A faxina de todos nós para o fim-de-semana - MOUSE OU MENOS 
Publicidade

MOUSE OU MENOS

por Nonato Albuquerque

A faxina de todos nós para o fim-de-semana

Por Nonato Albuquerque em ARTIGO

16 de agosto de 2019

No itinerário comum da vida de todos nós, necessário é dar sempre um tempo para si. Cuidar um pouco do que há de mais essencial que é você mesmo.

Como anda a sua vida? Geralmente, diante de pergunta assim, a pessoa tende a dizer de forma autômata que vai bem, obrigado.

É que ninguém gosta de se desnudar, de se mostrar como é realmente – preocupado com a imagem que os outros possam fazer dele. Mas, verdadeiramente, por melhor que se esteja – na vida profissional, social e na sentimental – há sempre problemas que limitam o nosso dia-a-dia.

Não existe uma só criatura na Terra que viva isenta de problemas. Eles, os problemas, são peças propulsoras de nossa evolução.

Uma dica: aproveite o fim de semana que se aproxima e tire um tempo para uma faxina pessoal. Limpe dos arquivos de sua memória qualquer pensamento indigno, que por ventura queira dominar seu tempo.

Melhore a sua maneira de ver o mundo. Despeje do condomínio de sua mente qualquer ímpeto à violência. Dê uma espanada no que houver de sentimento de tristeza, melancolia, para que o domínio da depressão não venha a residir no condomínio de sua alma.

Faça alguma coisa em favor de outrem. Dedique um pouco do seu tempo para melhorar a relação que você tem com os seus. E saiba que tudo isso é importante para liberar dos arquivos da alma, toda forma insensata de ser, de ver e conviver no mundo.

O mundo pede. A vida exige. E só você é capaz de fazer a sua parte.

Publicidade aqui

leia tudo sobre

A faxina de todos nós para o fim-de-semana

Por Nonato Albuquerque em ARTIGO

16 de agosto de 2019

No itinerário comum da vida de todos nós, necessário é dar sempre um tempo para si. Cuidar um pouco do que há de mais essencial que é você mesmo.

Como anda a sua vida? Geralmente, diante de pergunta assim, a pessoa tende a dizer de forma autômata que vai bem, obrigado.

É que ninguém gosta de se desnudar, de se mostrar como é realmente – preocupado com a imagem que os outros possam fazer dele. Mas, verdadeiramente, por melhor que se esteja – na vida profissional, social e na sentimental – há sempre problemas que limitam o nosso dia-a-dia.

Não existe uma só criatura na Terra que viva isenta de problemas. Eles, os problemas, são peças propulsoras de nossa evolução.

Uma dica: aproveite o fim de semana que se aproxima e tire um tempo para uma faxina pessoal. Limpe dos arquivos de sua memória qualquer pensamento indigno, que por ventura queira dominar seu tempo.

Melhore a sua maneira de ver o mundo. Despeje do condomínio de sua mente qualquer ímpeto à violência. Dê uma espanada no que houver de sentimento de tristeza, melancolia, para que o domínio da depressão não venha a residir no condomínio de sua alma.

Faça alguma coisa em favor de outrem. Dedique um pouco do seu tempo para melhorar a relação que você tem com os seus. E saiba que tudo isso é importante para liberar dos arquivos da alma, toda forma insensata de ser, de ver e conviver no mundo.

O mundo pede. A vida exige. E só você é capaz de fazer a sua parte.