OLHAI POR NÓS, OS PESCADORES - MOUSE OU MENOS 
Publicidade

MOUSE OU MENOS

por Nonato Albuquerque

OLHAI POR NÓS, OS PESCADORES

Por Nonato Albuquerque em Sem categoria

17 de outubro de 2019

O demônio do mar despeja seu óleo de pedra

Por sobre a fluente correnteza das águas

e estende esse negro manto por sobre a areia

encobrindo de piche as praias, os recifes e os corais.

 

As tartarugas marinhas conflitadas pela mancha

Se tornam vítimas dessa poluição extensa

Golfinhos se envenenam e alguns perdem a força

Para encalhar quase mortos em meio a sujeira.

 

Junto ao caldeirão de Netuno, os que vivem da pesca

Elevam, comovidos, a voz aos céu e recitam versos

Lamentando a situação nordestina das águas;

 

“Senhor dos vastos oceanos e de todas as procelas”

Aquietai no mar, esse sangue negro que ele verte

Olhai por nós, os pescadores, agora e a toda hora amem.

Publicidade aqui

leia tudo sobre

OLHAI POR NÓS, OS PESCADORES

Por Nonato Albuquerque em Sem categoria

17 de outubro de 2019

O demônio do mar despeja seu óleo de pedra

Por sobre a fluente correnteza das águas

e estende esse negro manto por sobre a areia

encobrindo de piche as praias, os recifes e os corais.

 

As tartarugas marinhas conflitadas pela mancha

Se tornam vítimas dessa poluição extensa

Golfinhos se envenenam e alguns perdem a força

Para encalhar quase mortos em meio a sujeira.

 

Junto ao caldeirão de Netuno, os que vivem da pesca

Elevam, comovidos, a voz aos céu e recitam versos

Lamentando a situação nordestina das águas;

 

“Senhor dos vastos oceanos e de todas as procelas”

Aquietai no mar, esse sangue negro que ele verte

Olhai por nós, os pescadores, agora e a toda hora amem.