Publicidade

MAR Jangadeiro

por Orlando Nunes

Dez dicas da série Competência 1: português profissional – texto jornalístico

Por Orlando Nunes em Dica

29 de Janeiro de 2018

1 – Cai, chuva

Evite a obviedade da construção “a chuva que caiu”. Em vez de “A chuva que caiu ontem na região”, escreva, por exemplo, “A chuva de ontem na região”, ou “A chuva que atingiu ontem a região”. Enfim, fuja sempre da “chuva que cai” (agora, se ela, surpreendentemente, começar a subir, aí sim, seja o primeiro a noticiar a novidade).

2 – Hora determinada

Observe: “A reunião ocorreu de 9h às 11h” (errado). Antes de “11h” temos, corretamente, preposição (a) + artigo (a), resultando em crase (às). Antes de “9h”, por paralelismo, deveríamos ter também preposição + artigo (de + as), resultando em “das”. Logo, “A reunião ocorreu das 9h às 11h”.

3 – Tinha uma pedra no meio do caminho

“Todas as medidas legalmente cabíveis no difícil e permanente combate à sonegação de impostos no país, têm sido e continuarão sendo tomadas pelo governo, disse o ministro.”

É sempre bom lembrar que não se separa o sujeito do predicado com vírgula. Como, no período acima, temos um exemplo de sujeito de longa extensão (ele começa em “Todos”, no início da frase, e vai até a palavra “país”), sua completa identificação foi dificultada, levando o redator a, equivocadamente, separá-lo de seu verbo com uma vírgula – retire-a.

4 – À medida que x Na medida em que

Não confunda a locução conjuntiva “à medida que” (“à proporção que”) com a locução “na medida em que” (“porque”). Obs. É equivocada a construção híbrida dessas locuções, isto é, “à medida em que” ou “na medida que”. Veja os exemplos: “Desfavoravelmente, o diálogo entre policial e sequestrador se tornava mais tenso à medida que/à proporção que o tempo passava” (certo); “Na medida em que/Porque as reivindicações da categoria não foram atendidas, a paralisação dos trabalhadores será mantida” (certo); “O interrogado se contradizia cada vez mais à medida em que falava” (errado); “De acordo com o delegado, as peças do quebra-cabeça não se encaixavam, na medida que havia muitas contradições no depoimento” (errado).

5 – Em frente a, em face de, diante de

O último vocábulo das locuções prepositivas (grupo de palavras com valor de preposição) quase sempre (em 99,99% das ocorrências, digamos) é uma preposição. Assim, em vez de “Em face os últimos acontecimentos, a reunião foi antecipada”, escreva “Em face dos últimos acontecimentos, a reunião foi antecipada”. Outro fato: a maioria dos gramáticos tradicionais desaconselham a locução “face a” em vez de “em face de”. Obs. Quando semanticamente equivale a “apesar de”, a expressão “não obstante” é locução prepositiva (a única da língua portuguesa não terminada com preposição. Ex.: “Não obstante/apesar de já ter tomado a vacina no passado, temia a viagem à cidade, considerada área de risco com muitos casos registrados de febre amarela”.

6 – O porquê das perguntas

Não leve totalmente a sério a lenda de que, para perguntas, sempre empregamos “por que separado”. Observe: “O jogador foi multado só porque chegou alguns minutos atrasado ao treino? Esse “porque” é uma conjunção causal e deve ser mesmo escrito em uma só palavra, mesmo numa frase interrogativa.

7 – Chavão

Evite os chavões dos boletins policiais (ou de quaisquer outros). Ex.: Em vez de “O grupo de homens armados efetuaram diversos disparos”, escreva, simplesmente, “O grupo de homens armados atiraram várias/diversas vezes”.

8 – Ordinais

Na indicação de artigos de lei, empregue numeral ordinal de um a nove e numeral cardinal a partir de dez. Ex.: “Segundo o artigo 5º da referida lei” (e não artigo 5). Mas… “Segundo o artigo 10 da referida lei” (e não artigo 10º).

9 – Um dos que

Dê preferência à flexão de plural do verbo seguinte à expressão “um dos que”. Ex.: “O meia-atacante foi um dos que mais se destacaram na partida de ontem”.

10 – Duração

Em tempo: sem o artigo antes dos numerais indicadores de horas, o sentido é de duração de tempo. Veja a seguinte construção: “A reunião durou de três a quatro horas” é diferente semanticamente de “A reunião durou das 3h às 4h”. Nesta segunda estrutura, com preposição e artigo, inferimos que a reunião teve duração de uma hora; no primeiro exemplo, com preposição e sem artigo, deduzimos que a reunião durou aproximadamente três ou quatro horas.

 

Até!

marjangadeiro@gmail.com

Publicidade aqui

leia tudo sobre

Dez dicas da série Competência 1: português profissional – texto jornalístico

Por Orlando Nunes em Dica

29 de Janeiro de 2018

1 – Cai, chuva

Evite a obviedade da construção “a chuva que caiu”. Em vez de “A chuva que caiu ontem na região”, escreva, por exemplo, “A chuva de ontem na região”, ou “A chuva que atingiu ontem a região”. Enfim, fuja sempre da “chuva que cai” (agora, se ela, surpreendentemente, começar a subir, aí sim, seja o primeiro a noticiar a novidade).

2 – Hora determinada

Observe: “A reunião ocorreu de 9h às 11h” (errado). Antes de “11h” temos, corretamente, preposição (a) + artigo (a), resultando em crase (às). Antes de “9h”, por paralelismo, deveríamos ter também preposição + artigo (de + as), resultando em “das”. Logo, “A reunião ocorreu das 9h às 11h”.

3 – Tinha uma pedra no meio do caminho

“Todas as medidas legalmente cabíveis no difícil e permanente combate à sonegação de impostos no país, têm sido e continuarão sendo tomadas pelo governo, disse o ministro.”

É sempre bom lembrar que não se separa o sujeito do predicado com vírgula. Como, no período acima, temos um exemplo de sujeito de longa extensão (ele começa em “Todos”, no início da frase, e vai até a palavra “país”), sua completa identificação foi dificultada, levando o redator a, equivocadamente, separá-lo de seu verbo com uma vírgula – retire-a.

4 – À medida que x Na medida em que

Não confunda a locução conjuntiva “à medida que” (“à proporção que”) com a locução “na medida em que” (“porque”). Obs. É equivocada a construção híbrida dessas locuções, isto é, “à medida em que” ou “na medida que”. Veja os exemplos: “Desfavoravelmente, o diálogo entre policial e sequestrador se tornava mais tenso à medida que/à proporção que o tempo passava” (certo); “Na medida em que/Porque as reivindicações da categoria não foram atendidas, a paralisação dos trabalhadores será mantida” (certo); “O interrogado se contradizia cada vez mais à medida em que falava” (errado); “De acordo com o delegado, as peças do quebra-cabeça não se encaixavam, na medida que havia muitas contradições no depoimento” (errado).

5 – Em frente a, em face de, diante de

O último vocábulo das locuções prepositivas (grupo de palavras com valor de preposição) quase sempre (em 99,99% das ocorrências, digamos) é uma preposição. Assim, em vez de “Em face os últimos acontecimentos, a reunião foi antecipada”, escreva “Em face dos últimos acontecimentos, a reunião foi antecipada”. Outro fato: a maioria dos gramáticos tradicionais desaconselham a locução “face a” em vez de “em face de”. Obs. Quando semanticamente equivale a “apesar de”, a expressão “não obstante” é locução prepositiva (a única da língua portuguesa não terminada com preposição. Ex.: “Não obstante/apesar de já ter tomado a vacina no passado, temia a viagem à cidade, considerada área de risco com muitos casos registrados de febre amarela”.

6 – O porquê das perguntas

Não leve totalmente a sério a lenda de que, para perguntas, sempre empregamos “por que separado”. Observe: “O jogador foi multado só porque chegou alguns minutos atrasado ao treino? Esse “porque” é uma conjunção causal e deve ser mesmo escrito em uma só palavra, mesmo numa frase interrogativa.

7 – Chavão

Evite os chavões dos boletins policiais (ou de quaisquer outros). Ex.: Em vez de “O grupo de homens armados efetuaram diversos disparos”, escreva, simplesmente, “O grupo de homens armados atiraram várias/diversas vezes”.

8 – Ordinais

Na indicação de artigos de lei, empregue numeral ordinal de um a nove e numeral cardinal a partir de dez. Ex.: “Segundo o artigo 5º da referida lei” (e não artigo 5). Mas… “Segundo o artigo 10 da referida lei” (e não artigo 10º).

9 – Um dos que

Dê preferência à flexão de plural do verbo seguinte à expressão “um dos que”. Ex.: “O meia-atacante foi um dos que mais se destacaram na partida de ontem”.

10 – Duração

Em tempo: sem o artigo antes dos numerais indicadores de horas, o sentido é de duração de tempo. Veja a seguinte construção: “A reunião durou de três a quatro horas” é diferente semanticamente de “A reunião durou das 3h às 4h”. Nesta segunda estrutura, com preposição e artigo, inferimos que a reunião teve duração de uma hora; no primeiro exemplo, com preposição e sem artigo, deduzimos que a reunião durou aproximadamente três ou quatro horas.

 

Até!

marjangadeiro@gmail.com