Medula Óssea Archives - News Maranguape 
Publicidade

News Maranguape

por Dadynha Saturnino

Medula Óssea

Doe vida: Campanha acontece neste sábado (07), no Maranguape Shopping Mall

Por Dadynha Saturnino em Solidariedade

05 de dezembro de 2019

“Doe Vida”. A terceira edição da Campanha para doação de sangue e cadastro de novos doadores voluntários de medula óssea acontece neste sábado (07), das 9h às 17, no Piso L1, do Maranguape Shopping Mall, localizado no Centro da cidade. A iniciativa é realizada pela ONG Caçadores de Medula em parceira com o Leo Clube Maranguape, o Maranguape Shopping Mall e o Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (HEMOCE). Nesta edição, os organizadores levantam a bandeira “AJUDA NOHAN TEIXEIRA”, maranguapense de apenas oito (08) anos diagnosticado com Aplasia Medular e encontra-se na fila do transplante de medula óssea assim como “LORENZO”, 1 ano e seis meses e diagnóstico de Leucemia e também realizam a homenagem póstuma “Para sempre Matheus Oliveira”, em reconhecimento ao empreendedorismo social e amor ao próximo dedicados pelo saudoso maranguapense em atividades voluntárias à frente do Leo Clube, entre elas a primeira edição desta Campanha, ocorrida em dezembro de 2018, a qual o HEMOCE bateu o recorde de doações recebidas em campanhas externas (Shopping). Matheus faleceu há pouco mais de três meses, vítima de complicações ocorridas durante o tratamento da doença Púrpura Trompocitopênica Imunológica (PTI).

 

III Campanha Doe Vida em Maranguape. Divulgação
III Campanha Doe Vida em Maranguape. Divulgação
III Campanha Doe Vida em Maranguape. Divulgação
III Campanha Doe Vida em Maranguape. Divulgação

 

 

Atenção

 

Para fazer o cadastro de doador voluntário de medula óssea, é necessário ter entre 18 e 55 anos, não ter tido doença infecciosa ou incapacitante, neoplásica (câncer), hematológica (do sangue) ou do sistema imunológico.
(algumas complicações de saúde não são impeditivas para doação, sendo analisado caso a caso), apresentar documento oficial e original com foto, preencher formulário com dados pessoais e coletar amostra de sangue (5ml) para testes. Para doar sangue, é preciso estar saudável, bem alimentado, ter mais de 50 quilos, ter entre 16 e 69 anos (desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos) e apresentar um documento oficial e original com foto.

 

Os candidatos à doação de sangue com idade entre 16 e 17 anos devem possuir consentimento formal, por escrito, do seu responsável legal para cada doação que realizar. O Hemoce disponibiliza em seu site o TERMO DE CONSENTIMENTO PARA MENORES DE 18 ANOS que deve ser apresentado para autorização da doação dos jovens nesta faixa etária. O limite de idade para a primeira doação é de 60 (sessenta) anos, 11 (onze) meses e 29 (vinte e nove) dias. O intervalo para doação de sangue para homens é de 2 meses podendo doar até 4 vezes por ano e para mulher é de 3 meses, podendo doar até 3 vezes por ano.

 

Fonte: HEMOCE/REDOME.

 

I CAMPANHA DOE VIDA 2018. DIVULGAÇÃO

 

 

Serviço

 

III Campanha Doe Vida

Seja um doador voluntário de sangue e de medula óssea

07/12/19, das 9h às 17h

Maranguape Shopping Mall

Publicidade

Encontrado doador de medula para Andre Torres. Transplante será feito em SP e família pede ajuda através de vakinha virtual

Por Dadynha Saturnino em Solidariedade

12 de dezembro de 2018

Encontrado doador de medula óssea de André Torres. Arquivo pessoal.

Diagnosticado em junho deste ano com Leucemia Aguda Indiferenciada (LAI), um tipo raro de câncer, o Executivo de vendas André Torres, de 33 anos, acaba de encontrar o seu doador compatível. O transplante de medula óssea será feito em São Paulo-SP, local que ele e sua família precisarão morar cerca de um ano, período do acompanhamento pós-transplante.

 

A felicidade da notícia que o doador foi encontrado deixou a família maranguapense em êxtase, mas, também muito preocupada com a situação financeira, que originou um pedido de ajuda através de uma Vakinha Virtual, com o objetivo de arrecadar 150mil reais, recursos inicialmente previstos para custear esta nova etapa do tratamento. O lançamento da campanha aconteceu nesta terça (11), nas redes sociais. Veja como ajudar!

 

 

Vakinha virtual

 

Vakinha virtual. Família de André Torres lança campanha com pedido de ajuda. Divulgação

O doador de medula óssea encontrado é 90% compatível com o André, e esse percentual já o possibilita seguir para a próxima etapa em busca da cura definitiva da doença. Por se tratar de um tipo de Leucemia rara, o transplante precisará ser feito num Hospital de São Paulo-SP, onde será necessário que ele, a esposa Maytê Lins, o filho Davi (conhecido como bebê caçador de medula) e a mãe, Lúcia Torres morem durante um ano, o que significa despesas de moradia, alimentação, deslocamentos, medicamentos, exames, procedimentos não cobertos pelo plano, entre outras, enfim, todos os custos de viver uma vida fora de casa. Agora, a família pede a ajuda financeira de todos, em qualquer valor, através desta VAKINHA, para André continuar o tratamento em São Paulo e assim vencer mais essa etapa. “Ajude com qualquer valor, através da vakinha virtual ou depósito bancário. Quero ver meu filho crescer”, pede André. A família também disponibilizou os dados bancários para quem desejar contribuir de outra forma:

Banco do Brasil – Agência 0675-0

CC: 32561-9
Mayte de Lima Lins (Esposa)
CPF: 018.700.153-71

Bradesco – Agência: 1579-2

CC: 45713-2
Mayte de Lima Lins (Esposa)
CPF: 018.700.153-71

 

 

 

Caçadores de Medula

 

Foi através do diagnóstico do André que sua família criou a campanha “Caçadores de Medula”, onde o filho de Davi, de 1 aninho à época, se tornou o Bebê Caçador de Medula, e a partir daí iniciaram “caçadas” por cadastros de novos doadores no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (REDOME). Em pouco mais de três meses, já foram efetuados quase 1.500 cadastros voluntários em campanhas realizadas em Empresas cearenses (Coca-Cola, Enel, Gera 3 sistemas, Casa Magalhães, Fortes tecnologia, Vector, Uninassau, Feminize, Jangadeiro Têxtil, CIALNE, Dakota, Hospital Haroldo Huaçaba – Instituto do Câncer do Ceará (ICC), Bradesco, Hemoce Praça das Flores, Parque do Cocó), com o apoio do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (HEMOCE) e mesmo localizando o doador do André, a Campanha continua: já estão agendadas as ações no Grupo M.Dias Branco, Hope Maranguape, Prefeitura de Paracuru, Ferrovia TRANSNORDESTINA e Maranguape Shopping Mall.

 

 

Saiba mais em

 

Instagram: cacadores de medula

Facebook: caçadores de medula

Vakinha virtal: Ajude o André Torres

 

Links de reportagens:

 

Garoto de 1 ano comove a internet por “caçar” medula para o pai que tem leucemia

 

Campanha Caçadores de Medula é realizada na Feminize, em Maranguape

 

Caçadores de Medula: cadastro de doadores é realizado na Dakota, em Maranguape

Publicidade

Campanha de doação de sangue para o HEMOCE acontece nesse sábado (11), em Maranguape

Por Dadynha Saturnino em Solidariedade

07 de junho de 2016

Campanha de doação de sangue para o Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce) acontece nesse sábado (11), das 9h às 15hs, no Centro da cidade de Maranguape. A iniciativa é do Lions e Leo Clube, Instituições filantrópicas sem fins lucrativos que realiza a campanha para facilitar o acesso da população à doação e também para motivar o cadastro de doadores de medula óssea além, claro, de ajudar o HEMOCE a salvar vidas. Para ser doador é preciso ter entre 16 a 69 anos de idade, ter mais de 50kg, estar bem alimentado, saudável e munido de um documento oficial com foto (RG, CNH, Carteira de Trabalho, Passaporte). Quem tem menos de 18 anos precisa apresentar o termo de consentimento para menores de 18 anos, disponível para download no site do Hemoce (http://www.hemoce.ce.gov.br).

 

Lions e Leo Clube de Maranguape realizam campanha de doação de sangue. Diivulgação

Lions e Leo Clube de Maranguape realizam campanha de doação de sangue. Divulgação

 

 

Publicidade

Conheça o Instituto Chico Anysio. Seja um apoiador da pesquisa sobre a cura do enfisema pulmonar.

Por Dadynha Saturnino em Solidariedade

13 de Janeiro de 2013

Instituto Chico Anysio é uma organização que apoia e incentiva as pesquisas com células-troncos da medula óssea para a cura do enfisema pulmonar e também atua conscientizando as pessoas sobre o mal que o tabagismo causa. É presidido por Malga Di Paula, viúva do Chico Anysio (1931-2012) maior comediante que este país já teve e empresta seu nome ao Instituto que tem como objetivo principal a arrecadação de  recursos para a realização das pesquisas em técnicas inovadoras que tem à frente o médico Dr. João Tadeu Ribeiro-Paes (médico e Doutor em Genética – pela Faculdade de Medicina – USP (Ribeirão Preto/SP) e coordenador do Laboratório de Genética e Terapia Celular – GenTe Cel – UNESP – Campus de Assis (SP) e a conscientização ao anti-tabagismo.

Folder do Instituto Chico Anysio. Foto divulgação

Chico Anysio

Francisco Anysio de Oliveira Paula Filho, o Chico Anysio, nasceu em 12 de abril de 1931, em Maranguape, no Ceará. Filho de um rico empresário da cidade, foi morar com a família (os pais, os irmãos Elano, Lupe, Lilia e Zelito e a babá) no Rio de Janeiro após a Empresa de ônibus do pai pegar fogo.

Um par de tênis mudou o seu destino e entre todas as atividades que desempenhou (Ator, Comentarista, Compositor, Diretor, Escritor,  Humorista, Pintor, Radialista e Roteirista), certamente, as relacionadas à comédia foram as que mais fidelizaram o seu público: foram mais de 209 personagens que marcaram a sua carreira, entre eles Alberto Roberto, Bento Carneiro, Bozó, Coalhada, Divino, Justo Veríssimo, Nazareno, Painho, Pantaleão e Salomé que fizeram dele o maior comediante que este país já teve.

Dadynha Saturnino (Jornal A Cidade de Maranguape) entrevista Chico Anysio durante o durante o II Festival Nacional de Humor de Maranguape 2010. Foto do arquivo.

Dadynha Saturnino (Jornal A Cidade de Maranguape) e Ubirajara Jr (Maranguape FM) entrevistam Chico Anysio (acompanhado do filho André Lucas) durante o durante o II Festival Nacional de Humor de Maranguape 2010. Foto do arquivo.

 A doença de Chico

Chico contraiu o enfisema durante os mais de 30 anos que fumou e desejou ser curado através desta terapia feita em humanos (apresentou resultados excelentes em sua primeira fase), mas, faleceu em 23 de março de 2012 aos 81 anos de vida. Sua disponibilidade em apoiar a segunda fase da pesquisa fez com que a sua família lançasse o Instituto levando o seu nome e buscando parceiros, apoiadores e doadores que invistam dinheiro para que o tratamento seja realizado.

Ajude a salvar vidas.

A segunda fase, já aprovada pelo Conselho Nacional de Ética em Pesquisa, consiste na aplicação do tratamento em 40 pessoas, mas, para ser iniciada, precisa provar que possui os recursos orçados em cerca de um milhão de dólares (aproximadamente pouco mais de dois milhões de reais hoje, 13 de janeiro de 2013).

Você pode ajudar a realizar o sonho do maranguapense realizando uma doação, de no mínimo R$5,00, através do site pag seguro clicando no link Pag Seguro doação para o Instituto Chico Anysio  e qualquer valor através da conta corrente na Caixa Econômica Federal AG-2905 C/C Nº 03012000-6 e também adquirindo uma pulseira da campanha “Ajudando o Brasil a Respirar Melhor!” através da maranguapense Dadynha Saturnino (a unidade custa um valor simbólico de R$20,00).

Pulseiras do Instituto Chico Anysio. Foto de Dadynha Saturnino

Pulseiras do Instituto Chico Anysio. Foto de Dadynha Saturnino

Pulseiras do Instituto Chico Anysio. Foto de Dadynha Saturnino

Embaixatriz do Instituto Chico Anysio – ICA

Convidada por Malga Di Paula a ser a Embaixatriz do ICA em Maranguape, esta jornalista em formação, blogueira e conterrânea do Mestre Chico Anysio assumiu o compromisso em representá-lo neste município, ajudar na divulgação das ações e na captação dos recursos para a realização da tão sonhada segunda fase da pesquisa.

Mais informações

ICA portal

ICA no facebook

ICA no twitter

Chico Anysio portal

Equipe: Berna Ayata, Celeste Rodrigues, Cris Courty, Ellen Ferreira, Léo Sander e Jorge Alberto.

 

Publicidade

Conheça o Instituto Chico Anysio. Seja um apoiador da pesquisa sobre a cura do enfisema pulmonar.

Por Dadynha Saturnino em Solidariedade

13 de Janeiro de 2013

Instituto Chico Anysio é uma organização que apoia e incentiva as pesquisas com células-troncos da medula óssea para a cura do enfisema pulmonar e também atua conscientizando as pessoas sobre o mal que o tabagismo causa. É presidido por Malga Di Paula, viúva do Chico Anysio (1931-2012) maior comediante que este país já teve e empresta seu nome ao Instituto que tem como objetivo principal a arrecadação de  recursos para a realização das pesquisas em técnicas inovadoras que tem à frente o médico Dr. João Tadeu Ribeiro-Paes (médico e Doutor em Genética – pela Faculdade de Medicina – USP (Ribeirão Preto/SP) e coordenador do Laboratório de Genética e Terapia Celular – GenTe Cel – UNESP – Campus de Assis (SP) e a conscientização ao anti-tabagismo.

Folder do Instituto Chico Anysio. Foto divulgação

Chico Anysio

Francisco Anysio de Oliveira Paula Filho, o Chico Anysio, nasceu em 12 de abril de 1931, em Maranguape, no Ceará. Filho de um rico empresário da cidade, foi morar com a família (os pais, os irmãos Elano, Lupe, Lilia e Zelito e a babá) no Rio de Janeiro após a Empresa de ônibus do pai pegar fogo.

Um par de tênis mudou o seu destino e entre todas as atividades que desempenhou (Ator, Comentarista, Compositor, Diretor, Escritor,  Humorista, Pintor, Radialista e Roteirista), certamente, as relacionadas à comédia foram as que mais fidelizaram o seu público: foram mais de 209 personagens que marcaram a sua carreira, entre eles Alberto Roberto, Bento Carneiro, Bozó, Coalhada, Divino, Justo Veríssimo, Nazareno, Painho, Pantaleão e Salomé que fizeram dele o maior comediante que este país já teve.

Dadynha Saturnino (Jornal A Cidade de Maranguape) entrevista Chico Anysio durante o durante o II Festival Nacional de Humor de Maranguape 2010. Foto do arquivo.

Dadynha Saturnino (Jornal A Cidade de Maranguape) e Ubirajara Jr (Maranguape FM) entrevistam Chico Anysio (acompanhado do filho André Lucas) durante o durante o II Festival Nacional de Humor de Maranguape 2010. Foto do arquivo.

 A doença de Chico

Chico contraiu o enfisema durante os mais de 30 anos que fumou e desejou ser curado através desta terapia feita em humanos (apresentou resultados excelentes em sua primeira fase), mas, faleceu em 23 de março de 2012 aos 81 anos de vida. Sua disponibilidade em apoiar a segunda fase da pesquisa fez com que a sua família lançasse o Instituto levando o seu nome e buscando parceiros, apoiadores e doadores que invistam dinheiro para que o tratamento seja realizado.

Ajude a salvar vidas.

A segunda fase, já aprovada pelo Conselho Nacional de Ética em Pesquisa, consiste na aplicação do tratamento em 40 pessoas, mas, para ser iniciada, precisa provar que possui os recursos orçados em cerca de um milhão de dólares (aproximadamente pouco mais de dois milhões de reais hoje, 13 de janeiro de 2013).

Você pode ajudar a realizar o sonho do maranguapense realizando uma doação, de no mínimo R$5,00, através do site pag seguro clicando no link Pag Seguro doação para o Instituto Chico Anysio  e qualquer valor através da conta corrente na Caixa Econômica Federal AG-2905 C/C Nº 03012000-6 e também adquirindo uma pulseira da campanha “Ajudando o Brasil a Respirar Melhor!” através da maranguapense Dadynha Saturnino (a unidade custa um valor simbólico de R$20,00).

Pulseiras do Instituto Chico Anysio. Foto de Dadynha Saturnino

Pulseiras do Instituto Chico Anysio. Foto de Dadynha Saturnino

Pulseiras do Instituto Chico Anysio. Foto de Dadynha Saturnino

Embaixatriz do Instituto Chico Anysio – ICA

Convidada por Malga Di Paula a ser a Embaixatriz do ICA em Maranguape, esta jornalista em formação, blogueira e conterrânea do Mestre Chico Anysio assumiu o compromisso em representá-lo neste município, ajudar na divulgação das ações e na captação dos recursos para a realização da tão sonhada segunda fase da pesquisa.

Mais informações

ICA portal

ICA no facebook

ICA no twitter

Chico Anysio portal

Equipe: Berna Ayata, Celeste Rodrigues, Cris Courty, Ellen Ferreira, Léo Sander e Jorge Alberto.