Publicidade

MAR Jangadeiro

por Orlando Nunes

Artigo

Blog MAR Jangadeiro inicia série Competência 1: Gramática Aplicada ao Texto Jornalístico 2018

Por Orlando Nunes em Sintaxe

22 de Janeiro de 2018

Manual de Apoio à Redação – MAR Jangadeiro

Paralelismo sintático

“A capacidade de autocontrole emocional em um indivíduo submetido a tão precárias condições de sobrevivência talvez esteja mais relacionada à loteria genética do que a esforços pessoais.”

Competência 1 – Gramática Aplicada ao Texto Jornalístico

Análise da estrutura “…mais relacionada à loteria genética do que a esforços pessoais”.

 

– Termo regente: “relacionada”.

Termos regidos: (1) “à loteria genética” e (2) “a esforços pessoais”.

 

Observe que, em (1), temos a fusão da preposição A com o artigo A, resultando em À (crase). Entretanto, em (2), segundo termo regido, há somente a preposição A, falta o artigo (“os”, no caso) para a promoção do paralelismo sintático da estrutura (à / aos).

Copidesque

“A capacidade de autocontrole emocional em um indivíduo submetido a tão precárias condições de sobrevivência talvez esteja mais relacionada à loteria genética do que aos esforços pessoais.”

 

E o resto é MAR.

marjangadeiro@gmail.com

Publicidade

Preposição e artigo antes das horas

Por Orlando Nunes em Ortografia

10 de novembro de 2014

“A prova ocorre de 12h às 17h”

A pergunta é esta: posso empregar a preposição não acompanhada de artigo na designação das horas? Em outras palavras, o “de” antes do numeral 12, na frase acima, está correto?

Marluce D. (Barbalha-CE)

Resposta:

Antes do numeral 17, temos uma preposição (a) e um artigo feminino plural (as). O encontro dos dois aa (a da preposição + a(s) do artigo) ocasionou a crase (às). Antes do numeral da esquerda também deve haver, além da preposição (de), um artigo (as); logo, de +as = das).

“A prova ocorre das 12h às 17h30”

Essa estrutura marca o horário do início e do término do referido evento.

Duração

Diferente, contudo, seria uma estrutura como esta:

“A prova será de 12 a 17 horas”.

Nessa estrutura, não estaríamos mais indicando o horário de início e término do evento, mas informando o tempo provável de sua duração, ou seja, uma prova que duraria entre 12 e 17 horas; uma longa prova, portanto. Assim, sem artigo, não se marca o início ou fim do evento.

Veja esta questão:

“Teremos uma reunião de três a quatro horas”.

Sobre o período acima, é CORRETO afirmar que
(a) a reunião será iniciadas às três horas.
(b) a reunião terminará às quatro horas.
(c) a reunião durará até as quatro horas.
(d) a reunião pode durar até quatro horas.
(e) há mais de uma alternativa correta.

Resposta: letra (d). A estrutura do período indica que a reunião pode durar entre três e quatro horas, ou seja, até quatro horas de duração.

A reunião duraria uma hora, porém, numa estrutura com a determinação dos numerais, a marcar o horário de seu início e de seu fim: “Teremos uma reunião das três às quatro horas”.

Até!

Publicidade

Artigo e crase têm hora

Por Orlando Nunes em Dica

09 de junho de 2013

“A ação ocorrerá no viaduto da Raul Barbosa, que estará momentaneamente fechado no próximo domingo, entre 8 e 10h.”

Bom exemplo para comentarmos a necessidade ou não do emprego de artigos antes dos numerais relacionados a “horas”.

ARTIGO

Usar ou não o artigo antes do numeral faz toda a diferença, senão vejamos.

Se o viaduto vai ficar fechado “entre 8 e 10 horas”, como está escrito acima, isso quer dizer que o trânsito por ele estará impossibilitado durante um bom tempo.

Como assim, bródi?

Caso a interdição se inicie às 8 horas, por exemplo, a reabertura do viaduto ao trânsito normal não ocorrerá antes das 16 horas, ou seja, oito horas depois.

Vixemaria, bichim!!!

Se o viaduto vai ficar fechado entre as 8h e as 10h, com artigo antes dos numerais, a coisa muda e os motoristas agradecem. Isso quer dizer que o fechamento ao trânsito normal durará somente duas horas, das 8 às 10 horas da manhã (menos mau, não?).

CRASE

Por que “entre as 8h e as 10h” não empreguei o acento indicativo de crase, mas o fiz em “das 8h às 10h”? Elementar, caro redator: crase é fusão. Mas vamos devagar.

1. “das 8h” – das = de (preposição) + as (artigo).

1.1 “às 10h” – às = a (preposição) + as (artigo), logo a+as =às (fenômeno da crase, fusão de dois “aa”, um é preposição e outro, artigo.

2. “entre as 8h” – entre (preposição) + as (artigo), não há fusão de dois “aa”, ou seja, não ocorre o fenômeno da crase.

2.1 O mesmo fato observamos aqui antes do numeral 10, em que o “as” que o antecede é apenas um artigo (a preposição “entre” vem elíptica, subentendida).

Assim, às 10h (com crase) equivalente a “A + AS 10h”; mas entre as 10h (sem crase), porque temos ENTRE + AS 10h.

 

Pois, pois.
Estou no marjangadeiro@gmail.com

Abs!

leia tudo sobre

Publicidade

Crase: no Ceará, não tem disso não

Por Orlando Nunes em Crase

15 de setembro de 2012

Vou a ou à Antonina do Norte?.

Artigo definido anteposto a nome de cidade é tão raro quanto político corrupto na cadeia. Mas, com perdão do trocadilho, se falta artigo, ficha limpa abunda.

Quantos municípios há no Ceará? Nada mais, nada menos que 184. Quantos deles são precedidos de artigo? Caro amigo redator, salvo engano, apenas um: viva o Crato!

“O” e “A” são artigos de luxo antes de qualquer cidade do mundo, poucas os têm.

Fortaleza, e não a Fortaleza; Amontada, e não a Amontada; Antonina do Norte, e não a Antonina do Norte; Russas, Morada Nova, Missão Velha, artigo pra quê?

No Ceará, parece mesmo que só o Crato tem. E o artigo é “o”, masculino.

Uma ideia puxa outra. Ora, crase é a fusão da preposição A com outro A (o artigo feminino “a”, normalmente). Se a única cidade cearense que aceita satisfeita a anteposição de artigo é “o” Crato, qual a conclusão?

Crase: no Ceará não tem disso não. Vou a Antonina do Norte.

Atenção Redação Jangadeiro

Países não antecedidos de artigo:

Portugal, Israel, Angola, Cabo Verde, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor Leste.

Estados brasileiros não antecedidos de artigo:

Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe.

Algumas  (raras) cidades famosas antecedidas de artigo:

O Porto (Portugal), o Cairo (Egito), o Rio de Janeiro e o Recife (com ou sem).

Abraço.

leia tudo sobre

Publicidade

Crase: no Ceará, não tem disso não

Por Orlando Nunes em Crase

15 de setembro de 2012

Vou a ou à Antonina do Norte?.

Artigo definido anteposto a nome de cidade é tão raro quanto político corrupto na cadeia. Mas, com perdão do trocadilho, se falta artigo, ficha limpa abunda.

Quantos municípios há no Ceará? Nada mais, nada menos que 184. Quantos deles são precedidos de artigo? Caro amigo redator, salvo engano, apenas um: viva o Crato!

“O” e “A” são artigos de luxo antes de qualquer cidade do mundo, poucas os têm.

Fortaleza, e não a Fortaleza; Amontada, e não a Amontada; Antonina do Norte, e não a Antonina do Norte; Russas, Morada Nova, Missão Velha, artigo pra quê?

No Ceará, parece mesmo que só o Crato tem. E o artigo é “o”, masculino.

Uma ideia puxa outra. Ora, crase é a fusão da preposição A com outro A (o artigo feminino “a”, normalmente). Se a única cidade cearense que aceita satisfeita a anteposição de artigo é “o” Crato, qual a conclusão?

Crase: no Ceará não tem disso não. Vou a Antonina do Norte.

Atenção Redação Jangadeiro

Países não antecedidos de artigo:

Portugal, Israel, Angola, Cabo Verde, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor Leste.

Estados brasileiros não antecedidos de artigo:

Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe.

Algumas  (raras) cidades famosas antecedidas de artigo:

O Porto (Portugal), o Cairo (Egito), o Rio de Janeiro e o Recife (com ou sem).

Abraço.