Publicidade

MAR Jangadeiro

por Orlando Nunes

Quando vir a Bündchen, trema!

Por Orlando Nunes em Manual

23 de agosto de 2014

Manual de Apoio à Redação – MAR Jangadeiro

O blog prossegue a série de postagens relacionadas às normas de padronização de escrita adotadas pelo Portal Tribuna do Ceará. O leitor vai poder continuar utilizando (que locução verbal, hein?!) o e-mail marjangadeiro@gmail para dúvidas, debates e desaforos (sempre dentro do padrão culto da língua).

Karws amygos

Não é porque o novo Acordo Ortográfico oficializou em nosso alfabeto as letras k, w e y que você vai sair por aí metralhando kk, yy e ww, ou way?

Dando nome aos fylhos?

Se a escolha de sua graça for, digamos, Carlos, nada de Karlws; se Maria, por que Marya? Mas, é claro, na grafia de nome próprio estrangeiro: Lukas Podolski, é tóis!

E mais: na grafia de nome próprio de chefe ninguém mexe: Cyro, por exemplo.

As letras k, w e y têm uso específico.

Empregamo-las (eta, mano!), por exemplo:

– na escrita dos símbolos de unidades de medida: km (quilômetro), kg (quilograma), W (watt), Wh (watt-hora), yd (jarda).

– na escrita de palavras e nomes estrangeiros (e derivados): show, playground, windsurf, William Shakespeare, shakespeariano, Kafka, kafkiano.

Desse modo, nada de invenções mirabolantes, caros amigos.

Trema (ainda há), mas não muito

 O novo Acordo Ortográfico aboliu o trema (¨), sinal que se punha sobre a letra U para indicar que ela era pronunciada e átona nos grupos gue, gui; que, qui.

 “Família é resgatada após sequestro-relâmpago”

 “Mãe diz que filho ‘não era um delinquente’”

 “… a equipe se reunirá para discutir um plano de desenvolvimento econômico bilateral

para o próximo quinquênio.

 Antes e Depois do novo Acordo Ortográfico:

 Antes: agüentar, argüir, trilíngüe, cinqüenta, delinqüente, eloqüente, eqüestre, eqüino, freqüente, lingüiça, qüinqüênio, seqüência, seqüestro, tranqüilo.

 Depois: aguentar, arguir, trilíngue, cinquenta, delinquente, eloquente, equestre, equino, frequente, linguiça, quinquênio, sequência, sequestro, tranquilo.

 O trema da Gisele não caiu

 Na verdade, vos direi: nada dessa deusa cairá jamais, ela não é deste planeta.

 O trema foi abolido do mundo português; permanece, no entanto, em palavras estrangeiras e em seus derivados. Por isso, quando vir a Bündchen, trema, trema!

 Agora todo trema é gringo!

“O habilidoso Müller dá sequência à história de grandes craques alemães.”

“Relativo a Müller, mülleriano. Relativo ao escritor Günter Grass, günteriano.”

No próximo fim de semana, tem mais.

Até!

Publicidade aqui

leia tudo sobre

Quando vir a Bündchen, trema!

Por Orlando Nunes em Manual

23 de agosto de 2014

Manual de Apoio à Redação – MAR Jangadeiro

O blog prossegue a série de postagens relacionadas às normas de padronização de escrita adotadas pelo Portal Tribuna do Ceará. O leitor vai poder continuar utilizando (que locução verbal, hein?!) o e-mail marjangadeiro@gmail para dúvidas, debates e desaforos (sempre dentro do padrão culto da língua).

Karws amygos

Não é porque o novo Acordo Ortográfico oficializou em nosso alfabeto as letras k, w e y que você vai sair por aí metralhando kk, yy e ww, ou way?

Dando nome aos fylhos?

Se a escolha de sua graça for, digamos, Carlos, nada de Karlws; se Maria, por que Marya? Mas, é claro, na grafia de nome próprio estrangeiro: Lukas Podolski, é tóis!

E mais: na grafia de nome próprio de chefe ninguém mexe: Cyro, por exemplo.

As letras k, w e y têm uso específico.

Empregamo-las (eta, mano!), por exemplo:

– na escrita dos símbolos de unidades de medida: km (quilômetro), kg (quilograma), W (watt), Wh (watt-hora), yd (jarda).

– na escrita de palavras e nomes estrangeiros (e derivados): show, playground, windsurf, William Shakespeare, shakespeariano, Kafka, kafkiano.

Desse modo, nada de invenções mirabolantes, caros amigos.

Trema (ainda há), mas não muito

 O novo Acordo Ortográfico aboliu o trema (¨), sinal que se punha sobre a letra U para indicar que ela era pronunciada e átona nos grupos gue, gui; que, qui.

 “Família é resgatada após sequestro-relâmpago”

 “Mãe diz que filho ‘não era um delinquente’”

 “… a equipe se reunirá para discutir um plano de desenvolvimento econômico bilateral

para o próximo quinquênio.

 Antes e Depois do novo Acordo Ortográfico:

 Antes: agüentar, argüir, trilíngüe, cinqüenta, delinqüente, eloqüente, eqüestre, eqüino, freqüente, lingüiça, qüinqüênio, seqüência, seqüestro, tranqüilo.

 Depois: aguentar, arguir, trilíngue, cinquenta, delinquente, eloquente, equestre, equino, frequente, linguiça, quinquênio, sequência, sequestro, tranquilo.

 O trema da Gisele não caiu

 Na verdade, vos direi: nada dessa deusa cairá jamais, ela não é deste planeta.

 O trema foi abolido do mundo português; permanece, no entanto, em palavras estrangeiras e em seus derivados. Por isso, quando vir a Bündchen, trema, trema!

 Agora todo trema é gringo!

“O habilidoso Müller dá sequência à história de grandes craques alemães.”

“Relativo a Müller, mülleriano. Relativo ao escritor Günter Grass, günteriano.”

No próximo fim de semana, tem mais.

Até!