Publicidade

MAR Jangadeiro

por Orlando Nunes

infinitivo

Idiotismo

Por Orlando Nunes em Teste simulado

21 de setembro de 2013

Bem-acomodados e relaxados alunos, apertem o cinto para um desafio verbal

Texto de apoio.

A idiotice

é infinita

O idiotismo,

infinitivo

Sobre flexões verbais, aspire a única alternativa que lhe cheirar bem:

 

(A)    Considera-se defectivo todo verbo abundante livre de uma prisão de ventre.

(B)   As flexões verbais irregulares podem provocar efeito estufa no corpo discente.

(C)   Se no princípio era o verbo, é um pecado original a ordem direta da frase.

(D)   A ABL emprega o infinitivo impessoal para imortalizar a obra, e não o acadêmico.

(E)    Conjugar o infinitivo pessoal é o que podemos chamar de um tremendo idiotismo.

 

GABARITO comentado: letra E, de Essência.

Idiotismo, segundo Houaiss:

– traço ou construção peculiar a uma determinada língua, que não se encontra na maioria dos outros idiomas (p.ex., o infinitivo pessoal do português).

As alternativas A, B, C e D têm um traço parecido, mas significado diferente: idiotice..

Até!

leia tudo sobre

Publicidade

No princípio era o verbo

Por Orlando Nunes em Crônica, Gramática

18 de Abril de 2012

“Obras sofrerão reajuste.”

Cá entre nós, os contribuintes sofrerão muito mais.

RESPONDA-ME:

As construtoras vão exigir um pouco mais para concluir as obras ou As construtoras vão exigir um pouco mais para concluírem as obras?

TANTO FAZ.

Contudo, quando o sujeito do infinitivo (no caso, as construtoras) é o mesmo da oração principal (as construtoras, yes), a flexão do infinitivo, embora possível, é desnecessária.

A opção de manter o verbo não flexionado confere mais sobriedade ao período: As construtoras vão exigir um pouco mais para concluir as obras.

Mais sobriedade ao texto, apenas. Já esse “um pouco mais”, por sua vez, é um eufemismo deslavado, uma pouca-vergonha. Na prática vão exigir uma dinheirama.

Em miúdos, o infinitivo pode não flexionar, mas o governo flexiona (quase) sempre.

$$$.

Pensar grande: No princípio era o verbo, com o tempo a inflação dobrou a língua.

Publicidade

No princípio era o verbo

Por Orlando Nunes em Crônica, Gramática

18 de Abril de 2012

“Obras sofrerão reajuste.”

Cá entre nós, os contribuintes sofrerão muito mais.

RESPONDA-ME:

As construtoras vão exigir um pouco mais para concluir as obras ou As construtoras vão exigir um pouco mais para concluírem as obras?

TANTO FAZ.

Contudo, quando o sujeito do infinitivo (no caso, as construtoras) é o mesmo da oração principal (as construtoras, yes), a flexão do infinitivo, embora possível, é desnecessária.

A opção de manter o verbo não flexionado confere mais sobriedade ao período: As construtoras vão exigir um pouco mais para concluir as obras.

Mais sobriedade ao texto, apenas. Já esse “um pouco mais”, por sua vez, é um eufemismo deslavado, uma pouca-vergonha. Na prática vão exigir uma dinheirama.

Em miúdos, o infinitivo pode não flexionar, mas o governo flexiona (quase) sempre.

$$$.

Pensar grande: No princípio era o verbo, com o tempo a inflação dobrou a língua.