Publicidade

MAR Jangadeiro

por Orlando Nunes

junho 2014

Português IFCE – Questão 16 deveria ter outro gabarito

Por Orlando Nunes em Resolução de prova

30 de junho de 2014

Comentário sobre a questão 16 da prova de Língua Portuguesa de concurso público realizado pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará – Carreira Técnico-Administrativa – Edital nº 05/GR-IFCE/2014.

 

Questão 16
O item que completa corretamente as lacunas em “_____ vezes, pegava-me
_____ pensar em quantas pessoas estão tão perdidas quanto eu, dia ___ dia,
sofrendo _____ beira da morte da própria alma, sem encontrar a razão de
existir, sem encontrar _____ si mesmo em meio ____ esse mundo bonito e
cruel” é:
A) As – à – à – a – a – à.
B) As – a – à – à – a – à.
C) As – à – à – à – a – a.
D) Às – à – a – a – a – à.
E) Às – a – a – à – a – a.

 

ANÁLISE

às vezes – locução adverbial com núcleo feminino (as locuções adverbiais, adjetivas, prepositivas e conjuntivas de núcleo feminino recebem acento indicativo de crase, pois o “a” (preposição) se funde a outro “a” (o artigo que antecede o núcleo feminino da locução).

a pensar – preposição “a” + verbo (o “a” é mera preposição, não ocorre a crase).

dia a dia – preposição “a” (solitária) entre palavras repetidas formando uma locução adverbial (sem crase, assim como em “gota a gota”, “frente a frente”, “cara a cara”, etc.)

à beira de – locução prepositiva com núcleo feminino (sempre com o acento indicativo da crase, o acento grave (`). Mais exemplos: “à procura de”, “à custa de”, “à moda de”, etc.

a si – preposição “a” + pronome oblíquo tônico “si” (crase é fusão de duas vogais idênticas, aquisó temos uma, a preposição “a”, e um “a” solitário não gera o fenômeno da crase).

– a esse – preposição “a” + pronome demonstrativo “esse” (crase jamais).

Crase com demonstrativos é possível?

Sim, mas não antes dos demonstrativos “esse”, “essa”, “isso”, “isto”, “este”, “esta”. A crase é possível, p.ex., com os pronomes “a”, “aquele(a/s)”, “aquilo”, “mesma(s)”, “própria(s)”, “tal”.

Exemplos:

“Não me refiro àquela(s) sua(s)pintura(s), mas à(s) de sua assistente”.

“Não mais obedecia a nenhuma regra, mas somente à própria vontade”.

“Dedicou a vida à mesma pessoa, obstinada e serenamente”.

“Referia-se às tais fotografias publicadas, sabe-se lá como, na imprensa.”

 

A alternativa “E” preenche corretamente as lacunas na questão 16 :

“Às vezes, pego-me a pensar em quantas pessoas estão tão perdidas quanto eu, dia a dia, sofrendo à beira da morte da própria alma, sem encontrar a razão de existir, sem encontrar a si mesmo em meio a esse mundo bonito e cruel.”

 

Mas o gabarito oficial divulgado pelo IFCE traz a alternativa B como a correta.

Um equívoco, certamente, ou teríamos construções como

“ As vezes, pego-me…” (pegaram o acento indicativo da crase também)

“dia à dia” (dia da crase impossível)

– “em meio à esse mundo” (mundo cruel da crase inoportuna)

 

Não! O gabarito correto não pode ser a letra B, de beleza, mas a letra E, de errado.

Até!

 

 

leia tudo sobre

Publicidade

Nesse ou neste domingo?

Por Orlando Nunes em Dica

22 de junho de 2014

“Portugal enfrenta EUA nesse domingo, 22, pela sobrevivência na Copa.”

O pronome demonstrativo “esse(a/s)”, numa perspectiva temporal:

– pode indicar passado recente ou futuro:

Assim, o pronome “nesse” (em + esse) da frase acima estaria adequado em um texto publicado até o sábado anterior ao dia do jogo. Escrita no domingo, data da partida, a frase seria esta:

“Portugal enfrenta EUA neste domingo, 22, pela sobrevivência na Copa”.

 

leia tudo sobre

Publicidade

Saiba por que Cristiano Ronaldo não marcará gol na Copa

Por Orlando Nunes em Ortografia

12 de junho de 2014

Por que Cristiano Ronaldo não marcará gol no Brasil?

Será por causa da tendinite no joelho esquerdo?

Nada disso.

O problema é no tendão de Aquiles esquerdo do idioma, o do lado brasileiro: não existe na língua portuguesa qualquer palavra terminada com as letras OL em que a vogal seja fechada.

Temos sol, mas não a pronúncia /sôl/; temos futebol, mas não a pronúncia /futebôl/.

A única palavra portuguesa terminada em OL com a vogal fechada é brasileira: GOL.

As palavras terminadas em OL (sempre com vogal aberta) fazem plural em ÓIS:

– lençol: lençóis; futebol: futebóis (plural existente, mas quem precisa dele?).

Entretanto, o gol do Brasil não deu em góis (Deus é brasileiro!).

Portugal, dono da bola, não transformou o goal inglês num gol à brasileira.

Na terra de Cristiano Ronaldo, ouvimos um grito comum à língua portuguesa: GOLO.

E golo só poderia dar em golos, no plural.

Cristiano Ronaldo poderá então fazer golo na Copa, mas certamente gol não fará.

Gol é uma arte genuinamente brasileira, mesmo quando seu autor assina Hulk.

leia tudo sobre

Publicidade

Aquilo tem crase?

Por Orlando Nunes em Crase

10 de junho de 2014

AQUILO COM CRASE

“Referia-se àquilo como se fosse a coisa mais natural do mundo.”

Todo aquele(s), aquela(s) ou aquilo substituível por a isso receberá acento indicativo de crase:

“Referia-se a isso como se fosse a coisa mais natural do mundo.”

 

AQUILO SEM CRASE

“Comentou aquilo como se fosse a coisa mais natural do mundo.”

Todo aquele(s), aquela(s) ou aquilo substituível por isso não receberá acento indicativo de crase. “Comentou isso como se fosse a coisa mais natural do mundo.”

 

MAIS DOIS EXEMPLOS

Aquilo não se faz – isso não se faz.

Àquilo prefiro isto – a isso prefiro isto.

 

Dúvidas? Estou no marjangadeiro@gmail.com

Até!

 

leia tudo sobre

Publicidade

Aquilo tem crase?

Por Orlando Nunes em Crase

10 de junho de 2014

AQUILO COM CRASE

“Referia-se àquilo como se fosse a coisa mais natural do mundo.”

Todo aquele(s), aquela(s) ou aquilo substituível por a isso receberá acento indicativo de crase:

“Referia-se a isso como se fosse a coisa mais natural do mundo.”

 

AQUILO SEM CRASE

“Comentou aquilo como se fosse a coisa mais natural do mundo.”

Todo aquele(s), aquela(s) ou aquilo substituível por isso não receberá acento indicativo de crase. “Comentou isso como se fosse a coisa mais natural do mundo.”

 

MAIS DOIS EXEMPLOS

Aquilo não se faz – isso não se faz.

Àquilo prefiro isto – a isso prefiro isto.

 

Dúvidas? Estou no marjangadeiro@gmail.com

Até!