30 de agosto de 2019 - MOUSE OU MENOS 
Publicidade

MOUSE OU MENOS

por Nonato Albuquerque

30 de agosto de 2019

O lixo que se oculta no porão de nossas almas

Por Nonato Albuquerque em ARTIGO

30 de agosto de 2019

O mal que o mundo assiste é o lixo que a gente esconde no porão de nossas almas. Todo ser humano é composto por luz e sombra. Por atos e pensamentos bons e por atitudes ruins e lamentáveis. Temos um poço de ideias virtuosas em nosso interior; mas infelizmente damos mais oportunidades a que o lado sombrio de cada um se revele. Se desnude.

Seja numa ação de violência, em que acentuamos mais o nosso lado animal do que a face angélica que nos permite avançar no mundo.

Por isso, tantos se desentendem. Tantos se provocam. Há mais inveja e orgulho do que os sentimentos de humildade e bondade a exercitarem em nós os compromissos com o amadurecimento.

A lei do amor é a que mais é apregoada pelos sábios e líderes da humanidade. Nosso destino é o alto. A elevação. No entanto, a exemplo de vermes, fazemos questão de nos arrastar na miséria, na dor e no sofrimento, distanciando a iluminação a que todos nos destinamos.

Todos um dia iremos nos aperfeiçoar. Amanhã, daqui a um ano ou mais tempo – nosso futuro é tornar-se dono das riquezas que já estão em nós, como sementes. Preciso é que se trabalhe para que elas se multipliquem em frutos do bem na vida.

Pense nisso.

leia tudo sobre

Publicidade

Os meses têm cores: setembro é amarelo

Por Nonato Albuquerque em ARTIGO

30 de agosto de 2019

Os meses têm cores. Essa ideia de associar uma “cor” a um mês mostrou ser uma boa ferramenta de marketing para conscientizar as pessoas em relação a problemas importantes de saúde.

Quem já não ouviu falar das campanhas do Outubro Rosa (contra o câncer de mama) e do Novembro Azul (contra o câncer de próstata)? Elas servem de alerta para que a pessoa crie uma maior responsabilidade em relação às doenças que mais acometem a humanidade.

Agosto, que está terminando amanhã, deu ênfase à cor laranja, para tratar da esclerose múltipla. Mais de 35 mil brasileiros sofrem dessa doença, quando as células de defesa do organismo atacam o sistema nervoso, causando fadiga, visão embaçada, perda de equilíbrio e outros problemas.

A partir de domingo, será a vez do Setembro Amarelo. Será o mês dedicado ao combate ao suicídio, considerado pela OMS um grave problema de saúde pública. No mundo, há mais de 800 mil suicídios todos os anos.

E esse tem sido o maior problema da sociedade humana, por conta de pessoas que se acham desalentadas e submetidas a um processo de depressão.

É quando perdem a esperança, desacreditam na mudança de expectativa e, movidas por um sentimento mórbido, só pensam em sair da vida.

Os centros de valorização da vida, as clínicas psiquiátricas e as unidades do CAPES – centro de apoio psicosocial – são os que mais recebem pacientes sob forte impacto depressivo.

Nessas ocasiões é preciso ter fé. Acreditar que, vivendo se consegue resolver qualquer problema. Saindo da vida, pelo contrário, amplia-se o drama, já que a vida da alma não se acaba com a morte do corpo. E ao invés de um problema, o suicida acaba acumulando outro. Ainda pior. Pense nisso.

leia tudo sobre

Publicidade

Os meses têm cores: setembro é amarelo

Por Nonato Albuquerque em ARTIGO

30 de agosto de 2019

Os meses têm cores. Essa ideia de associar uma “cor” a um mês mostrou ser uma boa ferramenta de marketing para conscientizar as pessoas em relação a problemas importantes de saúde.

Quem já não ouviu falar das campanhas do Outubro Rosa (contra o câncer de mama) e do Novembro Azul (contra o câncer de próstata)? Elas servem de alerta para que a pessoa crie uma maior responsabilidade em relação às doenças que mais acometem a humanidade.

Agosto, que está terminando amanhã, deu ênfase à cor laranja, para tratar da esclerose múltipla. Mais de 35 mil brasileiros sofrem dessa doença, quando as células de defesa do organismo atacam o sistema nervoso, causando fadiga, visão embaçada, perda de equilíbrio e outros problemas.

A partir de domingo, será a vez do Setembro Amarelo. Será o mês dedicado ao combate ao suicídio, considerado pela OMS um grave problema de saúde pública. No mundo, há mais de 800 mil suicídios todos os anos.

E esse tem sido o maior problema da sociedade humana, por conta de pessoas que se acham desalentadas e submetidas a um processo de depressão.

É quando perdem a esperança, desacreditam na mudança de expectativa e, movidas por um sentimento mórbido, só pensam em sair da vida.

Os centros de valorização da vida, as clínicas psiquiátricas e as unidades do CAPES – centro de apoio psicosocial – são os que mais recebem pacientes sob forte impacto depressivo.

Nessas ocasiões é preciso ter fé. Acreditar que, vivendo se consegue resolver qualquer problema. Saindo da vida, pelo contrário, amplia-se o drama, já que a vida da alma não se acaba com a morte do corpo. E ao invés de um problema, o suicida acaba acumulando outro. Ainda pior. Pense nisso.