Os bandidos roubaram a pauta do cidadão - MOUSE OU MENOS 
Publicidade

MOUSE OU MENOS

por Nonato Albuquerque

Os bandidos roubaram a pauta do cidadão

Por Nonato Albuquerque em ARTIGO, SEGURANÇA

29 de junho de 2016

Você já imaginou como a criminalidade anda se expondo? Mostrando sua cara? Desafiando a Polícia e impondo medo à população? Basta ver esse episódio aí de Sobral, onde facções criminosas resolveram sair às ruas em passeata, reivindicando, sabe o quê? União dos grupos criminosos, em favor da sua própria manutenção. Porque se eles começam a se agredir e se matarem entre si, é uma ameaça a toda a bandidagem. Eles então resolvem, através das redes sociais, se organizarem – tipo assim uma associação reguladora de criminosos -, tal como existem as agências de controle de serviços de água, telefonia, etc e tal. A polícia de Sobral mandou ver; não deixou por menos. Botou todo mundo no xilindró, sob acusação de apologia ao crime. O caso deixa a todos nós estarrecidos, pela ousadia e pela forma como tudo aconteceu.

Sobral é a segunda maior cidade do nosso Estado. A Princesinha do Norte, como costumam chamar os seus moradores, mescla aspectos de cidade interiorana, com seus becos famosos e sua gente pacata e ordeira, além de alguns traços de modernidade. E como em tudo existem prós e contras, uma das chagas desse progresso das cidades, é a indiscriminada violência que, também, se alia ao progresso.

Mas há um descaramento tão grande, nessa decisão de criminosos saírem às ruas, que se você pesquisar aí no Google, onde e quando algum grupo criminoso famoso agiu assim, você dará com os burros nágua. Nem Máfia, nem Cosanostra, nem os gangsters de Al Capone e seus inimigos figadais, jamais tiveram a coragem de se exporem tanto, desafiando o respeito à lei e à autoridade. Esse é, portanto, um ato desafiador dos criminosos à política de segurança do nosso governo que, apesar de todos os esforços, vê se tornarem insuficientes os planos em favor de um Ceará Pacífico.

É hora de reavaliar o plano de ação destinado a controlar o ímpeto desses criminosos. De unir Segurança, Justiça e população no intuito de uma cultura que nos devolva a tranquilidade e a paz – que devem ser bandeiras de luta do povo trabalhador e ordeiro. Por enquanto, os bandidos roubaram essa pauta que deve ser do cidadão.

Publicidade aqui

leia tudo sobre

Os bandidos roubaram a pauta do cidadão

Por Nonato Albuquerque em ARTIGO, SEGURANÇA

29 de junho de 2016

Você já imaginou como a criminalidade anda se expondo? Mostrando sua cara? Desafiando a Polícia e impondo medo à população? Basta ver esse episódio aí de Sobral, onde facções criminosas resolveram sair às ruas em passeata, reivindicando, sabe o quê? União dos grupos criminosos, em favor da sua própria manutenção. Porque se eles começam a se agredir e se matarem entre si, é uma ameaça a toda a bandidagem. Eles então resolvem, através das redes sociais, se organizarem – tipo assim uma associação reguladora de criminosos -, tal como existem as agências de controle de serviços de água, telefonia, etc e tal. A polícia de Sobral mandou ver; não deixou por menos. Botou todo mundo no xilindró, sob acusação de apologia ao crime. O caso deixa a todos nós estarrecidos, pela ousadia e pela forma como tudo aconteceu.

Sobral é a segunda maior cidade do nosso Estado. A Princesinha do Norte, como costumam chamar os seus moradores, mescla aspectos de cidade interiorana, com seus becos famosos e sua gente pacata e ordeira, além de alguns traços de modernidade. E como em tudo existem prós e contras, uma das chagas desse progresso das cidades, é a indiscriminada violência que, também, se alia ao progresso.

Mas há um descaramento tão grande, nessa decisão de criminosos saírem às ruas, que se você pesquisar aí no Google, onde e quando algum grupo criminoso famoso agiu assim, você dará com os burros nágua. Nem Máfia, nem Cosanostra, nem os gangsters de Al Capone e seus inimigos figadais, jamais tiveram a coragem de se exporem tanto, desafiando o respeito à lei e à autoridade. Esse é, portanto, um ato desafiador dos criminosos à política de segurança do nosso governo que, apesar de todos os esforços, vê se tornarem insuficientes os planos em favor de um Ceará Pacífico.

É hora de reavaliar o plano de ação destinado a controlar o ímpeto desses criminosos. De unir Segurança, Justiça e população no intuito de uma cultura que nos devolva a tranquilidade e a paz – que devem ser bandeiras de luta do povo trabalhador e ordeiro. Por enquanto, os bandidos roubaram essa pauta que deve ser do cidadão.