Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

Ceará

Brilux inaugura nova fábrica e centro de distribuição no Ceará

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

17 de setembro de 2019

Serão produzidos 58 SKUS de águas sanitárias, amaciantes e detergentes de marcas do Grupo Raymundo da Fonte. Investimento foi de mais de R$ 56 milhões

 

O Ceará receberá um novo empreendimento na área de produtos de limpeza. O Grupo Raymundo da Fonte, do qual faz parte a marca Brilux, inaugurará nova fábrica em Horizonte no próximo dia 28. Unidade está em funcionamento desde julho e produzirá 58 SKUs (medida que contabiliza estoque por meio da característica dos produtos) de águas sanitárias, amaciantes e detergentes. O investimento para implantação foi de mais de R$ 56 milhões.

 

Serão produzidos localmente águas sanitária Brilux, Tubarão, Olimpo e Cloral; amaciante Sonho; e lava louça Brilux. A fábrica também terá centro de distribuição para outras marcas do Grupo Raymundo da Fonte, como Minhoto e Even. A produção mensal média será de 255 mil caixas de águas sanitárias, 12 mil caixas de detergentes e 63 mil caixas de amaciantes.

 

Foram gerados, ao todo, cerca de 300 empregos com a implantação do empreendimento, sendo 150 deles diretos. A fábrica, com planta de 10.900 m², conta com fornecedores do Ceará para matéria prima, embalagens e serviços terceirizados em geral, movimentando a indústria e a economia local. A unidade contará com frota própria de 25 caminhões para abastecimento e distribuição dos produtos.

 

O grupo pernambucano Raymundo da Fonte é referência na fabricação de produtos de limpeza, com 73 anos de história. Nova fábrica cearense é a quinta da empresa, que tem unidades também em Pernambuco, Bahia, Pará e Rio de Janeiro. As diversas marcas da companhia somam mais de 360 SKUs no portfólio

Publicidade

29° Cine Ceará leva Mostra Itinerante a Centro  Culturais do Banco do Nordeste do Ceará e da Paraíba

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

13 de setembro de 2019

A circulação acontece em outubro em Fortaleza, Juazeiro do Norte e Sousa, com exibição de filmes que estiveram no festival deste ano.

O Festival Ibero-americano de Cinema do Ceará vai realizar neste mês de outubro a Mostra Itinerante do 29° Cine Ceará em três Centro Culturais do Banco do Nordeste do Ceará e da Paraíba. Em cada local será realizada uma sessão composta por três filmes que estiveram na programação deste ano do festival. Serão exibidos os curtas-metragens “Caretas” da diretora Sara Parente e “Oceano”, das diretoras Amanda Pontes e Michelline Helena, e o longa-metragem “Soldados da Borracha”, de Wolney Oliveira.

As sessões ocorrerão no dia 1° de outubro, às 10 horas, no Centro Cultural do Banco do Nordeste de Fortaleza; no dia 09, às 18h30, no Centro Cultural de Juazeiro do Norte; e no dia 10, às 14h, no Centro Cultural do município de Sousa, na Paraíba. O acesso é gratuito, por ordem de chegada.

A Mostra Itinerante do Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema é uma realização da Secretaria Especial da Cultura – Governo Federal, Associação Cultural Cine Ceará e Bucanero Filmes e conta com o patrocínio do Banco do Nordeste.

 

FILMES

CARETAS

Direção: Sara Parente | Gênero: Documentário | Duração: 15´ | Ano: 2019 |

Classificação indicativa: livre

Sinopse: Uma pequena casa que abriga um museu vivo e um terreiro onde brincam o mestre, seus mascarados e suas figuras. Mestre Antônio Luiz desmancha o silêncio e comanda a brincadeira do reisado de caretas de couro no domingo de reis em Potengi-CE.

FILME: OCEANO

Direção:  Amanda Pontes e Michelline Helena | Gênero: Ficção | Duração: 15´29´´ | Ano: 2018 | Classificação indicativa: livre

Sinopse: Para honrar um compromisso, Lúcia atravessa um oceano.

FILME: SOLDADOS DA BORRACHA

Direção: Wolney Oliveira | Gênero: Documentário | Duração: 79’ | Classificação indicativa: livre

Sinopse: Durante a segunda guerra mundial, 60mil brasileiros foram enviados para a região amazônica pelos governos do Brasil e Estados Unidos, para extrair látex, material estratégico para os exércitos aliados. A promessa da volta como heróis da pátria e de aposentadoria equivalente à dos militares nunca se cumpriu. Os que ainda sobrevivem, com idade avançada e em situação de pobreza, esperam o dia do reconhecimento oficial.

SERVIÇO:

Mostra Itinerante do 29° Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema – Dia 1° de outubro, às 10h, no Centro Cultural do Banco do Nordeste de Fortaleza (R. Conde d’Eu, 560, Centro, Fortaleza); Dia 09 de outubro, às 14h, no Centro Cultural do Banco do Nordeste de Juazeiro do Norte (R. São Pedro, 337, Centro, Juazeiro do Norte) e no dia 10 de outubro, às 18h30, no Centro Cultural do Banco do Nordeste de Sousa – PB (R. Cel. José Gomes de Sá, 07, Centro, Sousa). Mais informações: www.cineceara.com. Email: contatos@cineceara.com. Tels: (85)3055-3465 e 99134-1101. Instagram: @cineceara. Facebook: FestivalCineCeara. Acesso gratuito, por ordem de chegada.

 

Publicidade

Dia de Responsa terá blitz de conscientização no campus da UFC

Por Oswaldo Scaliotti em Responsabilidade social

13 de setembro de 2019

Nesta sexta-feira (13), acontece o Dia de Responsa, evento anual da Cervejaria Ambev pela conscientização sobre o consumo inteligente de bebidas alcóolicas. Ao todo, mais de 30 mil funcionários da companhia, dona de marcas como Skol, Brahma e a água AMA, vão percorrer mais de 1 milhão de bares, restaurantes e supermercados pelo país.

Mais de 800 funcionários da Cervejaria Ambev do Ceará participaram na conscientização sobre beber com moderação. (FOTOS: Aurélio Lima)

No Ceará, a rota envolverá cerca de 800 funcionários. O ponto alto da mobilização em Fortaleza será no Campus do Pici, especificadamente no Centro de Tecnologia, da UFCCentro de Tecnologia, da UFC, das 11h às 13 horas. Os funcionários da cervejaria farão uma blitz para consicentizar os estudantes e funcionários sobre o uso moderado de bebida alcoólica. Na oportunidade serão distribuídos kits e Brahma Zero, cerveja sem álcool. A iniciativa é celebrada ainda em outros 24 países pela AB InBev, grupo do qual a Cervejaria Ambev faz parte.

Beber menos é beber certo

A campanha, que vem evoluindo a cada ano, contará desta vez com ações nas redes sociais da companhia, contribuindo para ampliar a reflexão sobre a necessidade de se beber com responsabilidade e gerar mais engajamento. Já durante a mobilização presencial, será distribuído às equipes dos pontos de venda um ‘toolkit’ contendo materiais informativos e de comunicação. Os funcionários receberão uma cartilha com orientações sobre consumo inteligente nos ‘bares de responsa’, além de um vídeo e cartazes com frases e efeitos visuais que remetem ao tema

“Nós sabemos do nosso papel e não temos interesse no lucro que venha do consumo indevido dos nossos produtos. Por isso, defendemos que a discussão sobre consumo moderado seja cada vez mais presente na vida das pessoas para que possamos avançar na consolidação de uma cultura de responsabilidade e respeito quando falamos sobre bebidas alcóolicas. No Dia de Responsa, levamos essas mensagens tanto para quem vende quanto para os consumidores, com o objetivo de que esse conhecimento se multiplique”, diz Anna Paula Alves, responsável pela plataforma de Consumo Inteligente da Cervejaria Ambev.

O Dia de Responsa faz parte do Programa Ambev de Consumo Responsável. Lançada em 2003, a plataforma inclui iniciativas que fomentam políticas públicas e oferecem metas efetivas nas áreas de saúde, trânsito e educação. Essas ações contribuem com as metas globais da AB InBev para o consumo inteligente. Anunciados em 2015, os compromissos públicos têm como objetivo promover mudanças nos hábitos dos consumidores e criar uma cultura de moderação em todo o mundo.

Entre as metas divulgadas estão: o aumento da participação de produtos não alcoólicos ou com baixo teor de álcool no volume total de vendas da empresa para 20% até 2025; o investimento de, no mínimo, US$ 1 bilhão em campanhas e programas de conscientização dos consumidores nos próximos nove anos; a garantia de que, até 2020, todas as embalagens de cerveja trarão mensagens e orientações sobre o consumo inteligente; e a redução de até 10% do consumo nocivo de bebidas alcoólicas em nove cidades no mundo até 2020.

Sobre a Cervejaria Ambev

Unir as pessoas por um mundo melhor. Esse é o sonho da Ambev, empresa brasileira, com sede em São Paulo, e presente em 18 países. No Brasil, somos mais de 32 mil pessoas que dividem a mesma paixão por produzir cerveja e trabalhamos juntos para garantir momentos de celebração e diversão. A Ambev é uma cervejaria inovadora e temos o consumidor no centro de nossas decisões e iniciativas.

Nosso portfólio conta com cervejas, refrigerantes, chás, isotônicos, energéticos e sucos, de marcas reconhecidas como Skol, Brahma, Antarctica, Budweiser, Stella Artois, Wäls, Colorado, Guaraná Antarctica, Fusion, do bem e AMA, a água mineral que destina 100% de seu lucro para projetos que levam acesso à água potável para famílias do semiárido brasileiro. Somente nos últimos cinco anos, investimos R$ 17,5 bilhões no país e deixamos um legado além dos investimentos com nossa ampla plataforma de sustentabilidade.

Esse compromisso inclui metas claras, divulgadas publicamente, e se traduz em quatro pilares: consumo inteligente, água, resíduo zero e desenvolvimento. Esse trabalho é feito com uma rede de parceiros, pois acreditamos que a construção de um mundo melhor se torna mais rica quando feita em conjunto.

Publicidade

Multinacional de embalagens de papelão anuncia novos investimentos no Ceará

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

13 de setembro de 2019

Presente há 23 anos em território cearense, uma das líderes em papel e embalagens de papelão ondulado anunciou um investimento de R$ 10 milhões durante o ano de 2019 na unidade fabril do município de Pacajus. A novidade foi divulgada nesta quinta-feira (12), na presença do presidente da Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece), Eduardo Neves, e imprensa local. Fortalecer a presença da empresa nas regiões Nordeste e Norte com novas tecnologias e crescer 10% no volume de produção na fábrica local são alguns dos objetivos da expansão.

 

Em 2020 a empresa fechará um ciclo de seis anos de investimentos na fábrica cearense. Um aporte de R$ 100 milhões será contabilizado ao final do período, conforme o presidente da WestRock no Brasil, Jairo Lorenzatto. O crescimento industrial da região, bem como a demanda dos clientes foram as principais motivações da empresa para a realização da expansão. “Nos últimos 10 anos vimos um crescimento relativamente maior no Nordeste. No Ceará, especificamente, acima da média do Brasil”, completou o executivo.

 

Para o presidente da Adece, Eduardo Neves, o aporte anunciado representa a importância do Estado e da Região Nordeste na produção industrial. “A WestRock produz embalagens de papelão ondulado para todos os segmentos. Isso nos alegra, tendo em vista que se há demanda é porque existe uma expansão econômica local. Também nos anima ver que a marca investiu R$ 500 mil em projetos sociais na região somente em 2019”, comenta Neves.

 

Nas regiões Norte e Nordeste, a unidade da WestRock de Pacajus atende os mais variados mercados, como de alimentos, frutas, eletrodomésticos, frigorificados, calçados, entre outros. Nesta fase, a empresa começará a operacionalizar uma tecnologia exclusiva no Brasil que permite a impressão de cores em alta resolução sem redução da resistência estrutural das embalagens de papelão.

 

Há 77 anos em atividade no Brasil, a empresa possui unidades fabris em Blumenau (SC), Araçatuba (SP), Porto Feliz (SP) e planeja investir U$ 1 bilhão de 2011 até 2021.
Publicidade

Produtores rurais recebem Cadastro Ambiental de graça no Ceará e em outros Estados

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

23 de agosto de 2019

Sem condições de custear o trabalho, produtores rurais que vivem de agricultura familiar têm a oportunidade de regularizar e comprovar a posse da propriedade a partir de uma parceria público-privada
Viver totalmente sem acesso à informação pode parecer uma realidade muito distante. No entanto, existem milhares de produtores rurais e famílias que vivem no campo, sem nenhum contato com jornais, revistas, televisões e, muito menos, sem internet. Isso pode dificultar a atualização de alguns documentos, como o Cadastro Ambiental Rural (CAR), exigido pelo governo federal.
Para que essa condição mude, o poder público e empresas privadas se unem para levar mais cidadania e dignidade a essas famílias que vivem tão distante das capitais brasileiras. A GT1 Tecnologia, por exemplo, auxilia cerca de dez unidades da federação a reduzir essa desigualdade de pessoas que têm e que não têm o cadastro desde 2016.
Contratada pelo Governo do Ceará, a empresa leva gratuitamente todos os serviços necessários para a atualização do CAR. Conforme o gerente de projetos da GT1 Tecnologia, Marco Aurélio Santos da Silva, equipes técnicas trabalham em todo o Estado do Ceará desde o final do ano de 2017 para a realização de 160 mil cadastros.
“No Ceará, nosso serviço é especificamente voltado para Cadastro Ambiental Rural de Agricultura Familiar, do pequeno produtor, aquele que não tem condição de custear um técnico para fazer esse trabalho. São em torno de 160 mil cadastros que têm que ser feitos no período de dois anos. Até o momento já fizemos 100 mil cadastros”, explica.
A empresa foi contratada pela Superintendência Estadual de Meio Ambiente do Ceará (Semace), por meio de recursos do Fundo do Amazônia. Com isso, todo o trabalho de deslocamento, análise de documentos, impressão e mão de obra são custeados pela GT1 Tecnologia. E o produtor rural? Não tem nenhum custo.
“Fazemos um pré trabalho, com audiências públicas, palestras, divulgação de mídia, informativos, em parceria com o órgão contratante, de divulgação do projeto. Depois fazemos um calendário com as datas que estaremos na região e disponibilizamos os técnicos. Também montamos pontos de apoio para aqueles que conseguem se deslocar, para fazer o atendimento, e aqueles que não têm condição de se deslocar são identificados nos vazios cartográficos e vamos até a propriedade fazer o cadastro”, disse Marco Aurélio.
Gratidão
Quando vão à propriedade rural, em localidades distantes dos centros urbanos, onde as pessoas quase não têm acesso à informação, os técnicos e as famílias atendidas acabam se aproximando muito, o que gera um vínculo forte entre os funcionários e os beneficiados. “Muitos dos produtores rurais que atendemos nunca pararam para organizar a documentação que têm para comprovar a titularidade na propriedade”, conta o gerente.
Para a realização do Cadastro Ambiental Rural é necessário que todos os documentos sejam colocados em ordem, principalmente os que comprovam a posse. Dentro da documentação também é inserido todo o georreferenciamento, realizado por técnicos de agrimensura, de geoprocessamento de dados e agrícolas, com informações da área do imóvel, cobertura do solo, áreas de preservação e reservas, também com dados cartográficos.
Uma das famílias, em especial, sensibilizou os funcionários da GT1 Tecnologia, que organizaram uma grande arrecadação de alimentos e brinquedos, com apoio da comunidade e de igrejas locais. Em outros momentos, os técnicos recebem os agradecimentos dos produtores rurais de diferentes formas. “Como a gente chega e leva o serviço para eles de graça, a gratidão deles é enorme. Então, já tivemos casos de ganhar frutas, galinhas, já deram um bode de presente”, relembrou Marco Aurélio.
Experiência de mercado
A GT1 Tecnologia fornece o serviço de Engenharia de Serviços desde 2016 e tem como o carro-chefe da empresa o Cadastro Ambiental Rural. A GT1 tem atuação em diversos estados brasileiros atualmente, sendo eles Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Ceará, Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Tocantins. Além disso, a empresa é que a mais realizou o cadastramento de produtores rurais no CAR até hoje, com aproximadamente 300 mil cadastros efetivados.
“Não existe empresa no Brasil que realizou essa quantidade de cadastros que já fizemos. Isso porque nós tivemos grandes oportunidades e nossa desenvoltura e capacidade de gestão superou algumas adversidades. Temos um grande corpo técnico e trabalhamos também com capacitação de estudantes e demais pessoas da comunidade em todos os Estados que passamos, sempre em parceria com universidades”, ressalta o gerente de projetos.
A equipe é formada por técnicos em geoprocessamento, técnicos agrícolas, estudantes de ensino médio, assistentes sociais, jornalistas, publicitários e demais profissionais que auxiliam na coleta de coordenadas. “Nós fazemos a capacitação dessas pessoas da região e depois agregamos em nosso quadro de funcionários”, reitera. Desta forma, os técnicos ensinam os estudantes qual a metodologia correta para a realização do CAR, certifica todo o pessoal e os contrata.
Publicidade

Ceará deve ganhar a 3ª Escola da América Latina que atende alunos com TDAH 

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

21 de agosto de 2019

Escola chega no Ceará para cadastrar professores que pretendem se especializar gratuitamente em ensino bilíngue e também a educação destinada à alunos com Transtornos de Déficit de Atenção e Hiperatividade. A instituição já procura local em Fortaleza para instalação da terceira unidade

Data: De 26 a 28/08/2019

Local: Holiday Inn Fortaleza

 

Após se tornar referência por criar método de ensino que treina a concentração, memória de curto prazo e velocidade de processamento, além de preparar os alunos para as universidades internacionais, a Recreio Christian School começa a buscar parcerias para implantar a primeira sede inclusiva fora da capital carioca.

Fortaleza foi a cidade eleita como o próximo destino da instituição de ensino. Segundo o fundador da Gabriel Frozi, embora a capital cearense seja a 4ª maior rede do Brasil em número de matrículas, atrás apenas de São Paulo, Rio de Janeiro e Manaus, segundo dados levantados pelo INEP –  Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais – ainda existe muito desconhecimento dos professores sobre a forma correta de tratar o aluno com o transtorno. Outra preocupação do fundador  é o bullying,  um problema grave e que  pode causar depressão, até mesmo morte. “O Ceará é o quinto estado brasileiro e o primeiro do Nordeste em casos de suicídio. “Queremos levar “vida”para os alunos cearenses com TDAH”, comenta

O Ceará tem se destacado na educação brasileira. Conseguiu em 2018 ter o menor índice de evasão escolar da história do Estado. Reduziu de 17% para 5% em 2018. Enfim o índice cearense é quase a metade do nacional que é de 8,9. Mediante esses números, estamos lançando uma ação de estimulo para treinar professores da rede pública que queiram aprender a lecionar em escolas bilíngues e também se relacionar com alunos com TDAH”, comenta Frozi, ao informar que desembarca na cidade no próximo dia 26 de agosto com o objetivo de firmar parcerias e procurar local para as novas instalações.

Enquanto a terceira sede não é inaugurada, os treinamentos gratuitos estarão disponíveis para os professores cearenses a partir de outubro. O fundador vai abrir as portas da sede da escola do Rio de janeiro para os professores da região. As inscrições poderão ser feitas pelo próprio site da escola

 

Serviço:

http://www.recreiochristianschool.com/

Avenida Genaro de Carvalho 1500

Recreio Dos Bandeirantes, Rio De Janeiro, RJ

 

Sobre Gabriel Frozi: Aos 44 anos, ele se reinventou, deixou uma carreira de advogado consolidada para trás e partiu em busca de uma lenda pessoal: montar a primeira escola da América Latina bilíngue especializada também em alunos com Transtornos de Déficit de Atenção, após a filha ser diagnosticada com o TDAH.  Hoje ao lado da caçula, a cantora Vitória Frozi – que inspirou a fundação da escola – ele treina gratuitamente os professores da rede pública do Rio de Janeiro.

Sobre Recreio Christian School: Escola bilíngue cristã, localizada no bairro do Recreio, Rio de Janeiro/Brasil.  Com Sistema de avaliação próprio, que prioriza a participação em sala de aula, o comprometimento com os deveres de casa e a atuação em projetos sociais, é um dos diferenciais da RCS, onde as provas bimestrais representam apenas 30% do sistema de avaliação a RCS atende turmas do 6º ano ao 3º ano do Ensino Médio. Prepara os alunos de 11 a 16 anos para melhores universidades do Brasil e do exterior, além de ser a única escola da América Latina com toda equipe especializada em alunos com TDAH

Publicidade

Ceará perde R$ 178 milhões só com a venda ilegal de cigarros

Por Oswaldo Scaliotti em Análise

06 de agosto de 2019

Estado registra crescimento do contrabando deste produto, que já alcança 73% do total do mercado
Os cigarros ilegais atingiram um patamar alarmante em 2018. De acordo com um levantamento feito pelo Ibope cerca de 73% de todos cigarros que circulam no Ceará são contrabandeados, vindos do Paraguai. Esse volume equivale a cerca de R$ 178 milhões que os cofres públicos do estado deixaram de arrecadar em ICMS.

A pesquisa indica também que, pela primeira vez desde 2011, a evasão de impostos no país que deixam de ser recolhidos em função do mercado ilegal de cigarros (R$ 11,5 bilhões) será maior do que a arrecadação (R$ 11,4 bilhões). O valor que deixa de ser arrecadado é 1,6 vez superior ao orçamento da Polícia Federal para o ano, e poderia ser revertido para a construção de 121 mil casas populares ou 6 mil creches.

De 2015 a 2018, o mercado ilegal deste produto atingiu 2,5 bilhões de unidades de cigarros e movimentou aproximadamente R$ 379 milhões. De acordo com estimativas da indústria, 70% do aumento do mercado ilegal de cigarros concentraram-se em 10 municípios: Fortaleza, Maracanau, Juazeiro do Norte, Caucaia, Sobral, Crato, Iguatu, Itapipoca, Limoeiro do Norte e Maranguape.

Dominado por quadrilhas de criminosos, o contrabando de cigarros é fonte de financiamento para outros crimes como o tráfico de drogas, armas e munições. Em 2018, as duas marcas mais vendidas no país são contrabandeadas do Paraguai: Eight, campeã de vendas com 15% de participação de mercado, e Gift, com 12%. Outras duas marcas fabricadas no país vizinho compõe a lista dos 10 cigarros mais vendidos: Classic e San Marino (ambas com 3% de mercado). A marca contrabandeada mais popular no Nordeste é GIFT, que com 19% de market share é a mais vendida, à frente de todas as marcas produzidas legalmente no Brasil.

A pesquisa ainda aponta que, considerando todo o país, o mercado ilegal de cigarros atingiu um patamar inédito. Em 2018, de acordo com levantamento do instituto, 54% de todos os cigarros vendidos no país são ilegais, um crescimento de seis pontos percentuais em relação ao ano anterior. Desse total, 50% foram contrabandeados do Paraguai e 5% foram produzidos por empresas que operam irregularmente no país.

O principal estímulo a esse crescimento é a enorme diferença tributária sobre o cigarro praticada nos dois países. O Brasil cobra em média 71% de impostos sobre o cigarro produzido legalmente no país, chegando a até 90% em alguns estados, enquanto que no Paraguai as taxas são de apenas 18%, a mais baixa da América Latina.

Para Edson Vismona, presidente do Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (ETCO), um fator perverso decorrente do aumento no contrabando de cigarros é que, pressionados pela crise que o país enfrenta, os brasileiros que migram do mercado legal para o ilegal para poder economizar dinheiro e ao mesmo tempo aumentar o consumo. “O levantamento apontou que, mesmo gastando menos, já que os cigarros contrabandeados não seguem a política de preço mínimo estabelecida em lei, os consumidores acabam fumando, em média, um cigarro a mais por dia. Isso mostra que as políticas de redução de consumo adotadas pelo governo não estão sendo eficazes, por conta do crescimento do mercado ilegal” afirma Vismona.

“Esta é uma luta muito dura e que deve envolver a coordenação de esforços de autoridades governamentais, forças policiais e de repressão, consumidores, indústria e, claro, das entidades que lutam para a redução do tabagismo no país. Somente desta forma vamos conseguir combater a concorrência desleal e promover uma melhoria do ambiente de negócios no País com melhoria de renda, emprego, saúde pública e segurança para todos os brasileiros” acredita Edson Vismona.

O levantamento foi realizado em 208 municípios de todo o país, por meio de entrevistas presenciais e com recolhimento dos maços de forma a garantir a precisão da informação. Foram ouvidos 8.266 consumidores entre 18 e 64 anos.

Publicidade

Férias: Cerca de 449 mil turistas devem passar pelo Ceará durante o mês de julho

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

11 de julho de 2019

 

Número representa alta de 12,6% sobre 2018; setor de bares e restaurantes espera boas expectativas

 

Nesta alta estação de julho, período de férias, a expectativa é que cerca de 449 mil turistas devem vir ao Ceará. Os números, que são uma previsão do Departamento de Estudos e Pesquisas da Secretaria de Turismo do Ceará (Setur), representa uma alta de 12% no número de visitantes se comparado com o mesmo período em 2018. O levantamento leva em consideração a ocupação da rede hoteleira e dos aluguéis por temporada, a demanda turística, a movimentação do Aeroporto de Fortaleza e o tempo de permanência do turista no Estado.

Este cenário anima o setor de bares e restaurantes da capital. No Jardim do Alchymist, a forte influência da cultura italiana não é a única a inspirar o cardápio da casa que é uma das atrações sofisticadas para as férias. Durante o período, a expectativa da direção do restaurante espera um acrescimento de 30% no público.

“Estamos muito animados para este período, pois já sabemos que é de grande movimentação. Por conta disso, nos preparamos previamente para atender a demanda de turistas que escolhem nossa cidade para passar férias e experimentar um pouco da culinária local. Para atrair ainda mais o paladar do público, preparamos uma ação que acontece ao longo da semana, um dia especial com entrada, prato principal e sobremesa a preço fixo”, destaca Cléa Girão, diretora do restaurante.

 

Em todas as quartas-feiras do mês, o restaurante prepara uma noite especial para os seus frequentadores. Neste dia da semana, o combo de entrada, prato principal e sobremesa fica no valor de R$ 89,90. A ação “Quarta do chef” é válida individualmente e o restaurante recebe reservas antecipadas dos interessados em saborear o melhor dos pratos com preço especial.

Publicidade

Oi investe mais de R$ 74,3 milhões no Ceará no primeiro trimestre de 2019

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

11 de junho de 2019

A Oi investiu mais de R$ 74,3 milhões no Ceará no primeiro trimestre de 2019, um aumento de 118% em relação ao mesmo período do ano anterior. A operadora oferece rede 4,5G nas cidades de Fortaleza, Maracanaú e Maranguape e rede de fibra ótica em Fortaleza. A companhia também investiu na sua rede móvel com a modernização de 47 sites no Estado. A Oi oferece cobertura 4G em 59 cidades do Ceará..

A Oi planeja investir R$ 7 bilhões de reais por ano até 2020, em todo o país, com foco na expansão de seu serviço de banda larga de fibra de alta velocidade (FTTH) e na rede 4G e 4,5G. Ao final de março, com o projeto de expansão de fibra de alta velocidade, a Oi alcançou um total de  1,7 milhão de casas passadas, com 145 mil clientes de fibra conectados, registrando uma taxa de ocupação de 8,7% das casas passadas.

Pelo terceiro mês seguido, desde que começou a fazer parte do índice do Netflix, a banda larga Oi Fibra ficou em primeiro lugar na medição de velocidade de internet, o que indica a melhora significativa da qualidade do serviço da companhia. O Oi Fibra oferece internet de até 200 Mega, por meio de FTTH. Com essa capacidade, o serviço possibilita a melhor experiência no consumo de diferentes tipos de conteúdo, como streaming de vídeos e jogos eletrônicos, através de diversas plataformas. O Oi Fibra também permite o acesso dos clientes aos serviços da Oi de TV por internet (IPTV) e de voz por internet (VoIP), com conta e atendimento integrados, o que gera economia e conveniência.

Publicidade

Ceará é o segundo maior exportador de pescados do país

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

10 de junho de 2019

O saldo comercial do setor de pescados cearense entre os meses de janeiro e abril de 2019 resultou em superávit no valor de US$ 13,3 milhões, indicando que o valor exportado até então cresceu 123,7% e o importado decresceu 62% com valores de US$ 14,1 milhões e US$ 757,15 mil respectivamente. Os dados do estudo Ceará em Comex, produzido pelo Centro Internacional de Negócios (CIN) da FIEC, colocam o Ceará como o 2º maior estado exportador de pescados do país.

As exportações dos pescados cearenses estão bem diversificadas, porém o grupo de peixes congelados, exceto filés, lidera o ranking com US$ 3,6 milhões e avanço de 21,5%. Nota-se que a grande maioria dos pescados enviados ao exterior obtiveram aumentos substanciais no seu valor exportado no período. Desses, destacam-se as “lagostas (Palinurus spp., Panulirus spp., Jasus spp.)” cujo valor de US$ 2,5 milhões representa aumento de 982,3% em 2019. Para as importações do estado a tendência é de queda para boa parte dos pescados estrangeiros, porém, entre esses itens, o grupo de bacalhau polar, se sobressai, por estar presente nas importações do período, fato não ocorrido na mesma época do ano anterior.

Apesar de terem sofrido uma queda de mais da metade em suas importações, a sardinha, vinda do Marrocos, continua sendo o pescado mais importado pelo Ceará, registrando US$ 386,9 mil. Dos 35 países-destino dos pescados cearenses, o que mais compra são os Estados Unidos, que importaram um total de US$ 3,8 milhões. Logo em seguida, a China apresenta grande crescimento de 361,8% comparado ao resultado do mesmo período do ano anterior, correspondendo ao total de US$ 3,03 milhões. Outro país em destaque é a Austrália, o qual demonstrou crescimento de 526,6%, com total de US$ 1,01 milhão, ocupando a 4ª posição no ranking. Em relação às importações feitas pelo estado, o Marrocos encontra-se em primeiro lugar, seguido de Chile e Noruega.

Confira o estudo completo AQUI.

Publicidade

Ceará é o segundo maior exportador de pescados do país

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

10 de junho de 2019

O saldo comercial do setor de pescados cearense entre os meses de janeiro e abril de 2019 resultou em superávit no valor de US$ 13,3 milhões, indicando que o valor exportado até então cresceu 123,7% e o importado decresceu 62% com valores de US$ 14,1 milhões e US$ 757,15 mil respectivamente. Os dados do estudo Ceará em Comex, produzido pelo Centro Internacional de Negócios (CIN) da FIEC, colocam o Ceará como o 2º maior estado exportador de pescados do país.

As exportações dos pescados cearenses estão bem diversificadas, porém o grupo de peixes congelados, exceto filés, lidera o ranking com US$ 3,6 milhões e avanço de 21,5%. Nota-se que a grande maioria dos pescados enviados ao exterior obtiveram aumentos substanciais no seu valor exportado no período. Desses, destacam-se as “lagostas (Palinurus spp., Panulirus spp., Jasus spp.)” cujo valor de US$ 2,5 milhões representa aumento de 982,3% em 2019. Para as importações do estado a tendência é de queda para boa parte dos pescados estrangeiros, porém, entre esses itens, o grupo de bacalhau polar, se sobressai, por estar presente nas importações do período, fato não ocorrido na mesma época do ano anterior.

Apesar de terem sofrido uma queda de mais da metade em suas importações, a sardinha, vinda do Marrocos, continua sendo o pescado mais importado pelo Ceará, registrando US$ 386,9 mil. Dos 35 países-destino dos pescados cearenses, o que mais compra são os Estados Unidos, que importaram um total de US$ 3,8 milhões. Logo em seguida, a China apresenta grande crescimento de 361,8% comparado ao resultado do mesmo período do ano anterior, correspondendo ao total de US$ 3,03 milhões. Outro país em destaque é a Austrália, o qual demonstrou crescimento de 526,6%, com total de US$ 1,01 milhão, ocupando a 4ª posição no ranking. Em relação às importações feitas pelo estado, o Marrocos encontra-se em primeiro lugar, seguido de Chile e Noruega.

Confira o estudo completo AQUI.