Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

líder

Setor de bebidas no Ceará é líder em exportação no Nordeste

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

22 de Janeiro de 2019

O Ceará encerrou o ano de 2018 mantendo-se como líder do Nordeste em exportações do grupo de bebidas, além de ser o 3° maior no país. O montante enviado ao exterior chegou à soma de US$ 61,8 milhões. As importações cearenses das bebidas selecionadas totalizaram US$ 7,92 milhões. As vantagens geográficas do Ceará são evidenciadas pela liderança absoluta do estado em âmbito nacional nas vendas internacionais de água de coco e suco de acerola, o que propiciou uma balança comercial superavitária em US$ 53,8 milhões. Os dados são do estudo Ceará em Comex de 2018, produzido pelo Centro Internacional de Negócios da FIEC, relativo ao segmento de bebidas no Ceará.

De acordo ainda com o estudo, o estado exportou US$ 36,1 milhões em água de coco, valor que representa mais da metade do total vendido no setor, com crescimento de 443,3% entre os dois últimos anos. Já o suco de acerola foi o segundo item mais exportado, com US$ 10,7 milhões. O suco tropical permanece elevando-se em envios, com valor 114,7% maior em relação a 2017. O maior mercado consumidor do estado no período foram os Estados Unidos, que absorveram 65% dos envios cearenses, um total de US$ 40,5 milhões. Holanda, Canadá e França merecem destaque por terem aumentado suas compras das bebidas cearenses em 82,7%, 3,2% e 5,1% respectivamente.

A água de coco é também a principal pauta nas importações. Representando mais de 90% do total importado pelo Ceará no setor, a bebida teve um consumo de US$ 7,6 milhões por parte do estado. O consumo da água vegetal tem como origem sobretudo, as Filipinas, que é o maior parceiro do estado no setor, aumentou seu fornecimento em 5,2% entre 2018 e 2017.

Saiba mais

O Centro Internacional de Negócios auxilia as empresas na inserção no mercado internacional, promovendo a cultura exportadora no Estado do Ceará. O CIN faz parte da Federação das Indústrias do Estado do Ceará – FIEC, que junto com Serviço Social da Indústria – SESI Ceará, Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – SENAI Ceará e Instituto Euvaldo Lodi – IEL Ceará formam o Sistema FIEC.

Publicidade

Ceará é líder em exportação de redes no Brasil

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

03 de Maio de 2018

O Ceará lidera o ranking dos estados exportadores do setor de redes no Brasil, representando 70% do total comercializado pelo país. No acumulado do ano de 2018, as vendas externas aumentaram 27,4% em relação ao mesmo período de 2017, alcançando a cifra de US$ 579,9 mil. França e Alemanha são os principais compradores das redes cearenses, sendo que a segunda aumentou suas importações em mais de 600%, entre o primeiro trimestre de 2017 e o de 2018. 


As informações são do Miniestudo Setorial de Redes, produzido pelo Centro Internacional de Negócios da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC). 

Acesse o estudo completo AQUI.

Publicidade

Ceará é líder em microgeração de energia eólica no Brasil

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

12 de Março de 2016

energialimpa

Liderança ] São 20 unidades ou centrais geradoras eólicas com potência instalada de 56,1 KW (quilowatts), o que corresponde a 33,43% da potência instalada de geração distribuída no Brasil.

 

O Ceará ocupa o primeiro lugar no mercado eólico brasileiro de geração distribuída, que é a geração elétrica realizada pelo próprio consumidor a partir de fontes renováveis ou de alta eficiência energética. Ao todo, são 20 unidades ou centrais geradoras eólicas com potência instalada de 56,1 KW (quilowatts), o que corresponde a 33,43% da potência instalada de geração distribuída no Brasil.

Essas usinas são chamadas de unidades de microgeração, ou seja, que têm potência instalada de até 75 KW. Os equipamentos estão localizados nos municípios de Fortaleza, Eusébio, Aquiraz, Maracanaú e Trairi, e a maioria deles tem uso residencial. De acordo com o secretário adjunto de Energia, Mineração e Telecomunicações da Seinfra, Renato Rolim, a expectativa é que  liderança do Ceará seja mantida e ampliada nos próximos anos com as novas regras da micro e minigeração distribuída que entraram em vigor no último dia primeiro de março.

As novas regras devem trazer ainda mais impacto no setor da microgeração fotovoltaica. “O sol favorece o Ceará. A nossa taxa de insolação é bem maior do que a dos estados do Sul e do Sudeste. Temos um insumo mais forte”, acrescenta Rolim. Hoje o estado ocupa a 13ª posição no mercado fotovoltaico de geração distribuída, sendo responsável por 1,99% da potência instalada nacional. São 63 unidades de microgeração, que possuem 370,6 KW de potência instalada. As unidades ou centrais estão localizadas nos municípios de Fortaleza, Aracati, Jaguaribe, Quixeramobim, Trairi, Aquiraz, Caucaia e Eusébio. A maioria é residencial, mas há unidades de uso comercial e industrial. Também existe uma unidade de minigeração, localizada no município de Tauá, que tem capacidade instalada de 1MW.

Novas regras
De acordo com as novidades da Resolução Normativa nº 482/2012 da ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica, define-se microgeração distribuída como sendo uma unidade ou central geradora com potência instalada de até 75 kW. Já minigeração distribuída se refere a unidade ou central geradora com potência acima de 75 KW e menor ou igual 5.000 kW (5 MW) para fontes renováveis, exceto fontes hídricas que são até 3 MW. Entre as mudanças, estão ainda a permissão do uso de qualquer fonte renovável, além da cogeração qualificada, o aumento do prazo de validade dos créditos de 36 para 60 meses e a possibilidade de instalação de geração distribuída em condomínios. A ANEEL criou ainda a figura da “geração compartilhada”, possibilitando que diversos interessados se unam em um consórcio ou em uma cooperativa, instalem uma micro ou minigeração distribuída e utilizem a energia gerada para redução das faturas dos consorciados ou cooperados.

– Saiba onde estão localizadas as unidades de microgeração e minigeração no Ceará:

http://www.aneel.gov.br/arquivos/Excel/Micro_Minigeracao_ANEEL.xlsx

  • postado por Oswaldo Scaliotti com informações da Assessoria de Comunicação da Seinfra do Governo do Estado do Ceará
Publicidade

Ceará é líder em microgeração de energia eólica no Brasil

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

12 de Março de 2016

energialimpa

Liderança ] São 20 unidades ou centrais geradoras eólicas com potência instalada de 56,1 KW (quilowatts), o que corresponde a 33,43% da potência instalada de geração distribuída no Brasil.

 

O Ceará ocupa o primeiro lugar no mercado eólico brasileiro de geração distribuída, que é a geração elétrica realizada pelo próprio consumidor a partir de fontes renováveis ou de alta eficiência energética. Ao todo, são 20 unidades ou centrais geradoras eólicas com potência instalada de 56,1 KW (quilowatts), o que corresponde a 33,43% da potência instalada de geração distribuída no Brasil.

Essas usinas são chamadas de unidades de microgeração, ou seja, que têm potência instalada de até 75 KW. Os equipamentos estão localizados nos municípios de Fortaleza, Eusébio, Aquiraz, Maracanaú e Trairi, e a maioria deles tem uso residencial. De acordo com o secretário adjunto de Energia, Mineração e Telecomunicações da Seinfra, Renato Rolim, a expectativa é que  liderança do Ceará seja mantida e ampliada nos próximos anos com as novas regras da micro e minigeração distribuída que entraram em vigor no último dia primeiro de março.

As novas regras devem trazer ainda mais impacto no setor da microgeração fotovoltaica. “O sol favorece o Ceará. A nossa taxa de insolação é bem maior do que a dos estados do Sul e do Sudeste. Temos um insumo mais forte”, acrescenta Rolim. Hoje o estado ocupa a 13ª posição no mercado fotovoltaico de geração distribuída, sendo responsável por 1,99% da potência instalada nacional. São 63 unidades de microgeração, que possuem 370,6 KW de potência instalada. As unidades ou centrais estão localizadas nos municípios de Fortaleza, Aracati, Jaguaribe, Quixeramobim, Trairi, Aquiraz, Caucaia e Eusébio. A maioria é residencial, mas há unidades de uso comercial e industrial. Também existe uma unidade de minigeração, localizada no município de Tauá, que tem capacidade instalada de 1MW.

Novas regras
De acordo com as novidades da Resolução Normativa nº 482/2012 da ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica, define-se microgeração distribuída como sendo uma unidade ou central geradora com potência instalada de até 75 kW. Já minigeração distribuída se refere a unidade ou central geradora com potência acima de 75 KW e menor ou igual 5.000 kW (5 MW) para fontes renováveis, exceto fontes hídricas que são até 3 MW. Entre as mudanças, estão ainda a permissão do uso de qualquer fonte renovável, além da cogeração qualificada, o aumento do prazo de validade dos créditos de 36 para 60 meses e a possibilidade de instalação de geração distribuída em condomínios. A ANEEL criou ainda a figura da “geração compartilhada”, possibilitando que diversos interessados se unam em um consórcio ou em uma cooperativa, instalem uma micro ou minigeração distribuída e utilizem a energia gerada para redução das faturas dos consorciados ou cooperados.

– Saiba onde estão localizadas as unidades de microgeração e minigeração no Ceará:

http://www.aneel.gov.br/arquivos/Excel/Micro_Minigeracao_ANEEL.xlsx

  • postado por Oswaldo Scaliotti com informações da Assessoria de Comunicação da Seinfra do Governo do Estado do Ceará