Publicidade

MOUSE OU MENOS

por Nonato Albuquerque

13 de dezembro de 2018

Uma receita para se dar bem na Vida

Por Nonato Albuquerque em ARTIGO

13 de dezembro de 2018

https://twitter.com/..


Todo mundo reclama da insegurança, da violência e da vida difícil que a sociedade humana atravessa. Resolvemos oferecer uma receita capaz de ajudar a melhorar o indivíduo e o mundo. Aconselha-se a cada pessoa a misturar em sua vida, uma porção de boas ações – aquelas que todo mundo possui e que podem surtir efeitos fundamentais na vida de qualquer um. Pois junte a essas ações uma considerável quantidade de idéias. Boas ideias, as que subliminam a Vida, através da substantiva forma da solidariedade.

Sempre que possível adicione palavras de ajuda, principalmente às pessoas necessitadas, aquelas com quem a gente convive no dia-a-dia e que, muitas vezes, se revelam tão depressivas e que vivem sempre a reclamar de tudo e de todos.

A receita pede pra você bater bem as idéias nocivas – as negativas – que são uma espécie de joio na conquista de sua felicidade. Bata bem até dissolvê-las da sua mente, deixando sim, espaço para a fermentação do trigo das boas virtudes.

Junte algumas miligranas de fé – eu diria melhor, pode adicionar fé à vontade – fé na vida, fé na esperança e crença de que você pode muito bem contribuir para a melhoria de um mundo melhor – qualquer que seja a atividade que você desempenhe.

Acrescente a essa receita, um sorriso constante. Várias fatias do bem chamado cortesia; não esquecendo de incorporar grãos de sinceridade, honestidade e respeito. Isso dá um gosto bom ao bolo da Vida e todos aqueles, com quem você divide fatias de sua amizade, vão simplesmente adorar, reconhecendo em você alguém com missão capaz de mudar esse momento dificil do mundo.

Após adicionar o azeite da humildade e do perdão, eleve a gradação do fogo do amor, esse um ingrediente indispensável para se conquistar a garantia de uma vida capaz de servir de exemplo a todos.

Essa é uma receita simples e acessível a todos os que desejam melhorar o bolo da vida, que deve ser servido indiscriminadamente a todos aqueles com quem a gente convive.

O resultado é surpreendente. Mãos na massa.

leia tudo sobre

Publicidade

OS QUE USAM RELIGIÃO EM BENEFÍCIO PRÓPRIO

Por Nonato Albuquerque em ARTIGO

13 de dezembro de 2018

O mundo passa por provações. Em todas as áreas. Todos os setores. A crise se alastra pela economia, pela política, pela educação, saúde e segurança. Até as religiões são alvo dessas transformações.

Em todo o mundo, as religiões são centros de formação onde fiéis buscam o aprimoramento da alma – quaisquer que sejam os cultos ou denominações. Toda religião tem o dever de pregar o bem. De melhorar o mundo, orientando seus fiéis a se portarem dentro de uma ética e de respeito para com todos; não apenas com os que seguem a sua pregação religiosa.

Num mundo em transformação, as doutrinas têm servido de espaço para que pseudo-líderes, revelem sua ganância pelo poder, atraindo a atenção dos fiéis mais para si do que para as orientações do divino.

Algumas até se fortaleceram a partir da teologia da prosperidade, confrontando o ensinamento de mestres como Cristo, Buda, Confúcio – de que a cada um segundo suas obras.

Em meio a essa crescente pregação de prosperidade, o lado humanístico vai cedendo lugar a pregações interessadas no lado mais mercantilista.
Pois quando deixam de atender aos ensinamentos do amor e aos compromissos com a caridade, perdem o verdadeiro sentido de grandeza e respeito que se deve a elas. Com isso, surgem dirigentes capazes de cometimentos delituosos, ligados a crimes ligados a sexualidade, como assédio, estupro, pedofilia – revelando a inferioridade moral de seus dirigentes.

É preciso condenar severamente os que cometem esses erros dentro de um ambiente religioso, para que a mensagem doutrinária permaneça intocável e não venha sofrer as consequências danosas.

É um evangelista do grupo de Jesus, São João, que nos alerta e nos põe em guarda contra esses “falsos profetas”, que segundo o próprio Cristo não passam de lobos travestidos em peles de cordeiro.

leia tudo sobre

Publicidade

OS QUE USAM RELIGIÃO EM BENEFÍCIO PRÓPRIO

Por Nonato Albuquerque em ARTIGO

13 de dezembro de 2018

O mundo passa por provações. Em todas as áreas. Todos os setores. A crise se alastra pela economia, pela política, pela educação, saúde e segurança. Até as religiões são alvo dessas transformações.

Em todo o mundo, as religiões são centros de formação onde fiéis buscam o aprimoramento da alma – quaisquer que sejam os cultos ou denominações. Toda religião tem o dever de pregar o bem. De melhorar o mundo, orientando seus fiéis a se portarem dentro de uma ética e de respeito para com todos; não apenas com os que seguem a sua pregação religiosa.

Num mundo em transformação, as doutrinas têm servido de espaço para que pseudo-líderes, revelem sua ganância pelo poder, atraindo a atenção dos fiéis mais para si do que para as orientações do divino.

Algumas até se fortaleceram a partir da teologia da prosperidade, confrontando o ensinamento de mestres como Cristo, Buda, Confúcio – de que a cada um segundo suas obras.

Em meio a essa crescente pregação de prosperidade, o lado humanístico vai cedendo lugar a pregações interessadas no lado mais mercantilista.
Pois quando deixam de atender aos ensinamentos do amor e aos compromissos com a caridade, perdem o verdadeiro sentido de grandeza e respeito que se deve a elas. Com isso, surgem dirigentes capazes de cometimentos delituosos, ligados a crimes ligados a sexualidade, como assédio, estupro, pedofilia – revelando a inferioridade moral de seus dirigentes.

É preciso condenar severamente os que cometem esses erros dentro de um ambiente religioso, para que a mensagem doutrinária permaneça intocável e não venha sofrer as consequências danosas.

É um evangelista do grupo de Jesus, São João, que nos alerta e nos põe em guarda contra esses “falsos profetas”, que segundo o próprio Cristo não passam de lobos travestidos em peles de cordeiro.