Hans Zimmer Archives - Cinema Sinergia 
Publicidade

Cinema Sinergia

por Thiago Sampaio

Hans Zimmer

Crítica: “Blade Runner 2049” já nasce como um novo clássico da ficção científica

Por Thiago Sampaio em Crítica

11 de outubro de 2017

Continuação chega 35 anos depois, não só mantendo as raízes do original, mas ampliando os questionamentos de maneira fiel, atualizada

Foto: Divulgação

Aquele “Blade Runner: O Caçador de Andróides” (Blade Runner, 1982) que foi aos cinemas demorou muito para ser compreendido. Depois de várias versões, em que pequenos detalhes que permeavam a mente do diretor Ridley Scott foram surgindo, o longa ganhou o status de cult por parte dos fãs de sci-fi. Só depois de alguns anos foi possível enxergar melhor que ali não se tratava de um longa de ação, mas uma produção de cunho existencialista.

Após muito se falar sobre uma continuação, projetos cancelados, rejeição dos fãs por considerá-la desnecessária (o que até faz sentido), “Blade Runner 2049” (idem, 2017) chega 35 anos depois, não só mantendo as raízes do original, mas ampliando os questionamentos de maneira fiel, atualizada e, principalmente, arquitetada como um produto de maneira admirável.

A trama é simples: trinta anos após os eventos do primeiro longa, um novo caçador de replicantes, o policial K (Ryan Gosling), do Departamento de Polícia de Los Angeles, desenterra um segredo que tem o potencial de mergulhar o que sobrou da sociedade em caos. A descoberta o leva a uma jornada em busca de Rick Deckard (Harrison Ford), um antigo blade runner (nome atribuído aos caçadores) que está desaparecido há décadas.

Leia mais

Publicidade

Crítica: “Mulher-Maravilha” traz protagonismo feminino e uma eficiente aventura de época

Por Thiago Sampaio em Crítica

01 de junho de 2017

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

A disputa entre as adaptações da Marvel e DC para os cinemas virou uma rivalidade por parte dos fãs que beira o clubismo. Mas é fato que a DC está tentando tirar o atraso, enquanto a concorrente já estabeleceu o seu próprio universo compartilhado de heróis. “O Homem de Aço” (2013) e “Batman Vs Superman” (2016) balançaram as críticas e “Esquadrão Suicida” (2016) foi uma unanimidade negativa.

“Mulher-Maravilha” (Wonder Woman, 2017) chega com a responsabilidade de introduzir o primeiro longa solo de uma personagem mulher dos dois mundos. E o resultado é uma superprodução honesta que agrada aos fãs e o público em geral, abordando temas como feminismo e inclusão, o que já a torna um diferencial. Para o universo da DC nas telonas, uma esperança para o que virá em seguida: “Liga da Justiça”.

Na trama, Diana Prince (Gal Gadot) é treinada desde cedo para ser uma guerreira imbatível. Nunca saiu da paradisíaca ilha em que é reconhecida como princesa das Amazonas. Quando o piloto Steve Trevor (Chris Pine) se acidenta e cai numa praia do lugar, ela descobre que uma guerra sem precedentes está se espalhando pelo mundo e decide deixar seu lar certa de que pode parar o conflito. Lutando para acabar com todas as lutas, Diana percebe o alcance de seus poderes e sua verdadeira missão na Terra.

Leia mais

Publicidade

Crítica: “Mulher-Maravilha” traz protagonismo feminino e uma eficiente aventura de época

Por Thiago Sampaio em Crítica

01 de junho de 2017

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

A disputa entre as adaptações da Marvel e DC para os cinemas virou uma rivalidade por parte dos fãs que beira o clubismo. Mas é fato que a DC está tentando tirar o atraso, enquanto a concorrente já estabeleceu o seu próprio universo compartilhado de heróis. “O Homem de Aço” (2013) e “Batman Vs Superman” (2016) balançaram as críticas e “Esquadrão Suicida” (2016) foi uma unanimidade negativa.

“Mulher-Maravilha” (Wonder Woman, 2017) chega com a responsabilidade de introduzir o primeiro longa solo de uma personagem mulher dos dois mundos. E o resultado é uma superprodução honesta que agrada aos fãs e o público em geral, abordando temas como feminismo e inclusão, o que já a torna um diferencial. Para o universo da DC nas telonas, uma esperança para o que virá em seguida: “Liga da Justiça”.

Na trama, Diana Prince (Gal Gadot) é treinada desde cedo para ser uma guerreira imbatível. Nunca saiu da paradisíaca ilha em que é reconhecida como princesa das Amazonas. Quando o piloto Steve Trevor (Chris Pine) se acidenta e cai numa praia do lugar, ela descobre que uma guerra sem precedentes está se espalhando pelo mundo e decide deixar seu lar certa de que pode parar o conflito. Lutando para acabar com todas as lutas, Diana percebe o alcance de seus poderes e sua verdadeira missão na Terra.

(mais…)