Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

primeiro bimestre de 2019

Icapuí é o município do Ceará com maior queda nas exportações no primeiro bimestre de 2019

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

18 de Abril de 2019

Nos dois primeiros meses de 2019, Icapuí exportou US$ 7,3 milhões, figurando como o oitavo município que mais exporta no Ceará. Esse valor, no entanto, é 63,1% inferior ao exportado no mesmo período de 2018. Foi a maior queda entre os 20 municípios que mais exportam no Ceará. As importações, por sua vez, somaram US$ 488,5 mil no primeiro bimestre do ano, uma redução de 69,8% em relação ao mesmo período do ano anterior. O saldo comercial foi positivo, com um superávit de US$ 6,8 milhões. Os dados são de estudo realizado pelo Centro Internacional de Negócios da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC).

O subgrupo que engloba “Melões, melancias e papaias (mamões) frescos” é o maior impulsionador das vendas ao exterior, com US$ 6,31 milhões. Logo em seguida, estão os crustáceos, com US$ 754,8 mil. Os principais destinos incluem Holanda, em primeiro lugar, com US$ 3,41 milhões, seguida de Reino Unido, com US$ 2,45 milhões.

Caixas e embalagens são os produtos mais importados pela cidade, registrando US$ 390,1 mil, no primeiro bimestre de 2019. Espanha, México, Israel e Tailândia são as principais origens das importações da cidade.

O PIB a preços correntes de Icapuí foi contabilizado pelo IBGE (2015) em R$ 228,1 milhões, sendo 61% englobado pelo setor de serviços, 27% pelo setor primário e 10% pela indústria. A esfera agropecuária é caracterizada principalmente pela produção de frutas como melões, caju e bananas, além de pescados como lagostas.

Saiba mais

O Centro Internacional de Negócios da FIEC apoia a internacionalização das empresas cearenses e promove ações estratégicas, de capacitação e relações institucionais, com o objetivo de impulsionar as exportações e importações da indústria do Ceará. Faz parte da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), que junto com Serviço Social da Indústria (SESI Ceará), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI Ceará), Instituto Euvaldo Lodi (IEL Ceará) e o Observatório da Indústria formam o Sistema FIEC.

Publicidade

Ceará tem superávit comercial de US$ 39 milhões no primeiro bimestre de 2019

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

11 de Março de 2019

O Ceará exportou no primeiro bimestre do ano US$ 395,1 milhões, 17,3% a mais que o mesmo período do ano passado. É o maior valor dos últimos cinco anos e representa um crescimento de 126,7% em comparação ao primeiro bimestre de 2015. As importações, por sua vez, totalizaram US$ 356 milhões, uma queda de 11,1% ante o mesmo período de 2018. O saldo positivo representa um superávit US$ 39,1 milhões, um crescimento de 161,3% em relação ao dos primeiros meses do ano anterior. Os dados são do estudo Ceará em Comex, realizado pelo Centro Internacional de Negócios da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC).

Os números fazem com que o Ceará permaneça no 3° lugar no ranking dos principais exportadores do Nordeste, representando 15,8% das exportações da região. O Estado mantém também a mesma posição registrada anteriormente no ranking nacional (14ª), mas o crescimento de 17,3% foi bem acima da média nacional para o período que foi de 1,4%. Dos quinze maiores estados exportadores do Brasil, o Ceará foi o segundo que mais cresceu, atrás apenas do Mato Grosso, que avançou 20% entre 2018 e 2019.

A cidade de São Gonçalo do Amarante continua em destaque. O município representa mais de 51% das exportações cearenses e continua crescendo. Ao todo, São Gonçalo exportou US$ 201,5 milhões nos dois primeiros meses de 2019. Logo em seguida, Sobral e Caucaia posicionam-se como 2° e 3° maiores exportadores cearenses. Sobral, líder nacional nas exportações de calçados, somou US$44,4 milhões. Caucaia, maior exportador de equipamentos de energia eólica do país, totalizou US$ 37,4 milhões em exportações em 2019, valor esse 324,4% maior do que o resultado de 2018, e ultrapassou Fortaleza na terceira posição.

A capital também contabilizou crescimento, saindo de US$ 22,2 milhões no ano passado para US$ 29,5 milhões no atual. O município de Uruburetama chama a atenção em 2019 ao registrar o segundo maior aumento em vendas ao exterior, com um valor 162,7% maior que o acumulado no mesmo período em 2018. Totalizando US$ 8,76 milhões exportados, a cidade alcançou o resultado devido à exportação de calçados que havia perdido força desde 2017.

Saiba mais

O Centro Internacional de Negócios da FIEC apoia a internacionalização das empresas cearenses e promove ações estratégicas, de capacitação e relações institucionais, com o objetivo de impulsionar as exportações e importações da indústria do Ceará. Faz parte da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), que junto com Serviço Social da Indústria (SESI Ceará), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI Ceará), Instituto Euvaldo Lodi (IEL Ceará) e o Observatório da Indústria formam o Sistema FIEC.

Publicidade

Ceará tem superávit comercial de US$ 39 milhões no primeiro bimestre de 2019

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

11 de Março de 2019

O Ceará exportou no primeiro bimestre do ano US$ 395,1 milhões, 17,3% a mais que o mesmo período do ano passado. É o maior valor dos últimos cinco anos e representa um crescimento de 126,7% em comparação ao primeiro bimestre de 2015. As importações, por sua vez, totalizaram US$ 356 milhões, uma queda de 11,1% ante o mesmo período de 2018. O saldo positivo representa um superávit US$ 39,1 milhões, um crescimento de 161,3% em relação ao dos primeiros meses do ano anterior. Os dados são do estudo Ceará em Comex, realizado pelo Centro Internacional de Negócios da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC).

Os números fazem com que o Ceará permaneça no 3° lugar no ranking dos principais exportadores do Nordeste, representando 15,8% das exportações da região. O Estado mantém também a mesma posição registrada anteriormente no ranking nacional (14ª), mas o crescimento de 17,3% foi bem acima da média nacional para o período que foi de 1,4%. Dos quinze maiores estados exportadores do Brasil, o Ceará foi o segundo que mais cresceu, atrás apenas do Mato Grosso, que avançou 20% entre 2018 e 2019.

A cidade de São Gonçalo do Amarante continua em destaque. O município representa mais de 51% das exportações cearenses e continua crescendo. Ao todo, São Gonçalo exportou US$ 201,5 milhões nos dois primeiros meses de 2019. Logo em seguida, Sobral e Caucaia posicionam-se como 2° e 3° maiores exportadores cearenses. Sobral, líder nacional nas exportações de calçados, somou US$44,4 milhões. Caucaia, maior exportador de equipamentos de energia eólica do país, totalizou US$ 37,4 milhões em exportações em 2019, valor esse 324,4% maior do que o resultado de 2018, e ultrapassou Fortaleza na terceira posição.

A capital também contabilizou crescimento, saindo de US$ 22,2 milhões no ano passado para US$ 29,5 milhões no atual. O município de Uruburetama chama a atenção em 2019 ao registrar o segundo maior aumento em vendas ao exterior, com um valor 162,7% maior que o acumulado no mesmo período em 2018. Totalizando US$ 8,76 milhões exportados, a cidade alcançou o resultado devido à exportação de calçados que havia perdido força desde 2017.

Saiba mais

O Centro Internacional de Negócios da FIEC apoia a internacionalização das empresas cearenses e promove ações estratégicas, de capacitação e relações institucionais, com o objetivo de impulsionar as exportações e importações da indústria do Ceará. Faz parte da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), que junto com Serviço Social da Indústria (SESI Ceará), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI Ceará), Instituto Euvaldo Lodi (IEL Ceará) e o Observatório da Indústria formam o Sistema FIEC.