Segurança: que Deus faça a parte dele - MOUSE OU MENOS 
Publicidade

MOUSE OU MENOS

por Nonato Albuquerque

Segurança: que Deus faça a parte dele

Por Nonato Albuquerque em SEGURANÇA

23 de julho de 2015

A insegurança no interior do Estado é caso de polícia, literalmente. A sucessão de ataques a caixas eletrônicos, explosão de agências bancárias; furto dos benefícios de aposentados e pensionistas, que na maioria das vezes, precisam se deslocar a outras localidades para receber seus proventos, é um indicativo de que o sertão está ao deus dará.

Ontem foi a vez de dois carros fortes que foram alvo de bandidos, numa ação que legitima a frequência com que isso acontece. A primeira impressão é de que voltamos ao tempo de Lampião, onde o Nordeste todo vivia sob o domínio do medo. O novo cangaço nordestino já não circula à cavalo, é bem verdade; dispondo de veículos velozes para fugas. O armamento, nem de longe lembra as garruchas e os rifles artesanais que eram surrupiados dos sítios e fazendas.

Hoje, um potente arsenal mete medo até ao esforçado efetivo que se entricheira atrás dos birôs das delegacias. Coitada da soldadesca de plantão nesses cafundós do judas; vivendo o dilema de conviver com o risco de levar um tiro dos forateiros, que usam e abusam do poder de desafiar a autoridade policial do governo.

Claro que o governo Camilo Santana tem demonstrado interesse em dar um basta nisso tudo. Tem juntado um efetivo de homens para patrulhar as divisas, com o intuito de barrar o acesso de drogas e de armas; porém, sem ter a exata noção da origem, de onde vem ou de onde são, aqueles que estão fazendo do interior gato e sapato.

Felizmente, fazemos parte do clube de otimistas que consideram que nada é para sempre e, por isso, temos a firme convicção de que, isso, vai passar. Não há situação dificil que perdure, muito embora seja necessário para isso que se qualifiquem os programas de segurança, que se incentive mais o corpo policial, melhorando a sua auto-estima para o trabalho e que se aperfeiçoem os sistemas de investigação, para só então podermos nos tranquilizar de que as coisas vão melhorar. Que Deus faça a parte dele.

Publicidade aqui

leia tudo sobre

Segurança: que Deus faça a parte dele

Por Nonato Albuquerque em SEGURANÇA

23 de julho de 2015

A insegurança no interior do Estado é caso de polícia, literalmente. A sucessão de ataques a caixas eletrônicos, explosão de agências bancárias; furto dos benefícios de aposentados e pensionistas, que na maioria das vezes, precisam se deslocar a outras localidades para receber seus proventos, é um indicativo de que o sertão está ao deus dará.

Ontem foi a vez de dois carros fortes que foram alvo de bandidos, numa ação que legitima a frequência com que isso acontece. A primeira impressão é de que voltamos ao tempo de Lampião, onde o Nordeste todo vivia sob o domínio do medo. O novo cangaço nordestino já não circula à cavalo, é bem verdade; dispondo de veículos velozes para fugas. O armamento, nem de longe lembra as garruchas e os rifles artesanais que eram surrupiados dos sítios e fazendas.

Hoje, um potente arsenal mete medo até ao esforçado efetivo que se entricheira atrás dos birôs das delegacias. Coitada da soldadesca de plantão nesses cafundós do judas; vivendo o dilema de conviver com o risco de levar um tiro dos forateiros, que usam e abusam do poder de desafiar a autoridade policial do governo.

Claro que o governo Camilo Santana tem demonstrado interesse em dar um basta nisso tudo. Tem juntado um efetivo de homens para patrulhar as divisas, com o intuito de barrar o acesso de drogas e de armas; porém, sem ter a exata noção da origem, de onde vem ou de onde são, aqueles que estão fazendo do interior gato e sapato.

Felizmente, fazemos parte do clube de otimistas que consideram que nada é para sempre e, por isso, temos a firme convicção de que, isso, vai passar. Não há situação dificil que perdure, muito embora seja necessário para isso que se qualifiquem os programas de segurança, que se incentive mais o corpo policial, melhorando a sua auto-estima para o trabalho e que se aperfeiçoem os sistemas de investigação, para só então podermos nos tranquilizar de que as coisas vão melhorar. Que Deus faça a parte dele.