Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

Correios

Correios entrega provas da Olimpíada Brasileira de Matemática

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

08 de Maio de 2018

Os Correios já começaram a distribuir mais de 18 milhões de provas para a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) 2018. O material será entregue em todas as regiões do país antes da primeira fase da competição, prevista para 5 de junho. Mais de 55 mil escolas de todo o país participam da Olimpíada.

Importante parceira do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), realizador do projeto, a empresa, além de distribuir as provas em todo o território nacional, realiza a logística reversa da OBMEP- devolução dos gabaritos respondidos das avaliações.

Desde o começo da iniciativa, em 2005, os Correios realizam a logística da olimpíada, que inclui a distribuição dos kits de divulgação, bem como provas e material didático. A empresa ainda é parceira do Ministério da Educação em outros projetos como a operação da entrega de livros didáticos e a distribuição de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

OBMEP – A olimpíada tem como objetivo estimular o estudo da Matemática e revelar talentos na área. A competição ocorre em três níveis de participação – alunos do 6º e 7º anos do Ensino Fundamental, alunos do 8º e 9º anos do Ensino Fundamental e alunos do Ensino Médio – e é dividida em duas etapas: a primeira, realizada na escola do aluno, e a segunda, em centros de aplicação implementados pelo IMPA.

Publicidade

Correios entrega provas da Olimpíada Brasileira de Matemática

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

08 de Maio de 2018

Os Correios já começaram a distribuir mais de 18 milhões de provas para a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) 2018. O material será entregue em todas as regiões do país antes da primeira fase da competição, prevista para 5 de junho. Mais de 55 mil escolas de todo o país participam da Olimpíada.

Importante parceira do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), realizador do projeto, a empresa, além de distribuir as provas em todo o território nacional, realiza a logística reversa da OBMEP- devolução dos gabaritos respondidos das avaliações.

Desde o começo da iniciativa, em 2005, os Correios realizam a logística da olimpíada, que inclui a distribuição dos kits de divulgação, bem como provas e material didático. A empresa ainda é parceira do Ministério da Educação em outros projetos como a operação da entrega de livros didáticos e a distribuição de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

OBMEP – A olimpíada tem como objetivo estimular o estudo da Matemática e revelar talentos na área. A competição ocorre em três níveis de participação – alunos do 6º e 7º anos do Ensino Fundamental, alunos do 8º e 9º anos do Ensino Fundamental e alunos do Ensino Médio – e é dividida em duas etapas: a primeira, realizada na escola do aluno, e a segunda, em centros de aplicação implementados pelo IMPA.

Publicidade

Correios e Azul assinam memorando de entendimentos para criação de empresa de solução de logística integrada

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

20 de dezembro de 2017

 Nova empresa permitirá a expansão de serviços e produtos de logística para lugares ainda não servidos, além de trazer mais eficiência, redução de custos e ganho de receita para ambas companhias;

 

Início das atividades está previsto para o primeiro semestre de 2018, após aprovação pelos órgãos e instâncias competentes

 

Os Correios e a Azul assinam hoje memorando de entendimentos para criação de uma empresa privada de solução de logística integrada, a partir de um novo modelo de negócio, que contribuirá significativamente para o crescimento do Brasil.

A nova empresa terá participação de 50,01% da Azul e 49,99% dos Correios e oferecerá ao mercado o serviço de gestão de logística integrada para transporte de cargas, com potencial para se tornar a melhor plataforma de logística para o comércio eletrônico do País.

A operação começa a partir das demandas dos Correios e da Azul, movimentando aproximadamente 100 mil toneladas de cargas por ano. Com isso, ambas companhias terão economia de custo, eficiência operacional e ganho de receita, melhorando a oferta deste serviço para o consumidor.

“A Azul é a única companhia com uma malha que liga o País, com mais de 100 destinos servidos. Os Correios estão presentes em 5.570 municípios da União, com a maior capilaridade para coleta e distribuição a partir de sua rede. Ao ter uma empresa que explore essa sinergia, mais brasileiros poderão contar com estes serviços, permitindo a eles serem ainda mais ativos no desenvolvimento de nosso País”, diz Gilberto Kassab, Ministro da Ciência, Tecnologia e Comunicação.

“Vimos uma oportunidade ímpar para fazer o Brasil ganhar um serviço de logística ainda mais eficiente, com claros benefícios ofertados para os consumidores. O início dessa empresa beneficiará os brasileiros, uma vez que com ela, além de conseguirmos reduzir substancialmente os atuais custos com transporte logístico dos Correios, receberemos os dividendos desse negócio, aumentando ainda mais a eficiência de nossa operação”, afirma Guilherme Campos, presidente dos Correios.

“É uma ótima oportunidade para ampliarmos nosso transporte de cargas e ganhar eficiência operacional. Somos a única empresa capaz de prestar este nível de serviço, pois somos a companhia que mais cidades serve no País. Além disso, temos forte presença em Viracopos, que já é o hub de cargas do Brasil. Sem contar com altos índices de pontualidade, fundamental para esse serviço”, diz John Rodgerson, presidente da Azul.

O memorando de entendimentos será submetido à aprovação de todos os órgãos e instâncias competentes. Somente após sua validação a nova empresa será criada. Caso seja aprovada, a expectativa é que suas atividades sejam iniciadas ainda no primeiro semestre de 2018.

 

Sobre a Azul

A Azul S.A. (B3: AZUL4, NYSE: AZUL) é a maior companhia aérea do Brasil em números de cidades atendidas, com 755 voos diários e 104 destinos. Com uma frota de 118 aeronaves e mais de 10.000 funcionários, a Companhia possui uma rede de 197 voos sem escalas em 30 de Setembro de 2017. Dentre os prêmios recebidos, a Azul foi nomeada a Terceira melhor companhia aérea do mundo pela TripAdvisor Travelers’ Choice in 2017, melhor companhia aérea low-cost da América do Sul pelo sétimo ano consecutivo pela Skytrax em 2017 e também foi considerada a melhor liderança regional em 2016 pela Flight Airline Business. Para mais informações, visite www.voeazul.com.br/ri.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti

 

Publicidade

Correios seleciona parceira para projeto de telefonia móvel virtual

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

17 de Maio de 2016

 

A comissão especial de seleção dos Correios qualificou, nesta terça-feira (17), a empresa EUTV Consultoria e Intermediação de Negócios S.A. para atuar, em regime de parceria, no projeto de exploração do serviço de telefonia móvel por meio de rede virtual (Mobile Virtual Network Operator – MVNO).

Os Correios serão credenciados da prestadora, atuando como seus representantes, sem necessidade de construção de rede. Com a venda de chips, a empresa estima uma receita de R$ 4,5 milhões em 2017 e mais R$ 2,1 milhões na venda de recargas.

Foram avaliadas as propostas das empresas EUTV e Claro, considerando o somatório do maior valor de remuneração dos chips pré-pagos, maior percentual de comissão pela venda de recargas nas agências dos Correios e maior percentual de comissão na venda de recargas na rede da prestadora.

A EUTV atende às três regiões do Plano Geral de Autorização – com cobertura em todo o País -, conforme resolução nº 321/2002 da Anatel, e apresentou proposta de mais de R$ 297 milhões pelo contrato inicial de cinco anos.

Segundo o presidente da comissão especial de seleção, Ara Minassian, os Correios pretendem assinar o contrato até o fim de junho e lançar o serviço seis meses após a assinatura. A expectativa é lançar o serviço em janeiro de 2017, com alcance de um milhão de assinantes no primeiro ano.

Diversificação – A entrada dos Correios neste setor é mais uma iniciativa decorrente da lei n.º 12.490/11, que permitiu a diversificação das atividades da estatal e a modernização de seus serviços. Os correios de Portugal, França, Alemanha e Itália, entre outros, já adotam com sucesso essa modalidade de serviço.

Publicidade

Correios abre mão de interpor recursos em processos trabalhistas no TST

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

07 de Abril de 2016

Os Correios formalizaram quarta-feira (6), no Tribunal Superior do Trabalho (TST), em Brasília, a desistência de interpor recursos em 254 processos em que as decisões foram desfavoráveis à empresa. Em ofício entregue ao vice-presidente do TST, ministro Emmanoel Pereira, a empresa também se colocou à disposição para contribuir com a política de conciliação da corte.

Ao comunicar a decisão, o superintendente-executivo jurídico dos Correios, Alexandre Reybmm, destacou que a medida vai desafogar o número de processos e gerar economia processual e financeira para a empresa, que passa por um momento de ajuste de despesas para retomar seu crescimento sustentável. “O prolongamento dessas ações faz com que o passivo seja crescente e a nossa ideia foi estancar essa situação”, destacou o superintendente. Entre os processos contemplados, estão os que tratam de progressões por antiguidade, incorporação de função, danos morais, responsabilidade subsidiária e acidentes de trabalho.

O vice-presidente do TST, ministro Emmanoel Pereira, acredita que a atitude dos Correios deve incentivar outras empresas a adotar a conciliação como forma de resolver pendências jurídicas. “Todos ganham com a conciliação, a começar pelas partes, que vão ter suas querelas resolvidas de uma forma muito rápida”, salientou. “O TST também ganha, pois deixa de ter no seu acervo uma quantidade imensa de processos, que serão solucionados pela conciliação”.

Como próxima etapa, a ECT se comprometeu a se engajar na Semana Nacional de Conciliação com propostas de acordo para diminuir demandas e racionalizar o corpo jurídico da empresa. “Para nós, como advogados públicos, é até constrangedor ficar recorrendo de forma protelatória em situações em que não teremos êxito e que só vão postergar a demanda”, destacou Menezes. “Acho que isso é o início de um processo que devemos prosseguir e ampliar”, reforçou o superintende jurídico dos Correios.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Correios abre mão de interpor recursos em processos trabalhistas no TST

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

07 de Abril de 2016

Os Correios formalizaram quarta-feira (6), no Tribunal Superior do Trabalho (TST), em Brasília, a desistência de interpor recursos em 254 processos em que as decisões foram desfavoráveis à empresa. Em ofício entregue ao vice-presidente do TST, ministro Emmanoel Pereira, a empresa também se colocou à disposição para contribuir com a política de conciliação da corte.

Ao comunicar a decisão, o superintendente-executivo jurídico dos Correios, Alexandre Reybmm, destacou que a medida vai desafogar o número de processos e gerar economia processual e financeira para a empresa, que passa por um momento de ajuste de despesas para retomar seu crescimento sustentável. “O prolongamento dessas ações faz com que o passivo seja crescente e a nossa ideia foi estancar essa situação”, destacou o superintendente. Entre os processos contemplados, estão os que tratam de progressões por antiguidade, incorporação de função, danos morais, responsabilidade subsidiária e acidentes de trabalho.

O vice-presidente do TST, ministro Emmanoel Pereira, acredita que a atitude dos Correios deve incentivar outras empresas a adotar a conciliação como forma de resolver pendências jurídicas. “Todos ganham com a conciliação, a começar pelas partes, que vão ter suas querelas resolvidas de uma forma muito rápida”, salientou. “O TST também ganha, pois deixa de ter no seu acervo uma quantidade imensa de processos, que serão solucionados pela conciliação”.

Como próxima etapa, a ECT se comprometeu a se engajar na Semana Nacional de Conciliação com propostas de acordo para diminuir demandas e racionalizar o corpo jurídico da empresa. “Para nós, como advogados públicos, é até constrangedor ficar recorrendo de forma protelatória em situações em que não teremos êxito e que só vão postergar a demanda”, destacou Menezes. “Acho que isso é o início de um processo que devemos prosseguir e ampliar”, reforçou o superintende jurídico dos Correios.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti