Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

TJCE

TJCE seleciona estagiários de pós-graduação até 1º de dezembro

Por Oswaldo Scaliotti em Empregos

13 de novembro de 2019

A seleção está sendo feita pelo IEL Ceará e contempla diversos cursos. As bolsas são de R$2.000,00 + auxílio transporte

O Instituto Euvaldo Lodi – IEL Ceará, instituição responsável pelo processo seletivo de estagiários do Tribunal de Justiça do Estado do Ceará (TJCE), abre inscrições para preenchimento de 16 (dezesseis) vagas, bem como formação de cadastro de reserva, voltadas a estudantes de cursos de pós-graduação de diversas áreas do conhecimento, para o Poder Judiciário cearense.

Podem participar alunos que tiverem concluído a graduação e estejam matriculados em cursos de pós-graduação nas seguintes áreas: administração, arquitetura, auditoria e controladoria, contabilidade, engenharia civil, engenharia elétrica, engenharia mecânica, estatística, gestão da qualidade, gestão de material e patrimônio, gestão de pessoas, gestão estratégica, pedagogia, tecnologia da informação. O curso de direito também consta na seleção, mas para formação de cadastro de reserva.

O regime de trabalho dos selecionados será de 30 horas semanais, em horário a ser combinado. A bolsa é de R$2.000,00 mais auxílio transporte correspondente a meia passagem estudantil da cidade de Fortaleza. Confira todos os detalhes AQUI.

As inscrições seguem até o dia 1º de dezembro, através dos seguintes links:

Estudantes de direito:

https://www.iel-ce.org.br/para-voce/vagas-de-estagio/678/tjce-20-2019-direito

Estudantes de demais cursos:

https://www.iel-ce.org.br/para-voce/vagas-de-estagio/679/tjce-21-2019-diversos-cursos

 

SERVIÇO

Seleção de estagiários de pós-graduação para o TJCE

Data: até 1º de dezembro

Mais informações: AQUI

Gerência de Comunicações – Sistema FIEC
(85) 3421 5435 / 5434

Confira as notícias da indústria cearense no FIEC online.
Siga-nos nas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram

Fotos do Sistema FIEC: Flickr

Publicidade

TJCE autoriza atendimento por telefone aos advogados e advogadas no interior do Estado

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

18 de junho de 2019

Atendendo a um pedido da Ordem dos Advogados do Brasil – Secção Ceará, o presidente do Tribunal de Justiça do Ceará, Washington Araújo, oficiou, nesta terça-feira (18), os juízes de direito das Comarcas do interior, autorizando o atendimento por telefone aos advogados e advogadas.

O ofício, expedido um dia após a reunião com a OAB Ceará, destaca justamente um dos pleitos apresentados pelo presidente da Seccional, Erinaldo Dantas, e pelos presidentes das Subsecções da Região Centro-Sul do Estado. A OAB postulou que fosse avaliada a possibilidade de atendimento aos advogados por telefone, diante das dificuldades enfrentadas por profissionais, relacionadas a causas em tramitação em Comarcas do interior, notadamente no que se refere à necessidade de deslocamentos contínuos a vários municípios no exercício de suas atividades.

O presidente do TJCE, Washington Araújo, considerando que a advocacia possui o direito de obter informações sobre processos e que cabe ao Poder Judiciário adotar as medidas necessárias que garantam o exercício dessa prerrogativa, autorizou o atendimento via telefone aos advogados.

De acordo com o documento, o atendimento autorizado está restrito às comarcas do interior e não abrange processos que tramitam sob segredo de justiça, em que não seja possível a identificação segura do causídico que solicita a informação, conforme o artigo 107, I, do Código de Processo Civil.

De acordo com Erinaldo Dantas, essa é uma grande vitória para a advocacia. “Estamos lutando por melhorias para a advocacia e essa abertura de diálogo com o Tribunal de Justiça é fundamental. Os pleitos da região centro-sul foram discutidos prontamente e almejamos apresentar, o mais breve possível, os demais pleitos de todo o Estado”, finaliza.

Publicidade

ACM e TJCE unidos pela valorização da vida

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

11 de setembro de 2018

Entidades lançaram campanha em alusão ao Setembro Amarelo

A Associação Cearense de Magistrados (ACM) e o Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) realizaram, na manhã da última segunda-feira (10), no hall de entrada do Fórum Clóvis Beviláqua, evento de lançamento para campanha de valorização da vida. A iniciativa marca a adesão do judiciário cearense ao Setembro Amarelo, mês mundial de prevenção ao suicídio. Na ocasião, houve distribuição de laços amarelos, símbolo mundial da mobilização, com a presença da Banda da Polícia Militar.

A campanha, idealizada pela desembargadora Lisete de Sousa Gadelha, vai abranger desde palestras a postagens nas redes sociais das entidades. O objetivo é convidar os membros do Judiciário a dialogarem sobre o tema, identificarem sinais, buscarem ajuda ou oferecerem apoio a um amigo ou familiar, pois com informação e diálogo muitas vidas podem ser salvas.

A juíza e diretora de comunicação da ACM, Joriza Pinheiro, destaca que há ainda muito desconhecimento e preconceito em relação ao tema. “Com a Campanha de Valorização da Vida queremos não apenas evidenciar a importância de cuidar de si, prevenir, procurar ajuda amiga e também profissional em caso de depressão, mas também mostrar a necessidade de se ter empatia com o outro, olhar atentamente, ouvir, expressar amor”, afirma.

PALESTRAS

Dentro da programação da campanha haverá, na próxima quinta-feira (13), às 09h, no Auditório Agenor Studart, no Fórum Clóvis Beviláqua, uma palestra ministrada pela psicóloga Cibele Gadelha Castelo Barros, com o tema “Dito por não dito: quebrando paradigmas. O encontro em prol da valorização à vida”.

Já no dia 14, a partir das 13h, o major José Edir vai conduzir palestra sobre “Prevenção e estratégias de ação em crise suicida”. A explanação ocorrerá no Tribunal de Justiça, no Palácio da Justiça. No dia 19, às 14h, o psicólogo do Tribunal de Justiça, José Carlos Xavier, vai falar aos servidores a respeito do assunto, no auditório do Tribunal de Justiça.

SETEMBRO AMARELO

Setembro Amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção ao suicídio, que surgiu em 2015, com o objetivo de alertar a população a respeito da realidade do suicídio no Brasil e no mundo e suas formas de prevenção.

Trata-se de um problema de saúde pública que vem causando cada vez mais vítimas. Segundo dados do Centro de Valorização à Vida (CVV), são 32 brasileiros mortos por dia em razão do suicídio, taxa superior às vítimas de doenças como a AIDS e os diversos tipos de câncer. A depressão é uma das principais doenças que resultam na causa.

leia tudo sobre

Publicidade

Fametro assina convênio com TJCE e recebe 13º Juizado Especial Cível com atendimento gratuito à população

Por Oswaldo Scaliotti em Responsabilidade social

15 de Março de 2018

A Faculdade Metropolitana da Grande Fortaleza (Fametro) passa a sediar, em um de seus campi (localizado à Rua Conselheiro Estelita, 515, Centro), a 13ª unidade do Juizado Especial Cível de Fortaleza (JEC), antes localizada no bairro Monte Castelo. A solenidade que oficializa o convênio de cooperação entre a Fametro e o Tribunal de Justiça do Estado do Ceará (TJCE) ocorre no próximo dia 20 de março, às 10h.

Com a implantação, a população que vive em bairros próximos da Fametro terá assistência jurídica de forma mais rápida e gratuita. Além disso, o Juizado ampliará as vivências dos estudantes de Direito da IES, que já contam com o Núcleo de Práticas Jurídicas. Os estágios no Juizado são destinados especificamente a graduandos a partir do sexto semestre.

“O JEC representa uma conquista para os alunos da instituição, que terão a oportunidade de aprimorar seus conhecimentos e conhecer de perto a realidade da profissão, bem como para os moradores de Fortaleza, principalmente do entorno, que serão atendidos de forma gratuita”, afirma Christianne Melo, diretora geral da Fametro.

Antes chamado de Juizado de Pequenas Causas, o JEC é um órgão da Justiça criado para processar as causas de menor complexidade. Cobranças relacionadas à prestação de serviços, como contrato de aluguel, cheques, vendas, reparação e ressarcimento de danos e execução de notas promissórias são algumas das causas tratadas pelo juizado, que é responsável pela tramitação dos processos do início até a sentença final. No caso das ações de execução, são aceitas causas com até 40 salários mínimos com advogado, e até 20 salários mínimos sem advogado.

O juizado foi instalado em prédio cedido pela Fametro, que ficará responsável também por sua manutenção. O atendimento funcionará de segunda a sexta-feira, sempre das 8h às 18h.

Publicidade

Fametro assina convênio com TJCE e recebe 13º Juizado Especial Cível com atendimento gratuito à população

Por Oswaldo Scaliotti em Responsabilidade social

15 de Março de 2018

A Faculdade Metropolitana da Grande Fortaleza (Fametro) passa a sediar, em um de seus campi (localizado à Rua Conselheiro Estelita, 515, Centro), a 13ª unidade do Juizado Especial Cível de Fortaleza (JEC), antes localizada no bairro Monte Castelo. A solenidade que oficializa o convênio de cooperação entre a Fametro e o Tribunal de Justiça do Estado do Ceará (TJCE) ocorre no próximo dia 20 de março, às 10h.

Com a implantação, a população que vive em bairros próximos da Fametro terá assistência jurídica de forma mais rápida e gratuita. Além disso, o Juizado ampliará as vivências dos estudantes de Direito da IES, que já contam com o Núcleo de Práticas Jurídicas. Os estágios no Juizado são destinados especificamente a graduandos a partir do sexto semestre.

“O JEC representa uma conquista para os alunos da instituição, que terão a oportunidade de aprimorar seus conhecimentos e conhecer de perto a realidade da profissão, bem como para os moradores de Fortaleza, principalmente do entorno, que serão atendidos de forma gratuita”, afirma Christianne Melo, diretora geral da Fametro.

Antes chamado de Juizado de Pequenas Causas, o JEC é um órgão da Justiça criado para processar as causas de menor complexidade. Cobranças relacionadas à prestação de serviços, como contrato de aluguel, cheques, vendas, reparação e ressarcimento de danos e execução de notas promissórias são algumas das causas tratadas pelo juizado, que é responsável pela tramitação dos processos do início até a sentença final. No caso das ações de execução, são aceitas causas com até 40 salários mínimos com advogado, e até 20 salários mínimos sem advogado.

O juizado foi instalado em prédio cedido pela Fametro, que ficará responsável também por sua manutenção. O atendimento funcionará de segunda a sexta-feira, sempre das 8h às 18h.