Cacadores de medula Archives - News Maranguape 
Publicidade

News Maranguape

por Dadynha Saturnino

Cacadores de medula

Doação: Campanha bate recorde em Maranguape

Por Dadynha Saturnino em Solidariedade

08 de dezembro de 2019

Doação: no dia em que completou 1 ano que André Torres encontrou o seu doador compatível, centenas de pessoas marcaram presença na terceira edição da Campanha Doe Vida realizada no Maranguape Shopping Mall e alimentaram a esperança dos pequenos maranguapenses @ajudanohanteixeira (8 anos – Aplasia Medular) , do @lorenzo_paulo15 (1 ano e 8 meses – Leucemia) e de outros milhares de pacientes que encontram-se na fila do transplante de medula óssea aguardando localizar o seu doador compatível.

 

20191207_130826
20191207_123538
20191207_114426

 

 

Previsto para encerrar às 17h, o atendimento do @hemoceoficial finalizou quase 21h, totalizando 176 bolsas de sangue e 168 cadastros de doadores de medula óssea realizados, batendo o próprio recorde de campanhas externas realizadas em Shopping pelo hemocentro.

Realizada pelos @cacadoresdemedula em parceria com o @leomaranguape e o Shopping, a campanha também contou com o apoio e presença dos familiares do Nohan o dia todo, inclusive o garoto que passou boa parte do dia no local. Lorenzo e suas tias também marcaram presença e foram apresentados aos doadores voluntários, em sinal de agradecimento ao gesto solidário e de empatia que tem como objetivo de salvar vidas e manter acesa a chama da esperança de quem sonha encontrar o seu doador. As chances são de 1 para 100 mil cadastros.
.
.
Esta edição foi dedicada ao Matheus Oliveira (IM). A próxima está prevista para acontecer em abril/2020 (à confirmar).
.
#campanhadoevida #doevida #doesangue #doeplaquetas #doemedula #hemoce #cacadoresdemedula #blognewsmaranguape #newsmaranguapepordadynhasaturnino #AnjoDoador #doacaodesangue #medula #AplasiaMedular #leucemia #ajudanohanteixeira #ajudalorenzoleucemia #Maranguape

Publicidade

Doe vida: Campanha acontece neste sábado (07), no Maranguape Shopping Mall

Por Dadynha Saturnino em Solidariedade

05 de dezembro de 2019

“Doe Vida”. A terceira edição da Campanha para doação de sangue e cadastro de novos doadores voluntários de medula óssea acontece neste sábado (07), das 9h às 17, no Piso L1, do Maranguape Shopping Mall, localizado no Centro da cidade. A iniciativa é realizada pela ONG Caçadores de Medula em parceira com o Leo Clube Maranguape, o Maranguape Shopping Mall e o Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (HEMOCE). Nesta edição, os organizadores levantam a bandeira “AJUDA NOHAN TEIXEIRA”, maranguapense de apenas oito (08) anos diagnosticado com Aplasia Medular e encontra-se na fila do transplante de medula óssea assim como “LORENZO”, 1 ano e seis meses e diagnóstico de Leucemia e também realizam a homenagem póstuma “Para sempre Matheus Oliveira”, em reconhecimento ao empreendedorismo social e amor ao próximo dedicados pelo saudoso maranguapense em atividades voluntárias à frente do Leo Clube, entre elas a primeira edição desta Campanha, ocorrida em dezembro de 2018, a qual o HEMOCE bateu o recorde de doações recebidas em campanhas externas (Shopping). Matheus faleceu há pouco mais de três meses, vítima de complicações ocorridas durante o tratamento da doença Púrpura Trompocitopênica Imunológica (PTI).

 

III Campanha Doe Vida em Maranguape. Divulgação
III Campanha Doe Vida em Maranguape. Divulgação
III Campanha Doe Vida em Maranguape. Divulgação
III Campanha Doe Vida em Maranguape. Divulgação

 

 

Atenção

 

Para fazer o cadastro de doador voluntário de medula óssea, é necessário ter entre 18 e 55 anos, não ter tido doença infecciosa ou incapacitante, neoplásica (câncer), hematológica (do sangue) ou do sistema imunológico.
(algumas complicações de saúde não são impeditivas para doação, sendo analisado caso a caso), apresentar documento oficial e original com foto, preencher formulário com dados pessoais e coletar amostra de sangue (5ml) para testes. Para doar sangue, é preciso estar saudável, bem alimentado, ter mais de 50 quilos, ter entre 16 e 69 anos (desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos) e apresentar um documento oficial e original com foto.

 

Os candidatos à doação de sangue com idade entre 16 e 17 anos devem possuir consentimento formal, por escrito, do seu responsável legal para cada doação que realizar. O Hemoce disponibiliza em seu site o TERMO DE CONSENTIMENTO PARA MENORES DE 18 ANOS que deve ser apresentado para autorização da doação dos jovens nesta faixa etária. O limite de idade para a primeira doação é de 60 (sessenta) anos, 11 (onze) meses e 29 (vinte e nove) dias. O intervalo para doação de sangue para homens é de 2 meses podendo doar até 4 vezes por ano e para mulher é de 3 meses, podendo doar até 3 vezes por ano.

 

Fonte: HEMOCE/REDOME.

 

I CAMPANHA DOE VIDA 2018. DIVULGAÇÃO

 

 

Serviço

 

III Campanha Doe Vida

Seja um doador voluntário de sangue e de medula óssea

07/12/19, das 9h às 17h

Maranguape Shopping Mall

Publicidade

Caçadores de Medula: cadastro de doadores é realizado na Dakota, em Maranguape

Por Dadynha Saturnino em Solidariedade

05 de dezembro de 2018

A Campanha Caçadores de Medula aconteceu nesta segunda (03), na fábrica de calçados Dakota Nordeste, em Maranguape. Durante todo o dia, a equipe do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (HEMOCE) esteve à disposição dos funcionários e realizou um total de 191 novos cadastros de doadores voluntários de medula óssea. Instalada em Maranguape deste 1995, a Dakota é parceira de instituições públicas e privadas desta cidade na constante realização de ações sociais junto aos seus colaboradores, desde a realização de palestras preventivas sobre os mais variados tipos de doenças em homens e mulheres como o apoio a campanhas de incentivo à valorização da vida, como esta dos Caçadores de Medula.

 

Cadastro

 

8
Caçadores de Medula na DAKOTA 1
3/9

Caçadores de Medula na DAKOTA 1

Caçadores de Medula na DAKOTA. Divulgação

18-12-03 Caçadores de Medula DAKOTA 2
18-12-03 Caçadores de Medula DAKOTA 3
18-12-03 Caçadores de Medula DAKOTA 4
18-12-03 Caçadores de Medula DAKOTA 5
18-12-03 Caçadores de Medula DAKOTA 6
18-12-03 Caçadores de Medula DAKOTA

 

O cadastro de doador de medula óssea pode ser feito em qualquer hemocentro do país. O voluntário deve apresentar um documento oficial com foto, preencher a ficha cadastral, assinar o Termo de Consentimento e autorizar a coleta de uma pequena amostra de sangue do braço (5ml). O doador precisa ter entre 18 e 55 anos, não ter doença infecciosa ou incapacitante, não apresentar doença neoplásica (câncer), hematológica (do sangue) ou do sistema imunológico.

 

 

Doação de Medula Óssea (transplante)

 

Segundo o Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (REDOME), o transplante de medula óssea pode beneficiar o tratamento de cerca de 80 doenças em diferentes estágios e faixas etárias. Além disso, o doador ideal (irmão compatível) só está disponível em cerca de 25% das famílias brasileiras – para 75% dos pacientes é necessário identificar um doador alternativo a partir dos registros de doadores voluntários, bancos públicos de sangue de cordão umbilical ou familiares parcialmente compatíveis (haploidênticos). A cada 100 mil cadastros, somente uma medula de um doador alternativo é 100% compatível com a de algum paciente que aguarda na fila do transplante. O objetivo da campanha Caçadores de Medula é aumentar o número de cadastro para aumentar as chances de compatibilidade.

 

A doação (transplante) é um procedimento que se faz em centro cirúrgico, sob anestesia peridural ou geral, e requer internação de 24 horas. A medula é retirada do interior de ossos da bacia, por meio de punções. O procedimento leva em torno de 90 minutos. A medula óssea do doador se recompõe em apenas 15 dias. Nos primeiros três dias após a doação pode haver desconforto localizado, de leve a moderado, que pode ser amenizado com o uso de analgésicos e medidas simples. Normalmente, os doadores retornam às suas atividades habituais depois da primeira semana após a doação.

 

Há outro método de doação chamado coleta por aférese. Neste caso, o doador faz uso de uma medicação por cinco dias com o objetivo de aumentar o número de células-tronco (células mais importantes para o transplante de medula óssea) circulantes no seu sangue. Após esse período, a pessoa faz a doação por meio de uma máquina de aférese, que colhe o sangue da veia do doador, separa as células-tronco e devolve os elementos do sangue que não são necessários para o paciente. Não há necessidade de internação nem de anestesia, sendo todos os procedimentos feitos pela veia. A decisão sobre o método de doação mais adequado é exclusiva dos médicos assistentes, tanto do paciente quanto do doador, e será avaliada em cada caso.

 

Fonte: REDOME

 

 

Publicidade

Caçadores de Medula: cadastro de doadores é realizado na Dakota, em Maranguape

Por Dadynha Saturnino em Solidariedade

05 de dezembro de 2018

A Campanha Caçadores de Medula aconteceu nesta segunda (03), na fábrica de calçados Dakota Nordeste, em Maranguape. Durante todo o dia, a equipe do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (HEMOCE) esteve à disposição dos funcionários e realizou um total de 191 novos cadastros de doadores voluntários de medula óssea. Instalada em Maranguape deste 1995, a Dakota é parceira de instituições públicas e privadas desta cidade na constante realização de ações sociais junto aos seus colaboradores, desde a realização de palestras preventivas sobre os mais variados tipos de doenças em homens e mulheres como o apoio a campanhas de incentivo à valorização da vida, como esta dos Caçadores de Medula.

 

Cadastro

 

8
Caçadores de Medula na DAKOTA 1
3/9

Caçadores de Medula na DAKOTA 1

Caçadores de Medula na DAKOTA. Divulgação

18-12-03 Caçadores de Medula DAKOTA 2
18-12-03 Caçadores de Medula DAKOTA 3
18-12-03 Caçadores de Medula DAKOTA 4
18-12-03 Caçadores de Medula DAKOTA 5
18-12-03 Caçadores de Medula DAKOTA 6
18-12-03 Caçadores de Medula DAKOTA

 

O cadastro de doador de medula óssea pode ser feito em qualquer hemocentro do país. O voluntário deve apresentar um documento oficial com foto, preencher a ficha cadastral, assinar o Termo de Consentimento e autorizar a coleta de uma pequena amostra de sangue do braço (5ml). O doador precisa ter entre 18 e 55 anos, não ter doença infecciosa ou incapacitante, não apresentar doença neoplásica (câncer), hematológica (do sangue) ou do sistema imunológico.

 

 

Doação de Medula Óssea (transplante)

 

Segundo o Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (REDOME), o transplante de medula óssea pode beneficiar o tratamento de cerca de 80 doenças em diferentes estágios e faixas etárias. Além disso, o doador ideal (irmão compatível) só está disponível em cerca de 25% das famílias brasileiras – para 75% dos pacientes é necessário identificar um doador alternativo a partir dos registros de doadores voluntários, bancos públicos de sangue de cordão umbilical ou familiares parcialmente compatíveis (haploidênticos). A cada 100 mil cadastros, somente uma medula de um doador alternativo é 100% compatível com a de algum paciente que aguarda na fila do transplante. O objetivo da campanha Caçadores de Medula é aumentar o número de cadastro para aumentar as chances de compatibilidade.

 

A doação (transplante) é um procedimento que se faz em centro cirúrgico, sob anestesia peridural ou geral, e requer internação de 24 horas. A medula é retirada do interior de ossos da bacia, por meio de punções. O procedimento leva em torno de 90 minutos. A medula óssea do doador se recompõe em apenas 15 dias. Nos primeiros três dias após a doação pode haver desconforto localizado, de leve a moderado, que pode ser amenizado com o uso de analgésicos e medidas simples. Normalmente, os doadores retornam às suas atividades habituais depois da primeira semana após a doação.

 

Há outro método de doação chamado coleta por aférese. Neste caso, o doador faz uso de uma medicação por cinco dias com o objetivo de aumentar o número de células-tronco (células mais importantes para o transplante de medula óssea) circulantes no seu sangue. Após esse período, a pessoa faz a doação por meio de uma máquina de aférese, que colhe o sangue da veia do doador, separa as células-tronco e devolve os elementos do sangue que não são necessários para o paciente. Não há necessidade de internação nem de anestesia, sendo todos os procedimentos feitos pela veia. A decisão sobre o método de doação mais adequado é exclusiva dos médicos assistentes, tanto do paciente quanto do doador, e será avaliada em cada caso.

 

Fonte: REDOME