Publicidade

MAR Jangadeiro

por Orlando Nunes

ter

A pronúncia do têm

Por Orlando Nunes em Concordância verbal

10 de junho de 2016

(FOTO: Flickr/Creative Commons/Pedro Ribeiro Simões)

(FOTO: Flickr/Creative Commons/Pedro Ribeiro Simões)

Na escrita, a terceira pessoa do plural do presente do indicativo do verbo TER é assinalada com um acento circunflexo: Ele/Ela TEM um plano; Eles/Elas TÊM um plano.

Esse acento diferencial de plural NADA tem a ver com a pronúncia ou FALA.

Assim, FALAMOS (pronúncia) /Eles ou Elas TEM um plano/, e não /… TEEM um plano /.

Até!

leia tudo sobre

Publicidade

Tinha ou tinham duas pedras no meio do caminho?

Por Orlando Nunes em Flexão verbal

29 de novembro de 2014

Nunca me esquecerei desse acontecimento
Na vida de minhas retinas tão fatigadas.
Nunca me esquecerei que no meio do caminho
Tinha uma pedra
Tinha uma pedra no meio do caminho
No meio do caminho tinha uma pedra.

(No meio do caminho – Carlos Drummond de Andrade)

 

Na linguagem informal brasileira, o verbo impessoal HAVER (sinônimo de existir) é substituído pelo verbo TER. Dizemos, por exemplo, “Tem gente demais nesta sala”, em vez do culto “Há gente demais nesta sala”.

O verbo HAVER impessoal (sem sujeito) não é flexionado no plural:

Havia pessoas demais nesta sala”, e não “*Haviam pessoas demais nesta sala”.

Dessa forma, quando, coloquialmente, substituímos HAVER (= a existir) por TER. este verbo, igualmente, não será flexionado no plural. No poema de Drummond, se, em vez de uma, houvesse duas pedras no meio do caminho, teríamos os seguintes versos:

Tinha duas pedras
Tinha duas pedras no meio do caminho
No meio do caminho tinha duas pedras

Claro que essa grosseira alteração numérica nos versos do genial poeta mineiro é só para chamar a atenção do leitor para a “impessoalidade” do verbo TER (= a HAVER) neste contexto, porque uma pedra no meio do caminho já é o suficiente para simbolizar uma pedra no sapato de qualquer caminhante deste mundo de pedras.

Estou no marjangadeiro@gmail.com

Até!.

 

leia tudo sobre

Publicidade

Tinha ou tinham duas pedras no meio do caminho?

Por Orlando Nunes em Flexão verbal

29 de novembro de 2014

Nunca me esquecerei desse acontecimento
Na vida de minhas retinas tão fatigadas.
Nunca me esquecerei que no meio do caminho
Tinha uma pedra
Tinha uma pedra no meio do caminho
No meio do caminho tinha uma pedra.

(No meio do caminho – Carlos Drummond de Andrade)

 

Na linguagem informal brasileira, o verbo impessoal HAVER (sinônimo de existir) é substituído pelo verbo TER. Dizemos, por exemplo, “Tem gente demais nesta sala”, em vez do culto “Há gente demais nesta sala”.

O verbo HAVER impessoal (sem sujeito) não é flexionado no plural:

Havia pessoas demais nesta sala”, e não “*Haviam pessoas demais nesta sala”.

Dessa forma, quando, coloquialmente, substituímos HAVER (= a existir) por TER. este verbo, igualmente, não será flexionado no plural. No poema de Drummond, se, em vez de uma, houvesse duas pedras no meio do caminho, teríamos os seguintes versos:

Tinha duas pedras
Tinha duas pedras no meio do caminho
No meio do caminho tinha duas pedras

Claro que essa grosseira alteração numérica nos versos do genial poeta mineiro é só para chamar a atenção do leitor para a “impessoalidade” do verbo TER (= a HAVER) neste contexto, porque uma pedra no meio do caminho já é o suficiente para simbolizar uma pedra no sapato de qualquer caminhante deste mundo de pedras.

Estou no marjangadeiro@gmail.com

Até!.