Publicidade

MAR Jangadeiro

por Orlando Nunes

parêntese

Gols e travessões duplos

Por Orlando Nunes em Pontuação

24 de Janeiro de 2015

 

“Tricolor do Pici empatou na rodada inaugural da competição, longe de casa – em Iguatu, e estreou no Estádio Presidente Vargas no domingo”

Como estou mesmo na arquibancada, vou soltar um palavrão: pontuação parentética.

Essa expressão abrange o conceito de vírgulas, parênteses ou travessões duplos. Isso significa dizer que, no contexto de pontuação parentética, se empregamos a primeira vírgula, o primeiro parêntese ou o primeiro travessão, temos de concluir a pontuação com idêntico sinal (outra vírgula, outro parêntese ou outro travessão. Em outras palavras, ajoelhou, tem de rezar. É o caso do fragmento acima, entre aspas.

O termo “em Iguatu” tem à sua esquerda um travessão, e, à sua direita, uma vírgula.

Ninguém agrada a dois senhores; então, resta-nos uma de três alternativas:

  1. empregar travessões duplos

“Tricolor do Pici empatou na rodada inaugural da competição, longe de casa – em Iguatu – e estreou no Estádio Presidente Vargas no domingo”

  1. empregar vírgulas duplas

“Tricolor do Pici empatou na rodada inaugural da competição, longe de casa, em Iguatu, e estreou no Estádio Presidente Vargas no domingo”

  1. empregar parênteses duplos

“Tricolor do Pici empatou na rodada inaugural da competição, longe de casa (em Iguatu) e estreou no Estádio Presidente Vargas no domingo”

É isso. E, para completar, no meio da semana o Fortaleza tomou gols duplos em Juazeiro.

Paciência, as coisas hão de melhorar, inclusive nossa pontuação na tabela, seja ela parentética ou não.

 

 

 

leia tudo sobre

Publicidade

Gols e travessões duplos

Por Orlando Nunes em Pontuação

24 de Janeiro de 2015

 

“Tricolor do Pici empatou na rodada inaugural da competição, longe de casa – em Iguatu, e estreou no Estádio Presidente Vargas no domingo”

Como estou mesmo na arquibancada, vou soltar um palavrão: pontuação parentética.

Essa expressão abrange o conceito de vírgulas, parênteses ou travessões duplos. Isso significa dizer que, no contexto de pontuação parentética, se empregamos a primeira vírgula, o primeiro parêntese ou o primeiro travessão, temos de concluir a pontuação com idêntico sinal (outra vírgula, outro parêntese ou outro travessão. Em outras palavras, ajoelhou, tem de rezar. É o caso do fragmento acima, entre aspas.

O termo “em Iguatu” tem à sua esquerda um travessão, e, à sua direita, uma vírgula.

Ninguém agrada a dois senhores; então, resta-nos uma de três alternativas:

  1. empregar travessões duplos

“Tricolor do Pici empatou na rodada inaugural da competição, longe de casa – em Iguatu – e estreou no Estádio Presidente Vargas no domingo”

  1. empregar vírgulas duplas

“Tricolor do Pici empatou na rodada inaugural da competição, longe de casa, em Iguatu, e estreou no Estádio Presidente Vargas no domingo”

  1. empregar parênteses duplos

“Tricolor do Pici empatou na rodada inaugural da competição, longe de casa (em Iguatu) e estreou no Estádio Presidente Vargas no domingo”

É isso. E, para completar, no meio da semana o Fortaleza tomou gols duplos em Juazeiro.

Paciência, as coisas hão de melhorar, inclusive nossa pontuação na tabela, seja ela parentética ou não.