figueiredo.

Além disso, todos os parceiros receberam EPIs (Equipamento de Proteção Individual), sacos apropriados para coleta e tiveram acesso a postos de apoio com hidratação e banheiros. Durante a operação, foram instaladas 45 centrais de coleta em locais estratégicos do circuito carnavalesco. “Junto com a Ambev, conseguimos focar na coleta do plástico, que normalmente tem pouco valor no mercado de reciclagem. Construímos uma operação que diminui a distância entre o material que sai da mão dos catadores e aquele que chega na indústria, o que contribui para garantir uma renda extra para os catadores”, comenta Roberto Laureano, presidente da ANCAT.

Compromisso de longo prazo

 

No começo deste ano, a Ambev anunciou que vai acabar com a poluição plástica de suas embalagens até 2025. Para atingir essa meta, a companhia vai tomar uma série de medidas e criar inovações em parceria com outras empresas e universidades. A ação de coleta e reciclagem de plástico neste Carnaval é um importante passo rumo a esse objetivo.

“A gente sabe que um Carnaval sustentável depende de todos nós – empresas, associações, foliões, sociedade e governo. Principalmente porque cada atitude tem uma consequência no futuro e por isso cada ação importa. Queremos que os foliões lembrem que juntos podemos construir um mundo melhor”, conclui Figueiredo.

Publicidade

Ambev vai reciclar 127 toneladas de plástico coletado no Carnaval e usar parte para fazer mais de 2 mil lixeiras

Por Oswaldo Scaliotti em Responsabilidade social

06 de Março de 2020

  • Junto com a ANCAT, a MAP e a Boomerang, a companhia coletou o lixo reciclável dos principais blocos de rua do Carnaval de SP, BH, RJ, Recife e Salvador
  • Foram coletadas 324 toneladas de material reciclável; Resultado superou em 62% a expectativa da companhia

 

 O Carnaval já acabou, mas, este ano, a folia vai ter um legado sustentável. Em uma iniciativa inédita, a Ambev se uniu à ANCAT (Associação Nacional de Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis), à MAP e à Boomerang para coletar o lixo reciclável dos maiores blocos de rua de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador e Recife. A ação ocorreu durante todos os dias de festa, além dos períodos pré e pós folia. Como resultado, os foliões puderam curtir um Carnaval mais limpo e sustentável, superando em 62% a expectativa da companhia e alcançando 324 toneladas de resíduos recicláveis coletados nas ruas. Desse total, 127 toneladas são de plástico, do qual uma parte será reciclada para virar lixeiras para as cidades.

“Este ano, fizemos a ação pela primeira vez e estamos muito animados com o resultado. Junto com a ANCAT, com a MAP e com a Boomerang recolhemos 324 toneladas de lixo reciclável, superando nossa expectativa. Sabemos que temos um longo caminho pela frente, mas esse primeiro passo está trazendo muitos aprendizados e estamos ansiosos pelos próximos Carnavais”, comemora Rodrigo Figueiredo, vice-presidente de Sustentabilidade e Suprimentos da Cervejaria Ambev.

Para a reciclagem do material, a companhia conta com mais uma parceira, a Lar Plásticos, fabricante e fornecedora de lixeiras e outros produtos de plástico feitos 100% a partir de matéria-prima reciclada. As lixeiras serão feitas a partir de um mix de plásticos flexíveis, como rótulos e sacolas plásticas, e plásticos rígidos, como as tampinhas de garrafa. “Digo que no mundo da reciclagem nada se perde, tudo se transforma. E o bacana dessa iniciativa é que conseguimos valorizar o plástico flexível, que muita gente acha que não é reciclável. Hoje, de fato, por conta de uma particularidade há uma dificuldade em reciclar esse material: uma vez que ele é contaminado ou sujo, não conseguimos encaminhar ele para a cadeia de reciclagem. Como os catadores da ação da Ambev recolheram o lixo assim que ele foi descartado, conseguimos evitar esta contaminação, tornando-o reutilizável”, conta André Novelli, Diretor Comercial da Lar Plásticos.

Lixo que vira lixeira

O processo de reciclagem começa logo na coleta: o plástico é recolhido logo após ser descartado e já passa pela triagem nas centrais de coleta. Depois, é encaminhado para as cooperativas, onde passa por uma segunda triagem e, então, vai para a fábrica da Lar Plásticos. É lá que a lixeira começa a ser produzida de fato. Novelli explica: “primeiro, moemos e lavamos a matéria-prima. Depois de seca, ela passa pelo processo de extrusão para se tornar grãos de plástico. Apenas após esse processo é realizada o blend (mistura) dos grãos reciclados de plástico rígido e flexível, o que resulta na composição final do material que vai ser usado para a produção das lixeiras”.

Será possível produzir cerca de 2 mil lixeiras com uma parte do plástico coletado. A Ambev vai doar essas lixeiras para as cidades, deixando um legado positivo para a sociedade e garantindo que os locais continuem limpos após a festa. “Além de promover um Carnaval mais sustentável, a gente quer ajudar na conscientização dos foliões e da população em geral. A entrega das lixeiras é uma forma de mantermos as ruas limpas e queremos convidar todos a fazerem parte desse movimento”, afirma Figueiredo.

Mobilização

Para essa ação, foram mobilizados aproximadamente 3 mil catadores e catadoras de resíduo reciclável nas cinco capitais com a ajuda das associações de catadores. Eles receberam uma renda fixa por dia de trabalho, atrelada a uma meta de coleta, além de remuneração pela venda dos materiais recolhidos. “Como eliminamos alguns intermediários da cadeia, garantimos a compra dos materiais a um preço superior ao praticado pelo mercado no período de Carnaval, já que estivemos mais próximos dos catadores”, diz Figueiredo.

Além disso, todos os parceiros receberam EPIs (Equipamento de Proteção Individual), sacos apropriados para coleta e tiveram acesso a postos de apoio com hidratação e banheiros. Durante a operação, foram instaladas 45 centrais de coleta em locais estratégicos do circuito carnavalesco. “Junto com a Ambev, conseguimos focar na coleta do plástico, que normalmente tem pouco valor no mercado de reciclagem. Construímos uma operação que diminui a distância entre o material que sai da mão dos catadores e aquele que chega na indústria, o que contribui para garantir uma renda extra para os catadores”, comenta Roberto Laureano, presidente da ANCAT.

Compromisso de longo prazo

 

No começo deste ano, a Ambev anunciou que vai acabar com a poluição plástica de suas embalagens até 2025. Para atingir essa meta, a companhia vai tomar uma série de medidas e criar inovações em parceria com outras empresas e universidades. A ação de coleta e reciclagem de plástico neste Carnaval é um importante passo rumo a esse objetivo.

“A gente sabe que um Carnaval sustentável depende de todos nós – empresas, associações, foliões, sociedade e governo. Principalmente porque cada atitude tem uma consequência no futuro e por isso cada ação importa. Queremos que os foliões lembrem que juntos podemos construir um mundo melhor”, conclui Figueiredo.