O VALOR DA PEDAGOGIA DO BEM - MOUSE OU MENOS 
Publicidade

MOUSE OU MENOS

por Nonato Albuquerque

O VALOR DA PEDAGOGIA DO BEM

Por Nonato Albuquerque em Sem categoria

30 de Março de 2015

Filho defender a mãe da morte é algo que, à primeira vista, sugere grandeza de alma. Mas atos de heroísmo custam um preço. Um preço alto, diga-se de passagem. Há quem pague pelo gesto com a própria vida. O caso do adolescente de 16 anos de idade, baleado na cabeça ao reagir a uma tentativa de assalto em Messejana, vindo a falecer. O criminoso, aproveitou a saída da mãe de Diego Tertuliano Lima, saía com o carro da garagem de casa, para abordar a mulher. Diego fechava o portão. Quando viu a tentativa de assalto, reagiu para defender a mãe. O assaltante disparou em seguida contra o jovem.

O relato assemelha-se a tantas outras ocorrências do tipo, que têm se alastrado por essa Fortaleza, debilitada em termos de segurança. Por onde se anda, há sempre alguém se queixando da violência. Ela é marca infelicitada na vida de quem trabalha, quem estuda; de quem precisa ir a um banco. Não estamos seguro nem em casa, como revela o caso do empresário que foi morto em seu apartamento da Vila União. A Polícia ainda não tem pistas, mas qualquer que tenha sido a motivação, ele deixa entrever que segurança é artigo de luxo, onde o serviço público faz das tripas coração para tentar dar conta.

Toda essa onda de violência não será desfeita apenas com o trabalho policial. Impossível deter uma avalanche, se não houver um efetivo plano de defesa preventivo para evitar o desastre. Evidente que não se pode ter um policial em cada casa, cada esquina. O serviço de inteligência não trabalha com videntes que possa antecipar-se aos acontecimentos. Mas a sociedade humana chegou a um estágio de progresso que nos ensina que a melhor prevenção contra o crime é dedicar-se à educação dos indivíduos. É preciso retomar para a escola, a pedagogia do Bem. Os ensinamentos que remeta os jovens, não a uma cultura consumista – onde eles pensem que precisam ter tudo, ainda que seja à força -, mas uma educação primada nas riquezas e valores das grandes virtudes. 

Publicidade aqui

leia tudo sobre

O VALOR DA PEDAGOGIA DO BEM

Por Nonato Albuquerque em Sem categoria

30 de Março de 2015

Filho defender a mãe da morte é algo que, à primeira vista, sugere grandeza de alma. Mas atos de heroísmo custam um preço. Um preço alto, diga-se de passagem. Há quem pague pelo gesto com a própria vida. O caso do adolescente de 16 anos de idade, baleado na cabeça ao reagir a uma tentativa de assalto em Messejana, vindo a falecer. O criminoso, aproveitou a saída da mãe de Diego Tertuliano Lima, saía com o carro da garagem de casa, para abordar a mulher. Diego fechava o portão. Quando viu a tentativa de assalto, reagiu para defender a mãe. O assaltante disparou em seguida contra o jovem.

O relato assemelha-se a tantas outras ocorrências do tipo, que têm se alastrado por essa Fortaleza, debilitada em termos de segurança. Por onde se anda, há sempre alguém se queixando da violência. Ela é marca infelicitada na vida de quem trabalha, quem estuda; de quem precisa ir a um banco. Não estamos seguro nem em casa, como revela o caso do empresário que foi morto em seu apartamento da Vila União. A Polícia ainda não tem pistas, mas qualquer que tenha sido a motivação, ele deixa entrever que segurança é artigo de luxo, onde o serviço público faz das tripas coração para tentar dar conta.

Toda essa onda de violência não será desfeita apenas com o trabalho policial. Impossível deter uma avalanche, se não houver um efetivo plano de defesa preventivo para evitar o desastre. Evidente que não se pode ter um policial em cada casa, cada esquina. O serviço de inteligência não trabalha com videntes que possa antecipar-se aos acontecimentos. Mas a sociedade humana chegou a um estágio de progresso que nos ensina que a melhor prevenção contra o crime é dedicar-se à educação dos indivíduos. É preciso retomar para a escola, a pedagogia do Bem. Os ensinamentos que remeta os jovens, não a uma cultura consumista – onde eles pensem que precisam ter tudo, ainda que seja à força -, mas uma educação primada nas riquezas e valores das grandes virtudes.